O aniversário mais triste de São Paulo | Débora Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
83662 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o último episódio do Música Fora da Curva
>>> Historiador Russell-Wood mergulha no mundo Atlântico português da Idade Moderna
>>> Livro ensina a lidar com os obstáculos do Transtorno do Déficit de Atenção
>>> 24 e 25/04: últimas apresentações do projeto 48h_48min acontecem neste fim de semana
>>> João Trevisan: Corpo e Alma || Museu de Arte Sacra
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Machado e a AR-15
>>> Notas confessionais de um angustiado (V)
>>> Festival de interatividades
>>> O melhor de Steve Jobs
>>> Jane Fonda em biografia definitiva
>>> Leituras, leitores e livros – Parte I
>>> Abertura de Guillaume Tell
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Vianinha corpo-a-corpo
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
Mais Recentes
>>> A Mágica de Pensar Grande de David J. Schwartz pela Record (1995)
>>> Abolição: Um Suave Jogo Político? de Leonardo Trevisan pela Moderna (1991)
>>> A Revolução Industrial de Roberto Antonio pela Moderna (2002)
>>> Globalização Estado Nacional e Espaço Mundial de Demétrio Magnoli pela Moderna (1998)
>>> A Marca de Uma Lágrima de Pedro Bandeira pela Moderna (1992)
>>> Evolução Das Espécies de Samuel Murgel Branco pela Moderna (2003)
>>> Plastico Bem Superfluo Ou Mal de Eduardo Leite do Canto pela Moderna (1995)
>>> História da Literatura Brasileira -2ª ed. revista e ampliada de Luciana Stegagno Picchio pela Nova Aguilar- Lacerda- ABL (2004)
>>> O Meio Ambiente em Debate de Samuel Murgel Branco pela Moderna (1998)
>>> Sentidos Da Vida Uma Pausa P Pensar de Flavio Gikovate pela Moderna (1998)
>>> A Industrialização Brasileira - de Sonia Medonças pela Moderna (2000)
>>> Multinacionais Desenvolvimento Ou Exploração? de Paulo Martinez pela Moderna (1987)
>>> Um Amor Alem Do Tempo de Leila R. Iannone pela Moderna (1990)
>>> O Novo Mapa do Mundo de Demétrio Magnoli pela Moderna (1999)
>>> Olhinhos de gato de Cecília Meireles pela Modernao (1983)
>>> As Maiores Historias do Superman de Jerry Siegel e Joe Shuster. Capa: Alex Ross pela Panini Comics (2008)
>>> DC Especial vol.3 - Lanterna Verde de Ben Raab, Charlie Adlard, Tatjana Wood pela Panini Comics (2004)
>>> Superman versus Exterminador do Futuro de Alan Grant (roteiro), Steve Pugh (desenhos, arte-final e capa), Mike Perkins (arte-final) e David Stewart (cores) pela Abril (2000)
>>> X-Men - Filhos do Átomo de Joe Casey, Steve Rude, Esad Ribic pela Abril (2001)
>>> Anjos e Demônios: a primeira aventura de Robert Langdon de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> Ponto de Impacto de Dan Brown pela Sextante (2005)
>>> Fortaleza Digital de Dan Brown pela Sextante (2005)
>>> Simbad - Uma Historia Das Mil E Uma Noites de Ludmila Zeman pela Projeto (2010)
>>> Geografia Geral e do Brasil. Espaço Geográfico e Globalização de João Carlos Moreira; Eustáquio de Sene pela Scipione (2021)
>>> Você Com Você de Marcos Leão - Calunga pela Casa dos Espíritos (2011)
COLUNAS

Terça-feira, 2/2/2010
O aniversário mais triste de São Paulo
Débora Carvalho

+ de 4100 Acessos


São Paulo, 25 de janeiro de 2010

Janeiro de 2010. Nunca vi tanta chuva e enchente em toda a minha vida. De férias, evitei sair à tarde a fim de não passar pela experiência de alagamento. Já atravessei rua alagada na adolescência. Água no meio da coxa. Não é algo que alguém queira vivenciar mais intensamente.

Mais um aniversário de São Paulo. O que comemorar? Tentei comemorar. Juro. Até porque tinha duas primas hospedadas em casa. A mãe delas "entregou" que não queriam vir porque aqui só tinha "pedra". Então eu disse que tinha muita coisa legal, apesar do que passava na televisão, contendo o impulso de retrucar:

― E em Brasília tem o quê?

Vieram. Era preciso provar que São Paulo não é apenas uma "selva de pedras". Chegaram no sábado à noite. Traçamos um roteiro dos lugares que mais gostamos de passear, cartões postais e locais históricos do Centro, Ipiranga, Ibirapuera. O plano era ter um domingo turístico, inspirado na campanha São Paulo é tudo de bom. Mas ninguém conseguiu acordar no horário combinado. É que elas ainda estão naquela fase de praticamente "varar" a noite de sábado assistindo filme ou jogando jogos de tabuleiro, e no domingo acordar na hora do almoço ― ou mais tarde ― para ainda tomar café. Também já passei por essa fase. Foi interessante descobrir que isso ainda é um hábito que faz parte da cultura adolescente. Não tenho mais essa energia.

Enfim saímos, às 13 horas, depois de um desjejum reforçado. Antes do carro rodar 10 quilômetros, começou a chover. E forte. Adaptamos o roteiro e fomos ao parque Solo Sagrado, uma reserva ecológica na Represa do Guarapiranga, na região de Parelheiros. Talvez lá não estivesse chovendo. Os repentes de água iam e vinham. Foi hilário. Uma turma de 10 pessoas passeando de guarda-chuva. Quando a chuva ficava mais forte, íamos para debaixo dos quiosques, onde colocamos a conversa em dia. Sem televisão, rimos muito ― de nós mesmos. Vimos filhote de passarinho morto, flores, aves, peixes e guaxinins, muitos guaxinins. Eles foram a sensação do passeio. E não é que elas curtiram? Pois é.

Para não perder o hábito, à noite passamos pelo shopping. Descobri que já superei outra fase ― a do McDonald's. Estou liberta desse mal. Ufa!

Mais filmes. Dessa vez, deixei as primas à vontade com o DVD e fui dormir. O plano era acordar cedo para apresentarmos a cidade e "comemorar" o aniversário de São Paulo antes das chuvas. Conseguimos sair antes do meio dia. Não preciso dizer que a chuva, mais uma vez, atrapalhou e encurtou nosso roteiro. Mas as primas se divertiram ao ver ao vivo as cenas que só assistiam na televisão.

Chegando na Praça da Sé, logo fomos intimados por pastoradores de carro:

― Ei, camarada, cincão pra gente na volta, beleza?

Vai sonhando, pensei. Isso já é metade do meu pastelão no Mercado Municipal.

Nunca vira a Praça da Sé vazia como naquela segunda-feira. Na catedral, além dos pombos na entrada, algumas pessoas dormiam sentadas, outras dormiam. As primas ficaram admiradas com a arquitetura. A igreja é mesmo muito alta. Um desperdício de material. Ficamos um tempo relembrando as aulas de história geral do Ensino Médio. Na saída, um grupo de mulheres de mais de 40, cantava: "Ei, São Paulo. Ei, São Paulo. São Paulo, terra boa. São Paulo da garoa." Um guarda reclamou alto que não acreditava que as mulheres do coral da igreja estavam fazendo aquela algazarra. Dava pra ouvir lá de dentro. E eu pensei: Garoa? Não sei mais o que é isso. Até tirei uma foto daquelas senhoras que pareciam tão felizes, cantando em homenagem ao aniversário da cidade.

No metrô da Sé, pelo qual atravessamos para não molhar tanto os pés, uma galera de torcedores passou fazendo a maior algazarra. Policiais saíram correndo. Soltaram duas bombas. O barulho foi assustador. As primas se divertiram com a cena que talvez poderia render uma nota no jornal. Tivemos dó das crianças chorando, assustadas com tanto barulho. Eu, que passara tantas vezes por ali, desde criança, jamais imaginei que o Marco Zero fosse tão atraente. Tinha tanta gente tirando foto, que quase não consegui mostrar o monumento. Talvez porque na minha infância quase ninguém tinha câmera fotográfica. Hoje, todo mundo tem uma ― e digital. Hoje a fotografia parece ser algo quase banal.

Mercado Municipal. As primas só comentavam do que já tinham visto nos jornais sobre o lugar. Acharam legal estar em um lugar tão famoso. Os vitrais, os pastéis de bacalhau e a variedade de frutas exóticas. Detalhe: o tamanho do pastel diminuiu desde a última vez que fui ali. E não faz muito tempo. Mais uma mania inacreditável. Para não aumentar o preço e espantar o cliente, diminuem o tamanho ou a qualidade do produto. Já me acostumei.

Vale do Anhangabaú, Viaduto do Chá, Teatro Municipal. Shopping Light. Mais uma vez, os pastoradores de carro intimaram:

― Ei, vocês vão aonde? Na volta traz cincão aí pra gente, falou?

Teatro Municipal em reforma. Chuva vai e volta. Uma estátua viva na entrada do shopping foi a distração da galera. Todos deram algum dinheiro e tiraram fotos com o ator. Inclusive eu. No shopping estava rolando diversas atrações artísticas em homenagem ao aniversário da cidade. Demos uma volta e fomos ver a muvuca na Avenida Paulista. Estava vazia. A comemoração tinha que terminar com pizza, é claro. Passamos no supermercado, compramos os ingredientes e fizemos muitas pizzas em casa, com vários recheios diferentes. Estava uma delícia. As primas disseram que estava melhor do que a pizza de muitas pizzarias que já tinham ido. Que bom. E disseram que vão voltar, agora que descobriram que São Paulo é divertida e tem mais do que prédios residenciais. Isso porque não conheceram os outros lugares como Safari, Zoológico, Aquário, parques e mais parques, museus; nem a beleza da cidade sob a luz do Sol. A chuva faz parecer que a cidade chora de tristeza.

Elas iriam embora na terça-feira, final da tarde. Mas ficaram presas em casa porque o SPTV mostrou os locais alagados, e alguns deles estavam a caminho do Tietê. Foi bom porque passamos mais tempo juntas. Na quarta-feira de manhã, partiram. Pelo que disseram, acho que mesmo sendo a semana de aniversário mais triste que já vi, saíram com boa impressão e realmente vão voltar nas próximas férias.

Quanto à minha turma de São Paulo, continuamos a comemoração quando o tempo estiou. No sábado à noite fomos andar de bicicleta e patins no Parque do Ibirapuera. Saímos de lá quase na hora de fechar. Foi delicioso. No domingo, as mulheres da galera foram obrigadas a aproveitar o sol para lavar roupa. E no final do dia, adivinha?! Chuva. Mesmo com um aniversário tão deprimido, São Paulo é tudo de bom. E olha que sou goiana.

Nota do Editor
Leia também Especial "SP 450".


Débora Carvalho
São Paulo, 2/2/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nos porões da ditadura de Luís Fernando Amâncio
02. Dor e Glória, de Pedro Almodóvar de Jardel Dias Cavalcanti
03. Nice, Bebeth e Anjali de Marta Barcellos
04. Leitor bebum começou com um gole de Ana Elisa Ribeiro


Mais Débora Carvalho
Mais Acessadas de Débora Carvalho em 2010
01. Choque de realidade no cinema - 23/2/2010
02. Por que comemorar o dia das mães? - 4/5/2010
03. Metade da laranja ou tampa da panela? - 13/7/2010
04. Orgasmo ao avesso - 22/6/2010
05. Desperte seu lado Henry Ford - 17/8/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cândido Ou o Otimismo - Texto Integral
Voltaire
Martin Claret
(2010)



Um Crime Entre Cavalheiros
John Le Carré
Klick/estadão
(1997)



A Vitória do Cristo
Orlando Noronha Carneiro
Ceac
(2017)



Filosofia da Arte
Vieira de Almeida
Saraiva
(1942)



Comendo Pavlova
D. M. Thomas
Record
(1996)



Um Certo Capitão Rodrigo
Erico Verissimo
Globo



Ilha do Desterro: Accents Now Known: Shakespeares Drama in Translatio
José Roberto Oshea (sobre Shakespeare)
Daufsc
(1999)



Obtenção de Resultados Eficazes na Formação de Jogadores Nas Categoria
Giovanni Alfonso Cassini
Pleiade
(2007)



Die Bodenreform in Der Britischen Zone 1945-1949
Gunter J. Trittel
Deutsche Verlags-anstalt
(1975)



See You Soon, Samantha
Lara Bergen
Scholastic (ny)
(2010)





busca | avançada
83662 visitas/dia
2,6 milhões/mês