Uma passagem para a Cachemira | Rafael Azevedo | Digestivo Cultural

busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 18/1/2002
Uma passagem para a Cachemira
Rafael Azevedo

+ de 1900 Acessos

O problema da Cachemira é antigo, e tão insolúvel quanto todos os que assolam há milênios essa região do globo. Envolve irracionalidades imbecis, orgulhos antigos e preconceitos bestas, crenças intolerantes e muita desinformação e desconhecimento de ambas as partes - como todos os conflitos deste tipo que o mundo viveu no último século, da Irlanda do Norte à Faixa de Gaza. A Cachemira, em inglês Kashmir, é um território dividido entre dois países - metade está no noroeste da Índia, e metade no leste do Paquistão - muito louvado, ao longo dos séculos, por inúmeros poetas e escritores, muitos deles ocidentais (entre eles, claro, Kipling), por sua incrível beleza natural - sua paisagem consiste basicamente de grandes planícies verdes, pontilhadas de lagos azuis e cercadas por montanhas altíssimas de cumes sempre brancos. A origem do conflito que a estremece agora, e faz com que estes dois países de tão grande importância na região, muitíssimo populosos, e cujos exércitos possuem tecnologia nuclear, estejam disputando esse pedaço de terra, remonta à 1947, quando a Índia oficialmente tornou-se independente do então-Império Britânico.

A independência seria feita através de uma federação de inúmeros estados, pequenos reinos - mas diante de uma evidente cisão entre as populações muçulmanas e hindus da Índia, que nunca se bicaram (desde as cruéis invasões das hordas moguls que dominaram os indianos por séculos com mão de ferro, mas nos deram belezas como o Taj Mahal) , M. A. Jinnah, o "inventor" do Paquistão, sugeriu que os rajás, marajás, e inúmeros regentes que fizessem parte do que era a Índia Britânica, optassem por pertencer a uma federação de estados islâmicos - separados do estado da Índia, secular, mas de população predominantemente hindu. Formaram-se assim dois estados onde antes havia a grande Índia dos ingleses. Os muçulmanos emigraram em sua grande maioria para os territórios onde se sentiriam mais confortáveis professando sua religião, já que surgiram rumores de que o governo indiano reprimiria todas as minorias não-hindus. Isto, futuramente, revelou-se de todo falso - tanto que hoje a Índia é uma das democracias orientais que atingiram a secularização de maneira mais admirável, possuindo em seu território inúmeras minorias, entre elas muçulmanos, que lá vivem muito bem (existem mais muçulmanos na Índia que no Paquistão, em termos numéricos.) A Leste, um pequeno enclave no meio do território indiano, Bengala, ou o país que hoje se conhece como Bangladesh, com população muçulmana, também optou por separar-se da Índia, tornando-se na época o Paquistão Oriental. Vale ressaltar que, na mais típica tradição oriental, essas escolhas foram feitas sem qualquer critério ou consulta do grande público - foram decisões pessoais das autoridades absolutistas que mandavam e desmandavam no povo local. Assim, o surgimento de conflitos seria inevitável - e foi o que se deu no território da Cachemira. O rajá local, Hari Singh, hindu que reinava com uma corrupta mão-de-ferro sobre uma população muçulmana, aliado por uma corja de burocratas ineptos, optou por permanecer integrado à Índia, por saber que caso seu reino fosse entregue ao Paquistão ele perderia seu poder e poderia até mesmo correr risco de vida. O Paquistão então insuflou, sem muito esforço - impressionante a volatilidade dos muçulmanos, e a facilidade que líderes demagogos encontram para motivar suas massas - a população contra o governo indiano, e iniciou a primeira guerra na região. Hordas de guerreiros islâmicos da etnia pashtun foram trazidos do Afeganistão para auxiliar na "guerra santa" (transportados e armados pela Grã-Bretanha), formaram-se inúmeros grupos de militantes, que passaram gradualmente da luta pela independência e auto-afirmação de seu povo à defesa da pura e simples integração com o Paquistão. Este, ao contrário da Índia, não soube aproveitar um dos grandes legados dos britânicos ao subcontinente - a democracia - e acabou se tornando uma ditadura de direita, ao estilo de uma republiqueta de bananas sul-americana, cujo regime militar apoiava sem pudores qualquer grupo, fundamentalista ou não, que lutasse pela liberação (leia-se anexação) do território da Cachemira. Seguiram-se décadas de tensões na região, atentados horríveis cometidos por grupos paramilitares de ambos os lados (mas mais do lado paquistanês, verdade seja dita), conflitos constantes entre o povo e o que chamam de "forças de ocupação" indianas, e mais uma guerra alguns anos mais tarde. E não é que hoje, parece que o caldo está, de novo, prestes a entornar? Os atentados de dezembro ao Parlamento Indiano foram notoriamente cometidos por organizações terroristas da Cachemira paquistanesa, mais notadamente o Lashkar-e Toiba e o Jaish-e Mohammed, grupos que o presidente (leia-se General) Musharraf do Paquistão se comprometeu (como o Arafat prometeu que faria na Palestina) a acabar desde que se tornou um aliado americano na "Guerra contra o Terror". Congelou algumas contas bancárias, prendeu alguns assassinos notórios - mas parece que isso não é suficiente para a Índia, que o acusa de ainda financiar, por baixo do pano, esses grupos. Exatamente a mesma acusação que Sharon faz a Arafat e, agora, parece ter provas, depois que a polícia israelense apreendeu um navio vindo do Irã lotado de armamento pesado endereçadas à Autoridade Palestina em Gaza. Recentemente, Musharraf fez um pronunciamento considerado histórico pelos americanos, na TV, onde se comprometeu a adotar uma posição firme contra os grupos terroristas da Cachemira. Seguiram-se mais prisões, e mais medidas, tais como a regulamentação das madrassas, escolas islâmicas que, manipuladas por mulás inescrupulosos, estavam se tornando verdadeiras "linhas de montagem" onde crianças têm seus cérebros "lavados" e são transformadas em terroristas internacionais, acreditando piamente serem mujahiddin a serviço de Allah na jihad contra os kaffir.

Não sei não, mas talvez a melhor decisão ainda seria fazer um plebiscito com a população da Cachemira, organizado por uma entidade neutra, para determinar que rumo o conflito deveria tomar. É necessário tirar o conflito das mãos de políticos, sejam eles oficiais (os governos da Índia e do Paquistão) ou clandestinos (os grupos armados que se auto-intitulam representantes do povo) - pois como bem sabemos no Brasil, políticos dificilmente servem para solucionar problemas; pelo contrário, quase sempre a única utilidade deles é criar estes problemas.

Qualquer tipo de fundamentalismo é, fundamentalmente (com o perdão do trocadilho), idiota. Qualquer tipo de luta armada, seja ela de motivação nacionalista, separatista, ou qualquer outra -ista que as estreitas mentes humanas conseguirem inventar, que atinja inocentes alheios à esta luta, está errada, é uma injustiça ainda maior que a injustiça que supostamente tenha motivado esta "luta" e deve ser combatida e coibida, por todos os meios possíveis, pela comunidade internacional. O ETA, o IRA, Al-Qaida, as FARC, o exército revolucionário de Fidel, as guerrilhas sul-americanas que se "opuseram" às ditaduras militares, todos são - ou foram - movimentos criminosos liderados por bandidos assassinos e que custaram a vida de inúmeros inocentes. Parece algo óbvio, mas nesses tempos em que pessoas de intelecto limitado e julgamento precipitado se pronunciam a favor de bin Laden e seu ato bárbaro no World Trade Center - especialmente neste nosso Brasil bananil - é preciso ficar repetindo isso, como um mantra, na vã esperança de espantar os maus espíritos da burrice e da intolerância.


Rafael Azevedo
São Paulo, 18/1/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Em Tempos de Eleição de Marilia Mota Silva


Mais Rafael Azevedo
Mais Acessadas de Rafael Azevedo em 2002
01. Banana Republic - 19/4/2002
02. Terra Papagalli - 22/2/2002
03. Depois do ensaio - 1/3/2002
04. O injustificável - 12/4/2002
05. Vidas Paralelas - 22/3/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESTRATÉGIA DE EMPRESA
FRANCISCO GOMES DE MATOS
MCGRAW-HILL
(1993)
R$ 10,00



COMO VIVER EM HARMONIA COM O CANCER - 1ª EDIÇÃO
CELSO MASSUMOTO
CULTRIX
(2012)
R$ 27,00



ROYAL MARINE COMMANDO 7 - FIQUE EM PERFEITA FORMA
SIMON COOK - TONY TOMS
HEMUS
(1982)
R$ 7,80



NUEVO LISTO - CUADERNO DE EXÁMENES - ESPAÑOL
ROBERTA AMENDOLA
MODERNA
(2012)
R$ 7,00



UMA NOVA VISÃO DO SETOR POSTAL BRASILEIRO
MARIA NEUENSCHWANDER ESCOSTEGUY CARNEIRO
LUMEN JURIS
(2006)
R$ 19,82



HOMEM-ARANHA #122 VIDAS EM RISCO!
MARVEL
PANINI COMICS
(2012)
R$ 15,00



PROJETO BURITI - CIÊNCIAS 5
VIRGINA AOKI
MODERNA
(2009)
R$ 30,00



SEGREDOS DE MULHER A DESCOBERTA DO SAGRADO FEMININO
MARIA SILVIA P ORLOVAS
MADRAS
(2010)
R$ 61,75



MIDAS E SADIM. TUDO O QUE VOCE PRECISA EVITAR PARA TER SUCESSO
RICARDO BELLINO
CAMPUS
(2006)
R$ 5,00



GESTAO DE MARKETING
SERGIO ROBERTO DIAS
SARAIVA
(2003)
R$ 12,00





busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês