O Trovador, romance de Rodrigo Garcia Lopes | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
>>> Zé Guilherme canta Orlando Silva em show no YouTube no dia 26 de setembro
>>> Setembro Amarelo é tema de EntreMeios especial com Zé Guilherme e Leliane Moreira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
>>> Rodrigo Gurgel entrevista Yuri Vieira
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Das Kunstwerk der Zukunft
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> O paraíso de Henry Miller
>>> Band On The Run
>>> Linguagem, Espaço, Máquina
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> A arte como destino do ser
>>> A indigência do rock e a volta dos dinossauros
>>> 16 de Maio #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> A sombra do poder: Martinho de Melo e Castro e a administração da Capitania De Minas Gerais (1770-1795) de Virgínia Maria Trindade Valadares pela Hucitec
>>> A Revolta da Vacina de Sevcenko, Nicolau pela UNESP
>>> A quebra da mola real das sociedades: A crise política do antigo regime Português na província do Grão-Pará (1821-1825) de André Roberto Arruda Machado pela Hucitec
>>> A paz das senzalas: Famílias Escravas e Tráfico Atlântico C.1790- C.1850 de Florentino, Manolo pela UNESP
>>> A outra Independência: O Federalismo Pernambucano de 1817 a 1824 de Mello, Evaldo Cabral de pela 34
>>> A História do Brazil de Frei Vicente do Salvador. História e Política no Império Português do Século XVII de Maria Lêda Oliveira pela Versal
>>> A experiência do tempo: Conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1831-1845) de Araújo, Valdei Lopes de pela Hucitec
>>> A Educação Pela Noite de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul
>>> A Diplomacia na Construção do Brasil. 1750-2016 de Rubens Ricupero pela Versal
>>> A Corte na Aldeia de Vários Autores pela Verbo
>>> A Companhia de Jesus na América por Seus Colégios e Fazendas de Márcia Amantino and Carlos Engemann pela Garamond Universitaria
>>> A carne e o sangue: A Imperatriz D. Leopoldina, D. Pedro I e Domitila, a Marquesa de Santos de Priore, Mary de pela Rocco
>>> 1889: Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da Monarquia e a de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1822: Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram dom Pedro a criar o Brasil - um de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 130 Anos: Em Busca Da República de Lessa, Renato; Wehling, Arno; Franco, Gustavo; Tavares Guerreiro, José Alexa pela Editora Intrínseca
>>> Arte de Gramática da Língua Mais Usada na Costa do Brasil de José de Anchieta pela EdUFBA (2014)
>>> Inglorious Revolution de William R. Summerhill pela Yale University Press (2015)
>>> O governo das conquistas do Norte de Fabiano Vilaça dos Santos pela Annablume (2011)
>>> O sol e a sombra de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (2006)
>>> Amazon Frontier - the defeat of the Brazilian Indians de John Hemming pela Papermac (1995)
>>> International Law de Malcolm Evans (edited by) pela Oxford University Press (2014)
>>> Complete International Law: Text, Cases, and Materials de Ademola Abass pela Oxford University Press (2014)
>>> Salvador de Sá and the struggle for Brazil and Angola, 1602 - 1686 de C. R. Boxer pela University of London (1952)
>>> Instituições Políticas Brasileiras de Oliveira Vianna pela Senado Federal (2019)
>>> O populismo e sua história - debate e crítica de Jorge Ferreira (Org.) pela Civilização Brasileira (2001)
>>> Marxismo e Judaísmo - história de uma relação difícil de Arlene Clemesha pela Boitempo (1998)
>>> Trópico dos pecados de Ronaldo Vainfas pela Civilização Brasileira (2014)
>>> Brasil: formação do Estado e da Nação de István Jancsó (Org.) pela Hucitec (2011)
>>> História da Vida Privada em Portugal - 4º Volume (Os nossos dias) de José Mattoso pela Temas e Debates (2011)
>>> História de Angola - da Pré-História ao Início do Século XXI de Alberto Oliveira Pinto pela Mercado de Letras (2016)
>>> Visconde do Uruguai de José Murilo de Carvalho (Org.) pela 34 (2002)
>>> A ilusão americana de Eduardo Prado pela Alfa Omega (2001)
>>> Postmodernism or, the cultural logic of late capitalism de Fredric Jameson pela Duke University Press (1992)
>>> The Established and the Outsiders de Norbert Elias and John L. Scotson pela Sage Publications (2017)
>>> The Satanic Verses de Salman Rushdie pela Randon House (2019)
>>> Los detectives salvajes de Roberto Bolaño pela Vintage Español (2010)
>>> Voices from Chernobyl de Svetlana Alexievich pela Dalkey Archive Press (2005)
>>> O Norte Agrário e o Império, 1871 - 1889 de Evaldo Cabral de Mello pela Topbooks (2008)
>>> Worlds of Labour - further studies in the history of labour de Eric J. Hobsbawm pela Weidenfeld and Nicolson (1984)
>>> Formação da Literatura Brasileira - Momentos Decisivos de Antonio Candido pela Ouro sobre Azul (2014)
>>> História do Brasil: uma interpretação de Carlos Guilherme Mota e Adriana Lopez pela 34 (2015)
>>> História Concisa da Literatura Brasileira de Alfredo Bosi pela Cultrix (2015)
>>> A literatura portuguesa de Massaud Moisés pela Cultrix (2010)
>>> História da Literatura Brasileira Vol. I - Das origens ao Romantismo de Massaud Moisés pela Cultrix (2012)
>>> História da Literatura Brasileira Vol. II - Do Realismo à Belle Époque de Massaud Moisés pela Cultrix (2016)
>>> Bundas 12 Fernandona uma lição de cidadania de Diversos Autores pela Perere (1999)
>>> História da Literatura Brasileira Vol. III - Desvairismo e Tendências Contemporâneas de Massaud Moisés pela Cultrix (2019)
>>> Independência e Morte - Política e Emancipação do Brasil, 1821 - 1823 de Helio Franchini Neto pela Topbooks (2019)
>>> Das cores do silêncio de Hebe Mattos pela Unicamp (2015)
COLUNAS

Terça-feira, 11/11/2014
O Trovador, romance de Rodrigo Garcia Lopes
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 4100 Acessos

Agraciado pela Bolsa Funarte de Criação Literária, o poeta, tradutor, músico e ensaísta Rodrigo Garcia Lopes acaba de publicar pela Editora Record o seu primeiro romance: O Trovador.

Trata-se de um romance policial, que tem como centro da narrativa o desvendamento de uma série de assassinatos, crimes e trambiques comerciais envolvendo empresas, autoridades públicas e membros da corte inglesa. A partir das pistas contidas em um poema provençal, e da busca, dentro deste poema, pelo significado da palavra Noigandres, Adam Blake (personagem chave do livro, espécie de detetive-tradutor) envolve-se numa trama perigosíssima que tem como objetivo desvendar os crimes a partir do próprio entendimento do poema e das pistas ali escondidas.

Para a criação de O Trovador o autor partiu da ideia da semelhança entre a tarefa do tradutor e a do detetive: "Comecei a enxergar algo de detetive no poeta e no tradutor. Como o tradutor, o detetive tem que reconstruir um texto, decifrar o que o autor quis dizer, discernir pistas verdadeiras das falsas, recuperar o momento da criação do poema", diz Rodrigo Garcia Lopes, em entrevista a Manoela Sawitzki.

Outra ideia que serve como base para a construção da narrativa de O Trovador é a do "assassinato como uma das belas artes" (referência ao escritor inglês Thomas De Quincey). No romance, os crimes e a constituição engenhosa das pistas deixadas pelo assassino se transformam em verdadeira obra a ser decifrada pelo detetive, que assim se faz também intérprete-tradutor.

Mas muito além de sua intrincada trama policial, o romance reconstitui a história da colonização da cidade de Londrina nos anos 1930, momento em que se dava nas terras paranaenses a exploração comercial do café e da madeira pela empresa inglesa Paraná Plantation Limited.

Não querendo destruir o prazer do leitor, deixaremos de comentar detalhes do enredo do livro. Interessa-nos mais aqui falar sobre a estrutura do romance.

Historiadores em geral não sabem narrar. O passado que reconstroem é, além de frio, dominado por uma suposta "verdade objetiva" que os documentos prometem revelar. O caso do escritor é diferente. A história que ele recupera se inscreve numa outra forma de apreensão do tempo, do espaço e da vida. É o que Rodrigo Garcia Lopes faz em seu romance, elaborando através da ficção, que funciona quase como uma cápsula do tempo, o encontro vivo e radiante entre fatos históricos (colonialismo), situação geográfica (Londrina nos anos 1930), tensões existenciais (amor, desejo, poder), natureza e cultura (a busca pelo eldorado).

Para compor as 400 páginas de seu romance, fica evidente a grande pesquisa que o autor fez, selecionando materiais de várias áreas: de documentos empresariais e fotografias de época aos estudos sobre as preocupações e tensões político-econômicas do período. Tudo tão bem amarrado que o leitor, ao mesmo tempo em que sente a presença da história, percebe-se dentro da dinâmica da natureza humana no momento da construção de sua própria existência como agente dos fatos.

A questão lapidar é que o autor consegue dar vida à história, imprimindo-a no próprio corpo dos personagens, nas suas angústias diárias (como, por exemplo, a tensão que os emigrantes judeus sentem com o avanço do Nazismo na Europa). Isso faz de Rodrigo Garcia Lopes um grande escritor, que imprime no cerne da própria narrativa as reflexões que pretende expor. Não teoriza sobre os acontecimentos, mas inscreve-os na dinâmica interna de cada personagem, nas suas ações dentro de cada desdobramento do romance.

Para jogar o leitor dentro da trama, com se ele tivesse voltado no tempo, Rodrigo lança mão de descrições minuciosas do espaço físico e da presença humana em relação com esse espaço, reproduzindo a sensação causada pelo cheiro da terra, pelo calor, pelas chuvas, pelo odor das bebidas, cigarro e perfume das mulheres, pela imagem da rusticidade das matas virgens, pelo vento e pela cor do solo. Mas esses elementos jamais se estruturam apenas como simples pano de fundo para os personagens terem chão ou como material enfadonho e descartável. Ao contrário, interagem com as sensações vividas pelos personagens, seu estado de alma, seu dinamismo na trama.

Rodrigo Garcia Lopes realiza de forma impressionante aquilo que desejou ao buscar as características que P. D. James elenca como essenciais para a criação de um bom romance policial: "Trama bem construída e interessante, cenário original, personagens multidimensionais, pistas inteligentes, detetive cativante e vilões memoráveis".

Mas buscou mais do que isso, como disse na entrevista citada acima: "Com O Trovador eu quis mostrar que o gênero permite levantar reflexões históricas e questões sociais, morais e de identidade, temas como corrupção, relações internacionais, colonialismo, propondo, ao mesmo tempo, uma reescrita da história. O desafio era conseguir fundir a história de mistério com a colonização de Londrina ao mesmo tempo."

Para essa tarefa, conta o autor, "li biografias, livros de história dos anos 30, da região norte do Paraná, teses de doutorado, no Brasil e no exterior. Assisti documentários, entrevistei pilotos, peritos, historiadores, consultei jornais da época como o The Times, de Londres, o Paraná-Norte e O Cometa, de Londrina. Vi muitos filmes e trabalhei com fotografias para a composição de algumas cenas e cenários."

Toda essa pesquisa, evidentemente, nas mãos de um autor fajuto jamais se tornaria o que O Trovador se tornou. Rodrigo tem uma história ligada à produção poética, tradução e crítica que lhe dá ferramentas para amalgamar documentos, imagens, relatos, impressões como só um poeta pode fazer. O resultado do livro, pela impressão que causa nos leitores, fazendo-os voltar no tempo, penetrarem nas entranhas dos personagens e na trama da História, é o exemplo cabal de que uma força poética direciona sua narrativa.

Criando uma espécie de sertão-babel, o romance faz transitar figuras inesquecíveis, de nacionalidades que vão dos europeus aos asiáticos, todos presos a uma rede de intrigas, meias-verdades, onde crimes se sucedem ao sabor de tramas comerciais escusas que partem do império colonial inglês e deságuam na terra vermelha do Paraná.

Chamando atenção para uma parte de nossa história, a colonização do Norte do Paraná, humaniza a prática da história, nos aproximando do cheiro dos aventureiros, seus sonhos do Eldorado, suas angústias na vida no novo mundo, seu trabalho e a existência no contexto da colonização e da história internacional que antecede a segunda grande Guerra e que teve consequências negativas para várias etnias que emigraram para nosso país.

Também nos obriga a reler a História do Brasil, com lentes mais agudas para o Norte do Paraná, naquele momento em que aportaram na região migrantes que formaram uma sociedade composta por militares, médicos, juristas, artistas, cientistas, aventureiros e trabalhadores vindos de várias regiões da Europa e do Brasil.

Mas para além da história, o autor nos devolve o prazer de ler. Como disse Daniel Pennac "um romance deve ser lido como um romance: saciando primeiro nossa ânsia por narrativas". Isso porque, toda grande obra literária nos ensina: "O tempo para ler, como o tempo para amar, dilata o tempo para viver".

O Trovador, no seu primor narrativo, nos devolve a felicidade de sermos leitores, porque ele representa essa qualidade demoníaca da linguagem que consiste em abrir em expansão o mundo para provar que dentro da literatura a história é mais surpreendente do que se pensava.

Nota sobre o autor:

Rodrigo Garcia Lopes é tradutor, poeta, músico e ensaísta. Traduziu Sylvia Plath, Rimbaud e Whitman. É um dos editores da revista literária Coyote. Publicou os seguintes livros de poesia: Solarium, Visibilia, Polivox, Nônada e Estúdio Realidade. Lançou o CD Canções do Estúdio Realidade em 2013.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 11/11/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Publicar em papel? Pra quê? de Julio Daio Borges
02. Piratas do Tietê no teatro de Nanda Rovere
03. Curiosidades da Idade Média de Pedro Paulo Rocha


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2014
01. Simone de Beauvoir: da velhice e da morte - 29/7/2014
02. O assassinato de Herzog na arte - 30/9/2014
03. As deliciosas mulheres de Gustave Courbet - 3/6/2014
04. A Puta, um romance bom prá cacete - 2/12/2014
05. Narciso revisitado na obra de Fabricius Nery - 11/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O LIVRO QUE NINGUÉM VAI LER
SYLVIA ORTHOF
EDIOURO
(2003)
R$ 6,50



O PSIQUIATRA NO TRIBUNAL
DR. MICHEL LANDRY
NOVOS UMBRAIS
(1981)
R$ 25,00



PRINCIPAIS TEMAS EM DOENÇAS INFECCIOSAS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA
RODRIGO ANTÔNIO BRANDÃO NETO E OUTROS
MEDCEL
(2008)
R$ 39,00



O CARDEAL
WALACE FERNANDO NEVES
LACHÃTRE
(2014)
R$ 27,00



ENGENHARIA ECONÔMICA
GERALDO HESS E OUTROS
DIFEL
(1975)
R$ 8,00



O PODER INFINITO DA SUA MENTE
LAURO TREVISAN
DA MENTE
(1980)
R$ 36,00



OS MILITARES NO PODER 1
CARLOS CASTELO BRANCO
NOVA FRONTEIRA
(1977)
R$ 15,00



TRIGONOMETRIA PLANA
EDGARD DE ALENCAR FILHO
NOBEL
(1964)
R$ 25,00



MANUAL COMPACTO DE GEOGRAFIA ENSINO FUNDAMENTAL
EDITORA RIDEEL
RIDEEL
(2010)
R$ 23,00



MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO - VOLUME ÚNICO
MARCONDES - GENTIL - SÉRGIO
ÁTICA
(1998)
R$ 9,80





busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês