De onde vem a carne que você come? | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
37883 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Impressões sobre São Paulo
>>> Lobato e os amigos do Brasil
>>> A Promessa da Política, de Hannah Arendt
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Dicionário de termos ambientais de Antonio Leal pela Letras & Magia (2007)
>>> Casa de Praia com Piscina de Herman Koch pela Intrínseca (2015)
>>> Natureza Humana, Justiça vs. Poder de Michel Foucault e Noam Chomsky pela Martins Fontes (2014)
>>> A Arvore dos Anjos de Lucinda Riley pela Arqueiro (2017)
>>> A Herdeira da Morte de Melinda Salisbury pela Fantastica Rocco (2016)
>>> Uma Gentileza por Dia de Orly Wahba pela Benvira (2017)
>>> Eu sou as Escolhas que Faço de Elle Luna pela Sextante (2016)
>>> Coroa Cruel - Série a Rainha Vermelha de Victoria Aveyard pela Seguinte (2016)
>>> Sade em Sodoma de Flávio Braga pela BestSeller (2008)
>>> Curso de Filosofia em Seis Horas e Quinze Minutos de Witold Gombrowicz pela José Olympio (2011)
>>> O pequeno Principe de Antoine de Saint Exupery pela Agir (2009)
>>> Zoloé e Suas Duas Amantes de Marquês de Sade pela Record (1968)
>>> Expressões Diante do Trono de Ministério de Louvor Diante do Trono pela Diante do Trono (2003)
>>> A separação dos amantes - uma fenomenologia da morte de Igor Caruso pela Cortez (1989)
>>> Os Titãs / A Saga da Família Kent (Volume V) de John Jakes pela Record/ RJ.
>>> A Universidade em Ritmo de Barbárie de José Arthur Giannotti pela Brasiliense (1986)
>>> A Mulher Só de Harold Robbins/ (Tradução) Nelson Rodrigues pela Record/ RJ.
>>> Dependência e desenvolvimento na América Latina - ensaio de interpretação sociológica de Fernando Henrique Cardoso e Enzo Faletto pela Zahar (1970)
>>> Tubarão de Peter Benchley pela Nova Cultural (1987)
>>> O Titã de Fred Mustard Stewart pela Record
>>> O Beijo da Mulher Aranha de Manuel Puig pela Codecri/ RJ. (1981)
>>> A Traição de Rita Hayworth/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1993)
>>> Boquitas Pintadas/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1988)
>>> Kit De Estudo Para Concursos: Só concursos (3 CDs + Folheto) + Guia do Concurseiro + Redação para Concursos de Equipe Mundial Editorial pela DCL - difusão cultural do livro (2016)
>>> Numa Terra Estranha de James Baldwin pela Rio Gráfica (1986)
>>> 1934 de Alberto Moravia pela Rio Gráfica (1986)
>>> Mil Platôs Vol. 1 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca/RJ. (2007)
>>> Mil Platôs Vol. 2 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> Mil Platôs Vol. 3 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2012)
>>> Ajin - Demi-Human #01 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #02 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #03 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Incendio de Troia (capa dura couro) de Marion ZimmerBradley pela Circulo do Livro/ SP. (1994)
>>> Ajin - Demi-Human #04 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #05 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #06 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #07 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #08 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #09 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Nova Cultural (1987)
>>> Ajin - Demi-Human #10 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Ajin - Demi-Human #11 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Estratégia da Decepção de Paul Virilio pela Estação Liberdade (2000)
>>> Ajin - Demi-Human #12 de Gamon Sakurai pela Panini (2019)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1989)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #10 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #09 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
COLUNAS

Terça-feira, 15/5/2012
De onde vem a carne que você come?
Wellington Machado

+ de 6400 Acessos

Sempre pensei na possibilidade de me tornar vegetariano um dia. Mas nunca consegui. Gosto de carne; não abro mão de duas feijoadas por inverno a cada ano. Mas a experiência de ser "natureba", comer somente aquilo que me faz bem, despertou meu interesse para o livro Comer animais, de Jonathan Safran Foer. Resolvi ler o livro "avalizado" pela agradável experiência com Extremamente alto e incrivelmente perto, do mesmo autor, um dos mais interessantes romances americanos sobre o 11 de setembro.

Comer animais é uma reportagem investigativa sobre o abate (cruel) de animais nas granjas e matadouros no interior dos Estados Unidos. Poderíamos classificar o livro como um "ensaio jornalístico", de cunho presencial, fundamentado complementarmente por uma extensa pesquisa bibliográfica. A motivação de Safran Foer para dar uma pausa na ficção e se embrenhar numa reportagem foi o nascimento de seu filho. O autor levantou questões como "que tipo de alimento devo oferecer ao meu filho?", "de onde vem a comida que consumimos?", "o que é carne e qual é o caminho percorrido por ela até chegar a nossa mesa?".

Para avaliar a qualidade das carnes (de frango, peixe, porco e boi) que consumimos, Safran Foer decidiu visitar fazendas de criação e abate de animais - muitas vezes de forma clandestina, transpondo muros e cercas, à noite. Sua pesquisa buscou avaliar as condições nas quais viviam os animais em seu ambiente de criação: o nível de conforto da vida em "comunidade produtiva"; a qualidade e quantidade de alimentos que recebiam. Foer queria saber também como eram transportados e abatidos esses animais. O que o autor apurou é estarrecedor, a ponto de lembrarmos de seu livro a cada bife que repousa em nossos pratos. A busca de produções cada vez mais eficientes de animais para consumo humano ignora qualquer padrão, mínimo que seja, de respeito aos animais e ao meio ambiente.

No caso da captura de peixes, Foer revela o "apelo covarde" do homem, que se vale da tecnologia de um "radar GPS" para identificar grandes cardumes no mar. O grande problema apontado pelo escritor é a captura acidental: para cada quilo de peixe colhido na rede, outros 26 quilos de outros animais "inocentes", como cavalos-marinhos, são mortos. Foer argumenta também que a matança desenfreada promove a destruição dos peixes no seu sentido de comunidade, ressaltando até um "valor intelectual" desses animais. Segundo o autor, os peixes são capazes de construir ninhos complexos, têm relações monogâmicas, caçam conjuntamente, têm memória de longo prazo e transmitem conhecimento. Capturá-los seria provocar uma ruptura nessas habilidades comunitárias. Sem contar as técnicas perversas de abate, que incluem deixá-los com fome durante 7 a 10 dias, a fim de eliminar a excreção durante o transporte. Muitos deles têm as guelras cortadas antes mesmo de serem jogados em um tanque e sangrados até morrer.

Safran Foer também exalta a inteligência dos porcos. Esses animais são capazes de abrir trincos de cancelas, atendem quando são chamados e têm um aprendizado que não fica nada a dever aos chimpanzés. Os porcos se estressam como humanos ao ver os outros morrerem: é comum acontecerem ataques cardíacos nesses animais na hora do abate. As técnicas de execução são as mais atrozes possíveis. Incluem um disparo de uma pistola a ar, que fura a fronte do animal com um pino de ferro. Invariavelmente o equipamento fica mal calibrado, produzindo um disparo insuficiente, "fraco", deixando os porcos semi-conscientes. Muitos deles são dependurados pelos pés e esfaqueados ainda com vida. Sem contar os maus-tratos feitos pelos funcionários das fazendas, que dão pauladas em porcas grávidas e usam chave-inglesa para darem pancadas nas costas dos animais.

As galinhas também são impiedosamente manipuladas nas granjas. A luz do ambiente é alterada para aumentar a produtividade. Uma galinha de granja é alimentada de maneira cruel para permitir o abate com apenas 40 dias de vida. 30% delas têm ossos quebrados devido aos ambientes apertados em que são mantidas. No abatedouro, são penduradas em esteiras, onde muitas defecam de dor. A técnica de abate consiste em mergulhá-las em água eletrificada antes de irem para o cortador automático de pescoço.

Com os perus não é diferente. Muitos deles têm o bico quebrado, apresentam feridas, ficam cobertos de sangue e não andam normalmente. Os perus são gerados por inseminação artificial (não fazem sexo, portanto; essa "abstinência" é contestada com veemência por Safran Foer). Muitos perus nascem deformados.

O livro de Safran Foer tem um caráter de denúncia - não poderia ser diferente. Mas o autor visitou também algumas (poucas) fazendas onde a criação de animais é feita de forma mais humanitária. Os bois e porcos são criados ao ar livre, com pasto natural e espaço de sobra para levarem uma vida digna. Há uma preocupação em reduzir ao máximo o sofrimento dos animais na hora do abate e minimizar os riscos de contaminação das carnes. Mas esses bons exemplos são poucos nos Estados Unidos. Ressalte-se que estamos falando de um país desenvolvido, onde as leis sanitárias são reavaliadas a cada 4 anos.

Apesar de o livro de Foer estar recheado de (maus) exemplos no trato com animais, a intenção do autor é levar a discussão para a sociedade e sensibilizar as autoridades governamentais. As alternativas apresentadas pelo autor abarcam três aspectos.

O primeiro, utópico, seria as pessoas optarem pelo vegetarianismo. Safran Foer se tornou vegetariano e o livro tende a convencer o leitor a fazer o mesmo. O autor apela para argumentos como a possibilidade de substituição da carne por outro tipo de proteína, e fala de sua própria experiência ao resistir à tentação que teve de comer carne após tomar a decisão.

O outro argumento é moral: é justo submeter os animais a maus-tratos como os descritos acima para saciarmos nossa vontade? O embate entre o ser humano (onipotente) e os animais (frágeis) é desleal. Safran Foer aborda também a questão ecológica, a redução da camada de ozônio causada pela criação de bois em grandes áreas desmatadas.

A outra alternativa seria de âmbito legal e de envolvimento governamental. Por que as autoridades não se interessam pelo assunto? Por que deixam ocorrer essas atrocidades na produção animal sem uma fiscalização séria? Por que o tema sequer é lembrado nas campanhas presidenciais? Onde estão as leis para obrigar os abatedouros e granjas a tratarem seus animais com dignidade?

A leitura de Comer animais não me fez ser tão radical como Safran Foer. Não me tornei vegetariano, mas mudou a minha maneira de pensar: passei a considerar o sofrimento dos animais, principalmente os de grande porte, como o porco e o boi. Reduzi drasticamente o consumo dessas carnes. Tenho preferido uma dieta com peixes e, muito raramente, frango. Há dias em que, na ausência de peixe, não como carne alguma. Estou me habituando a não fazer da carne um ingrediente tão essencial no meu prato.

Não sei se uma "reação" da sociedade (não comer mais carne), almejada por Foer em seu livro, seria uma alternativa à redução do sofrimento dos animais - temos de avaliar até as consequências econômicas da "abstinência social" da carne. Mas um "livro-denúncia" como o Comer animais certamente é valido para trazer a questão para o debate. Em tempos de Facebook, de ocupe wall street, onde a informação é disseminada num piscar de olhos, pode ser que o tema alcance níveis estratosféricos, forçando governos a colocarem o assunto em pauta.

Para ir além:

Assista ao vídeo Conheça a sua carne , com gravações de maus-tratos aos animais. Atenção: as imagens são fortes.


Wellington Machado
Belo Horizonte, 15/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Diário impertinente de Bruno Garschagen
02. País do Carnaval III de Sergio Faria
03. A crise da mulé de Paulo Polzonoff Jr
04. A fila sempre anda de Rafael Lima


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2012
01. Hugo Cabret exuma Georges Méliès - 27/3/2012
02. De onde vem a carne que você come? - 15/5/2012
03. Daniel Piza: uma lanterna cultural - 24/1/2012
04. Memória externalizada - 3/7/2012
05. Pina, de Wim Wenders - 24/4/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PEROLAS OU PORCOS
IZABEL KIRIE
CASA DE AGUA
(2012)
R$ 28,00



CINESIOLOGIA A SINTESE MODERNA DOS METODOS DE CURA TRADICIONAIS
KATHARINA B GATTIKER
CULTRIX
(2012)
R$ 25,00



CROSSCURRENTS STUDENT BOOK 1
MARCIA /KATHLEEN/DONALD
LONGMAN
R$ 7,00



MY JOB DOCE ILUSÃO - AUTOGRAFADO
JOSÉ AUGUSTO FIGUEIREDO
ÉVORA
(2013)
R$ 39,00
+ frete grátis



A BRUXA DE NEAR
VICTORIA SCHWAB
PLANETA
(2013)
R$ 20,00



PSICOTERAPIA EN PRISIÓN
ANDRÉ-GILLES MATHÉ
EV
(1976)
R$ 30,00



AVANTE VINGADORES Nº 2 - ASSUNTOS DE FAMÍLIA - PARTE UM
MARVEL
PANINI COMICS
(2007)
R$ 8,00



POUR UNE AUTRE CROISSANCE
ROBERT LATTES
SEUIL (PARIS)
(1972)
R$ 17,82



BENITO PÉREZ GALDÓS - ANTOLOGIA
AMANDO DE MIGUEL
DONCEL
(1967)
R$ 80,00



ELEMENTOS DO DIREITO, V. 6 - PROCESSO CIVIL
FABIO DE VASCONCELOS MENNA
RT
(2009)
R$ 10,00





busca | avançada
37883 visitas/dia
1,3 milhão/mês