Entre mudanças e descartes | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 5/11/2009
Entre mudanças e descartes
Vicente Escudero

+ de 2300 Acessos

Manhã quente e eu pensando que poderia ter trocado o piso de madeira da casa pela areia da praia ou de outro canto qualquer, só para passar o feriado e esquecer a metade do que penso. Mas ainda é véspera, a maioria das pessoas levanta da cama ansiosa, fazendo mais de duas coisas ao mesmo tempo, planejando quanto tempo perderá no engarrafamento do trânsito durante a viagem ou, com um pouco de sorte, a diferença entre os horários prometidos e cumpridos dos voos, em algum aeroporto.

Enquanto o piso e a parede não se abrem para o horizonte, acordo e cumpro satisfeito o ritual do café da manhã. As roupas guardadas no armário aos poucos assumem a silhueta do corpo, bem como suas virtudes, e quando vestidas antes do trabalho exigem a pontualidade. Como um soldado escondido na trincheira, espio pela fresta da janela do apartamento o sol forte de verão refletir na lataria dos carros estacionados por toda a rua. Já estou pronto para sair.

O caminho para o trabalho nem acaba e já são dez da manhã. Dez e vinte. Dez e quarenta. Ah, com seria bom se fosse seis da tarde e... rua! As tarefas encerradas, as pessoas caminhando rápido pela rua, tudo conspira para que o dia se encerre antes de começar a tarde. Olho-me no reflexo da janela e arrumo a gravata. Ainda estou no escritório? O telefone toca.

Sim, alguém desaparecido resolveu procurar pelo meu nome lá no final do índice da agenda, depois de tentar, sem sucesso, reencontrar várias outras pessoas. Um minuto gasto para os cumprimentos e outro para descobrir que eu caíra numa roubada. O dito cujo estava de mudança, precisava de ajuda para desmontar, empacotar, e desatarraxar a mobília da casa. Esta lista extensa do procedimento foi apresentada aos poucos, como pequenas marteladas firmando o prego na madeira. Eu titubeava, ele pregava a ideia. Até o momento do questionamento sobre quem carregaria as caixas, quando fui peremptório: carregar, não. Mas ele foi dizendo que tinha pouca mobília, que minha ajuda seria mesmo necessária para desmontar os móveis, assumiu que estava envergonhado por ligar depois de tanto tempo só para pedir ajuda, chorou as pitangas que eu era culpado por ter sumido no final do curso na faculdade e todo aquele blablablá de amigo envergonhado. Aceitei a tarefa para as oito horas da noite, numa véspera de feriado.

Talvez pela ansiedade em ajudá-lo na mudança, comecei a perceber que as horas durante a tarde estavam cheias de minutos extras. Duas e quarenta e um. Duas e quarenta e dois. Duas e quarenta e três.

Oito horas da noite. Encontrei o sujeito vestido como um empreiteiro profissional, usando um cinto de utilidades, esperando na porta do apartamento com um sorriso ― suspeito ― de alívio. E devia ser mesmo, pelo tamanho da estante, presa na parede, que ele pretendia desmontar no meio da sala. Parafuso vai, papo vem, as horas passaram. Duas horas para desmontar toda a mobília da sala, mais uma hora para desmontar a dos quartos. Trabalhamos sem que um parafuso sequer caísse no chão, perturbando os vizinhos.

Hora de empacotar os objetos pessoais. Roupas, livros, rádio e mais um monte de tralha. "Isso foi minha namorada que me deu", "Essa estátua ganhei da minha avó", "Essas fotos são de quando eu tinha quinze anos".

Dividimos as tarefas. Enquanto ele empacotava os utensílios domésticos na cozinha, eu continuei na sala, guardando algumas relíquias encontradas no fundo do armário de um quarto. Livros em uma caixa. Equipamento de mergulho sem uso, noutra. Certificados do curso de bacharelado, pós-gradução e históricos de desempenho, junto com os livros.

― E esses álbuns de fotos? Coloco numa caixa separada?

― Ah, sei lá, é tudo velharia... Guarda na caixa com a papelada do meu trabalho...

Faltou espaço para um álbum. Fui até a cozinha carregando-o, depois de ouvir um barulho esquisito, como se uma grande chapa de metal entortasse lentamente.

― Sobrou esse aqui, você leva no carro? Não vou colocar só ele numa caixa...

― Ah, deixa eu ver... ― e segurou o álbum enquanto tentava girar a chave de fenda na parede, com a outra mão.

― Nããã... pode jogar no lixo... Essas fotos são do casamento da minha prima... Ela separou do cara há um ano, não quero nem ouvir falar disso aí. Joga fora...

Voltei para a sala, sentei no chão e comecei a folhear o álbum. Todos os noivos, fotografados de longe, são iguais. À medida que se aproximavam da câmera, os sorrisos eram focalizados. Eu já os acompanhava, sorrindo a cada vestígio de alegria.

A noiva era alta, seu cabelo, liso e longo, castanho-escuro. Os ombros estreitos, realçados pela postura reta e os braços finos irradiavam uma elegância natural invejável.

Continuamos com a mudança, carregando as caixas para dentro do caminhão, até que ele partiu carregado. Na despedida, além dos cumprimentos, fui questionado sobre o tal álbum de fotos do casamento.

― Você jogou fora aquele álbum, não jogou?

― Joguei, sim.

― Ainda bem. Aquele cara sacaneou a minha prima. Eu achava que tinha dado um fim naquilo.

As memórias, num dia qualquer, desaparecem. Deixei o prédio com a sensação de dever cumprido, apesar de ter mentido e carregado o álbum de fotos do casamento comigo. Dentro do carro, antes de partir, folheei as fotos novamente, tentando recordar algo familiar.

Era a noiva. Conversando com as amigas numa mesa, apoiando o queixo sobre uma das mãos, reconheci o mesmo gesto feito por ela quando a vi pela primeira vez, nos meus quatorze anos, na agência bancária em que ela era a gerente. Eu trabalhava como contínuo para meu pai, que me instruíra para não ficar muito tempo esperando na fila do banco, se tivesse que estudar durante a tarde. Nestes casos, devia deixar os pagamentos com a gerente e retirar os recibos no dia seguinte.

Ela tinha vinte e dois anos de idade, eu meros quatorze. Um dia, por necessidade ou preguiça, fui até a sua sala deixar os pagamentos para que fossem feitos no fim do expediente. Ela me atendeu solicita, enquanto rabiscava alguma coisa numa folha de sulfite, com a mesma leveza do dia do casamento. Olhei o papel com cuidado e reparei que se tratava de um esboço a lápis.

― Você é pintora? Esse desenho parece com aqueles do Goya...

― É só um hobby. Sabe... Você é um menino muito bonito e educado. Se fosse mais velho, seria sua namorada.

Saí de lá roxo de vergonha. Nas outras vezes em que fui à agência, sempre que a encontrava, conversávamos sobre os tais "desenhos". O banco um dia fechou, nunca mais nos vimos.

Entre o verso de duas fotos, dentro de uma das páginas de plástico do álbum, encontrei o convite de casamento, rabiscado com um número de telefone. Oito anos de diferença e quatorze anos desde o fechamento da agência. Tempo demais para não arriscar uma mudança.


Vicente Escudero
São Paulo, 5/11/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Em Tempos de Eleição de Marilia Mota Silva
02. Uma passagem para a Cachemira de Rafael Azevedo


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2009
01. Amor aos pedaços - 7/5/2009
02. E a lei cedeu diante dos costumes - 11/6/2009
03. O naufrágio é do escritor - 12/3/2009
04. 2008, o ano de Chigurh - 2/1/2009
05. Amantes, tranquila inconsciência - 8/10/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANATOMIA FUNDAMENTAL
SEBASTIÃO VICENTE DE CASTRO
MCGRAW-HILL DO BRASIL
(1975)
R$ 80,00



O REI DA VELA
OSWALD DE ANDRADE
FOLHA DE SÃO PAULO
(2008)
R$ 13,50



UMBANDA E O PODER DA MEDIUNIDADE - AS LEIS DA MAGIA - 4ª EDIÇÃO
W. W. DA MATTA E SILVA ( MESTRE YAPACANY )
ICONE
(2017)
R$ 46,95



PEÑAROL NACIONAL - IGNORADA HERENCIA DE BATLLE Y APARICIO
FRANKLIN MORALES
ARCA
(2003)
R$ 90,00



LOLITA
VLADIMIR NABOKOV
GLOBO
(2003)
R$ 11,00



APRENDER CONTEÚDOS & DESENVOLVER CAPACIDADES
CÉSAR COLL; ELENA MARTIN
ARTMED
(2004)
R$ 67,00



ECONOMIC LOSSES FROM MARINE POLLUTION: A HANDBOOK FOR ASSESSMENT
DOUGLAS D. OFIARA E JOSEPH J. SENECA
ISLAND PRESS
(2001)
R$ 69,82



OEUVRES DE HORACE 2 VOLUMES 1 E 2
HORACE TRADUTOR LECONTE DE LISLE
ALPHONSE LEMERRE
(1873)
R$ 758,00



A DIGNIDADE HUMANA
LECOMTE DU NOUY
EDUCAÇÃO NACIONAL
(1949)
R$ 17,00



AQUELES QUE NOS SALVARAM
JENNA BLUM
CASA DA PALAVRA
(2011)
R$ 14,24





busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês