Meu Marido, de Livia Garcia-Roza | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
Mais Recentes
>>> Corpo de delito de Patricia Cornwell pela Paralela (2000)
>>> A Arte da guerra de Sun Tzu pela Pé da letra (2016)
>>> O fio do bisturi de Tess Gerritsen pela Harper Collins (2016)
>>> A garota dinamarquesa de Davdid Ebershoff pela Fabrica 231 (2000)
>>> Uma auto biografia de Rita Lee pela Globo livros (2016)
>>> Songbook Caetano Veloso Volume 2 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> A Sentinela de Lya Luft pela Record (2005)
>>> O teorema Katherine de John Green pela Intriseca (2006)
>>> Louco por viver de Roberto Shiyashiki pela Gente (2015)
>>> A ilha dos dissidentes de Barbara Morais pela Gutemberg (2013)
>>> Sentido e intertextualidade de Emanuel Cardoso Silva pela Unimarco (1997)
>>> Mistérios do Coração de Roberto Shinyashiki pela Gente (1990)
>>> Interrelacionamento das Ciências da Linguagem de Monica Rector Toledo Silva pela Edições Gernasa (1974)
>>> Sociologia e Desenvolvimento de Costa Pinto pela Civilização Brasileira (1963)
>>> O Coronel Chabert e Um Caso Tenebroso de Honoré de Balzac pela Otto Pierre Editores (1978)
>>> O golpe de 68 no Peru: Do caudilhismo ao nacionalismo? de Major Victor Villanueva pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/6/2010
Meu Marido, de Livia Garcia-Roza
Ricardo de Mattos

+ de 7200 Acessos

"Mas o que é a literatura, senão uma manipulação melancólica ou feliz da realidade?" (Georges Picard)

A escritora e psicanalista carioca Livia Garcia-Roza, autora de Quarto de Menina, Meus queridos estranhos e A cara da mãe, entre diversos outros livros, já foi festejada pelo Digestivo Cultural em textos de outros anos. A leitura de Meu Marido (Record, 2006, 188 págs.), romance de 2006, faz-nos engrossar o coro dos que se entusiasmaram com sua obra. Este romance parece mais uma banal história acerca das vicissitudes de uma dona de casa e seu marido, mas o fácil é uma colcha que encobre dramas familiares e existenciais de causas remotas, expressão presente e manutenção futura.

À moda do seriado norte-americano, podemos dizer que o romance é composto por dois personagens e meio: Belmira (Bela), seu marido Eduardo e Raphael, filho do casal. Bela é a moça oriunda do interior mineiro que se casa com um jovem delegado carioca e vai morar com ele no Rio de Janeiro. Como algumas pessoas de nosso conhecimento, por mais "avançadas" que sejam para o seu meio social, acabam retraídas quando alocadas em ambiente mais amplo. Professora de inglês numa escola de línguas, seu maior feito foi a maternidade. Em primeiro plano, vive para o filho e o marido, nesta sequência, e depois para si. Num dos capítulos do já comentado livro Uma noite no Majestic, Davenport-Hines detém-se na discussão acerca do "material humano" utilizado por Marcel Proust na definição de seus personagens. Cada personagem correspondia a uma pessoa da sociedade parisiense, como afirmavam desde os críticos até os colunistas sociais, ou cada personagem era a reunião de caracteres disseminados em diversos indivíduos, como insistia o escritor em sua defesa? Neste romance de Garcia-Roza, temos para nós que muitas "Belas" compuseram uma só, tal a frequência com que certos comportamentos repetem-se.

O mesmo pode-se dizer sobre o delegado Eduardo Durand. Não se pode dizer que suas questões pessoais em relação ao seu pai, em relação a sua família bem como à de sua mulher, e mesmo de sua paternidade foram mal resolvidas, pois sequer foram identificadas. Ele vive a agonia constante de quem ou sofre e quer esquecer, ou sofre ignorando a própria dor, sendo o alcoolismo e o uso de drogas apenas a tentativa de fuga mais óbvia. Óbvia e paralela ao alvoroço constante de sua vida, pois seu histrionismo parece denunciar alguém que prevê o futuro, quer modificá-lo, mas nem imagina como. Também acreditamos que muitos Eduardos reais formaram o personagem, visto o repertório de situações criadas por ele para conquistar o filho e a quantidade de hábitos antipáticos que mantém. No fundo, é um carente, mas um carente chato e agressivo.

Brás Cubas não transmitiu a nenhuma criatura o legado de nossa miséria. Eduardo fez questão de garantir o legado para seu filho Raphael, uma daquelas crianças que fariam a alegria de Charles Dickens.

Chama a atenção a narrativa em primeira pessoa feita por Bela. Ignoramos a intenção inicial de Garcia-Roza, mas parece autoanálise mediante o uso da escrita que algumas pessoas fazem com ou sem validação científica. Caso não queiram expor-se através da fala, escrevem. "Por que escrevo?", perguntou-se o escritor português Vergílio Ferreira (1916-1996). Dos motivos apresentados, dois afinam-se com o relato de Bela. O primeiro é a criação de um espaço entre a necessidade, a opressão, a dificuldade e o excesso. Tantas coisas sobrecarregam o indivíduo e tolhem-lhos movimentos que é preciso afastar o entulho para posicionar-se e tentar restaurar o equilíbrio, antes de cair, ser encoberto e perder a identidade. Identidade que Bela já não tinha muita, pois só na metade final do livro descobrimos sua idade. O segundo motivo apresentado por Vergílio Ferreira ― "...(escrevo) para evocar e fixar o percurso que realizei, as terras, gentes e tudo o que vivi e que só na escrita eu posso reconhecer, por nela recuperarem a sua essencialidade, a sua verdade emotiva, que é a primeira e a última que nos liga ao mundo" ― liga-se ao passado para preparar o futuro. Fazendo o balanço das situações vividas, e da forma como foram vividas, o indivíduo pode contar com um apoio valioso para sua conduta futura.

Evidente que se pisa aqui em terreno traiçoeiro. Dependendo da clareza com que Bela enxergou os fatos, seu discurso pode adotar rumos diversos. Marcel Proust asseverou que "uma verdade claramente compreendida não pode ser escrita com sinceridade", alertando a respeito do comprometimento do conteúdo da narrativa e contestando frontalmente Francis Bacon, para quem "a leitura traz ao homem plenitude, o discurso segurança e a escrita exatidão". Pouca coisa é mais inexata que o ser humano. Revendo o imutável, assumimos nossos erros e ajustamos a conduta futura ou viramos justiceiros e saímos em busca dos causadores de nossos males. Si o título do romance é Meu marido, fica fácil descobrir qual a opção da personagem narradora. Quando frequentávamos a missa católica, rimos ao ouvir um padre anunciando: "Semana que vem haverá confissão. Quem for se confessar, faça o favor de só contar os próprios pecados". Muitos psicólogos e psicanalistas devem conhecer profundamente a família do paciente antes de conhecer o próprio paciente.

Como quase fomos apedrejados por revelar o final do romance Equador, do português Miguel Sousa Tavares ― foi necessária proteção policial ―, limitamo-nos agora a uma distinção. O texto termina com intervenção externa. A história ainda desenrola-se, tanto na família de Bela, quanto em diversas casas pelo mundo.

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 7/6/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Pendurados no Pincel de Marilia Mota Silva
02. Amor e relacionamentos em tempos de transição de Luis Eduardo Matta
03. Na praia de Rafael Rodrigues
04. Ensaio.Hamlet e a arte de se desconstruir quimeras de Thiago Herzog
05. A ponte para as formigas de Andréa Trompczynski


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2010
01. Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim - 30/8/2010
02. O cérebro espiritual, de Mario Beauregard - 27/12/2010
03. Confissões do homem invisível, de Alexandre Plosk - 15/11/2010
04. Meu Marido, de Livia Garcia-Roza - 7/6/2010
05. Duas escritoras contemporâneas - 26/7/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




K KKK
VASSILIS VASSILIKOS
ENSAIO
(1995)
R$ 20,00



A HISTORY OF MODERN FRANCE FRANCE OF THE REPUBLICS 1871-1962
ALFRED COBBAN (VOLUME 3)
PENGUIN BOOKS
(1990)
R$ 19,28



NA SEMEADURA
EDGARD ARMOND
ALIANÇA
(1977)
R$ 9,90



MÚSICA CAIPIRA
JOSÉ HAMILTON RIBEIRO
REALEJO
(2015)
R$ 73,40



A BÍBLIA ANTIGO E NOVO TESTAMENTO COLEÇÃO COMPLETA 8 VOLUMES
VÁRIOS AUTORES
ABRIL
(1964)
R$ 699,00



MENSAGENS PARA MEDITAR - II
ANTONIO MARIA FAILDE
ÔNIX
(2008)
R$ 12,00



A EMPRESA FLEXÍVEL
ALVIN TOFFLES
RECORD
(1985)
R$ 7,00



QUEM SE DEBATE É AFOGADO
RICARDO REDISCH
MASSAO OHNO
(1980)
R$ 10,00



ANISTIA INTERNACIONAL UMA PORTA PARA O FUTURO
RODOLFO KONDER
PONTES
(1988)
R$ 8,00



A VERDADE SOBRE A TRAGÉDIA DOS ROMANOV
MARC FERRO
RECORD
(2017)
R$ 30,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês