Shows da década (parte 2) | Diogo Salles | Digestivo Cultural

busca | avançada
28172 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> Comédia dirigida por Darson Ribeiro, Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Companhia de Danças de Diadema leva projeto de dança a crianças de escolas públicas da cidade
>>> Cia. de Teatro Heliópolis encerra temporada da montagem (IN)JUSTIÇA no dia 19 de maio
>>> Um passeio imersivo pelos sebos, livrarias e cafés históricos do Rio de Janeiro
>>> Gaitista Jefferson Gonçalves se apresenta em quinteto de blues no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
Colunistas
Últimos Posts
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
Últimos Posts
>>> Pós-graduação
>>> Virtuosismo
>>> Evanescência
>>> Um Certo Olhar de Cinema
>>> PROCURA-SE
>>> Terras da minha terra
>>> A bola da vez
>>> Osmose vital
>>> Direções da véspera V
>>> Sem palavras
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> Agonia
>>> Anos 90, lado B
>>> Dom Quixote, matriz de releituras
>>> Eu não uso brincos
>>> Nuvem Negra*
>>> Ao Sul da Liberdade
>>> Ao Sul da Liberdade
>>> O mundo como ele realmente é
>>> O Facebook de Renato Janine Ribeiro
Mais Recentes
>>> Corrente Crítica de Elyahu M. Goldratt pela Nobel (1998)
>>> Spells for the Solitary Witch de Eileen Holland pela Weiser Books (2004)
>>> Intensivão ENEM de Vários pela Escala (2015)
>>> L. A. Detective de Philip Prowse pela Macmilan Readers (2010)
>>> Sister Moon Lodge - The Power & Mystery of Menstruation de Kisma K. Stepanich pela Llewellyn (1993)
>>> Lucky Number de John Milne pela Macmilan Readers (2005)
>>> Diamonds are Forever de Ian Fleming pela Macmilan Readers (2009)
>>> Dangerous Journey de Alwyn Cox pela Macmilan Readers (2005)
>>> A Colina dos Suspiros de Moacyr Scliar pela Moderna (2012)
>>> A Revolução do Coração 2 - Você pode melhorar sua qualidade de vida de Doralice Godim Machado Alves pela Essência
>>> A Droga do Amor de Pedro Bandeira pela Moderna (2011)
>>> Harry Potter e as Relíquias da Morte de J. K. Rowling pela Rocco (2007)
>>> Messalina/ Capa Dura de Francesco Mazzei pela Circulo do Livro/ SP. (1994)
>>> Messalina/ Capa Dura de Francesco Mazzei pela Circulo do Livro/ SP. (1994)
>>> Harry Potter e o Enigma do Príncipe de J. K. Rowling pela Rocco (2005)
>>> Orações Bençãos - exorcismo simplificado de Padre Nelson R. Rabelo pela Lotus do Saber (2002)
>>> No Urubuquaquá no Pinhém de Joao Guimarães Rosa pela Nova Fronteira/ RJ. (1994)
>>> Harry Potter e a Ordem da Fênix de J. K. Rowling pela Rocco (2003)
>>> História Concisa da Linguística de Barbara Weedwood pela Parábola (2010)
>>> Subsídios para uma Ética Profissional do Magistério (E outros Artigos) / AMAE Educando de Lázaro Frcº da Silva (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> Dramatização): a Abelhinha Abelhuda; Atíria, a Borboleta/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Adap. Profa. Cléa D. Bastos (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> Educação e Psicopatologia: Fatores Familiares e Sócio- Culturais(E outros Artigos) / AMAE Educando de Raimundo José Cabral (ufmg)/ (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> Problemas de Escrita na Escola (disgrafia)/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Doris Anita Freire Costa / (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> Angélica - O Caminho de Versalhes de Anne e Serge Golon pela Círculo do Livro (1983)
>>> A Educação Especial Em Mg: Prevenção e Atendimento/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Maria Blandina de M. Todeschi (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> As Mulheres da Inconfidência (jogral) (...)/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Maria Célia Bueno (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> A Educação Especial Em Mg: Prevenção e Atendimento/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Maria Blandina de M. Todeschi (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> Dramatização): a Abelhinha Abelhuda; Atíria, a Borboleta(E outros Artigos) / AMAE Educando de Adap. Profa. Cléa D. Bastos (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> A Revolução Alemã de Sebastian Haffner pela Expressão Popular (2018)
>>> Material Concreto Em Matemática (E outros Artigos) / AMAE Educando de Catarina I. Santana (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1979)
>>> Monsehor Quixote de Graham Greene pela Record (1982)
>>> Vingança Diabólica de Stephen Gilbert pela Círculo do Livro (1968)
>>> Estrutura agrária e produção de subsistência na agricultura brasileira de José Graziano da Silva coordenador pela Hucitec (1980)
>>> The city: problems o planning de Murray Stewart editted pela Penguin education (1974)
>>> Multiplicação Em Outras Bases(E outros Artigos) / AMAE Educando de Geralda Isa Lima Rodrigues (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Educação - Magia?/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Prof. A. Ferreira de Andrade (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Educação - Magia?/ (E outros Artigos) / AMAE Educando de Prof. A. Ferreira de Andrade (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Matemática): Resolução de Problemas - Modelos de Planos de Aula (E outros Artigos) / AMAE Educando de Lélia Fernandes Cimini (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Tudo Sobre Festa Junina (E outros Artigos) / AMAE Educando de Lélia Fernandes Cimini (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> America Latina: dependencia y subdesarrollo de Antonio Murga Frasinetti y Guillermo Boils seleccion y notas pela Educa (1975)
>>> Centros de Aprendizagem (...) (E outros Artigos) / AMAE Educando de Elza Vidal de Castro (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Pela Expansão do Ensino Pré- Escolar (...) (E outros Artigos) / AMAE Educando de Henrique Furtado Portugal (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> 22 de Agosto: Dia do Folclore (...) (E outros Artigos) / AMAE Educando de Maria do Carmo D Avilla Arreguy Correa... (e outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Subtração Em Outras Bases - Representação no Q. V. L. (E outros Artigos) / AMAE Educando de Irmã Débora Miguel (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1975)
>>> Nossos Recursos Naturais e Como Conserva-los.../ AMAE Educando de Gilda Pazzini Lodi- M. Helena Andrade... pela Inst. de Educação de MG. (1971)
>>> Semana da Inconfidência Mineira (e Outros Artigos)/ AMAE Educando de Stella Maris Fialho (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1971)
>>> Produto Cartesiano (e Outros Artigos)/ AMAE Educando de Profª. Sonia Fiuza da Rocha Castilho (e Outros) pela Inst. de Educação de MG. (1974)
>>> História Geral de Osvaldo Rodrigues de Souza pela Ática (1977)
>>> The Possible Dream de Mathe Gross pela Ballantine Books (1975)
>>> Cours de Français - second volume de Augusto R. Rainha e José A. Gonçalves pela do Brasil (1966)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2000-2009

Terça-feira, 20/4/2010
Shows da década (parte 2)
Diogo Salles

+ de 4600 Acessos

Prosseguindo com a minha saga de shows nos anos 2000, iniciada na coluna anterior, vamos agora entrar na segunda metade da década.

2006 ― Em fevereiro, o U2 desembarcava aqui mais uma vez, para dois shows no Morumbi. Para quem já tinha visto a turnê Pop Mart (1998), essa turnê Vertigo não era menos megalomaníaca e estive lá nas duas noites. A primeira noite, na pista, se tornou o único show da minha vida que não consegui ver absolutamente nada. Com 1,80 metro, sempre consegui ver todos os shows, mas dessa vez tive que me conformar com os telões, pois o palco era ridiculamente baixo. A segunda noite, vendo da numerada, pude aproveitar melhor. Mas o pior de tudo aconteceu antes: o desespero para conseguir ingressos me trouxe alguns questionamentos. Até que ponto vale a pena se sacrificar daquele jeito? Não sei ao certo, pois sempre depende do quanto aquela banda é importante para você. Agora, se o público continuar aceitando esse tratamento ― e comprando os ingressos ― fica tudo muito cômodo para os promotores de espetáculos. Eles economizam com infraestrutura e quem paga o pato é o fã desesperado. Em março, o Santana dava as caras por aqui. Eu, que me lamentara de ter perdido seu show dez anos antes, pude vê-lo na Arena Skol, um lugar um tanto estranho para receber eventos como esse. Quanto ao show, me entediou um pouco o repertório de gosto duvidoso do disco Shaman, mas ver "No one to depend on", "Jingo" e "Black magic woman" foi libertador. No bis, o clássico "Evil ways", uma música que ele não costuma tocar ao vivo, lavou a minha alma. No final do ano, dois shows de classic rock, mas de diferentes épocas: Deep Purple em novembro e The Cult em dezembro. O primeiro eu sempre quis ir, mas como eles vinham ao Brasil todo ano (e continuam vindo), eu sempre deixava para depois. O show foi previsível e, por isso mesmo, bom. Ian Gillan não é o mesmo (aliás, já não era há anos), mas ainda segura a onda, se esquivando das notas mais longínquas e Steve Morse mostrou todo o seu virtuosismo ― destaque para o repertório do clássico Machine head. Já o The Cult era um show que eu não considerava "obrigatório". Fui movido pela curiosidade, pois sempre os achei uma boa banda de rock, mesmo sem conseguir atingir o primeiro escalão. Clássicos não faltaram, como "Fire woman", "Lil' devil" e "She sells sanctuary". Tinha esperança de ver "Edie (Ciao baby)" em versão elétrica, mas não foi dessa vez, e músicas do disco Ceremony fizeram falta, como "Heart of soul" e "Wild hearted son". Billy Duffy, guitarrista e "rifeiro" de mão cheia, agradou pelo peso e pelos solos, mas o vocalista Ian Astbury não conseguia esconder sua decepção, quando achava que o público não agitava como ele queria. Foi a única vez que vi in loco uma certa animosidade entre artista e o público.

2007 ― Logo em março, dois shows: Bryan Adams e Asia. Do primeiro, você pode rir à vontade, porque é meio brega mesmo, principalmente em baladas detestáveis como "Everything I do (I do ir for you)" e "Have you ever really loved a woman". Não era surpresa que as mulheres (em grande número) se refestelavam nessas músicas e os namorados preferiam "Summer of 69" e "Cuts like a knife" (gostei também da "Open road", do disco recente). Bryan Adams é o típico entertainer. Fala com o público, é simpático, tira fotos com todo mundo e sabe comandar bem um show que agrada particularmente aos casais. Já o Asia tinha acabado de voltar com sua formação original e estavam preparando um álbum de estúdio (o ótimo Phoenix). Vi boas performances de clássicos dos dois primeiros álbuns e músicas de outras bandas de seus integrantes: Yes; Buggles; Emerson, Lake & Palmer e King Crimson. Em abril, era a vez do Aerosmith, que eu havia perdido no Hollywood Rock de 1994. A abertura do Velvet Revolver foi bastante prejudicada pelo som, mas não deixou de revelar uma banda de segundo escalão já em vias de se dissolver. O Aerosmith fez o que sempre soube fazer. Steven Tyler e Joe Perry, os "toxic twins", possuem pleno domínio do palco e comandaram o espetáculo com vigor, apesar da idade. O repertório estava recheado de hits, como "Love in an elevator", "Walk this way" e "Sweet emotion". Sempre nutri sentimentos dúbios pelo Aerosmith: quando se propõem a tocar rock, eles são arrasadores. Mas quando resolvem melar a cueca, são incrivelmente chatos e pegajosos. Mesmo assim, souberam equilibrar bem essas duas "faces" no palco. Os saudosistas (como eu) puderam vibrar com "Toys in the attic" e as patricinhas se lambuzaram com "I don't wanna miss a thing". E em dezembro, The Police no Maracanã. Ok, eu já tinha ido ver o Sting, mas The Police é especial ― então fui de novo ao Rio e me comprometi a fazer a pauta para o Jornal da Tarde. Era a primeira resenha que eu faria para um jornal e me senti muito "profissional", mas a verdade é que foi só uma oportunidade que encontrei para mostrar serviço, já que eles não mandariam ninguém ao Rio para cobrir o show.

2008 ― Eu já tinha visto o Whitesnake em 1997, num festival ao lado de Queensryche (outra banda que adoro) e Megadeth. Dessa vez era a turnê do ótimo Good to be bad e apesar do trânsito inacreditável de São Paulo naquele dia, cheguei a tempo de pegar a quarta música e colocar algumas impressões sobre o show (e do disco) aqui mesmo, no Digestivo. No final do ano, o Duran Duran voltava ao Brasil e aproveitei para levar minha namorada ao show, que se revelou mais um ótimo programa para casais. O Duran Duran é realmente uma grande banda pop e se nos últimos anos andaram meio longe dos holofotes, tinham hits de sobra para distribuir no palco, destaque para o clássico "Save a prayer" e para o groove de "Notorious".

2009 ― Nunca tinha ido a um show do Black Sabbath por um único motivo: eu sempre preferi a fase com Ronnie James Dio nos vocais da banda (o que, para muitos, é um sacrilégio). E, para minha felicidade, essa formação veio ao Brasil, sob o nome de Heaven and Hell. Mais uma oportunidade para fazer essa pauta, agora para o "Caderno 2", do Estadão. Em novembro, fui ao Maquinária Festival para ver o Faith No More e gravei um Tungcast com Rafael Fernandes sobre essa noite, que também teve Jane's Addiction (bom) e Deftones (fraco). Ainda em novembro, o AC/DC voltava ao Brasil. Eu tinha ido em 1996 na turnê Ballbreaker, mas o disco Black ice me empolgou demais e, graças à mais um desses truques do destino, pude ver o rock áspero e sem frescuras desses senhores e gravar mais um Tungcast sobre essa experiência. E ainda havia tempo para, em dezembro, ver Glenn Hughes no Carioca Club, uma obscura e minúscula casa de shows (de infraestrutura sofrível) que abriga o circuito pagodeiro da cidade. O setlist foi basicamente composto pelos clássicos dos discos Burn e Stormbringer, da lendária (e, para mim, melhor) formação do Deep Purple, além de algumas músicas da carreira solo. Hughes, também conhecido como "The voice of rock", é uma figura cult na seara classic rock e heavy metal. Por todo o show, desfilou seu exuberante alcance vocal e mostrou toda a sua influência soul-funk. Uma curiosidade: horas antes da apresentação, aproveitei para "cutucar" Glenn Hughes pelo Twitter, questionando se ele tocaria alguma coisa do disco Seventh Star, de sua passagem pelo Black Sabbath. Para minha surpresa, ele respondeu, via Direct Message, o seguinte: "sorry D...I only will play Sabbath with my Brother Iommi... enjoy the show...it will Rock...G". Foi aí que me ocorreu como o Twitter pode ser uma ferramenta poderosa para artistas que estão alheios ao hype atual. Como as coisas estão mais divididas em nichos hoje, o Twitter é um grande canal de aproximação entre o artista e seu público ― e Glenn Hughes sabe usá-lo melhor do que muito artista "da moda".

E, finalmente, em 2010, apesar de não estar exatamente dentro dessa primeira década do milênio, ainda tive tempo de ver o Metallica, agora em janeiro. Nunca fui um grande fã da banda, apesar do respeito que tenho por ela. Eu nem planejava ir, mas, a exemplo do que ocorreu no AC/DC, o destino (afinal, será que isso existe?) colocou um ingresso na minha mão a poucas horas do show. E compareci, claro. O sentimento é bastante diferente quando você vai a um show em que você não compartilha do fanatismo cego da grande maioria. Gostei particularmente das quatro músicas que eles tocaram do Black album, que me levaram de volta ao início dos anos 90, e dos clássicos "One", "Master of puppets" e "Seek & destroy". Só lamentei o fato de não ter nada do ótimo Load no repertório, devido à polêmica que o disco causou pela sonoridade diferente. E é exatamente por isso que eu admiro e respeito o Metallica: eles não têm nenhum medo de arriscar. No fim, isso tudo foi mais um exercício edificante em meus estudos sobre o "fundamentalismo headbanger".

Todos temos aqueles shows que sonhamos em ver algum dia. Alguns desses sonhos não podem mais ser realizados. Se já não posso ver Jimi Hendrix, Stevie Ray Vaughan ou Miles Davis, acredito que eu já tenha ido à maioria dos artistas e bandas (ainda vivos) que admiro. Está certo, em alguns casos não foi possível ver algumas bandas "integralmente". Se não pude ver o Pink Floyd, vi o Roger Waters e se não pude ver o Led Zeppelin, vi o Jimmy Page & Robert Plant (no Hollywood Rock de 1996). Mas mesmo assim sempre ficam faltando alguns. Ainda quero ver minhas bandas grunge favoritas, Alice in Chains e Soundgarden. Gostaria de ver Pat Metheny (o guitarrista mais imprevisível e fora dos padrões que tenho notícia) e quero ver as novas superbandas Chickenfoot e Them Crooked Vultures... Mas, sobretudo, eu preciso ver o Van Halen. Enfim, essa foi a minha saga de shows da década. Mas, como vê, minha cruzada ainda não terminou. E espero que nessa década 2010-2020 eu possa completá-la.

Nota do Editor
Leia também "Shows da década (parte 1)".


Diogo Salles
São Paulo, 20/4/2010


Mais Diogo Salles
Mais Acessadas de Diogo Salles em 2010
01. Eric Clapton ― envelhecendo como um bluesman - 9/2/2010
02. Arte e liberdade - 23/7/2010
03. O filme do Lula e os dois lados da arquibancada - 19/1/2010
04. Shows da década (parte 1) - 16/3/2010
05. Shows da década (parte 2) - 20/4/2010


Mais Especial Melhores de 2000-2009
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FÁBULAS PIXEL: 1001 NOITES - PARTE 1 DE 3
BILL WILLINGHAM /CHARLES VESS JOHN BOLTON
PIXEL
(2007)
R$ 13,00



"EM PRATOS LIMPOS": UMA ANÁLISE SOBRE O TRABALHO DOMÉSTICO REMUNERADO
WILLIANS ALEXANDRE BUESSO SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



CRÍTICA DA ESTRUTURA DA ESCOLA
VITOR HENRIQUE PARO
CORTEZ
(2011)
R$ 35,00



O QUE ACONTECE QUANDO DEUS RESPONDE AS ORACOES
EVELYN CHRISTENSON
MUNDO CRISTAO
(2003)
R$ 13,00



BEIRA MAR MEMÓRIAS 4
PEDRO NAVA
NOVA FRONTEIRA
(1985)
R$ 12,00



DETONE! - A DIETA REVOLUCIONÁRIA QUE VAI LIVRAR VOCÊ DOS QUILOS EXTRAS
IAN K. SMITH
FONTANAR RIO DE JANEIRO
(2013)
R$ 13,00



REABSORÇÕES DENTÁRIAS ASSOCIADAS À MOVIMENTAÇÕES ORTODÔNTICAS
ANDRIA VICENTE MAGRI UND MARCELO LUCAS G. DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 279,00



O FIM DO PESADELO
CAREN ADAMS, JENNIFER FAY
SUMMUS
(2000)
R$ 39,00



A CASA DE PRAIA DAS SEXTAS FEIRAS
ALBERTO MORAVIA
BERTRAND BRASIL
(1993)
R$ 10,00



CONSCIÊNCIA CORPORAL
RICHARD SHUSTERMAN
É REALIZAÇÕES
(2018)
R$ 54,90





busca | avançada
28172 visitas/dia
922 mil/mês