Ausência do mal? | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
44867 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 15/4/2010
Ausência do mal?
Vicente Escudero

+ de 5200 Acessos
+ 2 Comentário(s)


Ele é tudo de bom!

Quando se descobre que a verdade é mentira e toda a sua esperança morre, você está sentado numa sala de cinema assistindo ao último filme dos irmãos Coen, ambientado numa comunidade judaica dos anos 60, localizada no estado americano de Minessota. Um rabino centenário repete o refrão de "Somebody to love" da banda Jefferson Airplane a um garoto que acabou de completar o bar mitzvah sob os efeitos de um baseado. Numa sala carregada de quinquilharias, onde uma réplica do quadro de Rembrandt com Abraão sacrificando Isaac, para provar a Deus sua fé, descansa na parede, o rabino termina o refrão pedindo carinhosamente ao garoto para que se torne uma boa pessoa.

Larry Gopnik é um professor universitário de física que assiste a própria vida ruir aos poucos com o pedido de divórcio da esposa e a oferta de suborno de um aluno sul-coreano chamado Clive, para ser aprovado na sua disciplina. As coisas vão muito mal. Sua esposa pretende se casar com seu melhor amigo e ainda sugerem, juntos, que Larry deixe a casa onde moram para que o fim do casamento não afete a vida familiar. O irmão de Larry surge e passa a dormir na residência, enquanto sua filha passa o tempo todo preocupada apenas com a oportunidade de fazer uma cirurgia plástica no nariz e seu filho o trata com a mesma atenção dispensada ao entregador de pizza.

Larry é impassível. Sua vida está se derretendo como cera e a única frase que é capaz de repetir, o mantra da autocomiseração, afasta sua culpa por todos os acontecimentos (Por quê? O que eu fiz? Não fiz nada de errado!).

Não pude deixar de notar que a reação da plateia, depois do filme, sobre o comportamento de Larry, parecia absolvê-lo da culpa por todos esses problemas. Ele não passaria de um homem sério que estava sendo testado dentro de sua fé, que merecia se reconciliar com a esposa, ter uma vida familiar melhor. Dignidade e felicidade. Ninguém gostaria de assistir um homem tão dedicado na vida profissional, alguém incapaz de demonstrar qualquer sinal de maldade, fracassar, certo? Mas desde quando a ausência do mal significa a presença do bem?

Neste ponto entra o talento dos irmãos Coen. A confusão moral dos personagens é mostrada de forma cruel e torturante em filmes como Queime depois de ler (o funcionário da academia de ginástica que acredita que vai se dar bem extorquindo dinheiro do analista aposentado da CIA), Onde os fracos não têm vez (o ex-fuzileiro que foge pela fronteira dos EUA com o México para tentar ficar com o dinheiro de traficantes, encontrado no deserto), até Um homem sério, com Larry Gopnik e sua dúvida sobre aceitar ou não o suborno para aprovar o aluno sul-coreano. A dupla de diretores disseca a capacidade do ser humano de distorcer a verdade, de criar uma fantasia de que tudo pode acabar bem quando começou completamente errado. Trata-se de um tratado sobre a estupidez humana, com um verbete para cada ato e estilo de disparate.

Larry Gopnik busca auxílio no judaísmo. Não consegue. O primeiro rabino com quem conversa é evasivo e jovem demais. O segundo conta uma fábula sobre um dentista judeu que encontrou uma frase entalhada atrás dos dentes de um paciente. Após meses de pesquisa e reflexão, o dentista não encontra significado nenhum para o fato, mas decide que essa era uma oportunidade de ajudar aos outros. Larry inspira-se com a história e começa a deixar a letargia. Escolhendo as iniciativas erradas.

Num primeiro momento, Larry vai até a casa de uma bela vizinha, com o espírito menos preparado para ajudar do que ser ajudado, e divide com ela um baseado. Péssimo começo! Em outra ocasião, assustado com a grande dívida que tinha com os advogados contratados para tratar de seu divórcio, da prisão do irmão e das divisas do terreno de sua casa, decide ficar com o dinheiro do suborno e aprovar Clive, o aluno sul-coreano. Como assim, Sr. Gopnik?

Ao terminar de retificar a nota de Clive no livro, o telefone do escritório toca. Uma voz grave diz que ele deve se dirigir o mais rápido possível ao consultório médico para discutir os resultados de um exame de raio-x realizado logo no início da história. Enquanto isso, um tornado se aproxima da cidade e seu filho observa-o curiosamente, com outros alunos do lado de fora da escola, como se fosse o primeiro estágio do juízo final. "Somebody to love" volta com toda força, o filme acaba e os créditos descem.

Existe uma relação sobre a visão da maioria das pessoas que assistem ao filme, entre o comportamento de Larry e a nossa cultura atual de superficialidades. Aceitamos passivamente que a ausência do mal representa a presença do bem. Enquanto o protagonista se omite em todos os fatos relevantes de sua vida prestes a ruir, a audiência interpreta suas omissões como positivas, afinal, Larry é um homem decente que não causa mal algum e que está passando por uma maré de azar. Mesmo durante a a evolução da história, quando ele comete as maiores bobagens, Larry não parece merecer a culpa por nenhum de seus infortúnios.

Que expectativas são essas? Imaginar a abstinência social de Larry como uma qualidade, é rebaixar demais as virtudes do ser humano. Não causar o mal, simplesmente não fazendo o bem, é delegar sua culpa aos outros. Sua indiferença ao resto do mundo só é rompida quando soprada a trombeta do apocalipse pelo médico, no telefone, anunciando sua provável causa mortis. É uma ironia bem ao estilo dos irmãos Coen. Azar o seu, Larry.


Vicente Escudero
Campinas, 15/4/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O artífice do sertão de Celso A. Uequed Pitol
02. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
03. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti de Jardel Dias Cavalcanti
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz de Heloisa Pait
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana de Heloisa Pait


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2010
01. Oversharing: que negócio é esse? - 24/6/2010
02. Colocando o preto no branco das câmeras digitais - 12/8/2010
03. Ausência do mal? - 15/4/2010
04. WikiLeaks, o melhor de 2010 - 9/12/2010
05. Cultura do livro digital? - 11/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/4/2010
15h31min
Ótima resenha. Os Coen não fazem filmes para imbecis e vivemos num mundo cada vez mais imbecializado. A tendência é aceitar a primeira impressão. Adoro diretores que não entregam tudo de bandeja. Abraço.
[Leia outros Comentários de Julio Corrêa]
17/11/2010
14h06min
Melhor comentário sobre o filme que vi até agora. Parabéns!
[Leia outros Comentários de Melk]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NOVOS ESTUDOS CEBRAP 88
VARIOS
EDIÇÕES CEBRAP
(2010)
R$ 14,90



DEMOLIDOR: FIM DOS DIAS - VOLUME 1
BRIAN MICHAEL BENDIS & DAVID MACK
PANINI COMICS / MARVEL
(2015)
R$ 20,00



C++ PARA UNIVERSITÁRIOS (AUTOGRAFADO)
LINCOLN CÉSAR ZAMBONI E SERGIO VICENTE PAMBOUKIAN
PÁGINAS E LETRAS
(2006)
R$ 35,00



MATEMÁTICA APLICADA À GESTÃO CADERNO DE APOIO
JOSÉ MANUEL ZORRO MENDES
UNIVERSIDADE ABERTA
(1997)
R$ 24,97



PESQUISAS SOBRE O SENTIDO DA VIDA
PAULO FINOTTI
DO AUTOR
R$ 6,90



A HISTÓRIA DE DORA VOADORA LACRADO
TONI BRANDÃO
STUDIO NOBEL
(2003)
R$ 14,00



SIGNO SOLAR SIGNO LUNAR
CHARLES HARVEY E SUZI HARVEY
NOVA ERA
(1998)
R$ 12,00



DISCOURSES VOL 2
MEHER BABA
SUFISM REORIENTED
(1971)
R$ 29,82



A VERDADE DE CADA UM
AMIR LABAKI (ORG.)
COSAC NAIFY
(2015)
R$ 149,90



A ROMANA
ALBERTO MORAVIA
ABRIL
(1972)
R$ 15,00





busca | avançada
44867 visitas/dia
1,2 milhão/mês