Entre mudanças e descartes | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
23758 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Encontro com o promotor Gustavo Roberto Costa discute justiça na Cia de Teatro Heliópolis
>>> Segundas de julho têm sessões extras do espetáculo À Espera
>>> Circo dos Sonhos, do ator Marcos Frota, desembarca no Shopping Metrô Itaquera
>>> Startup brasileira levará pessoas de baixa renda para intercâmbio gratuito fora do país
>>> Filho de suicida, padre lança livro sobre o tema
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Serafina, de Nova York, para São Paulo
>>> Running to stand still
>>> Cinema de Poesia
>>> A Web 2.0: 5 Anos Depois
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Imperador da língua
>>> Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba
>>> Blog precisa ser jornalismo?
Mais Recentes
>>> Guia Como Cultivar Bonsai
>>> O Juiz, O Advogado e a Formação do Direito Através da Jurisprudência
>>> Tarô da Cigana Isabelita - Acompanha 36 Lâminas Coloridas
>>> Tarô do Cigano - Acompanha 36 Lâminas
>>> Design for Aging Review 9: The American Institute of Architects
>>> Vocação de Curar - Uma Homenagem
>>> Mediterranean Gardens
>>> Código de Defesa do Consumidor - Anotado e Comentado - 5ª Edição
>>> Passo a Passo - Microsoft Office Excel 2007 - Inclui CD ROM
>>> Excel Para Windows 95 - Bíblia do Usuário
>>> Administração de Empressa com Excel - 2ª Edição/2011
>>> História Moderna e Contemporânea - 12ª Edição
>>> História Antiga e Medieval
>>> O Pagador de Promessas (Coleção Prestígio)
>>> As Cerejas
>>> Deus...
>>> Niovas Cartas Chilenas - 2ª ed.
>>> Cecília Meireles - Coleção melhores poemas
>>> A teoria Sócio-Interacionista de Mikael Bakhtin e suas Implicações para a Avaliação Educacional (Matraga 15)
>>> A Filosofia Perene
>>> Ética como amor-próprio
>>> A Colônia- (nova Ortografia)
>>> 1356 - 4ª ed. (Nova Ortografia)
>>> História e Arte no Mundo Ibérico - Tempo brasileiro- 184
>>> Limites: três dimensões educacionais - 1ª ed.
>>> Arcanjos e Mestres Ascensos
>>> Mentiras no divã
>>> Never, more forever: a poesia na modernidade, ou Shelley versus Peacock ...
>>> Mistérios Desvelados - Ensinamentos do Mestre Saint Germain
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 25
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 18
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 17 - Guerra do Vietnã
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 16 - Igreja e Marxismo
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 14 - Mulheres, a revolução mais longa
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 13: China - Uma revolução dentro da Revolução
>>> Revista Civilização Brasileira - Números 9-10
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 7
>>> Revista Civilização Brasileira - Números 5-6
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 3
>>> Revista Civilização Brasileira - Número 1
>>> Revista Civilização Brasileira - Caderno Especial 1: A Revolução Russa - Cinquenta Anos de História
>>> O Homem e o Universo
>>> O Judaísmo- do Exílio ao Tempo de Jesus
>>> Direito Penal - Parte Geral ( V. 7)
>>> O Exército de Cavalaria
>>> The Golden Treasury
>>> Surdez e linguagem- Aspectos e implicações neurolinguísticas (Nova Ortografia)
>>> El Libro Supremo de Todas las Magias - Magia Blanca - Negra - Roja
>>> Rituais e Egrégoras para a Era de Aquário
>>> O Despertar da Consciência
COLUNAS

Quinta-feira, 5/11/2009
Entre mudanças e descartes
Vicente Escudero

+ de 2100 Acessos

Manhã quente e eu pensando que poderia ter trocado o piso de madeira da casa pela areia da praia ou de outro canto qualquer, só para passar o feriado e esquecer a metade do que penso. Mas ainda é véspera, a maioria das pessoas levanta da cama ansiosa, fazendo mais de duas coisas ao mesmo tempo, planejando quanto tempo perderá no engarrafamento do trânsito durante a viagem ou, com um pouco de sorte, a diferença entre os horários prometidos e cumpridos dos voos, em algum aeroporto.

Enquanto o piso e a parede não se abrem para o horizonte, acordo e cumpro satisfeito o ritual do café da manhã. As roupas guardadas no armário aos poucos assumem a silhueta do corpo, bem como suas virtudes, e quando vestidas antes do trabalho exigem a pontualidade. Como um soldado escondido na trincheira, espio pela fresta da janela do apartamento o sol forte de verão refletir na lataria dos carros estacionados por toda a rua. Já estou pronto para sair.

O caminho para o trabalho nem acaba e já são dez da manhã. Dez e vinte. Dez e quarenta. Ah, com seria bom se fosse seis da tarde e... rua! As tarefas encerradas, as pessoas caminhando rápido pela rua, tudo conspira para que o dia se encerre antes de começar a tarde. Olho-me no reflexo da janela e arrumo a gravata. Ainda estou no escritório? O telefone toca.

Sim, alguém desaparecido resolveu procurar pelo meu nome lá no final do índice da agenda, depois de tentar, sem sucesso, reencontrar várias outras pessoas. Um minuto gasto para os cumprimentos e outro para descobrir que eu caíra numa roubada. O dito cujo estava de mudança, precisava de ajuda para desmontar, empacotar, e desatarraxar a mobília da casa. Esta lista extensa do procedimento foi apresentada aos poucos, como pequenas marteladas firmando o prego na madeira. Eu titubeava, ele pregava a ideia. Até o momento do questionamento sobre quem carregaria as caixas, quando fui peremptório: carregar, não. Mas ele foi dizendo que tinha pouca mobília, que minha ajuda seria mesmo necessária para desmontar os móveis, assumiu que estava envergonhado por ligar depois de tanto tempo só para pedir ajuda, chorou as pitangas que eu era culpado por ter sumido no final do curso na faculdade e todo aquele blablablá de amigo envergonhado. Aceitei a tarefa para as oito horas da noite, numa véspera de feriado.

Talvez pela ansiedade em ajudá-lo na mudança, comecei a perceber que as horas durante a tarde estavam cheias de minutos extras. Duas e quarenta e um. Duas e quarenta e dois. Duas e quarenta e três.

Oito horas da noite. Encontrei o sujeito vestido como um empreiteiro profissional, usando um cinto de utilidades, esperando na porta do apartamento com um sorriso ― suspeito ― de alívio. E devia ser mesmo, pelo tamanho da estante, presa na parede, que ele pretendia desmontar no meio da sala. Parafuso vai, papo vem, as horas passaram. Duas horas para desmontar toda a mobília da sala, mais uma hora para desmontar a dos quartos. Trabalhamos sem que um parafuso sequer caísse no chão, perturbando os vizinhos.

Hora de empacotar os objetos pessoais. Roupas, livros, rádio e mais um monte de tralha. "Isso foi minha namorada que me deu", "Essa estátua ganhei da minha avó", "Essas fotos são de quando eu tinha quinze anos".

Dividimos as tarefas. Enquanto ele empacotava os utensílios domésticos na cozinha, eu continuei na sala, guardando algumas relíquias encontradas no fundo do armário de um quarto. Livros em uma caixa. Equipamento de mergulho sem uso, noutra. Certificados do curso de bacharelado, pós-gradução e históricos de desempenho, junto com os livros.

― E esses álbuns de fotos? Coloco numa caixa separada?

― Ah, sei lá, é tudo velharia... Guarda na caixa com a papelada do meu trabalho...

Faltou espaço para um álbum. Fui até a cozinha carregando-o, depois de ouvir um barulho esquisito, como se uma grande chapa de metal entortasse lentamente.

― Sobrou esse aqui, você leva no carro? Não vou colocar só ele numa caixa...

― Ah, deixa eu ver... ― e segurou o álbum enquanto tentava girar a chave de fenda na parede, com a outra mão.

― Nããã... pode jogar no lixo... Essas fotos são do casamento da minha prima... Ela separou do cara há um ano, não quero nem ouvir falar disso aí. Joga fora...

Voltei para a sala, sentei no chão e comecei a folhear o álbum. Todos os noivos, fotografados de longe, são iguais. À medida que se aproximavam da câmera, os sorrisos eram focalizados. Eu já os acompanhava, sorrindo a cada vestígio de alegria.

A noiva era alta, seu cabelo, liso e longo, castanho-escuro. Os ombros estreitos, realçados pela postura reta e os braços finos irradiavam uma elegância natural invejável.

Continuamos com a mudança, carregando as caixas para dentro do caminhão, até que ele partiu carregado. Na despedida, além dos cumprimentos, fui questionado sobre o tal álbum de fotos do casamento.

― Você jogou fora aquele álbum, não jogou?

― Joguei, sim.

― Ainda bem. Aquele cara sacaneou a minha prima. Eu achava que tinha dado um fim naquilo.

As memórias, num dia qualquer, desaparecem. Deixei o prédio com a sensação de dever cumprido, apesar de ter mentido e carregado o álbum de fotos do casamento comigo. Dentro do carro, antes de partir, folheei as fotos novamente, tentando recordar algo familiar.

Era a noiva. Conversando com as amigas numa mesa, apoiando o queixo sobre uma das mãos, reconheci o mesmo gesto feito por ela quando a vi pela primeira vez, nos meus quatorze anos, na agência bancária em que ela era a gerente. Eu trabalhava como contínuo para meu pai, que me instruíra para não ficar muito tempo esperando na fila do banco, se tivesse que estudar durante a tarde. Nestes casos, devia deixar os pagamentos com a gerente e retirar os recibos no dia seguinte.

Ela tinha vinte e dois anos de idade, eu meros quatorze. Um dia, por necessidade ou preguiça, fui até a sua sala deixar os pagamentos para que fossem feitos no fim do expediente. Ela me atendeu solicita, enquanto rabiscava alguma coisa numa folha de sulfite, com a mesma leveza do dia do casamento. Olhei o papel com cuidado e reparei que se tratava de um esboço a lápis.

― Você é pintora? Esse desenho parece com aqueles do Goya...

― É só um hobby. Sabe... Você é um menino muito bonito e educado. Se fosse mais velho, seria sua namorada.

Saí de lá roxo de vergonha. Nas outras vezes em que fui à agência, sempre que a encontrava, conversávamos sobre os tais "desenhos". O banco um dia fechou, nunca mais nos vimos.

Entre o verso de duas fotos, dentro de uma das páginas de plástico do álbum, encontrei o convite de casamento, rabiscado com um número de telefone. Oito anos de diferença e quatorze anos desde o fechamento da agência. Tempo demais para não arriscar uma mudança.


Vicente Escudero
São Paulo, 5/11/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
02. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
03. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait
05. O jornalismo cultural na era das mídias sociais de Fabio Gomes


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2009
01. Amor aos pedaços - 7/5/2009
02. E a lei cedeu diante dos costumes - 11/6/2009
03. O naufrágio é do escritor - 12/3/2009
04. 2008, o ano de Chigurh - 2/1/2009
05. Amantes, tranquila inconsciência - 8/10/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




JORNADA DO PAVOR - SÉRIE MISTÉRIO E SUSPENSE
ERIC AMBLER
ABRIL
(1984)
R$ 7,00



DULCINA E O TEATRO DE SEU TEMPO
SÉRGIO VIOTTI
LACERDA
(1987)
R$ 38,00



CAI O PANO - UM CASO DE HERCULE POIROT - EDIÇÃO ESPECIAL
AGATHA CHRISTIE
NOVA FRONTEIRA
(2009)
R$ 10,00



PRECISO DE VOCÊ
SÔNIA SALERNO FORJAZ

(1996)
R$ 8,98



O MANUAL DO NOVO GERENTE
MOREY STETTNER
SEXTANTE
(2006)
R$ 10,00



OOCODOCORPO
EDSON BORGES
OROBÓ EDIÇÕES
(1999)
R$ 10,00



MANGÁ VARIANTE REQUIEM FOR THE WORLD Nº 3
IQURA SUGIMOTO
SAMPA ARTE / LAZER
(2004)
R$ 11,90



O QUE É A SEICHO-NO-IE
MASAHARU TANIGUCHI
SEICHO NO IE
(1997)
R$ 15,00



O SOL MEU CORAÇÃO
THICH NHAT HANH
PAULUS
(1995)
R$ 49,99
+ frete grátis



ARTE/EDUCAÇÃO COMO MEDIAÇÃO CULTURAL E SOCIAL
ANA MAE BARBOSA
UNESP
(2009)
R$ 32,00





busca | avançada
23758 visitas/dia
773 mil/mês