A Farsa de 2012 | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
>>> Cisne Negro
>>> Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Micronarrativa e pornografia
Mais Recentes
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Abril Cultural (1985)
>>> Comunidades imaginadas de Benedict Anderson pela Companhia Das Letras (2019)
>>> A Segunda Vitória de Morris West pela Abril Cultural (1985)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Rio Gráfica (1985)
>>> O Fã Clube de Irving Wallace pela Abril Cultural (1985)
>>> Palavra Desordem de Arnaldo Antunes pela Iluminuras (2002)
>>> A Filha Pródiga de Jeffrey Archer pela Nova Cultural (1986)
>>> Escritos Sobre o Racismo, Igualdade e Direitos de André Costa pela Inst. Afirmação de Direitos (2009)
>>> A Origem da Família, Da Propriedade Privada e do Estado de Friedrich Engels pela Boitempo (2019)
>>> Romântico, sedutor e anarquista -Como e por que ler Jorge Amado de Ana Maria Machado pela Companhia Das Letras (2014)
>>> Easy English - Book One - 6a Edição de Nelsi M. de Jesus pela Eden
>>> Dieta das 8 horas de David Zinczenko - Peter Moore pela Sextante (2014)
>>> Law And Ecology The Rise of The Ecosystem Regime de Richard O. Broks/Ross Jones/Ross A.Virgínia pela Asgate Publishing (2002)
>>> Perguntas Perfeitas, Respostas Perfeitas de A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupãda e Bob Cohen pela Bbt (1999)
>>> The Book Thief de Markus Zusak pela Knopf (2007)
>>> O processo civilizador 2: formação do estado e civilização de Norbert Elias pela Zahar (2019)
>>> O Livro das Coisas Perdidas de John Connolly pela Bertrand Brasil (2006)
>>> O Avesso e o Direito de Albert Camus pela Record (1996)
>>> A Encantadora de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2006)
>>> A Semiologia de Pierre Guiraud pela Editorial Presença (1973)
>>> Os Segredos de Uma Encantado de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2020)
>>> Alta Fidelidade de Nick Hornby pela Rocco (1995)
>>> Fonte Viva de Francisco Cândido Xavier pela Feb (2003)
>>> Cozinha de Estar - Receitas Práticas para Receber de Rita Lobo pela Paralela (2012)
>>> Uma janela em Copacabana de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Companhia das letras (2001)
>>> O ateneu de Raul Pompéia pela Estadão (1999)
>>> Deserto de Luis S. Krausz pela Benvirá (2013)
>>> Descomplique a Relação de Robin Prior e Joseph Oconnor pela Best Seller (2005)
>>> O anjo pornográfico - A vida de Nelson Rodrigues de Ruy Castro pela Companhia das letras (1992)
>>> X-9 Maio de 1944 Nº 72 de Diversos Autores pela Riográfica (1944)
>>> Horta em Vasos - 30 projetos passo a passo para cultivar hortaliças,frutas e ervas de Kay Maguire pela Senac (2014)
>>> X-9 Setembro de 1944 Nº 80 de Diversos Autores pela Riográfica (1944)
>>> O Chamado do Cuco de Robert Galbraith pela Rocco (2013)
COLUNAS

Segunda-feira, 28/1/2013
A Farsa de 2012
Gian Danton

+ de 3900 Acessos

2012 foi um ano sui generis. Foi o ano em que a população brasileira deixou de acreditar na mídia, por conta das relações entre a revista Veja e o contraventor Carlinhos Cachoeira. Foi também o ano em que uma restauração desastrosa se transformou em uma obra de arte. Foi o ano de ótimos filmes pipoca e humorísticos que fogem do convencional.

Um dos escândalos que dominaram 2012 foi a investigação sobre o contraventor Carlinhos Cachoeira. Conforme evoluíam as investigações da CPI, mais e mais pessoas iam sendo implicadas, tanto do PT quanto do PSDB. E não demorou para que se descobrissem as estranhas relações entre o editor da Veja em Brasília, Policarpo Júnior, e o contraventor.

Para coroar o caso, a mulher de Cachoeira foi presa ao tentar chantagear o juiz responsável pelo caso com a possibilidade de publicação de um dossiê contra ele na revista Veja.

Como era de se esperar, a CPI do Cachoeira se afogou e acabou não dando em nada. O casamento do contraventor, amplamente divulgado pela mídia, coroou a festa.

Outro fato relevante de 2012 foi a entrevista da ex-primeira-dama Rosane Collor, que marcou exatamente por sua irrelevância.

Aparentemente, sua única motivação era pressionar o marido para aumentar-lhe a pensão. Recém-convertida ao protestantismo, ela soltou pérolas, como "jesuiscidência", e denunciou os rituais de macumba feitos pelo marido. Pode não ter conseguido aumentar a pensão, mas conseguiu seu minuto de fama no Twitter. Alguns dos posts mais interessantes: "Malandra é a Roseane Collor, que ganha 18 mil por mês para falar mal do Collor enquanto o pessoal faz isso de graça", "Aceitou Jesus, mas não aceitou a pensão", "Coitada da Roseane Collor que ganha apenas 18 mil de pensão. Vai ter que vender os produtos da Jequiti pra por um prato de comida na mesa".

Se no cenário nacional, políticos, ex-mulheres, jornalistas e contraventores se uniram para encenar uma farsa, no cenário internacional, uma das notícias que mais repercutiram foi a restauração de uma pintura do século XIX, Ecce Homo, na Igreja de Borja, na Espanha. A restauração, realizada por uma senhora de 80 anos, desfigurou de tal forma a obra original que virou notícia no mundo todo e fez sucesso entre os internautas, que imaginaram como ficariam outras obras de arte após serem reformadas pela idosa.

Curiosamente, a pintura, até então pouco conhecida, tornou-se famosa e turistas passaram a visitar a cidade apenas para ver a obra. Tanto que a igreja passou a cobrar pelas visitas. A idosa chegou a cogitar entrar na justiça, pedindo direitos autorais.

Digno de um ano como esse, o filme O Ditador, estrelado por Sacha Baron Cohen, pode não ter sido tão anárquico quanto Borat, mas mesmo assim trouxe um tipo de humor que foge do lugar comum. As piadas já começam nos nomes: Alladim é o ditador de Wadyia, um país rico em petróleo que está criando sua própria bomba atômica (todos os meus amigos ditadores têm armas atômicas, reclama o protagonista, como uma criança birrada, à certa altura). Para evitar um ataque da ONU, ele precisa ir a Nova York fazer uma declaração. É quando sofre um atentado e é substituído por um sósia. O filme desconstrói as expectativas, fazendo o expectador torcer por um odioso ditador.

Difícil destacar qual a melhor cena. Talvez aquela em que o ditador muda o dicionário, trocando várias palavras pelo seu nome, inclusive positivo e negativo (o médico, com o resultado de um exame na mão pergunta ao paciente se ele quer a informação Aladim ou Aladim) ou aquela em que o ditador precisa aliviar os bolsos de peso e se descobre que ele levou uma garrafa de água de coco, três bananas e dois tijolos, ou a cena em que ele defende os benefícios da ditadura, mas parece estar falando da democracia americana.

Outra comédia politicamente incorreta que vale o registro é Ted, dirigido por Seth MacFarlane (do desenho Uma Família da Pesada), que se tornou famoso depois de o deputado Protógenes Queiroz o assistir com seu filho de 12 anos e pedir a proibição do mesmo.

O filme conta a história de um garotinho solitário que, na noite de Natal, pede ao Papai Noel que seu ursinho de pelúcia ganhe vida. Já adulto, John (Mark Wahlberg) precisa decidir entre manter a amizade de infância com um Ted que usa maconha, bebe e vive com prostitutas, ou o namoro com Lori Collins (Mila Kunis).

É um filme sobre amizade, responsabilidade e desejos. Na analogia com a teoria freudiana, Ted é o ID, o instinto, a realização dos desejos do protagonista. Quando seu dono é criança isso se revela, por exemplo, em passar o tempo jogando videogame ou assistindo Flash Gordon. Quando este se torna um adulto, a realização passa a ser curtir a vida em baladas, com mulheres, bebidas, etc. Se Ted é o ID, a namorada Lori é o Superego. É ela que chama John às responsabilidades da vida, à preocupação com a carreira e com os deveres sociais. John deverá aprender a equilibar-se entre o ID e o Superego, e é sobre essa premissa que o filme se sustenta.

A força de Ted está toda no roteiro, que consegue arrancar gargalhadas, especialmente dos expectadores mais antenados às referências à cultura pop, como a aparição de Flash Gordon no filme.

Na televisão, finalmente tivemos uma novela que balançou os cânones do gênero. Avenida Brasil, de João Emanuel Carneiro, quebrou com o estereótipo da heroína ingênua boazinha. As ótimas interpretações de Débora Falabela, como uma mocinha disposta a qualquer coisa para conseguir sua vingança, e de Adriana Esteves, no papel de uma vilã carismática, deram tridimensionalidade às personagens e cativaram a audiência, num verdadeiro fenômeno que deve mudar para sempre a cara da teledramaturgia brasileira.

Nessa retrospectiva não poderia faltar um filme pipoca e nessa categoria nenhum outro conseguiu ser tão bom quanto Os Vingadores, de Joss Whedon. O diretor mostrou que é fã de quadrinhos e entende como ninguém a sintaxe das histórias Marvel. Ele explora isso com maestria no filme, desde a inevitável briga entre os heróis ao ardiloso vilão, que, no entanto, se revela tridimensional, ou a Viúva Negra, que se mostra de fato uma espiã de talento. Coroando tudo, a melhor cena pós-créditos de filmes Marvel, dando pistas do vilão da sequência.


Gian Danton
Goiânia, 28/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lola de Elisa Andrade Buzzo
02. Eu, personagens de mim de Carina Destempero
03. O Menino que Morre, ou: Joe, o Bárbaro de Duanne Ribeiro
04. Criatividade é transbordamento de Carla Ceres
05. A seleção de Dunga de Humberto Pereira da Silva


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2013
01. E Benício criou a mulher... - 19/8/2013
02. Conservadores e progressistas - 29/7/2013
03. Billy Wilder: o mestre do cinema, parte I - 8/4/2013
04. Procure saber: os novos donos da história - 21/10/2013
05. Biocyberdrama: quadrinhos pós-humanos - 20/12/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DREAMWEAVER 8
SILVANA TAUHATA YNEMINE
VISUAL BOOKS
(2006)
R$ 69,12



A CONDIÇÃO URBANA EDIÇÃO BILINGÜE
JUAN CALZADILLA
LETRAS CONTEMPORÂNEAS
(2005)
R$ 12,00



A INTRUSA
JÚLIA LOPES DE ALMEIDA
PRINCIPIS
(2019)
R$ 33,00



THE PHILOSOPHY OF PERCEPTION
G. J. WARNOCK
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(1968)
R$ 45,28



PICASSO
O CORREIO DA UNESCO Nº 2 FEVEREIRO 1981
FGV (RJ)
(1981)
R$ 19,82



LITERATURA - HISTÓRIA E TEXTO 3
SAMIRA YOUSSEF CAMPEDELLI
SARAIVA
(1995)
R$ 9,00



AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM: PRÁTICAS DE MUDANÇA
CELSO DOS S. VASCONCELLOS
LIBERTAD
(1998)
R$ 35,00



O SEGREDO
RHONDA BYRNE
EDIOURO
(2015)
R$ 20,00



SPAWN 32
MCFARLANE
IMAGE
R$ 5,00



PLANIFICAÇÃO DIDÁCTICA: UMA ABORDAGEM PRÁTICA
JOSÉ AUGUSTO BRITO PACHECO
UNIVERSIDADE DO MINHO
(1990)
R$ 18,98





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês