Princípio ativo | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Distribua você também em 2008
>>> A proposta libertária
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> Capitu, a melhor do ano
>>> As fronteiras da ficção científica
Mais Recentes
>>> A República de Platão pela Nova Cultural (2000)
>>> Condenados da Terra de Frantz Fanon pela Edição Popular (1961)
>>> Com Olhos de Criança de Francesco Tonucci pela Instituto Piaget (1988)
>>> Revista Neuro Educação – Nº 4 – Dormir Bem Para Aprender Melhor de Vários Autores pela Segmento (2015)
>>> de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2018)
>>> Revista Ciência & Vida Psique – Ano 1 – Nº 2 – Psicopedagogia Pra Que? de Vários Autores pela Escala
>>> Revista Crescer em Família – Ano 7 – Nº 74 - Primeiro Ano do Bebê de Vários Autores pela Globo (2000)
>>> Revista Mente e Cérebro – Ano XVI – Nº 197 – As 5 Idades do Cérebro de Vários Autores pela Duetto (2009)
>>> Poder, Política e Partido de A. Gramsci pela Brasiliense (1992)
>>> Gramsci : Cem anos de um pensamento vivo - coleção P&T de J. Luiz Marques e Luiz Pilla Vares (Orgs.) pela Palmarica (1991)
>>> Memórias da Resistência de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2019)
>>> Supercapitalismo Como o capitalismo tem transformado os negócios, a democracia e o cotidiano de Robert B. Reich pela Campus (2008)
>>> Marx Engels - História -Coleção Grandes Cientistas Sociais 36 de Florestan Fernandes (Org.) pela Ática (1983)
>>> Começo de Conversa – Orientação Sexual de Osny Telles Marcondes Machado pela Saraiva (1996)
>>> Ciclos de Formação Proposta Político-Pedagógica da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 9 de Vários Autores pela SmedPoA (1999)
>>> Ciclos de Formação Proposta Político-Pedagógica da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 9 de Vários Autores pela SmedPoA (1996)
>>> A dieta dos 17 dias Um método simples para perder barriga de Mike Moreno pela Sextante (2011)
>>> O Especialista em Educação na Perspectiva da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 10 de Vários Autores pela SmedPoA (1996)
>>> Dez Leis Para Ser Feliz - Ferramentas par se apaixonar pela vida de Augusto Cury pela Sextante (2008)
>>> Projeto Revista de Educação – Nº 1 - Ano 1 de Vário Autores pela Projeto (1999)
>>> O Carvalho de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2020)
>>> Dicionário do Pensamento Marxista de Tom Bottomore - Editor pela Jorge Zahar (2001)
>>> Um tango para 5 Rainhas de Jony Wolff pela Edição do autor (2018)
>>> O Carvalho de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2020)
>>> Os Clássicos da Política vol. 1- Mquiavel-Hobbes-Montesquieu- Rousseau de Francisco C. Welfort (Org.) pela Ática (2006)
>>> Nacionalismos - O estado nacional e o nacionalismo no século XX de Montserrat Guibernau pela Jorge Zahar (1997)
>>> Bibliografia Estudos Sobre Violência Sexual Contra a Mulher:1984-2003 de Kátia Soares Braga - Elise Nacimento (Orgs.) pela Letras Livres - UNB (2004)
>>> O reino de James T. harman pela Restauração (2013)
>>> A importancia da cobertura de Lance Lambert pela Classicos (2013)
>>> O Reino Entre Nós de Não Informado pela O Lutador
>>> Como Realizar a Aprendizagem de Robert M. Gagné pela Mec (1974)
>>> Yoga para a Saúde do Ciclo Menstrual de Linda Sparrowe/ Patrícia Walden pela Pensamento (2004)
>>> Pequenos Segredos da Arte de Escrever de Luiz A. P. Victoria pela Ouro (1972)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1988)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1989)
>>> Paca, Tatú...Contos Infantis de Malba Tahan pela Cruzada da Boa Imprensa (1939)
>>> A Marquesa de Reval de May Logan pela Anchieta (1944)
>>> Camilo Compreendido Tomo 1 e 2 de Gondim da Fonseca pela Martins (1953)
>>> Técnicas de Yoga de Dr.M.L.Gharote pela Phorte (2007)
>>> A Essência da Alma de Sônia Tozzi (psicografia) pela Lúmen (2006)
>>> Minutos de Oração de Legrand (coord) pela Soler (2007)
>>> A Norma Jurídica de Tercio Sampaio Ferraz Jr. E Outros pela Freitas Bastos (1980)
>>> Le Bateau Ivre Análise e Interpretação de Augusto Meyer pela São José (1955)
>>> Franz Kafka Os Filhos Rossmann Bendemann e Samsa de Ruth Cerqueira de Oliveira Röhl pela Universidade de São Paulo (1976)
>>> Fios de Ariadne - Ensaios de interpretação marxista de Centro de Estudos Marxistas pela Universidade de Passo Fundo (1999)
>>> Três Momentos Poéticos de Nelly Novaes Coelho pela Conselho Estadual de Cultura
>>> A Luz Perdida de Murillo Araujo pela Pongetti (1952)
>>> História e Consciência Social de Leôncio Basbaum pela Globo (1985)
>>> Dostoievsky de David Magarshack pela Aster
>>> Asanas de Swami Kuvalayananda pela Phorte (2009)
COLUNAS

Terça-feira, 8/1/2002
Princípio ativo
Rafael Lima

+ de 2800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Essa aconteceu com meu irmão. Voltando para casa, foi parado por dois turistas - a área onde moro sempre foi pródiga em turistas - mochilão às costas, pedindo o que todo turista quer: informações. No caso, onde era a entrada da estação do metrô. Meu irmão informou-lhes que a estação de metrô não era a walking distance de onde estavam, mas que era bastante fácil chegar até lá, qualquer ônibus levava. Como não?, retrucaram os gringos: eles sabiam onde era, só não estavam encontrando a entrada subterrânea... Meu irmão insistiu no ônibus, o mínimo necessário até a entrada mais próxima. Diante do impasse, os gringos sacaram o mapa e mostraram, olha aqui, Estação Cantagalo, exatamente onde estamos.

Posso até imaginar a cara de espanto de meu irmão ao ver, afiançada pelo mapa, um projeto de estação que começou em 1986, destruindo completamente a pracinha sob a qual ficaria localizada. Anos e anos de ferragens à céu aberto pareciam ser o destino daquele projeto, até a conversão em estacionamento subterrâneo (hoje desativado) com uma nova, menor e desfigurada praça por cima, na administração seguinte. Meu irmão ponderou que não valeria a pena explicar a história toda, limitando-se a explicar que a tal estação não existia (ainda que constasse dos planos de expansão). E voltou à arenga de pegar um ônibus etc. Pragmaticamente, os turistas assentiram e perguntaram: é para aqui, então?, apontando para a Estação Siqueira Campos no mapa. Situação que colocou meu irmão coçando a cabeça: bom, essa, pelo menos está em fase de construção, se vocês passarem lá vão ver o canteiro de obras... Não, não, peguem na anterior, Estação Arcoverde, que, não há dúvidas, está lá. Os turistas subiram nas tamancas: quer dizer que duas estações no mapa não existem? Como é que a gente pode se orientar assim? Meu irmão ponderou que se eles quisessem, poderiam processar o editor do guia, mas que elas não existem, não existem. E para chegar lá vocês tem que pegar um ônibus... Assumindo a derrota, meio a contragosto, os mochileiros partiram em direção ao Eldorado. Quer dizer, a Arcoverde.

* * *

Essa quem me contou foi um amigo do trabalho, de férias em Lisboa, Portugal. Entrou num táxi e pediu para tocar para um museu. O motorista foi, cruzando destemidamente sinais e avenidas (como qualquer motorista de táxi), enquanto os passageiros contemplavam o descortinar da paisagem (como quaisquer viajantes conhecendo uma cidade) até chegar vitoriosamente ao destino. Abriu a porta, retornou o troco e avisou em seguida:
- Aqui 'stá. Às segundas feiras o Museu não 'stá aberto.
A primeira reação foi de enfiar um murro no motorista. Foi apenas o tempo dele cair em si e ver que não adiantava brigar: era assim que os lusitanos raciocinavam. Ele tinha pedido para ir até o museu, não perguntado se estava aberto ou fechado, e o motorista, muito razoavelmente, cumprira sua missão, qual fosse a de levá-lo até lá.

* * *

O que as duas historinhas - absolutamente reais - têm em comum é o raciocínio de baixo contexto utilizado por ambos os protagonistas. Diretrizes claras e bem definidas seguidas linearmente sem espaço para elucubrações de ordem superior. Pediu para levar até o museu, levei. O mapa disse que tem uma estação aqui, cadê a entrada? Esse raciocínio é tipicamente encontrável entre os povos anglo-saxões, porque direto, focado no resultado, ignorando conscientemente o caminho para chegar até ele. O que, e não como. Ao contrário dos povos latinos, geralmente mais concentrados no processo, a despeito do objetivo. Num balcão de aeroporto norte-americano, a funcionária estará preocupado em fazer a fila andar, a todo custo. O importante é evitar atrasos que comprometam a partida do avião. Assim, todos aqueles procedimentos padronizados para a acelerar o check in das malas, que acabam deixando a impressão de que um chimpanzé bem treinado poderia substituir alguns atendentes. Quem já dialogou pelo vidro através daqueles microfones com bilheteiros de qualquer Multiplex sabe do que estou falando. A mesma situação num aeroporto na França teria desenrolar diferente, onde talvez a funcionária valorizasse a interação humana, ainda que curta e funcional, que acontece no momento do check in - e, eventualmente, ainda aproveitasse para fazer um tricô: "Ah, você é de Nantes? Minha prima mora lá." Papo furado, enfim. Para que serve o papo furado?

* * *

O que nos leva a uma grande ainda que quase imperceptível questão do nosso tempo: o objetivismo, essa ansiedade de se chegar logo ao resultado, ao fim; que parece amoldar a cultura de todos povos para esse admirável mundo novo. Um dos traços dessa homogeneização, de que já falei aqui no Digestivo, é a cultura do consumo, aquele sentimento expresso na frase "o freguês tem sempre a razão", orientação de ordem comercial que infestou todas as demais relações sociais. O raciocínio requerido pela cultura do consumo é exatamente o de baixo contexto - focado na satisfação do freguês - a despeito dos meios. O Bife estava mal passado? Troca-se por um no ponto. O livro chegou com a capa arranhada? A livraria virtual te dá um crédito. O carro foi arranhado no estacionamento? O shopping te paga a pintura. Tudo isso soa, à primeira vista, a melhor das maravilhas, mas tem conseqüências claras, que não se costuma considerar:
1) Só existe acesso às benesses para quem se transforma num consumidor, isto é, entra na roda-viva da remuneração-e-consumo. Esse mecanismo costuma funcionar às maravilhas quando cumpre bem sua função de distribuir os bens que gera. Mas se mostra insatisfatório quando exclui quem não topa suas regras.
2) Os direitos do consumidor convertem-se em direitos do cidadão, banalizando as complexas interações entre indivíduo e Estado em problemas para o manual do Procon. Pague seus impostos, tenha estradas bem conservadas, serviço médico e coleta de lixo. Como deve o Estado administrar o ervanário público? Como a sociedade de consumo pode satisfazer as vontades dos consumidores - vontades muitas vezes criada por ela própria - para que eles não fiquem por aí, gritando que não conseguem se satisfazer, qual Mick Jaggers de esquina? Como evitar que a democracia degenere num balcão de negócios?

* * *

Ao envolver uma relação humana numa transação comercial, compromete-se irreversivelmente a última. Há culturas primitivas que simplesmente repudiam o uso do dinheiro, porque acreditam que ela atrapalha as relações humanas. O comércio é substituído por uma troca ritualizada, de antes presentes do que bens. Não é por acaso que o uso de dinheiro é proibido no Burning Man: privilegia-se a interação entre quem precisa e quem tem sobre as noções de oferta e demanda. Se isso soa apenas como uma burocratização meio inútil para chegar no fim - a obtenção dos bens - é porque a ânsia de respostas já está infestada no comportamento. A importância do processo parece ter sido perdida em alguma curva da estrada. No entanto, a profusão de exemplos mostram que há uma busca quase desesperada pela riqueza que se foi junto com processo. O sucesso televisivo dos reality shows mostra que, cada vez mais sem tempo para viver uma vida entre seus compromissos, os telespectadores a substituem curtindo um simulacro na televisão, relembrando aqueles negócios meio inúteis que a gente faz quando não está fazendo nada - exatamente o que os personagens de um reality show fazem o tempo todo. O mesmo acontece nos blogs, quando se tenta enfileirar acontecimentos ou idéias de forma a se desenhar o perfil de uma coisa por si só fluida e maleável, a vida do redator. É a tentativa de entender o que acontece no processo, de ver como as variáveis se comportam e interferem entre si, pois apesar do comportamento humano se mostrar bastante repetitivo (a ponto de um cientista como Richard Dawkins propor que as idéias se comportam como vírus, e que somos seus meros vetores) ainda é suficientemente complexo para não ter sido completamente mapeado. Também por isso os manuais de auto-ajuda fazem tanto sucesso de vendas, do misticismo de Paulo Coelho ao ócio criativo do Domenico De Masi: o que eles trazem é uma tentativa de objetivar o conhecimento, ou antes, a sabedoria necessária para... como é que se diz? A busca da felicidade, como se fosse fácil assim esquadrinhar em instruções tipo ponha-o-pino-A-no-furo-B a sabedoria que advem de muito papo furado, um certo ócio zen, e a preocupação com "o mínimo e o escondido" onde Machado de Assis dizia gostar de enfiar seu nariz. Ou, como preferia Noel Rosa, o samba que não se aprende na escola. E dá um tempo com esse ISO 9000.

* * *

Conclusão? É no mínimo incoerente uma coluna dessas chegar a qualquer conclusão no final. Se você chegou até aqui esperando por uma, é porque não entendeu nada. E o pior é que não adianta reler.


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 8/1/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Filmes de guerra, de outro jeito de Ana Elisa Ribeiro
02. O ato de criação no texto dos artistas (Parte I) de Jardel Dias Cavalcanti
03. Lina Chamie e sua cartografia sentimental de SP de Elisa Andrade Buzzo
04. Lynch, David de Vicente Escudero
05. Meu fiel rádio-relógio de Ana Elisa Ribeiro


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2002
01. Coisas nossas - 23/4/2002
02. Pi, o [fi]lme, e o infinito no alfa - 25/6/2002
03. Ar do palco, ou o xadrez nos tempos da Guerra Fria - 16/4/2002
04. Quando éramos reis, bispos, cavalos... - 9/4/2002
05. Quebrar pratos com Afrodite - 14/5/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
15/1/2002
18h08min
puxa rafael vc está mal e mau mesmo! seu irmão tem nome?
[Leia outros Comentários de maria lucia puty]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O NOME DA ROSA
UMBERTO ECO
RECORD
(1986)
R$ 25,00
+ frete grátis



PATHOLOGIE DU FOIE ÉTUDES CLINIQUES ET BIOLOGIQUES
ÉTIENNE CHABROL
MASSON
(1954)
R$ 39,08



AS GRANDES LIÇOES DA VIDA
HAL URBAN
SEXTANTE
(2004)
R$ 6,90



A FANTASIA DA ELEIÇÃO DIVINA- DEUS E O HOMEM
SERGIO BECKER
COMPANHIA DE FREUD
(2018)
R$ 12,90



LEY DE CONTRATO DE TRABAJO ANOTADA
MARIANO H MARK
LEXISNEXIS
(2005)
R$ 14,70



O RABO DO CACHORRO UMA AVENTURA POP CINCO ESTRELAS
JEAN DI BARROS
TORÓ NA CUCA
(2010)
R$ 10,00



A SÓCIA DO CASAMENTO
CARSON MCCULLERS
ANTARES/NOBEL
(1986)
R$ 12,00



INSPIRAÇÕES E TENDÊNCIAS NOVAS DA EDUCAÇÃO
J. LEIF
COMPANHIA NACIONAL
(1970)
R$ 5,00



VOCÊ SABIA?
READERS DIGEST
READER S DIGEST
(1999)
R$ 23,00



O VELHO DO LIVRO
ROSÂNGELA
PETIT
(2001)
R$ 5,00





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês