Meus melhores discos de 2009 | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
44557 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2009

Sexta-feira, 5/3/2010
Meus melhores discos de 2009
Rafael Rodrigues

+ de 3700 Acessos

Sem delongas, passemos à minha lista de melhores discos de 2009. Desnecessário dizer ― mas ainda assim direi ― que esta é uma lista pessoal e intransferível. Ou seja: são os meus melhores discos. Ou seja, não estou dizendo que, efetivamente, foram estes os melhores álbuns lançados ano passado. (A exceção do primeiro, que realmente foi o melhor.)

No line on the horizon, U2 ― Já falei bastante, aqui mesmo no Digestivo, sobre este que é, de longe, o melhor disco do ano que passou. Nenhuma outra banda, nenhum outro artista em lugar nenhum deste planeta, gravou, em 2009, um álbum melhor que No line on the horizon. Que, além de ser o melhor do ano, é certamente um dos melhores da década. E mais: é possivelmente a melhor criação do U2 desde The Joshua Tree. Mas afirmar isso agora, o que significaria desbancar Achtung Baby de sua posição confortável de melhor CD do U2 pós-TJT, seria precipitado. Será necessário a passagem de alguns bons anos para fazer uma avaliação mais ponderada. Independente disso, No line on the horizon é uma obra-prima. Se a crítica e uma parcela dos fãs da banda não perceberam isso, problema deles.

Them Crooked Vultures, Them Crooked Vultures ― O Foo Fighters, de Dave Grohl, e o Queens Of The Stone Age, de Josh Homme, são duas das melhores bandas de rock surgidas na década de noventa. Sabe-se lá como, Dave e Josh se tornaram, aparentemente, grandes amigos. Essa amizade culminou numa participação de Dave no disco Songs for the deaf, do QOTSA, no qual gravou as baterias ― tendo, inclusive, participado da turnê de divulgação do álbum. No fim de 2008, Dave anunciou que o Foo Fighters iria "dar um tempo" e que a banda retornaria às atividades quando as pessoas sentissem, de verdade, falta do Foo.

Não foi preciso esperar muito para saber o que Dave Grohl estava tramando: poucos meses depois, já em 2009, começaram a pipocar notícias de que os dois amigos estavam planejando montar uma banda paralela às suas. Dave, ex-baterista do Nirvana, coisa que todo roqueiro que se preze sabe, assumiria as baquetas; Josh seria o vocalista/guitarrista; e, no baixo..., ninguém menos que John Paul Jones, ex-Led Zepellin ― sendo que Paul McCartney foi cogitado para fechar o supertrio. O resultado só poderia ser um grande disco, tendo como destaques as sete primeiras faixas ― destas, as melhores são "No one loves me & neither do I", "Mind eraser, no chaser" (com um backvocal vibrante de Dave Grohl) e "Bandoliers".

Nas seis restantes há altos ― "Caligulove" e "Warsaw or the first breath you take after you give up" ― e baixos ― "Interlude with ludes" e "Gunman"; as duas que restam ― "Spinning in Daffodils" e "Reptiles" ― são medianas. (Se o CD tivesse 11 músicas, seria bem melhor. "Interlude with ludes" é um grande equívoco dentro do álbum.) O que mais chama a atenção no Them Crooked Vultures é a influência enorme de Josh Homme no som da banda. O projeto ficou muito com a cara do Queens Of The Stone Age. Espera-se que, no próximo disco, Dave Grohl e John Paul Jones consigam "apitar" mais e mudar um pouco a sonoridade das músicas. O tom sombrio do QOTSA, um pouco presente neste primeiro álbum, não combina com o Them Crooked Vultures.

Battle for the Sun, Placebo ― De tanto ouvir o Placebo, anos atrás, enjoei da banda. Com o tempo, percebi certas repetições e cacoetes que começaram a me incomodar. Percebi, também, que a banda havia se acomodado. Isso começou a mudar um pouco com o disco Meds (2006). Houve alguma melhoria e algum desprendimento em relação aos trabalhos anteriores, mas nada que assustasse um fã ortodoxo.

Mas eis que, em 2009, o Placebo lança o belíssimo Battle for the Sun. Que contém, é verdade, muito do "velho" Placebo, mas que traz também muitas inovações ― em relação ao som costumeiro da banda, é bom deixar claro. Porque as inovações só existem se formos comparar este último álbum com os que o precederam. A primeira música, "Kitty litter", lembra muito os discos anteriores, mas já é possível notar algumas diferenças. A voz de Brian Molko está mais firme, segura, sem alguns vícios vocais que ele tinha; as guitarras estão mais limpas, com menos efeitos de sintetizadores e pedais; e a bateria, que tem um novo dono neste disco (Steve Forrest é o nome dele), agora é executada com mais técnica e, por isso mesmo, é mais agradável e deixa sua marca nas músicas. E assim segue todo o álbum, exceto pelas leves recaídas em "Battle for the Sun" ― que mesmo assim é uma bela música ― e "Breath underwater" ― que, se tivesse ficado de fora, não faria falta, mas não chega a atrapalhar o andamento do disco.

As melhores canções do CD são "Bright Lights" (que tem um verso lindo: "A heart that hurts is a heart that works"; em tradução mais ou menos literal, "Um coração que sente dor é um coração que funciona"), "Ashtray heart", "Julien" e "Kings of medicine" (cujos metais e piano são maravilhosos). Battle for the Sun é o melhor disco do Placebo até aqui, e pode ser o divisor de águas da banda.

Scream, Chris Cornell ― Eis um disco que deu o que falar. Chris Cornell, ex-Soundgarden, ex-Temple of Dogs e ex-Audioslave, todas bandas de rock ― as duas primeiras ligadas ao movimento grunge ―, inventou de fazer um disco de pop, produzido por Timbaland, que já trabalhou com Justin Timberlake, por exemplo. A capa do CD, com Chris prestes a detonar uma guitarra, é emblemática. Representa exatamente o que ele fez com quase todas as músicas do álbum. Confesso que, quando tentei ouvir pela primeira vez, não consegui. Me perguntei o que diabos Chris estava pensando ao querer gravar algo assim, sendo que antes ele havia gravado o excelente Carry On (2007), seu segundo disco solo, no qual interpretou magnificamente "Billy Jean", de Michael Jackson, deixando a música melhor do que já era.

Meses depois, ouvi novamente Scream, e... adorei. Imagino que só a menção dele nesta lista vá causar alguma celeuma, mas eu realmente gostei de Scream. As letras de algumas músicas, como "Part of me", não são nada extraordinárias; tampouco o ritmo tem grandes inovações, se formos comparar com outros discos pop, mas, apesar desses fatores, o que importa é que, talvez por uma estranha química, a voz de Cornell se adaptou muito bem às batidas eletrônicas. As letras das músicas não são bobas, descartáveis ― talvez a de "Part of me" seja, se bem que ela é bem divertida ― e o ritmo delas é contagiante. Além disso, há o fato de Scream levar o conceito de álbum ao extremo, emendando uma música na outra, utilizando o fim de uma para começar a próxima, o que é extremamente louvável.

Apesar disso tudo, Chris Cornell aparentemente não suportou a quantidade de críticas que recebeu, e poucos meses depois de lançar o álbum resolveu fazer versões rock de algumas músicas. Correu o boato, inclusive, de que todo o disco seria regravado. Até o momento, não há notícia ainda que confirme toda a regravação do Scream, até porque, no fim de 2009, Cornell anunciou que o bom e velho Soundgarden está voltando. É provável que Scream seja considerado, para sempre, uma mancha na carreira de um roqueiro como Cornell. Mas a verdade é que é um grande disco, ousado e ambicioso como poucos. As melhores músicas do CD são "Part of me", "Time", "Never far away", "Long gone", "Climbing up the walls" ― a mais roqueira do disco ― e a canção escondida "Two drink minimum", um blues incrível que começa segundos depois de terminada "Watch out".

Nota do Autor
Este ano, excepcionalmente, não haverá um texto dedicado aos filmes de 2009. Infelizmente, no ano passado não pude dar a devida atenção ao cinema. Mas espero que em 2011 possa fazer novamente a trinca livros, discos e filmes.


Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 5/3/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Vosso Reino de Luís Fernando Amâncio
02. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
03. Inferno em digestão de Renato Alessandro dos Santos
04. Nobel, novo romance de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
05. A poesia afiada de Thais Guimarães de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2010
01. Meus melhores livros de 2009 - 22/1/2010
02. O altar das montanhas de Minas - 21/5/2010
03. O grande jogo de Billy Phelan - 2/4/2010
04. O petista relutante - 29/10/2010
05. Sobre o preço dos livros 1/2 - 20/8/2010


Mais Especial Melhores de 2009
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INOCÊNCIA - COLECAO TRAVESSIAS
VISCONDE DE TAUNAY
MODERNA
(1998)
R$ 8,00



O ESPIÃO INVISÍVEL
MARK FOWLER
SCIPIONE
(1993)
R$ 8,88



85 VEZES SILVIO SANTOS AS MELHORES CARICATURAS DO REI DOS DOMINGOS
VÁRIOS AUTORES
ASTRAL
(2016)
R$ 27,44



GUIA PORTUGAL. O GUIA DE VIAGEM MAIS FACIL DE USAR
VÁRIOS AUTORES
PUBLIFOLHA
(2009)
R$ 70,00



A PSICOLOGIA DO ANORMAL E A VIDA CONTEMPORÂNEA
JAMES C. COLEMAN
PIONEIRA
(1973)
R$ 60,00



SEMPRE SERÁS LEMBRADA
JOSUÉ MONTELLO
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,48



MONTEIRO LOBATO VIDA E OBRA TOMO I
EDGARD CAVALHEIRO
COMPANHIA NACIONAL
(1956)
R$ 14,00



ESTORIAS PARA CRIANÇAS QUE OS ADULTOS DEVEM LER ESCONDIDOS
RICARDO BANDEIRA
DO AUTOR
(1977)
R$ 5,00



PAIXÃO E CRIME O PROCESSO DO DR. JACCOUD
CARLOS LACERDA
NOVA FRONTEIRA
(1965)
R$ 10,00



ECLIPSE
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2008)
R$ 34,90
+ frete grátis





busca | avançada
44557 visitas/dia
1,2 milhão/mês