Viagens e viajantes | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Fantasmas do antigo Recife
>>> Luther King sobre os fracos
>>> O centenário do Castor
>>> O comercial do Obama
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> Mininas no Canto Madalena
>>> Quase cinquenta
>>> Bate-papo com Odir Cunha
>>> Entrevista com Sérgio Rodrigues
>>> Leblon
Mais Recentes
>>> Eu Fico Loko -As Desventuras de Um Adolescente Nada Convencional de Christian Figueiredo de Caldas pela Novas Páginas (2015)
>>> Teoria Geral do Direito e Marxismo de Evguiéni B. Pachukanis pela Boitempo (2017)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Abril Cultural (1981)
>>> A Revolução Russa de 1917 de Marc Ferro pela Perspectiva (1974)
>>> A Questão Urbana de Manuel Castells pela Paz e Terra (1983)
>>> Esquerdismo Doença Infantil do Comunismo de V. I. Lenin pela Expressão Popular (2014)
>>> Crônicas de Nuestra América de Augusto Boal pela Codecri (1977)
>>> A Desumanização da Arte de José Ortega y Gasset pela Cortez (1991)
>>> Homens Em Tempos Sombrios de Hannah Arendt pela Companhia De Bolso (2013)
>>> A Música do Tempo Infinito de Tales A. M .Ab'Sáber pela Cosac & Naify (2012)
>>> Poesia e Filosofia de Antonio Cicero pela Civilização Brasileira (2012)
>>> A Estrada da Noite de Joe Hill pela Sextante (2007)
>>> O ornamento da massa de Siegfried Kracauer pela Cosac & Naify (2009)
>>> O Horror Econômico de Viviane Forrester pela Unesp (1997)
>>> Merleau-ponty e a Educação de Marina Marcondes Machado pela Autentica (2010)
>>> Revoluções de Michael Lowy pela Boitempo (2009)
>>> O Anticristo de Friedrich Nietzsche pela Lpm pocket (2008)
>>> E no Final a Morte de Agatha Christie pela Lpm pocket (2010)
>>> Estetica da Emergencia de Reinaldo Laddaga; Magda Lopes pela Martins Fontes (2012)
>>> Pós-produção: Como a Arte Reprograma o Mundo Contemporâneo de Nicolas Bourriaud pela Martins Fontes (2009)
>>> A saga da família Klabin-Lafer de Ronaldo Costa Couto pela Klabin (2020)
>>> Tudo Pelo Amor Dele de Sandie Jones pela Única (2019)
>>> Um Encontro de Sombras de V E Schwab pela Record (2017)
>>> O Vilarejo de Raphael Montes pela Suma das Letras (2015)
>>> Dança da Escuridão de Marcus Barcelos pela Faro (2016)
COLUNAS

Quinta-feira, 10/2/2011
Viagens e viajantes
Carla Ceres
+ de 5100 Acessos
+ 4 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Cheguei de Recife há um mês, mas parece que foi agora mesmo. A cidade ainda está comigo e, talvez, continue por muito tempo. Sinal de viagem bem feita! Viajar bem, no sentido não-alucinógeno do termo, é uma arte. Devemos aprendê-la e ensiná-la, na prática, a nossos filhos. Feliz de quem se lembra de viagens agradáveis com os pais.

Uma vez que as necessidades básicas de alimentação, moradia, saúde e educação - essas ninharias às quais todo ser humano tem direito - estejam satisfeitas, as viagens são o melhor investimento. Tanto quanto as demais artes, o bem viajar aprimora a educação e a sensibilidade.

Ainda melhor do que viajar é morar fora. Experiências como fazer intercâmbio, morar em república ou prestar uns meses de auxílio humanitário longe de casa marcam para sempre. O inconveniente principal? Requerem mais tempo e dinheiro do que uma viagem comum.

Sair da zona de conforto, conviver com pessoas e realidades diferentes, reformular ideias preconcebidas, enfrentar imprevistos e dar mancada até aprender fazem parte do morar fora e das melhores viagens.

Mesmo quando indesejáveis, experiências que promovem o afastamento do cotidiano mostram-se enriquecedoras. Pergunte a quem estudou em colégio interno ou precisou mudar-se para a casa de parentes. Às vezes, ocorrem situações traumáticas e surgem obras literárias do tipo O Ateneu, de Raul Pompeia, mas, em geral, os envolvidos sobrevivem e o crescimento pessoal compensa a tal ponto que "aqueles tempos" chegam a deixar saudade.

O desejo de viajar nasce com o ser humano. É uma variação do impulso que leva os filhotes de certos animais para fora do ninho, mesmo quando ali não lhes falta alimento, conforto e segurança. Boas escolas aproveitam esse interesse natural explorando-o em atividades pedagógicas com os alunos, durante passeios e excursões. Algumas promovem "acampadentros", versão brasileira do "camp-in" americano. As crianças "acampam" dentro da escola por uma noite e aprendem enquanto brincam.

Quem aprende a viajar na infância consegue livrar-se de dois males: tornar-se um não-viajante ou, pior ainda, um falso viajante. Os não-viajantes evitam ao máximo sair de onde moram, mas procuram compensar a falta de novos horizontes através da arte ou de alguma atividade exaustiva. De qualquer modo, produzem algo e podem atingir a excelência em seus afazeres.

Já o falso viajante só pensa que viaja. Ele até sai de casa e vai para algum lugar, mas esse lugar costuma ser o mesmo ano após ano. Se dependesse dele, os navios de cruzeiro poderiam continuar ancorados, pois prefere permanecer a bordo. Raramente conversa com estranhos e jamais se separa do celular ou do computador, que usa para manter contato com as mesmas pessoas de sempre. Ele consegue ir e voltar sem se modificar.

Confesso, tenho pouca simpatia por "viagens de engorda". As palavras "all inclusive" me deixam de sobreaviso. Existem quilos de diferença entre o saudável interesse pela culinária local e a mistura de compulsão alimentar e ganância que leva muitos hóspedes a não arredar pé dos resorts a fim de tentar absorver todas as calorias pelas quais pagaram.

Embora cruzeiros e resorts costumem estar infestados de falsos viajantes, podem ser agradáveis e úteis se usados como base para conhecer outros lugares sem se prender a grupos e horários. O mesmo vale para excursões, quando nos libertamos dos colegas de passeio e da tirania dos guias. Não chego a considerar que somente aventureiros solitários aproveitem bem os novos caminhos. Viajar em dupla pode ser ótimo se houver sintonia de interesses e disposição. As melhores duplas costumam ser casais, porque estão acostumados a decidir juntos em que empregar seu tempo e dinheiro.

Boas viagens não precisam custar fortunas, mas todo viajante tem um roteiro dos sonhos, acima de suas posses e/ou de seu tempo disponível. As longas viagens culturais da Casa do Saber e uns dias numa estação espacial são meus sonhos de consumo, porém o fato de não poder realizá-los tão cedo não me impediu de aproveitar uma viagem de três dias para estudar astronomia aqui, no planeta Terra mesmo.

Somente os não-viajantes justificam sua imobilidade alegando que ou fazem a viagem dos sonhos, ou preferem ficar em casa. Por definição, a viagem ideal é impossível, mas permitir ou não que ela estrague os roteiros possíveis depende de cada um. Então, se ainda falta um tempinho para sua próxima viagem, aproveite. Estude o local de destino, aprenda pelo menos algumas frases em seu idioma ou algumas expressões populares. Prepare-se como se fosse a viagem dos sonhos.

Nota do Autor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros.

Nota do Editor
Leia também o Especial Viagem.


Carla Ceres
Piracicaba, 10/2/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nova Gramática do Poder de Marilia Mota Silva
02. Miguel de Unamuno e Portugal de Celso A. Uequed Pitol
03. Expurgo, de Sofi Oksanen de Ricardo de Mattos
04. Realidade de Daniel Bushatsky
05. Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana de Julio Daio Borges


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2011
01. Nerdcast e seu toque de Midas - 22/12/2011
02. Ilustres convidados - 19/5/2011
03. Frankenstein e o passado monstruoso - 13/1/2011
04. Lendas e conspirações do 11 de setembro - 24/11/2011
05. Música e humor - 2/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/2/2011
13h33min
Como viajante apaixonado, adorei o texto.
[Leia outros Comentários de Julio Cesar Corrêa]
14/2/2011
07h52min
Carla, seu texto é uma delícia, assim como é uma delícia viajar com quem se ama. Tenho experiências maravilhosas de viagens feitas com meu marido e outras em que nossa filha mais velha, hoje com 12 anos, nos acompanhava. Pra mim, o hotel tem que ser limpo, seguro e razoavelmente confortável, porque só será usado para dormir. Todo o tempo é curtido lá fora, no mundo diferente e curioso que se descortina aos nossos olhos. Amo viajar e amei seu texto. Parabéns.
[Leia outros Comentários de Mabel Amorim]
14/2/2011
10h43min
Sou LPV = louca por viagens, e achei seu texto bacanérrimo! Vou montar já já uma viagem para Portugal com o livro recém-editado: "Um guia de Fernando Pessoa"!
[Leia outros Comentários de vera azevedo]
21/2/2011
16h30min
Curiosamente os últimos dois livros que li foram livros de viagem. Ambos são recém-lançados, aproveito o artigo para recomendá-los: "Unos días en el Brasil", de Adolfo Bioy Casares (publicado pela editora La Compañia) e "Cómo viajar sin ver", do jovem escritor argentino Andrés Neuman (publicado pelo conglomerado editorial Alfaguara).
[Leia outros Comentários de Tiago Pavan]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mens Sana: a Angústia do Homem Em Busca da Felicidade / Vol 3
Albino Aresi / Capa Dura
Mens Sana
(1984)



Livro - O Encouraçado Potemkin
Folha de São Paulo
Moderna
(2011)



Novelas - Concursos Literários do Piauí
Sergio Batista e Outros
Publique
(2005)



O Pirata eletrônico e o Samurai
Jeff Goodell
Campus
(1996)



A Lenda do Muri- Keko
Marcos Bagno
Sm
(2005)



Senhora Rezadeira
Denise Rochael
Cortez
(2004)



A Camada de Ozonio
M. Bright
Melhoramentos
(2000)



Descubra Seu Corpo
Nigel Nélson
Impala
(1996)



O Patinho Feio
Vários Autores
Ftd
(1996)



O Fio do Destino (1991)
Zibia Gasparetto
Vida e Consciencia
(1991)





busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês