Lobato e modernistas: uma história mal-contada | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
49036 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Quilombaque acolhe 'Ensaios Perversos' de fevereiro
>>> Espetáculo com Zora Santos traz a comida como arte e a arte como alimento no Sesc Avenida Paulista
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Brotas apresenta 2º Festival de Música Cristã
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
Colunistas
Últimos Posts
>>> Bill Ackman no Lex Fridman (2024)
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Making it new
>>> Nick Carr sobre The Shallows
>>> O bom e velho formato site
>>> Escrever não é trabalho, é ofício
>>> A metade da vida
>>> A última discoteca básica
>>> van Gogh: Os livros amarelos
>>> A terra do nunca
>>> O maior banco digital do mundo é brasileiro (2023)
>>> Digestivo empreendedor
Mais Recentes
>>> Livro Administração O Poder da Ação Faça sua vida Ideal sair do Papel de Paulo Vieira pela Gente (2015)
>>> Livro Literatura Estrangeira Razao e Sensibilidade de Jane Austen pela Circulo do Livro (1997)
>>> Liberte Sua Personalidade + O Propósito da Sua Vida de Maxwell Maltz; Michael J. Losier pela Summus; Leya (2017)
>>> A Bíblia Das Criancinhas de Juliet David; Helen Prole pela Sociedade Bíblica Do Brasil (2007)
>>> O homem que calculava. de Malba tahan pela Record (1987)
>>> Livro Infanto Juvenis Chico Bento Amor de Verão Piteco Viagem no Tempo de Mauricio de Sousa pela Mauricio de Sousa (2018)
>>> O Macaco E A Mola de Sonia junqueira pela Ática (1982)
>>> Alice No País Da Mentira de Pedro Bandeira pela Ática (2005)
>>> Livro Saúde Óleo de Coco A gordura que pode salvar a sua vida! de Dr Wilson Rondo Jr pela Gaia (2015)
>>> Livro Direito A Reforma Trabalhista na Visão da AJD Análise Crítica de Laura Rodrigues Benda pela Casa do Direito (2018)
>>> Tudo Vai Dar Certo de Cedella Marley pela Martins Fontes (2013)
>>> Livro Psicologia Criando Meninas Para Mais e Mães de Verdade! de Gisela Preuschoff pela Fundamento (2011)
>>> Livro Infanto Juvenis Hércules o Resgate de Barbara Bazaldua e Outros pela Melhoramentos / Disney (1997)
>>> 90 minutos no Céu + Fui ao Céu e Voltei + A Bíblia em 100 Minutos de Don Piper; Cecil Murphey; Mary C. Neal pela Thomas Nelson Brasil; Lua de Papel; Sextante (2013)
>>> Livro Literatura Brasileira Pornô Politica Paixões e Taras na Vida Brasileira de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2006)
>>> O sapato que miava de Sylia Orthof pela Ftd (1997)
>>> Livro Infanto Juvenis A Idade Média Passo a Passo de Vincent Carpentier pela Claroenigma (2012)
>>> It de Stephen King pela Signet (1980)
>>> Livro Didático Biologia Volume Único de César; Sezar; Caldini pela Saraiva (2011)
>>> O Nascimento De Jesus de Donaldo Buchweitz pela Ciranda Cultural (2013)
>>> Livro Saúde Boa Forma Em 8 Semanas de Cynthia Antonaccio pela Marco Zero (2005)
>>> Livro Religião A Vida Sabe o Que Faz de Zibia Gasparetto pela Vida & Consciência (2012)
>>> Goosebumps - Praia Fantasma de R. L. Stine pela Fundamento (2006)
>>> Livro Saúde A Cura pelo Yoga Rotinas Simples para Superar Mais de 50 Problemas De Saúde e Viver Livre de Dor de Tara Stiles pela Pensamento (2014)
>>> Livro Infanto Juvenis Uma Pipa tão Pipa no Céu de Regina Siguemoto /martinez pela Do Brasil S/a
COLUNAS

Segunda-feira, 16/4/2012
Lobato e modernistas: uma história mal-contada
Gian Danton
+ de 7200 Acessos

Este ano comemora-se 90 anos da semana de arte moderna. A data tem gerado comemorações e muitos estudos sobre o evento. Entretanto, um grande equívoco ainda resiste: a suposta briga entre Lobato e os modernistas. Já existem várias obras que reavaliam essa relação, em especial o ótimo Furacão no Botocúndia (SENAC, 1998), biografia de Carmem Lúcia de Azevedo, Márcia Camargos e Vladmir Sachetta, mas infelizmente a versão de que Lobato era inimigo da Semana ainda continua sendo transmitida, inclusive em sala de aula.

Na verdade, Lobato fez uma crítica severa a uma das grandes artistas modernistas, Anita Mafalti, quando de sua primeira exposição, em 1917 (muito antes da Semana de 1922), mas são poucos os que se preocuparam em ler o seu texto "Paranoia e mistificação". Nele, Lobato elogia a artista, a chama de original e inventiva. A crítica de Lobato é direcionada ao fato dela se deixar seduzir pela arte europeia. O autor do Sítio não era contra inovações, mas acreditava que Anita deveria procurar na cultura brasileira elementos para sua arte, evitando o macaquismo que sempre nos caracterizou.

Para Lobato, procurar nas vanguardas européias um norte para a arte brasileira impediria a criação de um ideal estético nacional, colocando-nos sempre como imitadores dos povos colonialistas.

Prova de que Lobato não era contrário à estética modernista é o entusiasmo com que ele recebeu o trabalho do escultor Vítor Brecheret, um dos decanos da semana de arte moderna: "Paremos juntos, e juntos admiremos tão soberba manifestação da grande arte. Admiremos sem reserva, que isso é arte de verdade, da boa, da grande, da que põe o espectador sério, e, se sensível, comovido.".

Outro fator importante é a personalidade independente de Lobato que não admitia reduzir a arte às regras de uma escola artística. Lobato chegou a ser convidado por Oswald para se padrinho do movimento, mas recusou. O grupo então procurou o escritor Graça Aranha, que conseguiu patrocínio com a aristocracia agrária paulista (exatamente o grupo conservador que era mais criticado pelos modernistas) e fez o discurso de abertura da semana, muito criticado por defender ideias novas usando uma retórica antiga, rebuscada e parnasiana.

Lobato fez graça com a situação: ¨Se eu tivesse participado da Semana, talvez me tivessem contaminado com a inteligência nela manifestada. Preferi ficar na minha burrice¨, escreveu ele, dispondo-se a participar de uma segunda Semana, aumentada, na qual ficaria com o cargo de papa, logo abaixo do Papão Oswald de Andrade.

Aliás, a relação entre Lobato e Oswald sempre foi das mais amistosas. Ambos tinham espírito independente e um grande senso de humor. Oswald chamava Lobato de ¨O Gandhi do modernismo¨ e dizia que o autor do Jeca só não participou da Semana por causa do nacionalismo: ¨sua luta significava a repulsa ao estrangeirismo afobado de Graça Aranha, às decadências lustrais da Europa podre, ao esnobismo social que abria seus salões à Semana¨.

Lobato, dono de editora, publicava alguns dos principais escritores modernistas e teve papel importante na popularização dos mesmos. Além disso, ele se correspondia regularmente com nomes como Di Cavalcanti, Graça Aranha, Oswald e Mario de Andrade e Sérgio Millet.

Coerente com sua opinião de que Anita era uma grande artista, Lobato chamou-a para ilustrar a capa dos livros ¨O Homem e a morte¨, de Menotti Del Picchia e ¨Os condenados¨, de Oswald de Andrade, ambos lançados por ele. O livro ¨Idéias de Jeca Tatu¨ teve como capa O Homem Amarelo, quadro de Anita Mafalti (talvez uma compensação pela crítica feita em 1917).

Lobato escreveu sobre a semana, mas não para criticá-la e sim para creditá-la ao grande amigo Oswald de Andrade. No artigo ¨Nosso dualismo¨, publicado no em e reunido no livro ¨Na Antevéspera¨, Lobato diz que ¨O futurismo apareceu em São Paulo como fruto da displicência dum rapaz rico e arejado de cérebro: Oswald de Andade¨. Segundo Lobato, Oswald era um turista integral que, por sua visão cosmopolita tinha capacidade de perceber a cristalização mental da inteligência brasileira. Para tirar o país desse marasmo, ele teria recorrido ao processo da atrapalhação e exemplifica com o caso da peninha. Um sujeito propõe a outro uma adivinhação: ¨Qual é o bicho que tem quatro pernas, come ratos, mia, passeia pelos telhados e tem uma peninha na ponta da cauda?¨. Como ninguém adivinhasse, ele explicou: ¨É o gato!¨. ¨Mas e a peninha?¨. ¨Está aí só para atrapalhar¨.

Esse processo de atrapalhação teria sido essencial para sacudir a cultura brasileira, mas a coisa desandou quando outros autores resolveram transformar essa atitude em dogma: ¨Oswald sempre repeliu os sectários e sempre refugiu de transformar sua colher de mexer, hoje colher de pau-brasil, em paradigma, em maracá sagrado. E passa a vida a criar cismas dentro do grupo, a renegar sumos pontífices¨.

Mário de Andrade, provavelmente enciumado por Lobato ter creditado a semana a Oswald e pela crítica quanto aos dogmas, resolveu matar Lobato num texto intitulado ¨Post-scriptum Pachola¨.

O autor do Jeca, entretanto, não fez caso. Em carta ao jornalista Flávio Campos, Lobato diz que Mário, por seu talento, tem direito a tudo, ¨até de meter o pau em você e em mim. Eu tenho levado pancadinhas dele. Certa feita matou-me e enterrou-me. Em vez de revidar, conformei-me, e sem mudar minha opinião sobre ele. Mário é grande. Tem o direito de nos matar à moda dele¨.

Durante décadas tem se vendido a imagem de Lobato era um conservador, porta-voz das camadas mais atrasadas da sociedade brasileira. Seria, portanto, a antítese dos modernistas. Nada mais falso. Seu movimento em favor do petróleo e industrialização estão mais próximos do futurismo do que da tradição brasileira, que se contentava em plantar café. Em termos literários, ele foi um inovador, especialmente na literatura infantil, ao introduzir a linguagem coloquial em seus livros. Além disso, suas editoras foram importante veículo de divulgação dos autores modernistas.

Até mesmo Mário de Andrade, o maior responsável pela disseminação da ideia de que Lobato era inimigo dos modernistas admitiu o alinhamento desse autor com os ideais daquele movimento: ¨Quanto a dizer que éramos, os de São Paulo, uns antinacionalistas europeizados, creio ser falta de sutileza crítica. É esquecer todo o movimento regionalista aberto justamente em São Paulo e imediatamente antes, pela Revista do Brasil, é esquecer todo o movimento editorial de Monteiro Lobato¨.

Espera-se que na, comemoração dos 100 anos da Semana de arte moderna, daqui a 10 anos, a importância de Lobato no modernismo brasileiro tenha sido finalmente redefinida. E tomara que até lá os professores já tenham parado de ensinar inverdades na sala de aula.


Gian Danton
Macapá, 16/4/2012

Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2012
01. Por que os livros paradidáticos hoje são assim? - 13/2/2012
02. O desenvolvimento dos meios de comunicação - 27/8/2012
03. A invenção da imprensa - 24/9/2012
04. Contos fantásticos no labirinto de Borges - 26/3/2012
05. Um conto de duas cidades - 7/5/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os caçadores de Lendas Darkmouth
Shane Hegarty
#Irado
(2017)



Reforma Administrativa e Desburocratização
Floriano Aguiar Dias (organizador)
Liber Juris
(1984)



Livro Infanto Juvenis Palavras Descubra & aprenda
Yoyo Books
Yoyo Books
(2014)



Livro Infanto Juvenis Trinca-Trova
Ciça / Fabiola B. Capelasso
Globo Kids
(2013)



Fake Brazil: A Epidemia de Falsas Verdades
Guilherme Fiuza
Avis Rara
(2020)



Sindicato mais representativo e mutação constitucional
Paulo Roberto Lemgruber Ebert
LTr
(2007)



Invocadores do Mal
Cheryl A. Wicks
Pensamento
(2016)



Dicionario Oxford De Filosofia
Simon Blackburn
Jorge Zahar
(2000)



A nova revelação
Arthur Conan Doyle
Feb
(1980)



Magnetismo Cósmico
Anthony Norvell
Record
(1974)





busca | avançada
49036 visitas/dia
1,8 milhão/mês