Elogio ao cabelo branco | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
44531 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto cultural leva cinema até paradas de descanso de caminhoneiros
>>> HOMENS NO DIVÃ Ano XV
>>> Paulo Goulart Filho é S. Francisco de Assis na peça de Dario Fo
>>> Momo e o Senhor do Tempo estreia dia 15 de janeiro
>>> Rafa Castro leva canções de Teletransportar ao palco do Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
Blogueiros
Mais Recentes
>>> No Festival de Curitiba 2010
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> O balé dos coletivos
>>> Meu malvado favorito
>>> Django Unchained, de Quentin Tarantino
>>> E não sobrou nenhum (o caso dos dez negrinhos)
>>> Vamos pensar: duas coisas sobre home office
>>> Leituras, leitores e livros – Final
>>> A culpa é dos escritores, também
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
Mais Recentes
>>> Ocupação Maria e Hebert Duschenes de Itaú Cultural - Maria e Hebert Duschenes pela Itaú Cultural (2016)
>>> Fushigi Yugi Vol. 27 de Yu Watanabe pela Conrad (2004)
>>> Revista Pegn Pequenas Empresas N. 328 Maio 2016 - Família Hope de Globo pela Globo (2016)
>>> Contos de Perrault - Ruth Rocha de Ruth Rocha / Cárcamo Ilustrador pela Salamandra (2010)
>>> A Estréia do Novo Namor N°42 - Grandes Herois Marvel de John Byrne pela Abril (1993)
>>> Revista Marie Claire N. 302 Maio 2016 Capa Julianne Moore de Revista Marie Claire pela Globo (2016)
>>> Teias do Passado de Amarilis de / Salles Oliveira pela Mundo Maior (2003)
>>> O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint Exupéry pela O Pequeno Príncipe
>>> Revista Harpers Bazaar Brasil Nº 52 Capa Amanda Wellsh de Harpers Bazar Brasil pela Carta Editorial (2016)
>>> Portugal (aa Essential Spiral Guides) de Automobile Association Publishing pela Automobile Association Publish (2008)
>>> Lance Corinthians Campeão Paulista 2017 1º e 2º Jogos Finais de Jornal Lance pela Jornal Lance (2017)
>>> O Irremediável - Moíses e o Espírito Trágico do Judaísmo de Santiago Kovadloff pela José Olympio (2005)
>>> Contos de Perrault - Ruth Rocha de Ruth Rocha / Cárcamo Ilustrador pela Salamandra (2010)
>>> Contos de Perrault - Ruth Rocha de Ruth Rocha / Cárcamo Ilustrador pela Salamandra (2010)
>>> Revista Roadie Crew 1986 - Heavy Rock no Mainstream 86 Discos Coment de Roadie Crew pela Roadie Crew (2016)
>>> A Nova Constituição Para as Crianças de Luiz Orlando Carneiro; Inês Carneiro Cavalcanti pela Banerj
>>> Sobre a Leitura de Marcel Proust / Carlos Vogt Tradutor pela Pontes (1989)
>>> Robinson Crusoé - Reencontro Infantil de Daniel Defoe - Laura Bacellar Adap Ivan Zigg Ilust pela Scipione (2012)
>>> Revista Lance! - Timão da América Libertadores 2012 - Corinthians de Revista Lance - Corinthians pela Lance (2012)
>>> Revista Pôster Homem de Aço Especial Super-heroi Preview de Sampa pela Sampa
>>> Superman - os Novos 52 - Avante! Nª 29 de Dc Comics pela Panini Comics (2014)
>>> Revista Lance! - Timão da América Libertadores 2012 - Corinthians de Revista Lance - Corinthians pela Lance (2012)
>>> Save Big - Cut Your Top 5 Costs and Save Thousands! de Elisabeth Leamy pela Wiley (2010)
>>> Diário de um Banana 1 - um Romance Em Quadrinhos de Jeff Kinney pela Vergara & Riba (2014)
>>> Disney - um Sonho de Princesa - Livro para Gravar de Disney / Caramelo pela Caramelo (2010)
COLUNAS

Sexta-feira, 16/8/2013
Elogio ao cabelo branco
Ana Elisa Ribeiro

+ de 6800 Acessos

Os cabelos brancos são incomuns em minha família. Quem os podia ter, mantinha-os pintados de um castanho claro bastante convincente. O avô mais velho ostentava, desde sempre, uns cabelos prateados que em nada se pareciam com algo deselegante. Jeitosos e frequentemente penteados - com um pequeno pente de bolso -, esses cabelos foram motivo, a vida toda, de comentários elogiosos. É daí que conheço o mito do "homem grisalho charmoso".

Entre os parentes ainda mais próximos, vi reproduzido o mesmo expediente: a mãe com um castanho calculado, uma mistura de duas tinturas, para obter um resultado menos artificial. O pai de cabelos eternamente pretos, naturais, com leves insinuações de fios brancos na barba e nas costeletas.

Não somos uma família em que os fios brancos são precoces. Nenhum tio, nenhum primo. Não posso afirmar sobre as mulheres justamente porque nem elas mesmas devem se lembrar da última vez em que viram seus cabelos como são. Fica, então, a história camuflada dos fios de cabelo e, talvez, do envelhecer dessas pessoas. E a mim? O que caberia?

Certa vez, diante de Angela Lago, autora de literatura infantil que admiro muito, tomei coragem e elogiei seus branquíssimos cabelos curtos. Ela, com aquele olhar sorridente, me respondeu dizendo que "depois de certa idade, o branco traz um semblante de paz". Achei bonito, mas a baliza da "certa idade" ainda me desconcertou. O mesmo talvez eu dissesse a Adélia Prado, aquela senhora poeta mineira, que também traz sobre si uma coroa de fios branquíssimos. Quantos conselhos sobre isso ela deve ter enfrentado na vida? E quantos ela solenemente desconsiderou?

É, então, algo em que ponho reparo, desde sempre. Mas nem sei se sempre achei bonito ou interessante. Na verdade, meu incômodo vem das questões com a liberdade e os moldes - não modelos - que configuram o comportamento estético de uma mulher, em nossa sociedade.

Não quero enveredar por um discurso feminista ou cansativo. Quero mesmo é me lembrar da minha trajetória até o momento em que decidi que meus fios brancos ficariam como estão. E já estão há algum tempo.

Minha amiga, professora da Universidade Federal de São Carlos, tem os cabelos médios extraordinariamente grisalhos. E eu disse isso a ela, certa vez, prevendo meu futuro. Mas eu também investigava, junto ao meu elogio, como ela suportava a vida sendo uma mulher grisalha. E, sim, ela tinha umas experiências a contar.

Quantas pessoas se admiraram, ao me ver de perto, com meus fios longamente brancos? Quantas, quase desconhecidas, me deram conselhos sobre desleixo, cuidados, estética, feminilidade e tinturas? Quantos já me disseram, em tom tão delicado quanto auxiliar, que o cabelo branco me envelhece? Ah, caros, é bem o contrário: o envelhecimento é que os traz. Mas afora as questões de cronologia e lógica, estou diante de um conflito entre o que sou e o que devo ser.

Até hoje, desobedeci, francamente, a todos os conselhos, de amigos ou não, sobre cabelos brancos. Também desprezei as indicações de cor e técnica. Balaiagem pode despistar. Não vem ao caso. Mesmo nos salões de beleza, onde minhas características saltam mais aos olhos, tenho me esquivado dos desejos alheios para dar vazão aos meus. E vamos ficando assim, enquanto dura a persistência.

É teimosia? Não creio. É apenas o que é. Simples como as unhas crescerem e as rugas surgirem são os cabelos embranquecerem. Ou não? Curiosamente, isso não me parece extraordinário. Nem nos outros, nem em mim mesma. Onde está minha beleza? Se há alguma, está num conjunto e talvez na pinta ao lado do olho.

Os fios brancos vêm do couro cabeludo e descem até as espáduas. São transgressores, vivazes, destacam-se dos outros fios, tão mais, que são pretos. Fogem do alinhamento de tudo, esvoaçam mais transparentes. Ao contrário dos velhos da cidade, os fios brancos são pouco penteáveis. Alguns, para minha surpresa, são degradê. Vão ficando brancos, numa trajetória que deve ter ocorrido junto com os fatos da vida. Vão ficando mais duros e menos conciliáveis.

Li, numa revista, que os homens andavam platinando os cabelos pretos. Oh, céus! Para homens, isso é platinar. Quantos discursos não temos para nos driblar. Apenas às muito velhas é permitido desistir de se parecerem jovens. Que xampu é esse que deixa seus cabelos de um cinza lindo?

E então, vivia eu, plenamente, meu conflito entre os outros e meu cabelo, quando um amigo, terrivelmente doce, ao falarmos sobre alguma foto em que meus fios alvos apareciam em destaque, disse: "Deixa assim. Isso te dá um charme". Não foi pequeno meu susto ao ouvir um homem dizer o que quase ninguém diz, especialmente a uma mulher. Uma mulher charmosa não costumava ser a grisalha. Não sou ainda isso, mas posso vir a ser. E alguém me acharia, então, charmosa? É isso o que me anima a sempre pensar que há gosto para tudo, neste mundo. O discurso da diversidade é uma brincadeira, eu sei. Ele, geralmente, não passa de meia dúzia de frases na boca da maioria das pessoas. É, ainda, necessário se "encaixar". Mas quando um homem diz que está tudo bem, é pra se comemorar. E quando uma mulher me disser isso - o que é mais difícil -, vou achar que ainda é tempo de a gente viver como quer, inclusive com os cabelos.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 16/8/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um safra de documentários de poesia e poetas de Elisa Andrade Buzzo
02. Livro policial baleia leitora de Ana Elisa Ribeiro


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2013
01. Elogio ao cabelo branco - 16/8/2013
02. O fim e o café solúvel - 26/4/2013
03. A bibliotecária de plantão - 18/10/2013
04. Coisas que eu queria saber fazer - 18/1/2013
05. Se ele não me lê - 8/3/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sinal verde
Francisco Cândido Xavier
Ceac



Sistema Pleno de Pesquisa: Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias
Vários Autores
Rideel
(2007)



Anglo Saxon Attitudes
Angus Wilson
Penguin Books
(1978)



Espumas Flutuantes - Obra Completa
Castro Alves
Nucleo
(1997)



Segredos para Ser Bem-sucedido Em Discursos e Apresentações
Gordon Bell
Nobel
(1992)



Conhecimentos Elementares de Comércio Exterior e Câmbio 2ª Edição
Antonio Maximiano Nicoletti
Aduaneiras
(1990)



Marx como Pensador Novos resultados do trabalho de pesquisa sobre sua obra e biografia
Rolf Hecker
Anita Garibaldi
(2011)
+ frete grátis



Deus Espera Por Mim
Michel Quoist
Paulus
(1994)



Detectives From Scotland Yard - Stage 1
L. G. Alexander
Longman
(1976)



Das Emoções
Ligia de Oliveira Leite
Massao Ohno Editor
(1999)





busca | avançada
44531 visitas/dia
1,9 milhão/mês