Discutir, debater, dialogar | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
61534 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
>>> O suíço Bogdan Szyber participa de live sobre A Vida das Bonecas Vivas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Distribua você também em 2008
>>> A proposta libertária
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> Capitu, a melhor do ano
>>> As fronteiras da ficção científica
>>> Cebrián sobre o fim
>>> Nem tudo é pessoal
Mais Recentes
>>> Os Clássicos da Política vol. 1- Mquiavel-Hobbes-Montesquieu- Rousseau de Francisco C. Welfort (Org.) pela Ática (2006)
>>> Nacionalismos - O estado nacional e o nacionalismo no século XX de Montserrat Guibernau pela Jorge Zahar (1997)
>>> Bibliografia Estudos Sobre Violência Sexual Contra a Mulher:1984-2003 de Kátia Soares Braga - Elise Nacimento (Orgs.) pela Letras Livres - UNB (2004)
>>> O reino de James T. harman pela Restauração (2013)
>>> A importancia da cobertura de Lance Lambert pela Classicos (2013)
>>> O Reino Entre Nós de Não Informado pela O Lutador
>>> Como Realizar a Aprendizagem de Robert M. Gagné pela Mec (1974)
>>> Yoga para a Saúde do Ciclo Menstrual de Linda Sparrowe/ Patrícia Walden pela Pensamento (2004)
>>> Pequenos Segredos da Arte de Escrever de Luiz A. P. Victoria pela Ouro (1972)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1988)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1989)
>>> Paca, Tatú...Contos Infantis de Malba Tahan pela Cruzada da Boa Imprensa (1939)
>>> A Marquesa de Reval de May Logan pela Anchieta (1944)
>>> Camilo Compreendido Tomo 1 e 2 de Gondim da Fonseca pela Martins (1953)
>>> Técnicas de Yoga de Dr.M.L.Gharote pela Phorte (2007)
>>> A Essência da Alma de Sônia Tozzi (psicografia) pela Lúmen (2006)
>>> Minutos de Oração de Legrand (coord) pela Soler (2007)
>>> A Norma Jurídica de Tercio Sampaio Ferraz Jr. E Outros pela Freitas Bastos (1980)
>>> Le Bateau Ivre Análise e Interpretação de Augusto Meyer pela São José (1955)
>>> Franz Kafka Os Filhos Rossmann Bendemann e Samsa de Ruth Cerqueira de Oliveira Röhl pela Universidade de São Paulo (1976)
>>> Fios de Ariadne - Ensaios de interpretação marxista de Centro de Estudos Marxistas pela Universidade de Passo Fundo (1999)
>>> Três Momentos Poéticos de Nelly Novaes Coelho pela Conselho Estadual de Cultura
>>> A Luz Perdida de Murillo Araujo pela Pongetti (1952)
>>> História e Consciência Social de Leôncio Basbaum pela Globo (1985)
>>> Dostoievsky de David Magarshack pela Aster
>>> Asanas de Swami Kuvalayananda pela Phorte (2009)
>>> A Ciência do Yoga de J.K.Taimni pela Teosófica (2006)
>>> Osso no seu Osso indo além da imitação de cristo de F. j. Huegel pela Restauração (2019)
>>> 100 Kixti (estórias) Tukano de Eduardo Lagório (Coord) pela Fundação Nacional do índio (1983)
>>> O corpo de Cristo uma realidade de Watchman nee pela Clássicos (2006)
>>> Vamos Praticar Yoga? Yoga para Crianças, Pais e Professores de Maria Ester Azevedo Massola pela Phorte (2008)
>>> Revisa-nos novamente de Frank viola pela Restauração (2017)
>>> Os Jardins da Psicologia Comunitária de Israel Rocha Brandão / Zulmira Áurea (orgs.) pela Ufc (1999)
>>> Em seus passos o que faria Jesus? de Charles m Sheldon pela Mundo cristão (2015)
>>> Yoga Terapia Hormonal para Menopausa de Dinah Rodrigues pela Madras (2007)
>>> Fé para a salvação da alma de Philip Mauro pela Restauração (2015)
>>> Do Roraima ao Orinoco - Volume 1 de Theodor Koch-Grunberg pela Unesp (2006)
>>> Reconsiderando a vontade de Deus de Frank viola pela Restauração (2017)
>>> Chamados à comunhão de Cristo de Paulo real pela Garimpo (2017)
>>> Filhos da Cobra de Pedra: Organização Social e Trajetórias Tuyuka no rio Tiquié (noroeste Amazônico) de Aloisio Cabalzar pela Unesp (2009)
>>> O Código do Ser de James Hillman pela Objetiva (1997)
>>> Reconsiderando a vontade de Deus de Frank viola pela Restauração (2019)
>>> A Duração Da Pessoa : Mobilidade, Parentesco E Xamanismo Mbya (guarani) de Elizabeth Pissolato pela Unesp (2007)
>>> Cidade do índio: transformações e cotidiano em Iauaretê de Geraldo Andrello pela Unesp (2006)
>>> Histórias Curativas para Comportamentos Desafiadores de Susan Perrow pela Antroposófica (2010)
>>> O Nome e o Tempo dos Yaminawa: Etnologia e história dos Yaminawa do rio Acre de Oscar Calavia Saez pela Unesp (2007)
>>> Imagens de Foucault e Deleuze - Ressonâncias Nietzschianas de Margareth Rago/Luiz B. Lacerda Orlandi/ Alfredo Veiga-Neto (Orgs.) pela Dp&a (2002)
>>> De volta ao lago de leite: gênero e transformação no Alto Rio Negro de Cristiane Lasmar pela Unesp (2005)
>>> A Ciência Oculta de Rudolf Steiner pela Antroposófica (2001)
>>> El halcon de oro de Frank yerby pela Planeta (1963)
COLUNAS

Terça-feira, 29/1/2013
Discutir, debater, dialogar
Duanne Ribeiro

+ de 6700 Acessos

Uma boa porção do meu tempo é gasta com discussões online. Você pode dizer que sou como o sujeito desta tirinha: vou me preocupar (talvez excessivamente) com o convencimento, a contestação, o aperfeiçoamento de uma ou outra ideia, mais por impulso do que por princípio. Embora, é claro, isso envolva princípios: o mais fundamental sendo a crença em um debate público do qual fazemos parte querendo ou não, participando através do nosso silêncio ou da nossa fala. Trata-se de uma malha de interconexões infinitas, e, se sou um ponto no circuito, posso qualificar o fluxo, interrompê-lo, encorpá-lo, modificá-lo.

Este texto ele próprio é um gesto nesse sentido, pulso elétrico que percorrerá tal malha de muitas maneiras e alcances, perceptíveis ou não. É difícil que você não compartilhe, portanto, da minha crença: as 131 palavras anteriores te atingiram, você provavelmente já se posicionou mesmo que só emocionalmente em relação às ideias essenciais que te passaram (o que seja minha personalidade, a visão de mundo que expus, a tese sobre o status desta coluna). Suas conclusões atuais e as posteriores são movimentos que tiveram ensejo por conta daquele pulso. Mudar, encorpar, interromper são escolhas suas. E assim por diante, de você aos outros.

Isso tudo, obviamente, vale para discussões além da internet, mas me foco nessa mídia porque é com ela que lidamos neste momento. Eventualmente direi coisas surpreendentes como: os "debates da internet" são debates reais, com efeitos na "realidade"; o pessoal "da internet" está também fisicamente em algum lugar, da mesma forma que você digitando palavras num aparelho; que um troll não é qualquer indivíduo que discorde de outro indivíduo, jamais alguém que provoca um debate, mas alguém que prejudica, impossibilita um debate; e, chocante!, as pessoas que discordam da sua posição têm motivos pra manter as delas.

Eu aprendi algumas coisas em alguns desses anos de discussão, e acho que atingi uma evolução significativa. Quero compartilhar quatro lições que aprendi vagarosamente, e que contrario de vez em quando.

Atenha-se ao seu propósito
Você tem que saber pelo que está discutindo, qual a ideia ou grupo de ideias que de fato lhe interessa transmitir. Imagine que estamos discutindo a legalização ou criminalização do aborto. Alguém elenca o argumento da sacralidade da vida; seu objetivo pode ser tão somente apontar que o termo vida é condicionado, ou seja, ele só pode ser entendido dentro de certos limites. De maneira que um qualquer que seja contrário ao aborto não é necessariamente vegetariano, nem mesmo crê que uma mosca ou barata possa esconder o Buda. Em outros termos, você diria: "Quando você diz vida, você já assume algumas princípios que a definem".

Seu propósito pode ser apenas o esclarecimento desses princípios. Não contesta que seja sagrada, não se envolve em disputas sobre a liberdade da mulher, a dor causada ou não ao embrião (até oito semanas de gestação) ou feto, etc. O campo do debate é extenso, e você selecionou aí uma fração somente. Deixe isso claro: se os rumos da conversa se dispersarem muito, reafirme suas teses básicas.

Renato Janine Ribeiro perguntou: "Por que temos de ter opiniões como pacotes?" - e é isso que está em jogo aqui: debates são feitos de séries de ideias, e elas são discutíveis separadamente. É possível estar certo e errado ao mesmo tempo. Há a mistura de ignorância e erudição no mesmo discurso. Sua participação desenha linhas específicas no campo extenso da discussão. Não se perca delas.

Não se atenha ao seu propósito
Porém reconheça que o campo recortado por essas linhas é extenso. Por um lado isso implica às vezes a discussão de várias ideias periféricas ou anteriores ao que se pretendia discutir. Suponha que a pauta é a retirada ou não da frase "deus seja louvado" das notas de Real, e lhe provocam com o que seria uma consequência: o nome de estados como São Paulo e Espírito Santo teriam de ser mudados e festas como o Natal excluídas do calendário. É um deslocamento interessante, além da sua linha de argumentação, mas possivelmente perturbador. Cabe aí procurar se há qualificativos que diferem uma coisa da outra (). Ou, para manter sua tese, você pode ter de afirmar a própria justificação de um estado laico.

Por outro lado você pode perceber a fraqueza do seu recorte. Por exemplo, frente à pergunta "você é a favor ou não da PM na USP?" as respostas sim ou não podem apenas dissimular a existência de uma variedade de debates implícitos. O reitor da USP e o tipo de relações que tem com a comunidade universitária; o histórico da Polícia Militar, seus problemas atuais, as dificuldades do modelo não-civil de policiamento; a infraestrutura da universidade (iluminação, guarda particular); a atuação de movimentos sociais e as respostas governamentais a eles. Sem visão íntegra, não se estará respondendo de fato à pergunta, a não ser que queiramos ficar na mera polêmica. Como disse Francisco Bosco, "o dissenso entre pessoas não garante que se transcenda o senso comum".

Suas ideias não são parte de você
No mesmo texto, Bosco também comenta: "Um sujeito que defende uma posição tende a identificar-se com ela, e então a sustentação de seu ponto torna-se a sustentação de seu próprio eu. Daí surge o conflito: a agressividade brota do imaginário (a autoimagem do eu) que se sente ameaçado pelo outro eu, o outro imaginário. Sob a superfície do simbólico, travasse uma luta imaginária, e é assim que o dissenso logo engendra a discórdia". Há um perigo de personalização toda vez em que se entra num debate, assim que o estímulo para continuar se dissocia das razões pelas quais uma ideia é acertada e passa se vincular ao nosso orgulho.

O ideal é perceber quando isso acontece e tentar evitar, ou apontar isso no outro quando achar que é o caso. Nada fácil, claro, no entanto mais fácil na internet ou em qualquer discussão escrita, já que você pode efetivamente parar e se afastar.

Seu objetivo é competir ou debater? Tenha a resposta em mente. Pare, abandone, assuma o que não sabe (não saber é 99% da nossa atividade intelectual). Corte as provocações, a não ser que haja um motivo para elas. Tendemos a escrever como pensamos, mas se seu pensamento se formula (por exemplo se referente ao que se usa chamar "bolsa-bandido") "Isso é estupidez, não é que damos um benefício para um criminoso, mas resguardamos sua família de um dano maior" - você se afastará de um conflito tosco se excluir o inútil "isso é estupidez".

Não "respeite a opinião alheia"
Ainda nesse sentido: saiba concordar. Deixe evidente os pontos com os quais se está de acordo. As pessoas num debate podem estar simultaneamente próximas e longínquas, e erigir um mapa preciso não só dá solidez ao diálogo como funda o espaço de ideias em uma relação de coabitantes, não de inimigos.

Mas não se reduza à essa caricatura da civilidade expressa pela frase "respeitar a opinião alheia". Por que é que se respeitaria assim por nada uma opinião? Ideias estão aí para serem postas na rua, apanhar, apanhar e ver se ficam de pé. Quando endeusamos um respeito abstrato, incondicional, o que fazemos é isolar cada um em uma redoma antipensamento, que não faz bem a ninguém.

Porque pensamento é movimento, e existe um valor no choque. Mesmo que após discussão explosiva feita não cheguemos a lugar nenhum: estaremos um passo diminuto além da certeza cheia de si, como se multiplicássemos a opinião por um - e tudo fosse o mesmo, não obstante algo de sutil se transformasse.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 29/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O que este país tão longe ao sul tem a oferecer de Duanne Ribeiro
02. Por que os blogs de jornalistas não funcionam de Julio Daio Borges
03. O amor e as prateleiras de livros de Ana Elisa Ribeiro
04. Uma verdade incômoda de Eduardo Carvalho


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2013
01. As Aventuras de Pi - 19/2/2013
02. Discutir, debater, dialogar - 29/1/2013
03. Margarita Paksa: Percepção e Política - 12/3/2013
04. American Horror Story: Asylum - 13/8/2013
05. Passe Livre, FdE e Black Blocs - enquanto Mídia - 10/9/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PAGINAS SELECTAS COM ESTUDOS CRÍTICOS
HENRIQUE COELHO
MELHORAMENTOS
(1920)
R$ 14,60



ABUTRE
GIL SCOTT-HERON
CONRAD
(2002)
R$ 20,00



OBSTETRÍCIA MEDCURSO 2012 CICLO 1 - 4 VOLUMES
VÁRIOS AUTORES
MEDKLIN
(2012)
R$ 40,00



RENATO ARAGÃO: DO CEARÁ PARA O CORAÇÃO DO BRASIL
RODRIGO FONSECA
ESTAÇÃO BRASIL
(2017)
R$ 15,00



MANUEL ALEGRE ULISSES OU OS CAMINHOS DA ETERNA BUSCA
JOSÉ RIBEIRO FERREIRA
COIMBRA
(2001)
R$ 47,79



A CHAMINÉ
MARTIM HART
CLUBE DO LIVRO
(1966)
R$ 10,00



SYMPOSIUM ON MENIERES DISEASE VOL. 13 Nª 4 THE OTOLARYNGOLOGIC CLIN...
I. KAUFMANN ARENBERG
W B SAUNDERS
(1980)
R$ 17,00



FIDEL E RAUL, MEUS IRMÃOS: A HISTORIA SECRETA
JUANITA CASTRO; MARÍA ANTONIETA COLLINS
PLANETA DO BRASIL
(2011)
R$ 17,28



3ª VOLTA AO MUNDO DO VELEIRO TRÊS MARIAS
ALEIXO BELOV
MARITIMAS
(2003)
R$ 60,00



FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO: UM DIÁLOGO
HOWARS OZMON
ZAHAR
(1975)
R$ 6,90





busca | avançada
61534 visitas/dia
2,1 milhões/mês