2011 e meus álbuns | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 27/2/2012
2011 e meus álbuns
Rafael Fernandes

+ de 3300 Acessos


The Dear Hunter ― The Color Spectrum

The Dear Hunter faz um pop rock bem azeitado com influências de rock progressivo, mas sem passar do ponto. No ano passado, o grupo lançou uma série de nove EPs com quatro faixas cada, em que cada título tem o nome de uma cor. O nome do projeto é, claro, The Color Spectrum. As músicas tentam seguir o que as cores comunicam. O Yellow, por exemplo, é solar, de canções mais simples, com influência do pop mais alegre dos anos sessenta. O Orange segue a linha do Yellow, mas é musicalmente mais quente, pendendo mais para um rock setentista. Black procura caminhos mais obscuros, duros, com programação eletrônica e distorções cruas. Já Indigo opta por climas e texturas sonoras ― esses dois últimos estão entre os mais interessantes por procurarem caminhos musicais mais arrojados.




Mastodon ― The Hunter

Um dos discos mais aclamados pela crítica especializada, The Hunter é realmente muito bom. Apesar de não fazer nada absolutamente novo, o Mastodon se firma como uma banda de metal que pensa. Consegue mostrar algo de diferente, sem as sufocantes repetições do estilo. Os vocais tem a agressividade característica, mas sem os exageros, por exemplo, do metal extremo.The Hunter, aliás, apresenta vocais mais suavizados ― na medida do possivel ― e esse é um dos trunfos do disco. "Blasteroid" é uma boa amostra: musica empolgante com ótimo riff, mesclando vozes sujas com momentos mais próximos da melodia. "Stargasm" traz um começo viajante, com belos acordes. A música segue com uma pegada pesada para chegar no refrão arrebatador.




Animals As Leaders ― Weightless

Weightless é destinado a quem gosta de metal instrumental com guitarras virtuosas. Tosin Abasi, guitarrista e líder da banda, é um dos grandes destaques do instrumento nos últimos anos. Ele usa uma guitarra de oito cordas e, apesar de se valer de várias técnicas conhecidas no instrumento (arpejos, tappings, etc), seus arranjos e sonoridades trazem novidades. "An infinite regression", a abertura do disco, já começa diferente, enigmática. O começo de "Isolated incidents" tem um curioso jogo de guitarras que "duelam" nos canais esquerdo e direito. "Somnarium", com seu peso e ritmo quebrado, é uma boa amostra do disco. "Do not go gently" é outro destaque, com seus riffs ferozes. E "New eden" vai do peso e crueza iniciais até um belo final, de acorde limpos.




Björk ― Biophilia

Não vi como é o app para iPad de Biophilia, que promete uma nova forma de interagir com um álbum. Mas, na música, é mais um conjunto das idiossincrasias de Björk: experimentações sonoras, instrumentos nada usuais, melodias tortas. Ela desafia as formas mais tradicionais de se construir um arranjo. Não é um disco fácil. Há a união de vozes usadas em intervalos que causam, num primeiro momento, mais choque do que empatia. Björk é uma artista de verdade, que vai fundo em sua música, procurando ao mesmo tempo canções sensíveis e combinações de sons pouco ouvidas. Um exemplo é a abertura, "Moon", que à primeira audição pode soar levemente confusa. Mas à medida que vamos ouvindo repetidas vezes, a canção vai, de certa forma, se construindo em nossa mente, como um quebra cabeça. Quando completo, expõe um belo registro. Biophilia é um convite à audição atenta e repetitiva. Se bem absorvido é um álbum marcante.




Danilo Moraes ― Danilo Moraes e os Criados Mudos

Danilo Moraes lançou um disco muito bom e ― raridade hoje em dia ― bastante divertido, mas sem ser bobalhão. Nesse novo disco ele se firma como um compositor de personalidade. Um dos destaques do álbum é o formato trio da banda: guitarra (o próprio Danilo), baixo (Zé Nigro) e bateria (o sempre ótimo Guilherme Kastrup). Sim, tem uma camada adicional aqui e ali, mas são os três que seguram o disco todo. O registro traz parcerias de Danilo com artistas da nova geração, como Céu, Rodrigo Campos e Anelis Assumpção e também consagrados como Zeca Baleiro e Chico César. Nas letras, além do humor, aparecem boas observações sobre o cotidiano urbano. Tente resistir ao refrão de "Criado mudo", à sinuosidade de "Mulambento" ou à beleza de "Suprema flor".




Pain Of Salvation ― Road Salt Two

Road Salt Two continua a sonoridade do primeiro disco, lançado em 2010. É um Pain Of Salvation mais cru e direto, com muita influência do rock dos anos setenta. Pode ser um direcionamento controverso para os fãs, mas saudável: não dá para ficar sempre nos clichês do metal progressivo. Em várias passagens, o vocal de Daniel Gildenlöw está mais estridente do que nunca, o que pode desagradar a muitos. Um bom exemplo é "The deeper cut" em que, embora a voz apareça levemente exagerada, está bem colocada no contexto da música e, principalmente, da letra. Porém, na maior parte do tempo ele consegue equilibrar nas interpretações, como em "Softly she cries", uma das melhores dos dois discos.




Toninho Ferragutti e Bebê Kramer ― Como Manda o Figurino

Um disco só com dois acordeons poderia, honestamente, ser uma furada. Até por ser um instrumento muito maltratado pelos popularescos do momento. Mas a presença de Toninho Ferragutti anima. Seu disco Nem Sol Nem Lua, como escrevi aqui, é ótimo, de extremo bom gosto. E ele mantém o tom neste lançamento, em parceria com Bebê Kramer. A elegância é a regra. A dupla consegue ser precisa na colocação das melodias sem perder o virtuosismo. Mas nada é dado de graça, é um disco para ser ouvido com atenção. "Na sombra da Asa Branca" (Toninho Ferragutti) é uma daquelas músicas que prende a atenção de primeira. "Choro da madrugada" (Toninho Ferragutti) é linda; com menos de dois minutos, pede repetição. Bebê Kramer também se mostra compositor de respeito, como em "Choro Esperança" e "Outra valsa" (essa, em parceria com Guto Wirtti).




Lenine ― Chão

Os discos de Lenine sempre se sobressaem no quesito produção, com sonoridades diferenciadas. Esse Chão vai além e usa "barulhos" do dia a dia, como uma chaleira ou um passarinho, para compor os arranjos. O resultado é bom para quem gosta desses detalhes. Mas será que o público em geral vai absorver? De qualquer forma, não fica só nas minúcias dos sons. Há também ótimas músicas. Os riffs de "Se não for amor eu cegue" e "Envergo mas não quebro" tem o flerte com o rock, sempre presente nos discos de Lenine. "Uma canção e só" é uma das mais belas músicas que ele já escreveu. Tem um estilo mais próximo de uma canção "clássica" da música brasileira, com bela variação de acordes ao violão e ótimas melodias.




Pipo Pegoraro ― Táxi-Ímã

Esse disco é uma ótima surpresa. Não porque seu primeiro lançamento Intro, de 2008, seja fraco, ao contrário. Tem boas canções e já apresenta um compositor atento e caprichoso na parte sônica. Mas Táxi-imã apresenta um vigor não tão presente anteriormente. As influências afro-caribenhas dão ao molho musical um sabor mais apimentado. A irresistível faixa título é uma boa evidência. "Ouro bondali", com seu duelo de riffs entre volão e metais, mantém a intensidade. A boa "Samambaia" tem a participação de Luisa Maita e é mais uma prova de que ela é uma das vozes mais interessantes de sua geração.




Dream Theater ― A Dramatic Turn Of Events

Depois de todo o drama excessivo em torno da saída de Mike Portnoy, o Dream Theater, agora com o ótimo Mike Mangini na bateria, lançou A Dramatic Turn Of Events, um bom disco. É mais equilibrado, consistente e melhor pensado do que seus últimos três lançamentos. O problema é que, assim como em seus antecessores mais recentes, a banda mostra o desgaste natural de seu estilo. Tudo é bem feito, mas parece já ter sido utilizado inúmeras vezes. O Dream Theater corre o risco de virar um novo Iron Maiden e se tornar uma caricatura. A Dramatic Turn Of Events mostra que tanto os remanescentes quanto o próprio Mike Portnoy estavam corretos em seus argumentos para continuar ou não a banda. No primeiro caso porque, sim, a banda sobrevive bem sem um de seus fundadores. Mas, como Portnoy sinalizou ― ainda que indiretamente ― já mostram muita repetição em sua fórmula.




Radiohead ― King Of Limbs

Em King Of Limbs, o Radiohead mostra mais uma vez arranjos pouco usuais, fugindo das obviedades do pop. Apesar disso, não é um grande disco: as músicas parecem mais experimentos sonoros do que canções bem acabadas. Mas tem bons momentos. "Bloom" é uma boa abertura, com sua batida hipnótica e o vocal propositadamente desleixado, característico de Thom Yorke. "Morning Mr Mapple" tem um jogo de três guitarras bastante interessante. Em "Little by little" o destaque é a alternância, em toda a música, entre a batida eletrônica e a bateria acústica. Minha preferida é "Codex", uma balada estranha, na linha do grupo. Melancólica e bela na medida certa.


Rafael Fernandes
Araçoiaba da Serra, 27/2/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cidades do Algarve de Elisa Andrade Buzzo
02. Vinicius de Julio Daio Borges
03. Uma livrada na cara de Guilherme Carvalhal
04. Antes que seque de Guilherme Pontes Coelho
05. Nós o Povo de Marilia Mota Silva


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes
01. 10 vídeos musicais no YouTube - 23/8/2006
02. High School Musical e os tweens - 9/1/2008
03. Quem ainda compra música? - 2/8/2006
04. 10 músicas: Michael Jackson - 22/7/2009
05. Os piores músicos da década - 22/9/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A SEREIA E O MONGE
SUE MONK KIDD
PRESTÍGIO
(2005)
R$ 10,00



A COMPAIXÃO DE UM HOMEM
FULTON BUNTAIN
VIDA
(1994)
R$ 15,00



A REDEMOCRATIZAÇÃO ESPANHOLA
REGINALDO C. DE MORAES
BRASILIENSE
(1983)
R$ 5,00



SATURNO - O CONSTRUTOR DE UNIVERSOS
ALAN LEO
PENSAMENTO
(1993)
R$ 100,00



MANUAL DE PROGRESSO DO TRABALHO
C. HENRIQUE, B. LEITE
ABDR
(2016)
R$ 70,00



UMA RELAÇÃO AMOROSA E SUA ANÁLISE PSICOLÓGICA
MARINA PEREIRA ROJAS / NOELY MONTES MORAES
PLÊIADE
(2009)
R$ 22,00



COSTA DO ESTORIL O AZUL E O OURO
AFONSO MANUEL ALVES LUÍS LEIRIA DE LIMA
PUBLICAÇÕES DOM QUIXOTE
(1989)
R$ 87,00



MANUAL DE LABORATÓRIO DE FÍSICA - MECANICA - CALOR - ACUSTICA
ABRAHÃO TIMONER FELIX S. MAJORANA WALDEMAR ...
EDGARD BLUCHER
(1973)
R$ 29,30



TEMPOS DIFÍCEIS SOLUÇÕES INOVADORAS
IAN MITROFF
CAMPUS
(1999)
R$ 11,00



A NOZ E O CAMPÁNARIO
ULISSES GARCEZ
HEDRA
(2009)
R$ 25,00





busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês