Um Oscar para Stallone | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Bibliotecas públicas, escolares e particulares
>>> O Vendedor de Passados
Mais Recentes
>>> Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher e de Nancy Chodorow pela Rosa dos Tempos (1999)
>>> O Preço de Uma Vida de Cristiane Krumenauer pela Novo Século (2018)
>>> Revista de História USP Nº 60 1964 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1964)
>>> Kerata O Colecionador de Cérebros de Juliana R. S. Duarte pela Novo Século (2017)
>>> Revista de História USP Nº 50 1962 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1962)
>>> Crepúsculo - Livro de Anotações da Diretora de Catherine Hardwicke pela Intrínseca Ltda (2019)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Segredo e outras Histórias de Descoberta de Lygia Fagundes Tellles pela Companhia das Letras (2012)
>>> Uma Família Feliz de David Safier pela Planeta (2013)
>>> O Enigma da Pirâmide de Alan Arnold pela Circulo do Livro (1985)
>>> Adrienne Mesurat (prefáco Inédito) de Julien Green/ (Nota): Josué Montello pela Nova Fronteira (1983)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes) de Jonathan Swift/ Trad.: Octavio Mendes Cajado pela Globo/ RJ. (1987)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 5 - Praticamente Inofensiva de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Amigos de Todo Mundo: Romance de um Jardim Zoológico de Felix Salten/ Ilustrações: Philipp Arlen pela Edições Melhoramentos (1952)
>>> Lembranças Obscuras de um Judeu Polonês Nascido na França de Pierre Goldman pela Francisco Alves (1984)
>>> El Hombre de Annie Besant pela Glem (1957)
>>> Lo Spiritismo Nella Umanita de Casimiro Bonfiglioli pela Bologna (1888)
>>> Santo Tomas de Aquino de P.J. Weber pela Poblet (1949)
>>> Rumo a Consciência Cómica de Pagina de ouro de Ramasar pela Curitiba (1969)
>>> Reencarnação de J.H. Brennan pela O Hemus
>>> Rezando com o Evangelho de Pe. Lucas Caravina pela Paulus (1997)
>>> Resolução para o novo milênio de Jennifer Fox pela Ediouro (1999)
>>> Los Maestros sus Retratos Meditaciones y Graficos de David Anrias pela Horus (1973)
>>> La Doctrina Cosmica de Dion Fortune pela Luis Cárcamo (1981)
>>> Remotos Cânticos de Belém de Wallace Leal V. Rodrigues pela O Clarim (1986)
>>> Reencarnação e Imortalidade de Alexandra David Neel pela Ibrasa (1989)
>>> Raios de Luz Espiritual de Francisco Valdomiro Lorenz pela Pensamento
>>> Does God Exist? de A.E. Taylor pela The Macmillan Company (1947)
>>> Administração Básica de Adelphino Teixeira da Silva pela Atlas (2011)
>>> Como Resolver Conflitos no Trabalho de Jerry Wisinski pela Campus (1994)
>>> Administração de Investimentos de Peter L. Bernstein pela Bookman (2000)
>>> Sistemas Organização e Métodos de Tadeu Cruz pela Atlas (1998)
>>> Os 100 melhores livros de negócios de todos os Tempos de Todd Sattersten Jack Covert pela Campus (2010)
>>> Propaganda de Plínio Cabral pela Atlas (1980)
>>> Empresa Como Organizar e Dirigir de Antônio Carlos Ferreira pela Ouro
>>> Marketing Cultural ao Vivo de Vários pela Francisco Alves (1992)
>>> A Dose Certa de John C. Bogle pela Campus (2009)
>>> Já tenho idade para saber de Michael W. Smith pela BomPastor
>>> Sobreviver não é o Bastante de Seth Godin pela Campus (2002)
>>> Jesus, o maior psicólogo que já existiu de Mark W. Baker pela Sextante
>>> Aspectos Legais da Documentação em Meios Micrográficos Magnéticos e Ópticos de Ademar Stringher pela Cenadem (1996)
>>> Go Pro de Eric Worre pela Rumo (2019)
>>> Avaliação da aprendizagem - Componente do ato pedagógico de Cipriano Carlos Luckesi pela Cortez (2011)
>>> Pílulas do Bem-Estar de Daniel Martins de Barros pela Sextante (2019)
>>> Trilha de Diversos pela EuBlack
>>> Apostila de Vestibular Semi FGV 2 de Não Informado pela Cpv (2003)
>>> Documentos Maranhenses Pantheon Maranhense 2 Volumes de Antônio Henrique Leal pela Alhambra (1987)
>>> Economia de João Paulo de Almeida magalhães pela Não sei (2019)
COLUNAS

Terça-feira, 1/3/2016
Um Oscar para Stallone
Luís Fernando Amâncio

+ de 1900 Acessos

Em 1992, eu tinha uma missão e Sylvester Gardenzio Stallone estava comigo. Eu contava cinco anos de existência e, basicamente, os consumira exclusivamente para brincar e ver TV. Era feliz assim. Até que a farra acabou e, naquele ano, meu desafio foi sobreviver à escola. A partir de então, eu teria que lidar com um ambiente hostil, manejando instrumentos de alta complexidade, como lápis de cor, tesoura sem ponta, cola... Não era o Vietnã, mas também era complicado.

Para o recreio, porém, eu tinha uma parceira: minha lancheira do Rambo que ostentava com orgulho. Afinal, além do herói estampado, ela me confortava com bolo e achocolatado. Um garoto não precisa de muito mais do que aquilo.

Passaram-se um bocado de anos e agora, em 2016, Sly Stallone está vivendo um momento especial em sua carreira. No próximo domingo, dia 28 de março, ele cruzará o tapete vermelho do Oscar para concorrer ao prêmio de melhor ator coadjuvante por Creed, sequência da série Rocky*. A atuação já lhe rendeu o Globo de Ouro neste ano na mesma categoria.

Aparentemente, a indicação pode não parecer algo tão glorioso. Inclusive porque Sylvester Stallone já ganhou a estatueta de melhor filme, em 1977, por Rocky, filme que o catapultou para o estrelato. Mas concorrer numa categoria de melhor atuação é um feito para um ator reconhecidamente limitado nos dotes cênicos – vencedor, aliás, de seis prêmios Framboesa de Ouro de “pior atuação”, sendo um como “pior ator da década de 1980”.

Porém, por mais que os deuses da atuação possam torcer o nariz, não tenho dúvidas de que haverá uma grande torcida pela vitória do Sly. Para minha geração, Stallone é quase um tio querido, alguém que nos acompanhou em nosso crescimento. Quando o aluguel de fitas de vídeo se popularizava no país, alugávamos as séries Rambo, Rocky ou víamos o personagem Cobra afugentar um criminoso dizendo “você é a doença e eu sou a cura”. Isso sem falar em Falcão, campeão dos campeões na queda de braço e na Sessão da Tarde.

Eram tempos diferentes. John Rambo, o ex-combatente que é uma máquina de matar, estrelou uma série de animação, que no Brasil foi exibida no Xou da Xuxa. A Rainha dos Baixinhos até cantou uma música para o personagem em seu segundo disco. Meus pais, que sempre foram muito zelosos com minha educação, não viram mal em me dar a metralhadora do Rambo, um dos meus brinquedos prediletos. Eles também não censuravam que eu visse, em plena tarde, o herói lançar flechas explosivas na Ásia e destruir praticamente um exército inteiro. Hoje, há mais cuidados nesse sentido, evitando exposição de crianças a produtos culturais violentos. Concordo. Mas, bem ou mal, sobrevivi àquela infância.

Creed não é um filme ruim. Ele cumpre aquilo que o público espera dele – ação, superação e triunfo. Soa, a bem da verdade, como um repeteco de Rocky, uma variação do mesmo tema. Mas duvido que alguém tenha ido ao cinema esperando algo diferente da produção.

Porém, para quem cresceu vendo Stallone no centro da ação, é diferente encontrá-lo quase septuagenário, como coadjuvante. Diferente da trilogia Os Mercenários, em Creed Sly vive um personagem que enfrenta a velhice, não a nega. Talvez por isso o destaque em sua atuação e a nomeação ao Oscar.

Para nós, espectadores oriundos dos anos 1980, fica a reflexão: o tempo passar até para os heróis que resolviam tudo do alto de seus músculos. Mas, convenhamos, a reflexão não é inédita. Pelo contrário, ela é a nossa realidade diária. Também não estamos rejuvenescendo. Bons os tempos em que uma lancheira do Rambo, com achocolatado e bolo, era o suficiente para nos encorajar nos desafios.

* Atualizado em 29/02/2016 - Não foi dessa vez que o Stallone teve uma atuação consagrada pela Academia. O vencedor na categoria "Melhor Ator Coadjuvante" do Óscar 2016 foi Mark Rylance (Ponte dos espiões). Ainda assim, a indicação já foi um feito, bem como a vitória no Globo de Ouro.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 1/3/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um caso de manipulação de Celso A. Uequed Pitol
02. O que te move? de Fabio Gomes
03. O Natal de Charles Dickens de Celso A. Uequed Pitol
04. Caetano, não seja velho coronel de Humberto Pereira da Silva
05. Um demente chamado J.G. Ballard de Luiz Rebinski Junior


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2016
01. Tricordiano, o futebol é cardíaco - 26/4/2016
02. Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão - 30/8/2016
03. Nos tempos de Street Fighter II - 31/5/2016
04. Radiohead e sua piscina em forma de lua - 28/6/2016
05. A futebolização da política - 29/3/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS PASTORES DA NOITE
JORGE AMADO
RECORD
(1983)
R$ 18,00



SONHOS E REALIDADE: PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX, A
NEREIDE SCHILARO SANTA ROSA
PINAKOTHEKE
(2002)
R$ 17,56



COLEÇÃO MODERNA DE ESTUDOS PRIMÁRIOS MATEMÁTICA - 9685
VICENTE KOSIEN
ECLAL
(1969)
R$ 10,00



BIBLIOGRAFIA DE HISTÓRIA DO BRASIL
NÃO DEFINIDO
MINISTÉRIO DE RELAÇÕES EXT.
(1946)
R$ 12,00



À PRIMEIRA VISTA
NICHOLAS SPARKS
ARQUEIRO
(2012)
R$ 10,00



RETRATOS DE UMA ÉPOCA: O ACERVO PICTÓRICO DO HOSPITAL PORTUGUÊS
FRANCIANE LINS
SECRETARIA DE CULTURA SÃO LUÍS
(2005)
R$ 27,28



FILTRO ACTIVO DE POTÊNCIA PARA INTERFACE DA REDE COM CARGAS ELÉCTRICAS
MANUEL JOÃO SEPÚLVEDA MESQUITA DE FREITAS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 524,00



DANO MORAL- 4ª EDIÇÃO
CLAYTON REIS
FORENSE (RJ)
(1997)
R$ 9,82



MAINSTREAMING THE ENVIRONMENT: THE WORLD BANK GROUP AND THE
JOCELYN MASON
WORLD BANK
(1995)
R$ 19,28



CONTABILIDADE PARA MBAS - TEXTOS E CASOS
JOSIR SIMEONE GOMES
CAMPUS
(2000)
R$ 6,93





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês