Nostalgia | Juliano Maesano | Digestivo Cultural

busca | avançada
62566 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> Caí na besteira de ler Nietzsche
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Santa Xuxa contra a hipocrisia atual
>>> Há vida inteligente fora da internet?
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Nos porões da ditadura
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Um Cidadão do Mundo Que Ama a Paz de Reverendo Sun Myung Moon pela Il Rung (2011)
>>> Um Cidadão do Mundo Que Ama a Paz de Reverendo Sun Myung Moon pela Il Rung (2011)
>>> Um Cidadão do Mundo Que Ama a Paz de Reverendo Sun Myung Moon pela Il Rung (2011)
>>> É Simples Você pode Recriar Sua Vida de Rosalia Schwark pela Edita (2008)
>>> Feliz Por Nada de Martha Medeiros pela L&PM (2011)
>>> Conversas com gestores de ações brasileiros - A fórmula dos grandes investidores para ganhar dinheiro em bolsa de Luciana Seabra/Prefácio de Felipe Miranda pela Portfólio/Penguin (2018)
>>> Seja Dono do Seu Nariz de Cheryl Richardson pela Sextante (2007)
>>> Sem Medo da Segunda-Feira de David Cottrell pela Negócios (2009)
>>> O Poder da Paciência de M. J. Ryan pela Sextante (2009)
>>> Uma Vida Com Propósitos de Rick Warren pela Vida (2010)
>>> Poirot perde uma cliente de Agatha Christie pela Nova Fronteira (1976)
>>> Paris Babilônia. A capital francesa nos tempos da Comuna de Rupert Christiansen pela Record (1998)
>>> O Poder da Energia de Brendon Burchard pela Novo Conceito (2013)
>>> Antes do dilúvio. Um retrato da Berlim nos anos 20 de Otto Friedrich pela Record (1997)
>>> Tratado da propriedade Intelectual - Tomo III de Denis Borges Barbosa pela Lumen Juris (2014)
>>> Mojo The Collector Series de Bob Dylan 1974-2020 pela Mojo (2020)
>>> Sigmund Freud & O Gabinete do Dr. Lacan de Peter Gay & Philip Rieff & Richard Wollheim et alii pela Brasiliense (1989)
>>> Vogue Magazine (UK) August 2020 de Judi Dench pela Condé Nast (2020)
>>> Combo Livros As Teias De Sírius - Volumes 1 E 2 de Carla Furlan Ferraz pela Independente (2016)
>>> Vogue Magazine (UK) July 2020 de The New FrontLine pela Condé Nast (2020)
>>> Os Doze Mandamentos de Sidney Sheldon pela Record (2011)
>>> Q Magazine December 2018 de The 1975 pela Emap (2018)
>>> O Professor do Desejo de Philip Roth pela Companhia das Letras (2013)
>>> 50 Contos de Machado de Assis pela Companhia das Letras (2007)
>>> Ego Transformado de Timothy Keller pela Vida Nova (2020)
>>> Quando Fui Outro de Fernando Pessoa pela Alfaguara (2006)
>>> A Sombra Da Nova Era de Alan Bleakley pela Siciliano (1989)
>>> A Era dos Extrems de Eric Hobsbawn pela Companhia das Letras (1995)
>>> O Ponto de Mutação. de Fritjof Capra pela Cultrix (1996)
>>> Um Cavalheiro em Moscou de Amor Towles pela Intrinseca (2018)
>>> Morte no Rio Nilo. de Ágatha Christie pela Nova Fronteira (2015)
>>> Minhas Histórias dos Outros. de Zuenir Ventura pela Planeta Do Brasil (2005)
>>> Estranho Irresistível. de Christina Lauren pela Universo dos Livros (2013)
>>> Sobre Lutas e Lágrimas de Mário Magalhães pela Companhia das Letras (2019)
>>> Educar Sem Culpa. A Gênese da Ética. de Tania Zagury pela Record (1999)
>>> Anjos Cabalísticos. de Monica Buonfiglio pela Oficina Cultural Monica Buonfiglio (1993)
>>> La Métaphysique - Aristote - Tome I e II de J. Tricot pela Librairie (1953)
>>> Anatomia do treinamento de força: Guia ilustrado de exercícios com o peso corporal para força, potência e definição - 5D de Bret Contreras pela Manole (2016)
>>> O espirito santo quer ir embora ... e agora ? de Eliézer Corrêa de Souza pela Moriá (2002)
>>> Eu / OutraPoesia de Augusto dos Anjos pela Círculo do Livro (1975)
>>> Mobilização e alongamento na função musculoarticular - 5D de Abdallah Achour Júnior pela Manole (2016)
>>> Temas de Direito Civil Tomo II de Gustavo Tepedino pela Renovar (2006)
>>> Programe-se para a ressurreição de Pe. Nadir José Brun pela Ave-Maria (2002)
>>> O Homem de Giz - 5D de Alexandre Raposo pela Intrínseca (2018)
>>> Steps- Volume 3- Fun Magazine- 3o Bimestre de Victoria Keller pela Ibep
>>> Exercícios de hidroginástica: Exercícios e rotinas para tonificação, condicionamento físico e saúde - 5D de MaryBeth Pappas Baun pela Manole (2010)
>>> Mosquitolândia - 6B de David Arnold pela Intrínseca (2015)
>>> O futuro da humanidade - 6B de Augusto Cury pela Arqueiro (2005)
>>> Nutrição para o treinamento de força - 5D de Susan M. Kleiner pela Manole (2016)
>>> Fundamentos de Engenharia Hidráulica - 6F de Márcio Baptista pela UFMG (2016)
COLUNAS

Quinta-feira, 1/11/2001
Nostalgia
Juliano Maesano

+ de 3900 Acessos
+ 6 Comentário(s)


Estou ficando velho. Há tempos que usei a famosa frase: "Essa música é do meu tempo..." Foi direcionada a um desses novos jovens que gostam do forró da moda e coisas insuportáveis como o techno.

Agora sei como se sentia meu pai ao mostrar o LP "Os Incríveis" para mim, sei o que passa na sua cabeça ao ouvir Paul Anka e Brenda Lee. Tudo isso veio acontecendo aos poucos comigo, mas agora me pego dia após dia baixando músicas na internet. Adivinhe quais? Busco "Kon Kan", "A-ha", "Double You", "Duran, Duran", "John Secada", "The Cure", "Paula Abdul", "Rick Astley", "Right Said Fred", "Simple Minds", "Snap", "Talking Heads", "Smiths", "Technotronic" e outras tralhas dos anos 80 e 90.

Se você não reconhece metade dos artistas que citei, você não participou da minha época, você não passou pelo "Menudo". (KLB? Backstreet Boys? Que nada...) Não adianta dizer que não gostava, pois se fosse daquela idade, ainda não teria criado o senso crítico necessário, engolindo assim até o "Menudo"; mas, sendo da minha idade, com certeza odiou os "New Kids On The Block" que vieram depois. Aos moradores de São Paulo, lembram da Up and Down, das boatecas dos Clubes Sírio e Ipê? É, até a Ana Paula Arósio e a Luana Piovani eram encontradas lá... Quantos de nós não podemos dizer: "É, eu peguei a Arósio quando ela era novinha... Depois ficou metida..." Eu não posso, mas conheço quem possa.

Percebo que não importa a qualidade da música e sim as lembranças e emoções que elas despertam. Emoções tão fortes que brigaremos com nossos filhos, mandando eles abaixarem seus sons, pois Raimundos (estarão eles vivos até meu filho nascer?) não se compara com as bandas de "antigamente", como o RPM (que parece estar prestes a fazer um retorno, para nossa alegria).

"Quem ousaria querer dançar com essa música?", dizia meu pai. "No meu tempo dançávamos de rostinho colado ao som de Johnny Rivers, bebendo cuba libre." Os tempos mudaram, pois no meu tempo, que pegou o finzinho dos bailinhos com vassoura, só podíamos dançar mesmo ouvindo "Dancing With Myself" de Billy Idol e tomando keep cooler... Hoje o que pega é esse "lixo" de bate-estaca regado à flash power, com uma maconhazinha ou químico um pouco mais acessível do que na minha "época" ou do meu pai...

As músicas "do meu pai" são mesmo melhores que "as minhas"? E as novas, dos anos 2000? Devem ser todas iguais, mas nosso inconsciente parece mesmo fazer com que sintamos esse tal negócio de querer valorizar o que é "nosso"... tanto que mesmo fazendo esforço para perceber a baixa qualidade, eu vibro ainda ao ouvir Léo Jaime, Metrô e um Kid Abelha do início... É, só pode ser coisa da emoção mesmo, pensando bem... Mas que vale a pena bater o pé e não abrir pra discussão, vale... se complicar, use frase do tipo:

"Você não sabe nada, é muito novo. Aquela época sim, que era boa..."

E não era? Muitos amigos desdenham os anos 80, dizendo que de lá não saiu nada... Eu discordo... Podem não ter sido os mais frutíferos em qualidade, mas é só começar a baixar músicas na internet que você descobre que não foi tão ruim assim...


Juliano Maesano
São Paulo, 1/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ourivesaria fantasista: Saramago nas alturas de Renato Alessandro dos Santos
02. George Orwell e o alerta contra o totalitarismo de Gian Danton
03. Shakespeare e as séries na TV de Eugenia Zerbini
04. Ninfomaníaca: um ensaio sob forma de cinema de Wellington Machado
05. Clube de leitura da Livraria Zaccara: um ano! de Eugenia Zerbini


Mais Juliano Maesano
Mais Acessadas de Juliano Maesano em 2001
01. Anos Incríveis - 21/6/2001
02. Filmes de Natal - 13/12/2001
03. Harry, Rony e Hermione - 22/11/2001
04. O Papel do Produtor - 5/2/2001
05. Paraguai - 10/5/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/11/2001
10h09min
cara, sei exatamente como vc se sente, outro dia eu estava dando uma olhada nos meus velhos discos de vinil, a achei lá, metrô, legião urbana, detrito federal(aquele refrão era o cúmulo da rebeldia: se o seu pai pudesse escolher vc acha que o filho seria vc ?) e ultraje a rigor (a gente cantava marylou se achando o mais rebelde do mundo só porque a música tinha um palavrão), hoje palavrão é virgula... outro dia escrevi uma letra para uma música minha que dizia assim: eu sou do tempo que video-game era atari que vírus era de verdade, e chatear era aborrecer alguém... nós somos do século passado cara, século que sem dúvida nenhuma era muito melhor, do que esse que se inicia um abraço
[Leia outros Comentários de André Davino]
4/11/2001
17h15min
É a velha história "comigo não vai acontecer" - mas acontece, e o pior: muito rápido! Vou fazer 1/4 de século, já me armei com um arsenal de cremes e pílulas! Não adianta... Meu caro, vc devia ver as músicas q eu baixei... me dei direito até a Menudo, sim!! O importante é não se fechar pro q é novo: "techno" com flash power também é ótimo ! Temos q atualizar o gosto e o vocabulário - até certo ponto, pra não parecer ridículo! Assim não vamos ser chatos com nossos filhos, como nossos pais eram conosco na nossa adolescência!
[Leia outros Comentários de Dany Grag]
6/11/2001
14h16min
Legal este seu artigo. Me idenfiquei bastante com ele. Na minha opinião existem dois os lados da moeda a saber: Sim, nós estamos ficando velhos, e como tais ficamos mais exigentes principalmente no que se refere ao gosto musical e artistico em geral. É natural achar que no "nosso" tempo tudo era melhor,(e realmente era!!!). O outro lado da moeda, é que realmente passamos por uma crise sem precendentes na cultura musical do país e no mundo. Tudo bem que lixo sempre existiu em todas as épocas, incluindo-se aí os Menudos, mas o que vemos hoje é desanimador. Há uma escassez total de talentos e carismas entre as bandas de rock atuais. Por mais que tenhamos boa vontade tá dificil vislumbrar um Cazuza ou um Renato Russo entre tanta baboseira. (Acho que nossa geração foi mal acostumada) Esses bandas e cantores são clones mal feitos dos verdadeiros ídolos. Só nos fazem sentir saudades de bandas como Information Societ, Erasure, The Cure, The Smiths, A-ha, The Police, Cindy Louper, Simple Mind, Simple Red, Tears for Fears e vai por aí a fora.... Não dá prá engolir Britney Spears (pelo menos cantando), Hansons e outros lixos internacionais, isso sem falar em nomes bem conhecidos de nós como KLB, Sandy e Jr, Vanessa Camargo, etc..etc..etc..
[Leia outros Comentários de Demétrio do Carmo]
19/3/2002
08h07min
Na verdade este artigo traduz fielmente, o que hoje eu como milhares de pessoas que curtiram aquela época, setem, é um certo sentimento de "como eu era feliz naquela época", mas em fim é a vida da mesma forma como nossos pais não suportaram ouvir, Kon Kan, Sandra, OMD e outros que foram meus ícones, acho que agora entendo o que eles setem, principalmente quando chego em uma boate e entre um lixo(techno, pagode, forró), toca um flash back, como por exemplo, noite destas estava em uma famosa casa do Rio, achando tudo horrível e no meio do techno, o DJ toca Pandora's Box, do OMD, foi como a senha para voltar ao final dos anos 80 e ínicio dos 90, aquela época, que como o artigo fala muito bem tem sabor de Keep Coller, hoje como eu, muitos percorrem os sites de MP3 em busca destas pérolas, mas quer saber, adorei esta época sinto uma falta, não nóstaugica, mas uma leve saudade daquela época, que sem dúvida é a minha cara e com certeza de muitos da minha idade. é bom saber que existem outros que pensam como eu. Ronaldo Borges - Natal-RN
[Leia outros Comentários de Ronaldo]
29/4/2002
07h09min
Aqui me senti em casa, pois se falou do que sinto quando ouço as nossas "velhas" músicas, mas que convenhamos eram muito legais e nós não precisavamos de Flash Power e outras quimicas para ficarmos animados a noite toda, bastava aquela música e a menina certa para kerermos aparecer e dançarmos a noite toda!!! Abraços a todos que se sentem como eu Nostalgicos com Kon Kan, Techotronic, Legião, Cazuza e etc.
[Leia outros Comentários de Armando Jr.]
23/6/2002
22h45min
Tenho 12 anos, e nunca gostei desse lixo do tipo: Backstreet Boys, KLB, ou seja, o mundinho pop. Gosto muito do bom e velho rock que nunca morre! Eu curto demais o Aerosmith, Black Sabbath, U2, Legião Urbana, amo Paula Abdul, Michael Jackson (músicas antigas), Cazuza, etc. . Não é porque nasci na geração da depredação da boa música que terei que gostar dela. Acho que a boa música é aquela que passa uma mensagem aos que ouvem!
[Leia outros Comentários de Marianne]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NOVO DICIONÁRIO DE ECONOMIA
PAULO SANDRONI
BEST SELLER
(1994)
R$ 5,00



A FURIA DO HULK
NOVA MARVEL
PANINI COMICS
(2015)
R$ 8,00



QUEM TEM MEDO FICA DE FORA
STELLA CARR
SCIPIONE
(2001)
R$ 7,00



MAESTRA
L. S. HILTON
FÁBRICA231
(2016)
R$ 19,99



PARA VIVER SEM SOFRER
LUIZ ANTONIO GASPARETTO
VIDA / CONSCIÊNCIA
(2002)
R$ 24,40



COMO REQUERER EM JUÍZO FORMULÁRIO CRIMINAL
YÁRA MULLER LEITE
SARAIVA
(1978)
R$ 8,80



WINDOWS ON THE WORLD
FREDERIC BEIGBEDER
RECORD
(2005)
R$ 15,00



AMADEUS
ALBERTO GOLDIN
BERLENDIS & VERTCCHIA
(1998)
R$ 7,60



O ATENEU
RAUL POMPÉIA
AVENIDA
(2009)
R$ 6,90



UNESP CIÊNCIA 76 - TERRORISMO
UNESP E OUTROS
UNESP
(2016)
R$ 20,00





busca | avançada
62566 visitas/dia
2,2 milhões/mês