Oversharing: que negócio é esse? | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
59013 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Festival Brincando na Praça acontece em versão online com atrações para toda a família
>>> IED lança blogs sobre Design
>>> SENTENÇA DISCUTE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER E TRAZ CRÍTICA AO SISTEMA LEGAL BRASILEIRO
>>> Universidades públicas apresentam lições aprendidas com as crises
>>> Mega evento de preparação ao ENEM reúne personalidades e conteúdo exclusivo ao público jovem
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Coisa mais bonita é São Paulo...
>>> Cuba e O Direito de Amar (1)
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Toma Vacilão: clip de Natasha Sahar no YouTube
>>> Startup lança projeto para retorno às aulas
>>> Os Doidivanas chegam às plataformas de podcasts
>>> Saudade do amanhã
>>> Cata-lata
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Roots, bloody roots
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Escritor: jovem, bonito, simpático...
>>> O iPad, da Apple e de Steve Jobs
>>> Poesia para os ouvidos e futebol de perebas
>>> Hell’s Angels
>>> Desfile de homens ocos
>>> Na casa do mouro
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Mais Recentes
>>> Senhor das Moscas de William Golding pela Alfaguara (2014)
>>> Guia Politicamente Incorreto da História do Mundo de Leandro Narloch pela Leya (2013)
>>> Guia Politicamente Incorreto da História do Mundo de Leandro Narloch pela Leya (2013)
>>> Dez Mulheres de Marcela Serrano pela Alfaguara (2012)
>>> Quem Tem Medo de Escuro ? de Sidney Sheldon pela Record (2005)
>>> Manual de Direito das Famílias de Maria Berenice Dias pela Revista dos Tribunais (2015)
>>> O infame comércio de Jaime Rodrigues pela Unicamp (2000)
>>> O Clube do Livro do Fim da Vida de Will Schwalbe pela Objetiva (2013)
>>> O Amigo de Infância de Donna Tartt pela Companhia das Letras (2004)
>>> Antologia dos Santos padres de C. Folch Gomes pela Paulinas (1979)
>>> Mentiras no divã de Irvin D. Yalom pela Ediouuro (2006)
>>> Construção da nação e escravidão no pensamento de José Bonifácio de Ana Rosa Cloclet da Silva pela Unicap (1999)
>>> As Forças do Bem de Diamantino Coelho Fernandes pela Freitas Bastos (1979)
>>> Francisco Félix de Souza: mercador de escravos de Alberto da Costa e Silva pela Nova Fronteira (2004)
>>> Francisco Félix de Souza: mercador de escravos de Alberto da Costa e Silva pela Nova Fronteira (2004)
>>> Bravo! 90 - Março 2005 - Zé Celso e o Teatro de Michel Laub pela Abril (2005)
>>> As muitas mães de Ariel de Mirna Pinsky pela Melhoramentos
>>> Bravo! 108 - Agosto 2006 - Jorge Amado de Ricardo Lombardi pela Abril (2006)
>>> Um Passeio pelo Tempo Machadiano - Suplemento Pedagógico de Adriane Gomes Farah e Outros pela Rovelle (2009)
>>> As 16 Leis do Sucesso de Napoleon Hill pela Faro Editorial (2017)
>>> O Segredo do Meu Marido de Liane Moriarty pela Intrínseca (2014)
>>> Bravo! 95 - Agosto 2005 - Cinema: os Brasileiros no Exterior de Almir de Freitas pela Abril (2005)
>>> O milagre da manhã para se tornar um milionário de Hal Elrod pela Best Seller (2019)
>>> O símbolo perdido de Dan Brown pela Arqueiro (2009)
>>> As 5 Habilidades Essenciais do Relacionamento de Dale Carnegie pela Companhia Nacional (2012)
>>> Uma breve história do Universo de Ken Wilber pela Nova Era (2006)
>>> História 2° Ano Ensino Fundamental de Cândido Domingues Grangeiro pela Cereja (2014)
>>> Oye orixa - umbanda e a síntese dos princípios do Branco de Rafael Alves; Marcelo Costa Nunes pela Casa Das Musas (2009)
>>> De costa a costa de Jaime rodrigues pela Companhia das letras (2005)
>>> Dicionário de teatro de Patrice Pavis pela Perspectiva (2005)
>>> Historia da África: Anterior aos descobrimentos de Mário Curtis Giordani pela Vozes (2007)
>>> O Papel do Corpo no Corpo do Ator de Sônia Machado De Azevedo pela Perspectiva (2008)
>>> Longe é Um Lugar Que Não Existe de Richard Bach pela Record (1979)
>>> Muita Alma Nessa Hora - Lições para Empreender com Propósito de Kiko Kislansky pela Voo (2018)
>>> Etnologia africana de Eduardo dos Santos pela J. Castelo Branco, Lisboa (1969)
>>> Decifre e Influencie Pessoas de Paulo Vieira + Deibson Silva pela Gente (2018)
>>> Bravo! 105 - Maio 2006 - Degas de Ricardo Lombardi pela Abril (2006)
>>> Que mundo? que homem? que Deus? de Juan Luis Segundo pela Paulinas (1995)
>>> Consciéncia -Volume 8 -/2p de instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo pela Lilacl (2000)
>>> Amor Com Amor Se Paga: a nova moeda no mundo do trabalho de Dulce Ribeiro pela Doravante (2005)
>>> As origens cristãs a partir da mulher: uma nova hermenêutica de Elisabeth S. Fiorenza pela Paulinas (1992)
>>> Fama, fortuna e ambição de Osho pela Academia (2012)
>>> Mistérios Ocultos de Joshua David Stone pela Pensamento (1995)
>>> Como Fazer : Guia Pratico de Tecnicas ,projetos e Ideias para o Lar -Vol3 = de Jorge Adib pela Rio Grafica (2000)
>>> Luta por um mundo Melhor de Robert F. Kennedy+ Álvaro Cabral pela Biblioteca do Exercito (1968)
>>> Luta por um mundo Melhor de Robert F. Kennedy+ Álvaro Cabral pela Biblioteca do Exercito (2020)
>>> A hora da estrela de Clarice Lispector pela Rocco (1998)
>>> Encontro: Fragmentos Autobiográficos de Martin Buber pela Vozes (1991)
>>> Triste fim de Policarpo Quaresma de Lima Barreto pela Penguin (2020)
>>> O livro da sabedoria de Pe. Mário de Oliveira pela Edium editores (2020)
COLUNAS

Quinta-feira, 24/6/2010
Oversharing: que negócio é esse?
Vicente Escudero

+ de 16800 Acessos


GRETA GARBO: Eu quero ficar sozinha, Mark...
MARK: Só se for comigo.

Redes sociais exploram uma atividade econômica de interesse público e devem ser tratadas com o mesmo rigor legal dispensado a outras empresas que armazenam bancos de dados de informações privadas. Se o criador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, não foi informado disso, ou acredita que quinhentos milhões de pessoas não se importam em ter as informações de seus perfis compartilhadas com outros sites, é melhor abrir rapidamente o capital da empresa na bolsa de valores e pedir para os investidores começarem a assinar os cheques das indenizações de cada uma das class actions que vêm por aí.

A maioria das redes sociais nasceu com o propósito banal de permitir a seus membros que dividissem algumas informações, fotos e mensagens com amigos, sem se preocupar em compartilhá-las com outros sites ou terceiros.

Participar delas é uma escolha individual, naturalmente.

E isso tem uma razão bem simples: não são todos que querem ter suas informações divulgadas abertamente, permitindo a devassa diária da privacidade, seja por um amigo, um desocupado mal-intencionado ou um estelionatário pronto para aplicar algum golpe.

Depois de alguns anos, elas se multiplicaram. Todas as pessoas que você conhece criaram um perfil. Algumas redes cresceram valorizando a fidelidade de seus membros, respeitando os limites legais (Orkut), outras desapareceram no meio do caminho (ConnectU) e apenas uma delas quer ditar as regras do jogo, ser a dona da bola, do campo e, acredite ou não, dos jogadores: Facebook.

Foram seis anos estendendo seus tentáculos por todo o território dos Estados Unidos. Hoje, a maior rede social do mundo já fechou contratos com mais de quinhentos milhões de pessoas no mundo todo para armazenar suas informações. E mudou, constantemente, os termos de cada um deles.

As configurações dos perfis de seus membros, nos primórdios do Facebook, eram limitadas à máxima publicidade interna da pesquisa no próprio site. Hoje, o perfil padrão compartilha com toda a internet o nome do membro, seus posts, fotos, rede de amigos e indicações de sites, restando de fora desta publicidade plena apenas as informações de contato e a data de aniversário. Toda esta transformação ocorreu sob os olhares desconfiados de uma pequena parte dos usuários nestes últimos seis anos, culminando na enxurrada de críticas do início deste ano.

Pior do que não resolver estes abusos foi a forma como as alterações foram apresentadas por Zuckerberg. Nas palavras do sujeito que entregava cartões de negócios supostamente contendo a singela frase "I'm CEO... bitch!", as alterações nos perfis dos usuários realizadas unilateralmente pelo site representam uma nova forma de navegar na web e dividir as informações com o público. Um observador atento, conhecedor de todas as alterações ao longo do tempo nos padrões de compartilhamento das informações dos perfis, poderia identificar no discurso revolucionário a hipocrisia de quem alterou a rota do barco antes mesmo de sair do porto, sem avisar a tripulação. O discurso oficial do Facebook tem sido uma mistura de eufemismos e boas intenções que tentam esconder o desejo não de dominar a internet, mas de ser a internet. Hoje você utiliza seu navegador e compra alguns livros na Amazon. Daqui a alguns anos, você vai se conectar ao Facebook para comprar alguns livros no aplicativo que roda no site, customizado de acordo com suas informações pessoais e com o conteúdo escolhido por alguém do Facebook.

Censores? Entre os meses de abril e maio de 2009, as mensagens particulares enviadas através do site, que continham links do PirateBay foram bloqueadas sem nenhuma explicação. Ao contrário das contas de e-mail comuns, em que os arquivos são analisados em busca de vírus e os spams são separados em uma caixa específica, o sistema do Facebook impedia o envio das mensagens e informava ao remetente que não havia sido possível entregá-la pela identificação de conteúdo abusivo. Alguns analistas levantaram a hipótese de que o site estaria infringindo a lei sobre escutas telefônicas e de dados ao analisar o conteúdo das mensagens, alegando ainda que a medida também seria abusiva pois os arquivos do sistema de torrents não são produto de pirataria ou ilegais em sua totalidade.

Os efeitos destes atos praticados pelo Facebook estão ligados diretamente ao fenômeno do oversharing, a exposição de informações em excesso na internet. No caso das redes sociais, uma exposição sem considerar os limites da privacidade e os problemas decorrentes de sua violação. Enquanto a maioria das pessoas não sofre suas consequências nefastas, a publicidade total de conversas, fotos e informações pessoais parece não ser um problema. Mas quando se olha para o oriente, especificamente para a China, onde milhares de funcionários do governo estão vasculhando diariamente a internet para vigiar o comportamento dos cidadãos, especificamente sobre suas opiniões políticas, não é confiável permitir que um terceiro disponibilize publicamente, sem aviso prévio, todas as opiniões de chineses sobre a democracia e o mal que faz a sua falta.

O Facebook é uma boa rede social pelas pessoas que a integram e não pela forma desorganizada que é administrada. Mark Zuckerberg e seu alto escalão não imaginam as consequências judiciais que podem sofrer com essa escalada de rompantes autoritários na direção da empresa, durante todos esses anos. Assim como as informações públicas dos usuários do Facebook, todas as decisões tomadas pelo Facebook são analisadas por toda a internet, ainda que o CEO e sua equipe pareçam acreditar no contrário, como no caso da doação feita por Zuckerberg à candidata declarada a concorrente do Facebook, a startup Diáspora.

Vale ressaltar que todas as mudanças nos padrões de publicidade das informações dos usuários do Facebook, até hoje, sempre foram defendidas em discursos maçantes pelo CEO, com o mesmo argumento vazio de que havia chegado a hora de mudar a forma de compartilhar as informações na internet, diminuindo a privacidade ao mínimo. Mas duas perguntas nunca foram respondidas por Zuckerberg: por que as pessoas precisam de menos privacidade e qual a vantagem desta mudança para a sociedade.

Alguém precisa informar Zuckerberg e sua trupe que o oversharing de decisões atabalhoadas e as constantes violações da privacidade dos usuários do Facebook vão tornar os passados irreversíveis e os futuros imutáveis. Para aqueles que utilizam o Facebook e para seus criadores...


Vicente Escudero
Campinas, 24/6/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Uma livrada na cara de Guilherme Carvalhal
02. Morrer, na literatura de Marta Barcellos
03. É Tabu, Ninguém Quer Saber de Marilia Mota Silva
04. Brasil em novo tempo de cinema de Humberto Pereira da Silva
05. O Corno em Série de David Butter


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2010
01. Oversharing: que negócio é esse? - 24/6/2010
02. Colocando o preto no branco das câmeras digitais - 12/8/2010
03. WikiLeaks, o melhor de 2010 - 9/12/2010
04. Ausência do mal? - 15/4/2010
05. Cultura do livro digital? - 11/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PARA MINHA ASSISTENTE COISAS QUE EU NUNCA FAREI PARA VOÇÊ
LYDIA WHITLOCK
PLANETA
(2014)
R$ 9,90



EU MEREÇO TER DINHEIRO!
REINALDO DOMINGOS
DSOP
(2013)
R$ 9,90



MACHADO DE ASSIS, PERSONAGENS E DESTINOS
ANTENOR SALZER RODRIGUES
BOM TEXTO
(2008)
R$ 24,90



ENCONTRO MARCADO
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
FEB
(1992)
R$ 5,00



PRETÉRITO QUASE PERFEITO
RONALD GUIMARÃES
RHJ
(2004)
R$ 9,90



POLÍTICA EDUCATIVA COMO TECNOLOGIA SOCIAL, AS REFORMAS DO ENSINO
SÉRGIO GRÁCIO
LIVROS HORIZONTE
(1986)
R$ 31,88



O MAL NO PENSAMENTO MODERNO - UMA HISTÓRIA ALTERNATIVA DA FILOSOFIA
SUSAN NEIMAN
DIFEL
(2003)
R$ 100,00



AO CORRER DA PENA
JOSE DE ALENCAR
MELHORAMENTOS
R$ 6,90



A DANÇA DA SERPENTE
SEBASTIÃO MARTINS

(1990)
R$ 8,00



CURSO DE INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DO DIREITO
PAULINO JACQUES
FORENSE
(1971)
R$ 22,50





busca | avançada
59013 visitas/dia
2,0 milhão/mês