Senhorita K | Carina Destempero | Digestivo Cultural

busca | avançada
48334 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Residência Artística FAAP São Paulo realiza Open Studio neste sábado
>>> CONHEÇA OS VENCEDORES DO PRÊMIO IMPACTOS POSITIVOS 2022
>>> Espetáculo 'Figural', direçãod e Antonio Nóbrega | Sesc Bom Retiro
>>> Escritas de SI(DA) - o HIV/Aids na literatura brasileira
>>> Com Rincon Sapiência, Samanta Luz prepara quiche vegana no Sabor & Luz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Road Warrior
>>> O crime da torta de morango
>>> PT saudações
>>> Oscar Wilde, dândi imortal
>>> 30 de Novembro #digestivo10anos
>>> Uma história do Jazz
>>> Quando morre uma paixão
>>> Debate Democrata na CNN
>>> Blogo, logo existo
Mais Recentes
>>> Bhagavad Gita de Krishna pela Martin Claret (2005)
>>> Cyrano de Bergerac (capa dura) de Edmond Rostand pela Nova Cultural (2002)
>>> A arte de amar de Ovídio pela L&PM Pocket (2010)
>>> A Única Coisa de Gary Keller; Jay Papasan pela Novo Século (2014)
>>> Prestígio e Personalidade de Lewis Victor pela Ediouro
>>> Maze Runner: Ordem de Extermínio de James Dashner pela V&R (2013)
>>> A Semente da Vitória de Nuno Cobra pela Senac (2002)
>>> Maze Runner: A Cura Mortal de James Dashner pela V&R (2012)
>>> Maze Runner: Prova de Fogo de James Dashner pela V&R (2011)
>>> Perto do Coração Selvagem de Clarice Lispector pela Folha de S.Paulo (2017)
>>> Maze Runner: Correr ou Morrer de James Dashner pela V&R (2010)
>>> O Livro dos 5 Anéis de Miyamoto Musashi pela Madras (2005)
>>> A Resposta do Mar de Rubens Paulo Gonçalves pela Alegro (2000)
>>> Como Planejar Sua Vida! de Dernizo Pagnoncelli pela Publit (2014)
>>> Fantasmas de Antonio Carlos Neves pela Saraiva (2006)
>>> Mal-Entendido em Moscou de Simone de Beauvoir pela Folha de S.Paulo (2017)
>>> 40 Dias de Amor - Princípios de Relacionamento de Jesus de Tom Holladay pela Vida (2017)
>>> A Caçadora de Bruxos - Magia. Traição. Sacrifício. de Virginia Boecker pela Record (2016)
>>> Noite de Érico Veríssimo pela Círculo do Livro (1986)
>>> Maldosas - Pretty Little Liars de Sara Shepard pela Rocco (2010)
>>> Exercícios de Matemática - Revisão do Ensino Fundamental - Volume 1 de Álvaro Zimmermann Aranha; Manoel Benedito Rodrigues pela Policarpo (1994)
>>> Anjos Caidos e as Origens do Mal de Elizabethe Prophet pela Nova Era (2002)
>>> Ozônio: Aliado e Inimigo de Vera Lucia Duarte de Novais pela Scipione (2006)
>>> A Ultima Carta de Amor de Jojo Moyes pela Intrínseca (2016)
>>> O Novo Mapa do Mundo de Demétrio Magnoli pela Moderna (1993)
COLUNAS

Segunda-feira, 16/12/2013
Senhorita K
Carina Destempero

+ de 7800 Acessos

A culpa é o que usamos para não assumir nossa responsabilidade.

Isso pode parecer confuso, tendo em vista que muitas vezes usamos essas palavras como sinônimos, mas fato é que elas são quase opostas. A culpa, principalmente aquela que sentimos em relação ao outro, ou aquela que depositamos no outro como motivo de algo que julgamos errado na nossa vida, serve para nos distrair, para nos ocupar. Dizemos que é horrível sentirmo-nos culpados em relação a algo ou alguém, mas muito pior que isso é parar e olhar para o que podemos fazer em relação a isso, e, mais ainda, de fato fazê-lo. Senhorita K, a protagonista do livro de poemas de Marcos Bassini - que é intitulado com o nome da personagem -, sabe bem disso. Uma menina que se sentia culpada em relação à mãe, uma jovem que se sentia culpada frente a uma decisão difícil, uma mulher que culpava o marido pelo seu infortúnio. Lendo, se colocando do lado de fora, é muito fácil dizer, Que absurdo, a felicidade depende de cada um, não podemos colocar a culpa de nossa tristeza nos outros, mas quantas vezes não fazemos isso? Não deixamos de fazer coisas dizendo que é pelo outro - pela mãe, pelo namorado, pelo filho, pelo Bem Maior - e depois nos pegamos reclamando? Aí é que entra a virada de Senhorita K - e, com sorte, a de cada um de nós. Ao perceber que mesmo quando deixo de fazer algo pelo outro, quem deixou de fazer fui eu. Pode parecer algo pesado se você levar, mais uma vez, pro lado da culpa, Como fui idiota, não devia ter pensado em ninguém, etc. Mas se você pensa, Bom, foi uma decisão minha, talvez não tenha sido a melhor, mas fui eu quem a tomei, e posso fazer diferente da próxima vez, isso abre toda uma nova perspectiva, como Senhorita K começa a entender no poema abaixo:

Quando o outro lhe fala Rua, Senhorita K tem que se encontrar com o fato de que o outro talvez não queira mais carregar a culpa que ela lhe impõe. E agora? Seria fácil cair pro outro lado e passar a colocar a culpa, mais uma vez, em si mesma, ou então continuar tentando culpar algum outro. Mas não é isso que acontece. Como vemos no próximo poema, a partir da recusa do outro algo em Senhorita K sofre um abalo, e a questão da culpa perde espaço frente a motivações e escolhas, ou seja, responsabilidade.

Escolhi esses dois exemplos porque são não só poemas lindos, como escritos que nos fazem pensar em muita coisa. Mas a verdade é que o livro inteiro é assim. Um livro de poesia, com uma protagonista, uma história, pontos de virada, meio roteiro, meio romance, e tudo isso com uma pitada de história e política. É um livro que nos faz sentir, sonhar, e, acima de tudo, pensar. Se eu fosse você, corria pra ler logo, pra não precisar se chicotear depois com a culpa de Por que não li isso antes?


Carina Destempero
Rio de Janeiro, 16/12/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Alice in Chains, por David De Sola de Luís Fernando Amâncio
02. Competição de Daniel Bushatsky
03. Bruce, Bane e Batman de Vicente Escudero
04. Ribamar, de José Castello de Isabel Furini
05. Cinema futuro: projeções de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Carina Destempero
Mais Acessadas de Carina Destempero em 2013
01. Senhorita K - 16/12/2013
02. O amor é um jogo que ganha quem se perde - 18/11/2013
03. Canção de som e fúria - 14/10/2013
04. Garanto que você não vai gostar - 6/5/2013
05. Não era pra ser assim - 11/7/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Analise de Crédito e Risco
Chrystian Marcelo Rodrigues
Ibpex
(2011)



Alô Chics - Etiqueta Contemporânea
Gloria Kalil
ediouro
(2007)



Guia prático de Astrologia
Bel-Adar
Pensamento
(1993)



Coleção de Olho no Mundo Corpo Humano (2000)
Abril
Abril
(2000)



Fala Serio, Pai!
Thalita Rebouças
Rocco Jovens Leitores
(2013)



João Pernambuco - a Arte de um Povo
José de Souza Leal / Artur Luiz Barbosa
Funarte
(1982)



Fenômenos Pseudo-reais
Edson Orphanake
tríade
(1990)



Formaturas Infernais
Meg Cabot
Galera
(2009)



As 75 Melhores Decisões Administrativas de Todos os Tempo
Stuart Crainer
Manole
(2002)



Quem me dera ser felix
Júlio Wmilio Braz
Do Brasil
(2001)





busca | avançada
48334 visitas/dia
1,6 milhão/mês