Dando nome aos progres | Celso A. Uequed Pitol | Digestivo Cultural

busca | avançada
28258 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
>>> Quando a alma é visível
>>> A MECÂNICA CELESTE
>>> Diagnóstico falho
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Animismo
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Entrevista com André Fonseca
>>> Google: utopia ou distopia?
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> A Casa do Saber no Rio de Janeiro
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
>>> Pedro Paulo de Sena Madureira
Mais Recentes
>>> Restaurantes 2014 de Boni Amaral pela Casa da Palavra (2014)
>>> O Duelo: Churchill X Hitler: 80 dias cruciais para a Segunda Guerra Mundial de John Lukacs pela Jorge Zahar Editor (2002)
>>> E Se o Stand-up Virasse Livro de Maurício Meirelles pela Ediouro (2010)
>>> Cinco dias em Londres: negociações que mudaram o rumo da II Guerra de John Lukacs pela Jorge Zahar Editor (2001)
>>> Um Amante Moderno e Outras Histórias de D. H. Lawrence (david Herbert) pela Record/ RJ. (2019)
>>> Espantalhos de Lilian Fontes pela Relume Dumará (1994)
>>> A espionagem militar soviética de Viktor Suvorov pela Record (1984)
>>> Poesia lírica e indianista de Gonçalves Dias pela Ática (2006)
>>> Análise & Conjuntura/ Vol. 2/ Nº 1.- Jan./ Abril de 1987 de Fábricio Augusto de Oliveira/ Marcos Coimbra... pela Fundação João Pinheiro/ MG. (1987)
>>> Perestroika: novas ideias para o meu país e o mundo de Mikhail Gorbachev pela Best Seller (1988)
>>> KAMA SUTRA Vatsyayana de Richard Burton pela L&PM Editores (2006)
>>> O Mundo e Eu de João Mohana (médico e Sacerdote) pela Agir/ RJ. (1978)
>>> Contos Universais - Volume 11. Coleção Para Gostar de Ler de Anton Tchekhov, Edgar Allan Poe, Franz Kafka, etc pela Ática (2004)
>>> O Mundo e Eu de João Mohana (médico e Sacerdote) pela Agir/ RJ. (1963)
>>> Amor e Responsabilidade de João Mohana (médico e Sacerdote) pela Agir/ RJ. (1987)
>>> A política no interior das nações de Joseph La Palombara pela UnB (1982)
>>> O dissenso de Washington: notas de um observador privilegiado sobre as relações Brasil-Estados Unidos de Rubens Barbosa pela Agir (2011)
>>> Saara de Suzane Worcman pela Relume Dumara (2000)
>>> A Antecipação da Tutela Ex Officio de Fernando Luís França pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2003)
>>> Música e Literatura de Federico Sopena pela Nerman (1989)
>>> Paz e guerra entre as nações de Raymond Aron pela UnB (1979)
>>> Palavra de Advogado de José Anchieta da Silva/ Autografado pela Del Rey/ Belo Horizonte (2012)
>>> Dez Anos da Lei de Arbitragem: Aspectos Atuais e Perspectivas... de Ana Paula Rocha do Bomfim (e outro): Coord. pela Lumen Juris (2007)
>>> Responsabilidade e Eticidade de José Jairo Gomes pela Del Rey/ Belo Horizonte (2005)
>>> A Era da Globalismo de Octavio Ianni pela Civilização Brasileira (1996)
>>> História Sincera da República de Leôncio Basbaum pela Alfa-Omega (1985)
>>> Á Sombra de Hipocrates de Orlando de Albuquerque pela Appacdm (1995)
>>> Psicologia del Niño de Jean Piaget - Bärbel Inhelder pela Ediciones Morata, Madrid (1969)
>>> História da Literatura: Oriental, Grega, Latina... S/ Versificação de Marques da Cruz pela Comp. Melhoramentos de SP. (1933)
>>> Cenário Mundial - A Nova ordem Internacional de Cláudio Vicentino , Reinaldo Scalzaretto pela Scipione (1992)
>>> Sexualidade da Mulher Brasileira: Corpo e Classe Social no Brasil de Rose Marie Muraro (e Cola boradores) pela Vozes/ Petrópolis (1983)
>>> Desigualdade Reexaminada de Amartya Sen pela Record (2001)
>>> Eclipse de Lua um Dossiê Sobre a Menopausa de Alberto Goldin pela Relume (1994)
>>> Religião e Politização no Brasil ´A Igreja e o regime Autoritário de Thomas c. Bruneau pela Loyola (1979)
>>> Facts About Israel de Edited By Ellen Hirsch pela Israel Information Center (1996)
>>> Clássicos da Educação Brasileira- Volume 1 de Maria do Carmo Xavier: Organizadora pela Mazza/ Fapemig (2010)
>>> Marxismo Vivo - Revista N: 18 -Crise dos Alimentos -O Imperialismo e a fome -Campo Argentino , A rebelião dos ricos divide a esquerda de Revista Marxismo Vivo pela Marxismo Vivo (2008)
>>> Ritos de Passagem da Nossa Infância e Adolescência de Fanny Abramovich: Organização pela Summus Editorial (1985)
>>> Jakob: o Mentiroso de Jurek Becker pela Companhia das Letras/SP. (1987)
>>> Jakob: o Mentiroso de Jurek Becker pela Companhia das Letras/SP. (1987)
>>> Sociologia & Administração de Reinaldo Dias pela Alínea (2001)
>>> A Hora de Cinquenta Minutos: ... Contos Psicanalíticos Verídicos de Robert Lindner pela Imago (1972)
>>> Cousteau-Uma Biografia de Axel Madsen pela Campus (1989)
>>> Sexologia Forense de Orlando Soares pela Lfb (1996)
>>> Ética de Newton Bignotto e outros pela Companhia das Letras (1993)
>>> Nanook - Ele está chegando de Gustavo Bernardo pela Rocco (2016)
>>> Design e comunicação visual de Bruno Munari pela Martins Fontes (2006)
>>> Do Luxo ao Fardo de Pedro Salem pela Relume Dumara; (2004)
>>> Administração , Poder e Ideologia de Maurício Tragtenberg pela Unesp (2004)
>>> O caçador de pipas de Khaled Hosseini pela Nova fronteira (2005)
COLUNAS

Terça-feira, 9/12/2014
Dando nome aos progres
Celso A. Uequed Pitol

+ de 2200 Acessos

Miguel de Unamuno era um grande defensor do intercâmbio entre as nações ibéricas. Contrariando a tendência dominante em Espanha naquela época, convidava o leitor espanhol a estudar Portugal e a língua portuguesa, não para buscar algo novo e diferente, mas para conhecer algo melhor de si mesmo. No campo linguistico, o estudo do português - dizia-nos Unamuno - seria capaz de perfeccionar o próprio uso do idioma castelhano por parte dos espanhóis, pois iria revelar-lhes novas maneiras de usar expressões e enriquecer-lhes o vocabulário. Dizia ele que "en el portugués encontraremos rincones y recovecos de nuestro idioma que no los descubrimos directamente. Aprender portugués es un buen recurso para enriquecer nuestro castellano". A atitude de Unamuno estava fincada na sua firme crença de que a Ibéria era, na verdade, uma e só cultura com duas faces - a portuguesa e a espanhola - e que cabia a um lado conhecer melhor o outro.

Compartilhando, como compartilhamos, da atitude de Unamuno, fomos à Espanha fazer o caminho contrário, mas com o mesmo espírito: em busca de enriquecimento, de conhecer o outro lado, de "rincones y recovecos" . E voltamos, desta vez, com uma palavra nova, que, acreditamos, será de imensa valia para os brasileiros de hoje: a palavra "progre".

Antes de mais nada, quero dizer que, embora seja um entusiasta da relação intercultural, sou um crítico da incorporação desmedida de palavras e expressões com equivalentes em português, mesmo das de uma língua irmã como o castelhano. O enriquecimento de que fala Unamuno, e do qual falo aqui, só pode existir quando há uma incorporação de significados novos ao nosso idioma. E este é, precisamente, o caso de "progre".

Que significa, então, esta curiosa expressão? Importa antes de tudo dizer que ela é relativamente nova: seu surgimento é localizado nos últimos anos do franquismo, e fazia referência aos jovens de classe média e classe média alta com simpatias por certos tópicos, como o comunismo cubano, Che Guevara, maio de 68, uma sociedade mais justa, mais igualitária e menos preconceituosa - tudo isso, é claro, mais no discurso do que na prática. Como sói acontecer a essas expressões populares, trata-se de uma contração: da palavra "progressista", entendida aqui no seu sentido político do termo, isto é, como quase sinônimo de "esquerda". Progressista é aquele que acredita no progresso da História e seu inimigo é o "reacionário", que se opõe a esse progresso. Progressistas são Lula e Dilma, Lenin e Trotsky, Olof Palme e Willy Brandt, cada um à sua maneira, mas todos sem a menor dúvida progressistas.

Sendo contração, ocorre aqui uma redução do sentido original da palavra progressista. O progre não é um progressista como os outros. Ela acredita, de certa forma, no progresso da história, numa sociedade "melhor", num mundo "melhor", mas não possui o mesmo discurso da esquerda mais antiga e não adota os mesmos canais de comunicação desta. Não tem muito interesse na organização quase militaresca dos antigos partidos comunistas, nem no estilo de vida difundido pela antiga URSS. Muitas vezes nem mesmo é marxista; em alguns casos, é até mesmo anti-marxista. A expressão que mais próxima temos no Brasil é "esquerda caviar", mas não define exatamente a mesma coisa. O esquerdista caviar médio (assim como o progre dos anos 70 da Espanha) pode gostar de luxo, mas defende Cuba, a URSS e outros países, mesmo que da boca para fora. Já o progre moderno nem sempre o faz. "A los jóvenes de ahora no les interesa la política de los partidos, que con su estructura y burocracia son entidades cerradas. Se sienten más satisfechos y encuentran más gratificaciones en otro tipo de plataformas, como las ONG, las redes sociales, donde creen que su acción acaba siendo más efectiva" , explica Julián Santamaría, professor de Ciencia Política da Universidad Complutense de Madrid.

Tão difundida está essa palavra em Espanha que mereceu até mesmo um verbete na última edição do prestigiado dicionário da Real Academia Espanhola. Em artigo dedicado ao tema, Piergiorgio M. Sandri aponta que "las nuevas generaciones se parecen poco al progre de la transición. Aunque puedan haber heredado su antiguo espíritu de lucha, sus reivindaciones ahora se centran en otros temas, como el ecologismo, la igualdad, el pacifismo -esencias del nuevo progresismo- y se llevan a cabo a través de plataformas muy diferentes, más espontáneas y menos organizadas" . A estes temas poderíamos adicionar outros, como as ações afirmativas, o aborto, o casamento gay, a igualdade da mulher e outros. Questões estruturais de ordem econômica, que eram de primeiríssima ordem para os antigos socialistas, comunistas e social-democratas, ficam muitas vezes relegadas a segundo plano diante destas reinvidicações comunitárias, minoritárias e grupais dos progres.

O crítico espanhol Juan Manuel Prada aponta uma característica psicológica fundamental do "progre": "ser progre consiste en tener siempre razón, si la realidad te lleva la contraria, peor para la realidad". É o que os ingleses, outro povo criador de excelentes expressões idiomáticas, chamam de "self-righteouness". Não é difícil imaginar, assim, a atitude de hostilidade de muitos esquerdistas de antigamente - além, é claro, dos direitistas em geral - , formados no velho discurso marxista-leninista. Um exemplo da própria Espanha é Julio Anguita, ex-secretário-geral do PCE, ex-prefeito de Córdoba e uma das mais respeitadas lideranças políticas da esquerda espanhola, que disse, para quem quisesse ouvir: "yo soy rojo, no progre. Si quiere insultarme llámeme progre" . E para diferenciar do progressimo, ao qual ele adere, Anguita criou um novo adjetivo, a "progresia", para definir a atividade dos progres. "La progresía es, ni más ni menos, el sumidero por donde se han ido las ideas de la izquierda. La progresía es quedarse en la reforma de una serie de aspectos sociales, como los matrimonios homosexuales o las medidas de discriminación positiva de la mujer, mientras que se deja intacta una realidad económica injusta" . A definição de Anguita parece plenamente de acordo com o credo marxista que ele professa, e serve para quem quiser entender bem o fenômeno.

A adoção do termo entre nós ajudará, e muito, a qualificar o nosso reconhecidamente desqualificado debate político. Dentro do rótulo de "esquerda" os brasileiros costumam aglomerar leninistas, trotskystas, social-democratas, liberais de esquerda e anarquistas, como se todos fossem a mesma coisa. Com esse aporte vindo diretamente da banda hispânica do nosso mundo ibérico, passaremos a identificar uma força que, mais do que simplesmente existir entre nós, tem grande relevância em vários partidos e na condução das políticas públicas do país.


Celso A. Uequed Pitol
Canoas, 9/12/2014


Mais Celso A. Uequed Pitol
Mais Acessadas de Celso A. Uequed Pitol em 2014
01. Miguel de Unamuno e Portugal - 12/8/2014
02. Entrevista com Dante Ramon Ledesma - 9/9/2014
03. A vida exemplar de Eric Voegelin - 10/6/2014
04. Émile Zola, por Getúlio Vargas - 6/5/2014
05. Ler Oswald Spengler em 2014 - 25/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS DE CHAVEAMENTO
FRANCISCO J. O. DIAS
USP
(1989)
R$ 20,00



A DIMENSÃO POLÍTICA NA OBRA DE CELSO FURTADO
PEDRO PEREIRA BORGES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



GRAMÁTICA DO PODER
ISAAC EPSTEIN
ÁTICA
(1993)
R$ 28,28



AMOR SEM CRISE - 3ª ED.
AUTOR VALCAPELLI
VIDA / CONSCIÊNCIA
(2001)
R$ 17,00



ADMINISTRAÇAO - MUDANÇAS E PERSPECTIVAS
STEPHEN P. ROBBINS
SARAIVA
(2000)
R$ 24,00



TERAPIA NUTRICIONAL
HELIO PENNA GUIMARÃES, CARLOS ALBERTO BUCHPIGUEL
ATHENEU
(2015)
R$ 68,00



A VIDA É UM COMBATE SUCESSO É DOR
ROGÉRIO CALDAS
MARKAÇÃO
(2003)
R$ 18,00



O HOMEM E SUAS PINTURAS
OTTO JÚLIO MARINHO E ZITA MARINHO
VILLA RICA
(1995)
R$ 26,28



RENTABILIDADE DOS VALORES
UNIAPAC
UNIAPAC
(2008)
R$ 5,90



VISÕES DA MONARQUIA
RONALDO P. DE JESUS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00





busca | avançada
28258 visitas/dia
890 mil/mês