Terra Papagalli | Rafael Azevedo | Digestivo Cultural

busca | avançada
50081 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Balé de repertório, D. Quixote estará no Teatro Alfa dia 27/1
>>> Show de Zé Guilherme no Teatro da Rotina marca lançamento do EP ZÉ
>>> Baianas da Vai-Vai são convidadas de roda de conversa no Teatro do Incêndio
>>> Airto Moreira e Flora Purim se despedem dos palcos em duas apresentações no Sesc Belenzinho
>>> Jurema Pessanha apresenta sambas clássicos e contemporâneos no teatro do Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A revista Bizz
>>> O elogio da narrativa
>>> Daumier, um caricaturista contra o poder
>>> Na minha opinião...
>>> Tempo vida poesia 4/5
>>> Torce, retorce, procuro, mas não vejo...
>>> Lambidinha
>>> Lambidinha
>>> 12 tipos de cliente do revisor de textos
>>> A Grande História da Evolução, de Richard Dawkins
Mais Recentes
>>> Cultura 21 Ano 5 de Ernesto Geisel pela Ministério da Educação (1976)
>>> Um Homem no sótão de Ricardo Azevedo pela Atica (2013)
>>> 90 anos de malandragem: contos inspirados nas canções de Bezerra da Silva de Ecio Salles e Julio Ludemir pela Funarte (2018)
>>> Conhecendo os Felinos de Conhecendo os Felinos pela Todo Livro (2006)
>>> Bois Mort de James Sallis pela Folio policier (2003)
>>> Maluquinho pelo Mundo de Ziraldo pela Globinho (2012)
>>> Noivos Vol 2 - Grandes Romances Universais Vol 5 de Alexandre Manzoni pela W. M. Jackson (1963)
>>> 90 anos de malandragem; contos inspirados nas canções de Bezerra da Silva de Ecio Salles e Julio Ludemir pela Funarte (2018)
>>> Les recettes sportives de Desconhecido pela Recettes et (1914)
>>> A harmonia oculta de Bhagwan Shree Rajneesh pela Pensamento
>>> Terminator Salvation - The Official Movie Companion de Tara Bennett pela Titan Books
>>> Cultura 12 Ano 3 de Ernesto Geisel pela Ministério da Educação (1974)
>>> A caminho de casa de W. Bruce Cameron pela Harper Collins (2019)
>>> Cultura y Negocios - Libro de claves de Angel Felices pela Edi Numen (2004)
>>> Précis de Thérapeutique Pharmacologie de A. Richaud pela Masson Et (1919)
>>> A caminho de casa de W. Bruce Cameron pela Harper Collins (2019)
>>> O Tribunal dos Bichos - uma Fábula Em Defesa dos Animais de Vilmar Berna pela Paulus (1997)
>>> Agaguk - Grandes Clássicos da Literatura Em Quadrinhos de Yves Theriault pela Del Prado (2015)
>>> Agaguk - Grandes Clássicos da Literatura Em Quadrinhos de Yves Theriault pela Del Prado (2015)
>>> Law and Entrepreneurship de Robert E. Litan pela Edward Elgar Publishing Limited (2013)
>>> Manuel de Syphiligraphie pratique- La Syphilis et le praticien de H. Drouin pela Vigot Freres (1923)
>>> Todo Poderoso Timão Em Quadrinhos de Ziraldo pela Globo (2009)
>>> Superman Batman Inimigos Públicos de Jeph Loeb pela Dc Comics (2015)
>>> Moby Dick de Francesco Artibani pela Panini Comics (2020)
>>> Visão da realidade de J. Krishnamurti pela Instituição cultural Krishnamurti (1959)
COLUNAS >>> Especial Carnaval

Sexta-feira, 22/2/2002
Terra Papagalli
Rafael Azevedo

+ de 6400 Acessos


Foliões
Acabou o Carnaval. Aos poucos, tudo parece voltar ao normal; a Quarta-feira de Cinzas marca o Ano-Novo Brasileiro. Difícil acreditar que durante quatro ou cinco dias tudo pára no país, e mais difícil ainda tentar explicar isso para um estrangeiro. Na Espanha carnaval é festa infantil.


Berço esplêndido
Em se falando de feriados, somos campões mundiais absolutos, somos hors concours. Ninguém folga tanto quanto nós brazucas. Férias de um mês, ou mais, todo ano, feriados a dar com pau, todo mês um ou dois. Até feriados religiosos temos, ainda. Duvido que capitalismo algum dia dê certo num país assim.


No man's land
Vivemos um momento perigosíssimo no país, e mais especificamente em Sampaulo - a falência total e completa da autoridade e domínio da lei. Acabou. A bandidagem tomou conta, pura e simplesmente; dita os nossos hábitos, impõe os toques de recolher, e faz a cabeça da moçada da periferia, que a cada dia aperta mais o cerco na cidade. A polícia é ineficiente em sua totalidade, e corrupta em sua enorme maioria, despreparada, mal-treinada e mal-armada. As autoridades penitenciárias são tão sujas que aqueles que eles encarceram, quando não mais, e as cadeias e FEBEMs da vida estão caindo aos pedaços e dominadas por facções que continuam com a mesma vida de crimes que levavam fora. Os advogados, juízes, promotores et alii também têm em suas filas grande número de mal-intencionados, coagidos por dinheiro ou canalhice intrínseca mesmo a agirem em benefício do lado errado; e os poucos que se salvam estão presos a um código penal atrasado, uma constituição grotesca, e um sistema jurídico moroso e inepto, mal-feito de nascença e corrompido pelo mau uso.

Somente nos últimos meses sequestraram a filha do apresentador de TV mais famoso do país, e o mantiveram como refém. Levaram também o publicitário mais famoso. Dois prefeitos de grandes cidades do Estado foram assassinados, um deles após ter sido mantido em cativeiro por 24 horas. Sem contar os milhares de anônimos que vivenciam isso todos os dias, todas as horas. Nessa semana, um moleque de 16 anos, trocando tiros com a polícia (!), invadiu com o carro roubado que dirigia os jardins do Palácio do Governo. Se isso ainda não é motivo para que se tome alguma medida drástica, exército nas ruas, ou algo do tipo, eu já não sei mais nada.


Os hómi
Observando ainda os boletins policias, fornecidos às pencas pelos meios de comunicação brasileiros, que descobriram a rentabilidade do ramo folhetinesco em programas como Cidade Alerta, percebe-se que na absoluta maioria das vezes, a polícia deixa escapar alguém da "quadrilha", nas diversas ocorrências e perseguições. Dificilmente, para não dizer quase nunca, ele prendem todos. Das duas uma: ou é incompetência máxima, ou tá chovendo cascalho na mão deles.


Wasteland
Ainda que em São Paulo, supostamente a maior cidade da América Latrina, a sensação que se tem é de se estar no submundo cultural. Não há uma peça minimamente decente em cartaz, um concertozinho sequer. Dizem que a vida cultural de Buenos Aires, em tempos de cacerolazo, é mais completa. Ouço que a OSESP, de John Neschling, está gravando um disco... que façam bom proveito.


Paneleiros
Enquanto isso, se abrimos um dos cadernos culturais dos dois maiores jornais da cidade, a impressão é a oposta. Parece que vivemos em uma das capitais do mundo, numa Roma mulata, como diria o Darcy. Abundam, literalmente, eventos de segunda, vernissages de desconhecidos, balés gays, exposições de esculturas pós-modernas, peças de teatro cheias de gente gritando e tirando a roupa. Parece que só o lixo da cultura mundial desembarca por nossas praias, desde que Pero Vaz cá aportou. E o mais engraçado é que os responsáveis por todo esse detrito são amigos, muitas vezes pessoais, de quem o comenta (e elogia). Isso é mau-caratismo puro.


Tutti buona gente
A ausência da autoridade, que mencionei acima, não se reflete somente na criminalidade - embora essa seja sua faceta mais incômoda. Ela está presente mais que nunca no início de todo ano, nessa época de chuvas torrenciais (quem mandou viverem nestes tristes tropiques?). A cidade alaga, ponto. Não há o que se fazer, a não ser largar o carro na rua, mudar os móveis de lugar. Isso seria inaceitável em qualquer outro lugar, motivo de revolta popular. Mas ainda não tivemos nossa revolução francesa. Nada parece mudar, ao sul do Equador; aqui provavelmente a massa ignara votará nos mesmos políticos que vêm assombrando o país há dez, quinze, vinte anos atrás. Uma ou outra carinha diferente aparece de vez em quando, e logo demonstra ser farinha do mesmo saco. Novas pessoas, novas idéias, gente dotada de um mínimo de inteligência e boa vontade? Inexiste. Aqui a política é ainda mais suja e mal-vista que no resto do mundo; é, como a atividade policial, exercida por quem não tem talento para mais nada.


Semana de 1922
Oitenta anos da semana de 22. "Semana de Arte Moderna". Hmmm... alguém aí sabe me dizer o que essas pessoas, os Andrade, Anita Malfatti, e o resto da cambada, trouxeram de valor para a arte mundial? Algo que se aprofunde, ainda que levemente, mais do que simplesmente o "novo pelo novo" - que em boa parte dos casos equivale ao mais puro charlatanismo - e que mereça com que essa tal semana tenha alguma relevância? Eu não faço idéia. Há algo de bom em Di Cavalcanti, e Portinari não é de todo ruim; mas Mário de Andrade não passou de músico frustrado e escritor incompetente - seu Macunaíma é ilegível - e Oswald não passava de um fanfarrão com pretensões de gênio. Anita nos assusta com seu hediondo Abaporu, que, graças a Deus, foi comprado por um argentino e já deve estar bem longe do Brasil.

Além disso, uma herança direta desse "movimento" foram charlatanices pós-modernas como o concreti(ni)smo, os irmões (sic) Campos... coisas que por si só tornariam obrigatória a execração pública dessa semana por toda história do Brasil, por todo mundo que tenha um mínimo de interesse em arte. Quantas gerações de pessoas que poderiam ter algum interesse por cultura e arte não tiveram esses mesmos interesses aniquilados quando ouviram algum poemeto do Haroldo com trilha sonora do Arnaldo Antunes, ou leram aquele célebre do Augusto em forma de chuva?


Rafael Azevedo
São Paulo, 22/2/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho de Marcelo Spalding


Mais Rafael Azevedo
Mais Acessadas de Rafael Azevedo em 2002
01. Banana Republic - 19/4/2002
02. Terra Papagalli - 22/2/2002
03. Depois do ensaio - 1/3/2002
04. O injustificável - 12/4/2002
05. Vidas Paralelas - 22/3/2002


Mais Especial Carnaval
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Morte do Imortal
Lauro Cesar Muniz
Brasiliense
(1966)



Memórias Póstumas de Brás Cubas - Série Bom Livro
Machado de Assis
Ática
(1970)



Carta de Crédito e Upc 500 ( Comentada)
Rómulo Francisco Vera del Carpio
Aduaneiras
(1996)



Desenvolvimento Gerencial, Estrategia e Competitividade
Maria do Carmo Schmidt
Intersaberes
(2012)



Its a Big World, Little Pig!
Kristi Yamaguchi / Tim Bowers Ilustrador
Sourcebooks
(2012)



Educação Pessoal
Educação Pessoal
Pensamento



Wayne de gotham
Tracy Hickman
Casa Da Palavra
(2013)



Adaptação do Livro Esperança para a Família
Willie e Elaine Oliver
Nosso Amiguinho



A Profecia Celestina
Marcos Santarrita; James Redfield
Objetiva
(1993)



The One Thing
Gary Keller; Jay Papasan
Bard
(2013)





busca | avançada
50081 visitas/dia
1,9 milhão/mês