Meu Marido, de Livia Garcia-Roza | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
30052 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> Comédia dirigida por Darson Ribeiro, Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Companhia de Danças de Diadema leva projeto de dança a crianças de escolas públicas da cidade
>>> Cia. de Teatro Heliópolis encerra temporada da montagem (IN)JUSTIÇA no dia 19 de maio
>>> Um passeio imersivo pelos sebos, livrarias e cafés históricos do Rio de Janeiro
>>> Gaitista Jefferson Gonçalves se apresenta em quinteto de blues no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
Colunistas
Últimos Posts
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
Últimos Posts
>>> Virtuosismo
>>> Evanescência
>>> Um Certo Olhar de Cinema
>>> PROCURA-SE
>>> Terras da minha terra
>>> A bola da vez
>>> Osmose vital
>>> Direções da véspera V
>>> Sem palavras
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Gryphus Editora
>>> Cidades do Algarve
>>> Aos aspirantes a escritor
>>> Para quem acha que conhece de tudo na vida
>>> Música é coração, computadores, não?
>>> Lecto-escritura esquizofrénica
>>> Quase uma despedida
>>> Caí na besteira de ler Nietzsche
>>> Journey
>>> Davi, de Michelangelo: o corpo como Ideia
Mais Recentes
>>> Sacrament of Sexuality - The Spirituality and Psychology of Sex de Morton T. Kelsey, Barbara Kelsey pela Element Books (1991)
>>> Perry Rhodan de Kurt Mahr pela Edições de Ouro (1976)
>>> Perry Rhodan #12 - O Segredo do Cofre de Tempo de Clark Darlton pela Ediouro (1976)
>>> Novo Lobo Solitário - Volume 02 de Kazuo Koike pela Panini (2017)
>>> Odalisca: Dançando com o Diabo numa noite de lua cheia de Yuri Belov pela Novo Século (2015)
>>> Gantz - Volume 18 de Hiroya Oku pela Panini (2009)
>>> Os Mortos - Vivos - Volume 02 de Robert Kirkman pela Hqm (2006)
>>> Os Mortos - Vivos - Volume 01 de Robert Kirkman pela Hqm (2006)
>>> Cânticos de Amor ao Amado de ly Vieitez Lanes pela Mania de Livros (1996)
>>> The Occult Fiction of Dion Fortune de Gareth Knight pela Thoth Publications (2008)
>>> Campeões do Mundo de Dias Gomes pela Bertrand Brasil (2015)
>>> Camille Claudel - Auguste Rodin: La Passion à Quatre Mains de Bernard Lehembre pela Acropole (1999)
>>> Traição em Londres de Len Deighton pela Best Seller (1989)
>>> Brujería y reconstrucción de identidades entre los Africanos y sus descendientes en la Nueva Granada, Siglo XVII de Luz Adriana Maya Restrepo pela Imprenta Nacional de Colombia (2005)
>>> Radiestesia Clássica e Cabalística de António Rodrigues pela Fábrica de Letras (2000)
>>> Ancient Astrology de Tamysn Barton pela Routledge (1994)
>>> Justine de Lawrwncw Durrel pela Verbo (1972)
>>> A Varanda do Frangipani de Mia Couto pela Cia. das Letras (2016)
>>> Sete Novelas Fantásticas de Isak Dinesen pela Civilização Brasileira (1979)
>>> Gnosticismo - uma Nova Interpretação da Tradição Oculta de Stephan A. Hoeller pela Nova Era (2005)
>>> Às portas da revolução: Escritos de Lenin de 1917 de Slavoj Zizek pela Boitempo (2005)
>>> Arte e Sociedade - Escritos estéticos (1932 - 1967) de György Lukács pela Ufrj (2009)
>>> Um Hino de Natal de Charles Dickens - Tradução de Cecília Meirelles pela Reade's Digest
>>> Qabalah, Tarot & the Western Mystery Tradition - the 22 Connecting Path on the Tree of Life de Clifford Bias (sobre Cabala) pela Samuel Weiser (1997)
>>> A Representação Feminina na Obra de Virginia Woolf: Um Diálogo Entre o Projeto Político e o Estético de Maria A. de Oliveira pela Paco Editorial (2017)
>>> A Queda de Albert Camus pela Best Bolso (2007)
>>> Sublime Obessão de Lloyde C. Douglas pela Record (1980)
>>> A Política e as Letras - Entrevistas da New Left Review de Raymond Williams pela Unesp (2013)
>>> A Suspeita de Friedrich Durrenmatt pela Círculo do Livro (1975)
>>> A Suspeita de Friedrich Durrenmatt pela Círculo do Livro (1975)
>>> A década de 50: Populismo e metas desenvolvimentistas no Brasil de Marly Rodrigues pela Ática (1996)
>>> Vontade de Viver - A Bicicleta Azul vol. 2 de Régine Deforges pela Best Seller (1985)
>>> Vontade de Viver - A Bicicleta Azul vol. 2 de Régine Deforges pela Best Seller (1985)
>>> O Vôo Imperial 109 de Richard Doyle pela Record (1977)
>>> Superman #18 (Universo DC Renascimento) de Patrick Gleason, Peter J. Tomasi, Jaime Mendoza, Doug Mahnke pela Panini (2018)
>>> Os Conspiradores (Coleção Saraiva) de Barbey D'Aurevilly pela Saraiva (1950)
>>> Genshiken - Volume 02 de Kio Shimoku pela Jbc (2013)
>>> O Amante de Marguerite Duras pela Record (1995)
>>> A Questão Agrária no Brasil. O Debate na Década de 1990 - volume 6 de João Pedro Stédile (org) pela Expressão Popular (2013)
>>> Genshiken - Volume 01 de Kio Shimoku pela Jbc (2013)
>>> A Questão Agrária no Brasil. História e Natureza das Ligas Camponesas: 1954-1964 - volume 4 de João Pedro Stédile (org) pela Expressão Popular (2012)
>>> David Copperfield 2 vols. de Charfles Dickens pela Cered/Objetivo (1997)
>>> A Questão Agrária no Brasil. Programas de Reforma Agrária: 1946-2003 - volume 3 de João Pedro Stédile (org) pela Expressão Popular (2012)
>>> Aço e Arquitetura: Estudo de Edificações no Brasil de Luís Andrade de Mattos Dias pela Zigurate (2019)
>>> Innocent - Volume 5 de Shinichi Sakamoto pela Panini (2018)
>>> Ich Schenk dir cine Geschichte de wlttag des Buches pela Omnibus (2007)
>>> A Questão Agrária no Brasil. O debate tradicional: 1500-1960 - volume 1 de João Pedro Stédile (org) pela Expressão Popular (2011)
>>> Conspiração Violenta de Peter Driscoll pela Record (1972)
>>> Marcos Acayaba de Hugo Segawa, Julio Katinsky e Guilherme Wisnik pela Cosac Naify (2007)
>>> Gênios da Pintura Nº 64: Caravaggio/ (1ª Ed. sem Grampo)/ a Maior Coleção de Arte do Mundo de Pietro Maria Bardi: Supervisão pela Abril (1968)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/6/2010
Meu Marido, de Livia Garcia-Roza
Ricardo de Mattos

+ de 7000 Acessos

"Mas o que é a literatura, senão uma manipulação melancólica ou feliz da realidade?" (Georges Picard)

A escritora e psicanalista carioca Livia Garcia-Roza, autora de Quarto de Menina, Meus queridos estranhos e A cara da mãe, entre diversos outros livros, já foi festejada pelo Digestivo Cultural em textos de outros anos. A leitura de Meu Marido (Record, 2006, 188 págs.), romance de 2006, faz-nos engrossar o coro dos que se entusiasmaram com sua obra. Este romance parece mais uma banal história acerca das vicissitudes de uma dona de casa e seu marido, mas o fácil é uma colcha que encobre dramas familiares e existenciais de causas remotas, expressão presente e manutenção futura.

À moda do seriado norte-americano, podemos dizer que o romance é composto por dois personagens e meio: Belmira (Bela), seu marido Eduardo e Raphael, filho do casal. Bela é a moça oriunda do interior mineiro que se casa com um jovem delegado carioca e vai morar com ele no Rio de Janeiro. Como algumas pessoas de nosso conhecimento, por mais "avançadas" que sejam para o seu meio social, acabam retraídas quando alocadas em ambiente mais amplo. Professora de inglês numa escola de línguas, seu maior feito foi a maternidade. Em primeiro plano, vive para o filho e o marido, nesta sequência, e depois para si. Num dos capítulos do já comentado livro Uma noite no Majestic, Davenport-Hines detém-se na discussão acerca do "material humano" utilizado por Marcel Proust na definição de seus personagens. Cada personagem correspondia a uma pessoa da sociedade parisiense, como afirmavam desde os críticos até os colunistas sociais, ou cada personagem era a reunião de caracteres disseminados em diversos indivíduos, como insistia o escritor em sua defesa? Neste romance de Garcia-Roza, temos para nós que muitas "Belas" compuseram uma só, tal a frequência com que certos comportamentos repetem-se.

O mesmo pode-se dizer sobre o delegado Eduardo Durand. Não se pode dizer que suas questões pessoais em relação ao seu pai, em relação a sua família bem como à de sua mulher, e mesmo de sua paternidade foram mal resolvidas, pois sequer foram identificadas. Ele vive a agonia constante de quem ou sofre e quer esquecer, ou sofre ignorando a própria dor, sendo o alcoolismo e o uso de drogas apenas a tentativa de fuga mais óbvia. Óbvia e paralela ao alvoroço constante de sua vida, pois seu histrionismo parece denunciar alguém que prevê o futuro, quer modificá-lo, mas nem imagina como. Também acreditamos que muitos Eduardos reais formaram o personagem, visto o repertório de situações criadas por ele para conquistar o filho e a quantidade de hábitos antipáticos que mantém. No fundo, é um carente, mas um carente chato e agressivo.

Brás Cubas não transmitiu a nenhuma criatura o legado de nossa miséria. Eduardo fez questão de garantir o legado para seu filho Raphael, uma daquelas crianças que fariam a alegria de Charles Dickens.

Chama a atenção a narrativa em primeira pessoa feita por Bela. Ignoramos a intenção inicial de Garcia-Roza, mas parece autoanálise mediante o uso da escrita que algumas pessoas fazem com ou sem validação científica. Caso não queiram expor-se através da fala, escrevem. "Por que escrevo?", perguntou-se o escritor português Vergílio Ferreira (1916-1996). Dos motivos apresentados, dois afinam-se com o relato de Bela. O primeiro é a criação de um espaço entre a necessidade, a opressão, a dificuldade e o excesso. Tantas coisas sobrecarregam o indivíduo e tolhem-lhos movimentos que é preciso afastar o entulho para posicionar-se e tentar restaurar o equilíbrio, antes de cair, ser encoberto e perder a identidade. Identidade que Bela já não tinha muita, pois só na metade final do livro descobrimos sua idade. O segundo motivo apresentado por Vergílio Ferreira ― "...(escrevo) para evocar e fixar o percurso que realizei, as terras, gentes e tudo o que vivi e que só na escrita eu posso reconhecer, por nela recuperarem a sua essencialidade, a sua verdade emotiva, que é a primeira e a última que nos liga ao mundo" ― liga-se ao passado para preparar o futuro. Fazendo o balanço das situações vividas, e da forma como foram vividas, o indivíduo pode contar com um apoio valioso para sua conduta futura.

Evidente que se pisa aqui em terreno traiçoeiro. Dependendo da clareza com que Bela enxergou os fatos, seu discurso pode adotar rumos diversos. Marcel Proust asseverou que "uma verdade claramente compreendida não pode ser escrita com sinceridade", alertando a respeito do comprometimento do conteúdo da narrativa e contestando frontalmente Francis Bacon, para quem "a leitura traz ao homem plenitude, o discurso segurança e a escrita exatidão". Pouca coisa é mais inexata que o ser humano. Revendo o imutável, assumimos nossos erros e ajustamos a conduta futura ou viramos justiceiros e saímos em busca dos causadores de nossos males. Si o título do romance é Meu marido, fica fácil descobrir qual a opção da personagem narradora. Quando frequentávamos a missa católica, rimos ao ouvir um padre anunciando: "Semana que vem haverá confissão. Quem for se confessar, faça o favor de só contar os próprios pecados". Muitos psicólogos e psicanalistas devem conhecer profundamente a família do paciente antes de conhecer o próprio paciente.

Como quase fomos apedrejados por revelar o final do romance Equador, do português Miguel Sousa Tavares ― foi necessária proteção policial ―, limitamo-nos agora a uma distinção. O texto termina com intervenção externa. A história ainda desenrola-se, tanto na família de Bela, quanto em diversas casas pelo mundo.

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 7/6/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Arte Brasileira Hoje: um arquipélago de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2010
01. Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim - 30/8/2010
02. O cérebro espiritual, de Mario Beauregard - 27/12/2010
03. Confissões do homem invisível, de Alexandre Plosk - 15/11/2010
04. Meu Marido, de Livia Garcia-Roza - 7/6/2010
05. Duas escritoras contemporâneas - 26/7/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROGRAMA SEMEANDO: OS SEGREDOS DAS ÁGUAS
ELIANA SANT ANNA E MARLI SALES
SENAR E FAEMG
(2006)
R$ 4,00



GRIMÓRIO DO PAPA HONÓRIO- OS MISTERIOSOS SEGREDOS OCULTOS DO PAPA HONÓ
PAPA HONÓRIO
CIÊNCIAS OCULTAS
R$ 480,00



DICIONÁRIO DOS SONHOS (5445)
LADY S. ROBINSON E TOM CORBETT
CÍRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 14,00



TOM JONES
HENRY FIELDING
SUZANO
(2002)
R$ 12,00



FILOSOFIA - VOLUME UNICO
CELITO MEIER
ESFERA
(2016)
R$ 130,00



UM SHOW EM JERUSÁLEM - O REI NA TERRA SANTA
LÉA PENTEADO
GLOBO
(2011)
R$ 21,82



A EMPRESA CONTEMPORÂNEA E SUAS NECESSIDADES
MARINA PALHARINI UND MARIA BARRETO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



ESTUDO DE ROUBANDO O FOGO DOS CÉUS DE STEPHEN MACE
TESLA DI MURBOX
TESLA DI MURBOX
R$ 47,00



OPERAÇÃO RHINEMANN
ROBERT LUDLUM
RECORD
(1974)
R$ 8,10



O PÚBLICO, O PRIVADO E O ENSINO FLUMINENSE (1954-1970)
PABLO SILVA MACHADO BISPO DOS SANTOS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 447,00





busca | avançada
30052 visitas/dia
922 mil/mês