Haiti, o cisne negro, já virou branco | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 11/3/2010
Haiti, o cisne negro, já virou branco
Vicente Escudero

+ de 2900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

* Lá pelos idos de 1995 tive o primeiro contato com essa bacia das almas chamada Haiti. Um grupo de freiras do colégio católico em que estudava estava de partida para visitar o país, nesse período que seria o início do segundo governo de Aristide, resguardado por uma intervenção militar liderada pelos EUA e autorizada pelo Conselho de Segurança da ONU. Lembro-me da líder do grupo passar pelas salas pedindo aos alunos que orassem por sua segurança e pelo restabelecimento da ordem no país, o mais pobre das Américas. A conversa marcou bastante pela estranha solenidade de uma viagem que fazia parte da rotina itinerante da atividade assistencial desempenhada pela congregação da escola, e pela aparente preocupação de todas elas. Afinal, qual a razão de concederem explicações a um bando de garotos e garotas entre seus quatorze e quinze anos sobre o que faziam ou deixavam de fazer? O tom era de despedida e algum amigo dessa época poderia ter dito: "Acho que elas pensam que não voltarão. Vieram se despedir..."

* Não me recordo se todas elas voltaram. A lembrança deste país que atemorizava essas mulheres, portadoras das mais nobres intenções, despertou meu interesse. Pensava que o Haiti estivesse incrustado no meio da América Central, em vez de dividir uma ilha com a República Dominicana, no Caribe. Não conseguia imaginar a maior miséria da América dividindo a mesma geografia de praias paradisíacas. Até hoje este bloqueio mental resiste. O pouco que descobri era sobre a instabilidade política da ilha desde a chegada de Colombo, em 1492, passando pelo domínio francês do final do século XVII, a divisão da ilha depois da independência do Haiti ― com o nascimento de seu vizinho, a República Dominicana, em meados do século XIX ―, até os seguidos regimes ditatoriais, falsas democracias e revoltas do século XX. Por ironia do destino, o país mais pobre das Américas também foi o primeiro no mundo a abolir a escravidão, em 1794.

* A missão das freiras era de magistério. Terminada a construção de uma escola em Porto Príncipe, capital do Haiti, elas trabalhariam como professoras para a metade analfabeta da população. A maioria delas dominava mais de dois idiomas e estava preparada para cumprir a tarefa num ambiente hostil, politicamente volátil e extremamente violento. Só não contavam com a temporada de furacões. Os alunos não tiveram sequer a oportunidade de conhecer a nova escola, antes que elas retornassem para o Brasil.

*A deusa Fortuna não parece favorecer o Haiti, esteja onde ela estiver. Imaginar que um país assolado pela miséria, violência e desgoverno político ainda pode sofrer catástrofes naturais como furacões, inundações e terremotos leva os mais desesperados a buscar respostas em opiniões e fatos nada confiáveis, como na crença de que um pacto vodu realizado entre os escravos ocupantes da ilha com o diabo, no início do século XIX, para acabar com a dominação francesa, amaldiçoou o Haiti e o colocou sob o polegar de Deus. Desde então, a ilha dividida ao meio é separada entre os problemas eternos dos haitianos e a boa condição econômica do país vizinho, a República Dominicana. O alívio causado pela resposta religiosa a vários problemas seguidos, incapaz de determinar suas causas, contrasta com a obscuridade da análise científica dos fatos que oprimem o país há tanto tempo. Embora as dificuldades políticas e sociais possam ser estudadas em retrospecto para serem solucionadas, os problemas envolvendo catástrofes naturais, principalmente furacões e terremotos, não encontram resposta científica capaz de impedi-los ou amenizar seus efeitos.

* É neste ponto que entram as Ciências da Incerteza professadas por Nassim Nicholas Taleb. Catástrofes naturais imprevisíveis podem ser classificadas, segundo sua doutrina, como cisnes negros mandelbrotianos, eventos que podem ser considerados até certo ponto, mas cujas propriedades não podem ser completamente decifradas, mesmo numa análise retrospectiva dos acontecimentos, e para os quais é impossível produzir cálculos. As catástrofes naturais que atingem o Haiti há décadas, embora sequenciais, são completamente imprevisíveis, além de constantemente explicadas pelo determinismo, gerador de superstições como a do pacto vodu e, por que não, de uma vertente historicista baseada na análise retrospectiva do infortúnio sequencial do país em todas as suas esferas. Ambas são respostas platônicas e nenhuma delas é capaz de explicar com precisão as causas de inúmeros problemas num país territorialmente minúsculo.

*O Haiti tornou-se um país tão sui generis que nem mesmo a teoria do cisne negro de Taleb é capaz de abarcar todas as situações imprevisíveis, de impactos violentos crescentes, causadas por catástrofes naturais ocorridas nas últimas décadas. O último terremoto que vitimou mais de duzentas mil pessoas é o mais grave de toda a história no país, numa sequência de inundações, furacões e terremotos imprevisíveis. Ora, se o mundo para Taleb pode ser dividido em Extremistão e Mediocristão, com os ocupantes do primeiro se adaptando aos eventos imprevisíveis de impacto relevante, e os do segundo vivendo de acordo com a tirania do coletivo, caso os moradores do Extremistão não sejam capazes de se adaptar aos cisnes negros, naturalmente, serão destruídos. Os haitianos não desenvolveram as mesmas técnicas para suportar catástrofes naturais como os japoneses e seus prédios com amortecedores. E as organizações internacionais não tiveram disposição para estruturar o país, reduzindo os efeitos de todos os eventos naturais, nem de contribuírem para seu desenvolvimento, durante toda a segunda metade do século XX. Quem acreditaria num resultado desses? A filantropia das humildes freiras pode ser mais eficaz do que a ONU. Só nos resta torcer para que a deusa da Fortuna favoreça o Haiti.

Nota do Autor

Leia também A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb


Vicente Escudero
São Paulo, 11/3/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Competição de Daniel Bushatsky
02. A filosofia mínima de Luís Augusto Fischer de Marcelo Spalding
03. Meu cinema em 2010 ― 2/2 de Wellington Machado
04. Colocando o preto no branco das câmeras digitais de Vicente Escudero
05. Propostas para o nosso milênio (I) de Marcelo Spalding


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2010
01. Oversharing: que negócio é esse? - 24/6/2010
02. Colocando o preto no branco das câmeras digitais - 12/8/2010
03. Ausência do mal? - 15/4/2010
04. WikiLeaks, o melhor de 2010 - 9/12/2010
05. Cultura do livro digital? - 11/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/3/2010
20h53min
O mundo necessita compreender que o Haiti faz parte da Terra, e que pra isto foi vítima recente de um terremoto, e lá as pessoas pereceram e morreram. O que o mundo precisa é ser responsável pela Terra. Pra isto é que existem organismos internacionais, e movimentos, esperando que a solidariedade possa existir, assim como Cuba enviou médicos e preparou homens para atendimentos, sem pedir nada em troca. E pensando assim é que temos que ser solidários e entender que devemos olhar para o próximo sem perguntar quem é.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INOCÊNCIA - COLECAO TRAVESSIAS
VISCONDE DE TAUNAY
MODERNA
(1998)
R$ 8,00



O ESPIÃO INVISÍVEL
MARK FOWLER
SCIPIONE
(1993)
R$ 8,88



85 VEZES SILVIO SANTOS AS MELHORES CARICATURAS DO REI DOS DOMINGOS
VÁRIOS AUTORES
ASTRAL
(2016)
R$ 27,44



GUIA PORTUGAL. O GUIA DE VIAGEM MAIS FACIL DE USAR
VÁRIOS AUTORES
PUBLIFOLHA
(2009)
R$ 70,00



A PSICOLOGIA DO ANORMAL E A VIDA CONTEMPORÂNEA
JAMES C. COLEMAN
PIONEIRA
(1973)
R$ 60,00



SEMPRE SERÁS LEMBRADA
JOSUÉ MONTELLO
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,48



MONTEIRO LOBATO VIDA E OBRA TOMO I
EDGARD CAVALHEIRO
COMPANHIA NACIONAL
(1956)
R$ 14,00



ESTORIAS PARA CRIANÇAS QUE OS ADULTOS DEVEM LER ESCONDIDOS
RICARDO BANDEIRA
DO AUTOR
(1977)
R$ 5,00



PAIXÃO E CRIME O PROCESSO DO DR. JACCOUD
CARLOS LACERDA
NOVA FRONTEIRA
(1965)
R$ 10,00



ECLIPSE
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2008)
R$ 34,90
+ frete grátis





busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês