De onde vem a carne que você come? | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
Mais Recentes
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
>>> Mais Trinta Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura de Luiz Ruffato pela Record (2005)
>>> Príncipe Sidarta A Fuga do Palácio de Patricia Chendi pela Rocco (2000)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Smart Work Why Organizations Full Of Intelligent People ... de Steven A. Stanton pela Do Autor (2016)
>>> Estatística Objetiva de Roberto Zentgraf pela Ztg (2001)
>>> Diários Messiânicos: uma Experiência de Extensão Universitária de Bruno Cesar Euphrasio de Mello pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> The Lost Symbol de Dan Brown pela Doubleday (2009)
>>> Dez Dias de Cortiço de Ivan Jaf pela Ática (2009)
>>> Medicina do Além Um Presente de Jesus para a Humanidade de Fabio Alessio Romano Dionisi pela Dionisi (2014)
>>> Energia Renovável de Dme pela Dme
>>> São João Paulo Grande Seus Cinco Amores de Jason Evert pela Quadrante (2018)
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
COLUNAS

Terça-feira, 15/5/2012
De onde vem a carne que você come?
Wellington Machado

+ de 6300 Acessos

Sempre pensei na possibilidade de me tornar vegetariano um dia. Mas nunca consegui. Gosto de carne; não abro mão de duas feijoadas por inverno a cada ano. Mas a experiência de ser "natureba", comer somente aquilo que me faz bem, despertou meu interesse para o livro Comer animais, de Jonathan Safran Foer. Resolvi ler o livro "avalizado" pela agradável experiência com Extremamente alto e incrivelmente perto, do mesmo autor, um dos mais interessantes romances americanos sobre o 11 de setembro.

Comer animais é uma reportagem investigativa sobre o abate (cruel) de animais nas granjas e matadouros no interior dos Estados Unidos. Poderíamos classificar o livro como um "ensaio jornalístico", de cunho presencial, fundamentado complementarmente por uma extensa pesquisa bibliográfica. A motivação de Safran Foer para dar uma pausa na ficção e se embrenhar numa reportagem foi o nascimento de seu filho. O autor levantou questões como "que tipo de alimento devo oferecer ao meu filho?", "de onde vem a comida que consumimos?", "o que é carne e qual é o caminho percorrido por ela até chegar a nossa mesa?".

Para avaliar a qualidade das carnes (de frango, peixe, porco e boi) que consumimos, Safran Foer decidiu visitar fazendas de criação e abate de animais - muitas vezes de forma clandestina, transpondo muros e cercas, à noite. Sua pesquisa buscou avaliar as condições nas quais viviam os animais em seu ambiente de criação: o nível de conforto da vida em "comunidade produtiva"; a qualidade e quantidade de alimentos que recebiam. Foer queria saber também como eram transportados e abatidos esses animais. O que o autor apurou é estarrecedor, a ponto de lembrarmos de seu livro a cada bife que repousa em nossos pratos. A busca de produções cada vez mais eficientes de animais para consumo humano ignora qualquer padrão, mínimo que seja, de respeito aos animais e ao meio ambiente.

No caso da captura de peixes, Foer revela o "apelo covarde" do homem, que se vale da tecnologia de um "radar GPS" para identificar grandes cardumes no mar. O grande problema apontado pelo escritor é a captura acidental: para cada quilo de peixe colhido na rede, outros 26 quilos de outros animais "inocentes", como cavalos-marinhos, são mortos. Foer argumenta também que a matança desenfreada promove a destruição dos peixes no seu sentido de comunidade, ressaltando até um "valor intelectual" desses animais. Segundo o autor, os peixes são capazes de construir ninhos complexos, têm relações monogâmicas, caçam conjuntamente, têm memória de longo prazo e transmitem conhecimento. Capturá-los seria provocar uma ruptura nessas habilidades comunitárias. Sem contar as técnicas perversas de abate, que incluem deixá-los com fome durante 7 a 10 dias, a fim de eliminar a excreção durante o transporte. Muitos deles têm as guelras cortadas antes mesmo de serem jogados em um tanque e sangrados até morrer.

Safran Foer também exalta a inteligência dos porcos. Esses animais são capazes de abrir trincos de cancelas, atendem quando são chamados e têm um aprendizado que não fica nada a dever aos chimpanzés. Os porcos se estressam como humanos ao ver os outros morrerem: é comum acontecerem ataques cardíacos nesses animais na hora do abate. As técnicas de execução são as mais atrozes possíveis. Incluem um disparo de uma pistola a ar, que fura a fronte do animal com um pino de ferro. Invariavelmente o equipamento fica mal calibrado, produzindo um disparo insuficiente, "fraco", deixando os porcos semi-conscientes. Muitos deles são dependurados pelos pés e esfaqueados ainda com vida. Sem contar os maus-tratos feitos pelos funcionários das fazendas, que dão pauladas em porcas grávidas e usam chave-inglesa para darem pancadas nas costas dos animais.

As galinhas também são impiedosamente manipuladas nas granjas. A luz do ambiente é alterada para aumentar a produtividade. Uma galinha de granja é alimentada de maneira cruel para permitir o abate com apenas 40 dias de vida. 30% delas têm ossos quebrados devido aos ambientes apertados em que são mantidas. No abatedouro, são penduradas em esteiras, onde muitas defecam de dor. A técnica de abate consiste em mergulhá-las em água eletrificada antes de irem para o cortador automático de pescoço.

Com os perus não é diferente. Muitos deles têm o bico quebrado, apresentam feridas, ficam cobertos de sangue e não andam normalmente. Os perus são gerados por inseminação artificial (não fazem sexo, portanto; essa "abstinência" é contestada com veemência por Safran Foer). Muitos perus nascem deformados.

O livro de Safran Foer tem um caráter de denúncia - não poderia ser diferente. Mas o autor visitou também algumas (poucas) fazendas onde a criação de animais é feita de forma mais humanitária. Os bois e porcos são criados ao ar livre, com pasto natural e espaço de sobra para levarem uma vida digna. Há uma preocupação em reduzir ao máximo o sofrimento dos animais na hora do abate e minimizar os riscos de contaminação das carnes. Mas esses bons exemplos são poucos nos Estados Unidos. Ressalte-se que estamos falando de um país desenvolvido, onde as leis sanitárias são reavaliadas a cada 4 anos.

Apesar de o livro de Foer estar recheado de (maus) exemplos no trato com animais, a intenção do autor é levar a discussão para a sociedade e sensibilizar as autoridades governamentais. As alternativas apresentadas pelo autor abarcam três aspectos.

O primeiro, utópico, seria as pessoas optarem pelo vegetarianismo. Safran Foer se tornou vegetariano e o livro tende a convencer o leitor a fazer o mesmo. O autor apela para argumentos como a possibilidade de substituição da carne por outro tipo de proteína, e fala de sua própria experiência ao resistir à tentação que teve de comer carne após tomar a decisão.

O outro argumento é moral: é justo submeter os animais a maus-tratos como os descritos acima para saciarmos nossa vontade? O embate entre o ser humano (onipotente) e os animais (frágeis) é desleal. Safran Foer aborda também a questão ecológica, a redução da camada de ozônio causada pela criação de bois em grandes áreas desmatadas.

A outra alternativa seria de âmbito legal e de envolvimento governamental. Por que as autoridades não se interessam pelo assunto? Por que deixam ocorrer essas atrocidades na produção animal sem uma fiscalização séria? Por que o tema sequer é lembrado nas campanhas presidenciais? Onde estão as leis para obrigar os abatedouros e granjas a tratarem seus animais com dignidade?

A leitura de Comer animais não me fez ser tão radical como Safran Foer. Não me tornei vegetariano, mas mudou a minha maneira de pensar: passei a considerar o sofrimento dos animais, principalmente os de grande porte, como o porco e o boi. Reduzi drasticamente o consumo dessas carnes. Tenho preferido uma dieta com peixes e, muito raramente, frango. Há dias em que, na ausência de peixe, não como carne alguma. Estou me habituando a não fazer da carne um ingrediente tão essencial no meu prato.

Não sei se uma "reação" da sociedade (não comer mais carne), almejada por Foer em seu livro, seria uma alternativa à redução do sofrimento dos animais - temos de avaliar até as consequências econômicas da "abstinência social" da carne. Mas um "livro-denúncia" como o Comer animais certamente é valido para trazer a questão para o debate. Em tempos de Facebook, de ocupe wall street, onde a informação é disseminada num piscar de olhos, pode ser que o tema alcance níveis estratosféricos, forçando governos a colocarem o assunto em pauta.

Para ir além:

Assista ao vídeo Conheça a sua carne , com gravações de maus-tratos aos animais. Atenção: as imagens são fortes.


Wellington Machado
Belo Horizonte, 15/5/2012


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2012
01. Hugo Cabret exuma Georges Méliès - 27/3/2012
02. De onde vem a carne que você come? - 15/5/2012
03. Daniel Piza: uma lanterna cultural - 24/1/2012
04. Memória externalizada - 3/7/2012
05. Pina, de Wim Wenders - 24/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DESASTRES NATURAIS
ROSANGELA DO AMARAL
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE
(2012)
R$ 8,25



OS ALICERCES DA FÍSICA
KAZUHITO- FUKE- CARLOS
SARAIVA
(1998)
R$ 45,90
+ frete grátis



O REI - IRMANDADE DA ADAGA NEGRA VOL 12
J. R. WARD
UNIVERSO DOS LIVROS
(2014)
R$ 30,00



CAPITALISMO: MODO DE USAR
FABIO GIAMBIAGI
CAMPUS - GRUPO ELSEVIER
(2015)
R$ 76,61



SS - GB
LEN DEIGHTON
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1979)
R$ 4,50



AVALIAÇÃO DO EFEITO DA SOLDAGEM A ARCO SOBRE A QUALIDADE DA ENERGIA
EZIO SILVA, AMÉRICO SCOTTI UND JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 363,00



SOL DA LIBERDADE
ÍRIS PAULA ROCHA
BOA NOVA
(2000)
R$ 10,00



HISTÓRIA ESSENCIAL DA FILOSOFIA VOL 5
PAULO GHIRALDELLI JR
UNIVERSO DO LIVRO
(2010)
R$ 15,00



ENTRE REAL E SURREAL: ANTOLOGIA DA LITERATURA BELGA DE LÍNGUA FRANCESA
MARC QUAGHEBEUR, ZILÁ BERND, LEONOR LOURENÇO DE ABREU, ROBERT PONGE
TOMO EDITORIAL
(2009)
R$ 47,00



CINE Y COMUNICACION VISUAL
ANDREW TUDOR
GUSTAVO GILI
(1975)
R$ 16,28





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês