O santo relutante | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
Mais Recentes
>>> Oreficeria Moderna Tecnica-pratica de L Vitiello pela Hoepli (1963)
>>> A pretexto do combate e globalizaçao Renasce a luta de classes de Gregorio vivanco lopes pela Cruz de cristo (2002)
>>> Um Mergulho no Inferno das Drogas de Maria Célia Ribeiro Cesar pela Do Autor (2001)
>>> Um copo de cerveja de Affonso heliodoro pela brasilia (2001)
>>> Felicidade Roubada de Augusto Cury pela Benvira (2014)
>>> Actores, redes y desafíos : juventudes e infancias en América Latina de Alberto Hernandez Hernandez Amalia E. Campos Delgado pela Clacso (2015)
>>> Instituições Direito Público e Privado de Nelson Goday pela Nelpa
>>> Tom Jones de Henri Fielding pela Abril Cultural (1971)
>>> Stories of Mystery and Suspense (sem Cd) de Edgar Allan Poe pela Hub (2000)
>>> As Relações Perigosas - Biblioteca Folhas de Choderlos de Lacros pela Ediouro (1998)
>>> Contos do Rio - Filosofia do rio em sete dimensões de Saturnino Braga pela Record (1999)
>>> O Fator Decisivo da Lombalgia Prática e Teoria de Sadakazu Nakata pela Andemo (1982)
>>> Paddy Clarke Ha Ha Ha de Roddy Doyle; Lidia Cavalcante Luther pela Estação Liberdade (2002)
>>> Testa de Ferro de Carlos Bohn pela Livro Que Constroem (2010)
>>> A Imperfeição no Evangelho de Ricardo Peter pela Paulus (2000)
>>> Pcc a Facção de Fatima Souza pela Record (2007)
>>> Tom Jones de Henry Fielding pela Abril Cultural
>>> Diretrizes e Praticas da Gestaão Financeiras de Roberto Bohlen Selene pela Ibpex (2010)
>>> Essencialismo - a Disciplinada Busca por Menos de Greg Mckeown pela Sextante (2014)
>>> Deusa do Mar - Série Goodess de P. C Cast pela Novo Século (2011)
>>> Viver Melhor Em Família de Elizabeth Monteiro pela Mescla (2016)
>>> Discover the World Wide Web With Your Sportster de John December pela Sams Net (1995)
>>> A Vida Secreta Grandes Autores de Robert Schnakenberg pela Ediouro (2008)
>>> Assumindo A sua Personalidade de Leo Buscaglia pela Record (1978)
>>> Educação Superior - Expansão e Reformas Educativas - Sebo Tradicao de Deise Mancebo pela Uen (2012)
COLUNAS

Segunda-feira, 21/2/2011
O santo relutante
Gian Danton

+ de 5100 Acessos
+ 2 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Francisco de Assis é um dos santos mais populares do catolicismo. Difícil uma cidade grande que não tenha uma igreja em sua homenagem. No Nordeste, por exemplo, ele batizou o principal rio da região e pintores de rua o reproduzem em telas, na frente dos turistas, da mesma forma que artesãos fazem versões em madeira ou barro para vender, sempre na posição famosa, com ele envolto por passarinhos. No entanto, apesar da popularidade, sua história real é pouco conhecida. Mesmo católicos mais fervorosos desconhecem sua biografia e, quando conhecem, ela está envolta em mitos.

Foi com o objetivo de remediar essa situação que Donald Spoto escreveu Francisco de Assis, o santo relutante, recentemente reeditado em uma edição popular da coleção Ponto de Leitura. É uma grande chance de conhecer o lado humano de um homem cuja vida se mistura com lendas baseadas em "ideias românticas sobre a era dos castelos, cavaleiros andantes, damas medievais e honra cavalheiresca, elementos mais adequados às páginas dos manuscritos com iluminuras ou a filmes de Hollywood, mas que não correspondem à vida real", escreve o autor.

Donald Spoto é PhD em teologia pela Universidade de Fordham e foi professor universitário de estudos religiosos, literatura bíblica e misticismo cristão. Escreveu 18 obras, entre elas as biografias de Alfred Hitchcock, Laurence Olivier e Ingrid Bergman. Ou seja, é alguém que transita entre dois pontos: o estudo da religiosidade e a tradição das biografias jornalísticas.

Embora o livro penda mais para as modernas biografias, é a veia teológica do autor que cria os momentos mais díspares. Suas tentativas de explicar sob uma ótica católica fatos da vida de São Francisco são os momentos menos interessantes do livro, e parecem não encaixar direito na proposta que o próprio autor faz desde as primeiras páginas da biografia.

Felizmente, esses momentos são exceção, e, na grande maioria das páginas, Spoto consegue aproximar Francisco daquilo que ele mesmo escreve na introdução do livro: o playboy de Assis que resolveu se tornar mendigo não é uma propriedade da Igreja Católica. Afinal, sua primeira grande biografia moderna foi escrita por um protestante francês. Um dos mais importantes pesquisadores franciscanos foi um bispo anglicano. E, por último, o Dalai Lama, ao visitar Assis, fez questão de ser fotografado no lugar que Francisco mais amava.

Francisco, aliás, não era Francisco. Seu pai estava ausente, em viagem de negócios para a França quando o garoto nasceu, e a mãe lhe deu o nome de João, em homenagem a São João Batista, o profeta que pregava no deserto vestido com pele de camelo e se alimentava de mel e gafanhotos. Quando chegou, o rico comerciante de tecidos Pedro Bernardone, ficou furioso. Não convinha que seu filho tivesse o nome de um ermitão pobre e, como não era possível anular o nome, o pai fez questão de que ele fosse conhecido como Francisco, palavra que significava francês e que conotava elegância, já que a França na época ditava moda para o mundo.

Esses dois extremos: a elegância dos ricos e a humildade dos pobres vão ser o pêndulo sobre o qual o jovem Francisco irá se equilibrar por grande parte de sua vida.

A cidade em que o rapaz vivia era conhecida na Itália como Nova Babilônia, por ser um local de franca libertinagem, onde o sexo se misturava à violência. Garotos de famílias ricas vagavam pelas ruas criando desordem e Francisco foi um deles. A atividade sexual desregrada era regra para os meninos e a maioria das meninas não permanecia casta e monogâmica. O casamento era abençoado pela Igreja, mas o adultério era esperado pela sociedade. Com seus maridos viajando a negócios ou para as guerras, as esposas ficavam acessíveis a amigos e estranhos. A maioria o fazia de bom grado, mas as que se recusavam eram constantemente estupradas.

Embora não haja provas de que Francisco tenha vivido essa dissolução sexual, o autor explica que também não há provas de que ele tenha resistido a ela. Afinal, ele era um líder entre os playboys de Assis, sempre envolvido com ceias tardias nas praças da cidade e piqueniques que reuniam os elementos menos recomendados da cidade. Além de serenatas para moças casadoiras.

Seria importante para a vida de São Francisco o fato de que a Igreja Católica vivia uma crise moral. Muitos padres tinham amantes. Outros só pensavam em dinheiro e poder. Na festa de São Nicolau, que acontecia todo ano em Assis, uma criança era vestida como bispo, levada para uma igreja e participava de uma cerimônia sacrílega. Padres lascivos e mulheres seminuas se juntavam à orgia. Algumas delas eram coroadas com guirlandas e vendidas por uma noite para quem pagasse mais. A cerimônia simbolizava bem o nível de decadência da imagem da Igreja Católica. E Francisco chegou a ser líder de algumas dessas festas.

Sua vida de alegria, mas vazia, mudou num dia em que voltava de uma propriedade do pai e parou na pequena e decadente igreja de São Damião para descansar. Um crucifixo sobrevivera ao tempo e lá ainda estava Jesus, que falou com o futuro santo: "Francisco, não vês que minha casa está sendo destruída? Vai, então, e conserta-a para mim".

O santo, que a partir dali tomaria tudo ao pé da letra (ao ler na Bíblia a passagem em que Jesus dizia que quem o seguisse deveria se livrar das sandálias, ele decidiu andar apenas descalço), se colocou a consertar a igreja. Mas logo ficaria claro que sua verdadeira função seria restaurar a Igreja como um todo, não por palavras de reprovação (ele jamais repreendia os padres, por mais corruptos e lascivos que fossem), mas pelo exemplo.

Sua vida de dedicação total a Jesus e aos pobres e excluídos (entre eles os leprosos) seria o modelo que faria muitos se converterem. Embora posteriormente o movimento franciscano lhe fosse tirado das mãos e muitas vezes se tornasse um meio para conseguir poder, sua herança positiva permanece até hoje.

Da mesma forma que na época de Francisco, hoje vivemos uma crise moral em que dinheiro e poder são os valores mais importantes da sociedade. E assim como naquela época , sua biografia pode apontar para um novo tipo de vida. O livro de Spoto é uma boa introdução ao assunto.

Para ir além






Gian Danton
Goiânia, 21/2/2011


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2011
01. Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito - 28/2/2011
02. Hells Angels - 20/6/2011
03. Medo e Delírio em Las Vegas - 9/5/2011
04. Melhores de 2010 - 3/1/2011
05. Walter Benjamin, a arte e a reprodução - 14/11/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/2/2011
14h29min
Belo texto! Transformaram Francisco no santo dos animais e deixaram em segundo plano suas críticas à Igreja. Poderíamos aproveitar essa imagem e lembrar que crianças humanas são pequenos animais e que Francisco desaprovaria uma Igreja que abrigasse quem as molesta. Abraço!
[Leia outros Comentários de Carla Ceres]
1/3/2011
22h50min
Minha vó sempre dizia que eu era um santinho, mas vendo o Francisco, sei que não sou nada...
[Leia outros Comentários de Júnior]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Conquista Divina
A. W. Tozer
Mundo Cristão
(1987)



Metrópole e Globalização - Conhecendo a Cidade de São Paulo
Maria Adélia Aparecida de Souza e Outros
Cedesp
(1999)



Um Pequeno Segredo
Linda Goodnight
Nova Cultural
(2003)



Shout! the True Story of the Beatles
Philip Norman
Pan
(2004)



O Nascimento da Imprensa Brasileira
Isabel Lustosa
Jorge Zahar
(2003)



Política Fiscal e Desenvolvimento no Brasil
Márcio Percival Alves Pinto e Geraldo Biasoto Jr
Unicamp
(2006)



As Origens da Globalização da Economia
Jacques Adda
Manole
(2004)



Histoire de Lart - L Art Moderne
Élie Faure
Libraire Plon
(1948)



Disciplina: Limite na Medida Certa 34ª Edição.
Içami Tiba
Gente
(1996)



Vida Com Esperança
Mark Finley; Peter Landlees
Do Autor
(2014)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês