Nos tempos de Street Fighter II | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
39801 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Segundas de julho têm sessões extras do espetáculo À Espera
>>> Circo dos Sonhos, do ator Marcos Frota, desembarca no Shopping Metrô Itaquera
>>> Startup brasileira levará pessoas de baixa renda para intercâmbio gratuito fora do país
>>> Filho de suicida, padre lança livro sobre o tema
>>> LANÇAMENTO DO LIVRO "DIALÓGOS DE UM RABINO REFLEXÕES PARA UM MUNDO DE MONÓLOGOS" DE MICHEL SCHLESI
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Voltar com ex e café requentado
>>> O Agressor, de Rosário Fusco
>>> Elke Coelho e a estética glacial-conceitual
>>> Como escrever bem - parte 3
>>> Como escrever bem - parte 3
>>> Maria Rezende no Sesc BH
>>> Literatura para quê?
>>> Por que HQ não é literatura?
>>> Freud e a mente humana
Mais Recentes
>>> Oscarito Nosso Oscar de Ouro
>>> A Nudez da Verdade
>>> Emoções em Prosa e Verso
>>> A Telessaúde no Brasil e a Inovação Tcnológica na Atenção ...
>>> O Pagador de Promessas
>>> O Caçador das Bolachas Perdidas
>>> Juizado Especial: Criação Instalação, Funcionamento e a ...
>>> Meu Querido Canibal
>>> Anjo de Quatro Patas
>>> Vencendo Aflições, Alcançando Milagres
>>> Eles Pedem em Casamento, Elas Pedem o Divórcio
>>> Procurando Firme
>>> Ensino Holístico da Medicina
>>> Depressão e Autoconhecimento: Como Extrair Preciosas Lições ...
>>> Utopia?
>>> Resistência: a História de uma Mulher Que Desafiou Hitler
>>> Uma Herença Preciosa
>>> Prazer uma Abordagem Criativa da Vida
>>> O Retorno Financeiro de Programas de Promoção da Segurança, ...
>>> Confissão de uma Harpista
>>> Os Mestres de Gurdjieff
>>> Proposta para uma Graduação Médica Contemporânea
>>> O Tao da Física
>>> O Santeiro do Mangue e Outros Poemas
>>> Português para Concursos
>>> Bola na Rede: a Batalha do Bi
>>> Paulo Francis Polemista Profissional
>>> Fisiologia e Fisiopatologia do Hormônio de Crescimento
>>> Ser Médico no Brasil - o Presente no Passado
>>> Padre Severino da Pessoa ao Instituto
>>> Micropoderes Macroviolencias
>>> Educação e Tecnologias no Brasil
>>> Cultura e Tecnologias no Brasil
>>> Hupe - Série Rotinas Hospitalares Pediatria 2 Volumes
>>> A Exposição Oral nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - Vol. 3
>>> O Reverso da Logística e as Questões Ambientais no Brasil
>>> Tempos Modernos - João Paulo dos Reis Velloso
>>> Gestão Financeira de Fundos de Pensão
>>> Águias Terrestres - uma Missão Planetária
>>> Homem de Montana
>>> Freud - Pensamento Vivo
>>> Manuelzão e Miguilim
>>> O Poder dos Pêndulos
>>> Confesso Que Vivi
>>> Em Cantos do Ser
>>> Amestrando Orgasmos
>>> Um Auto de Gil Vicente (mundo das Letras)
>>> Fale Já - Aprenda Chinês Cd-rom
>>> A Arte de Escutar
>>> O Brasileiro Rui Barbosa
COLUNAS

Terça-feira, 31/5/2016
Nos tempos de Street Fighter II
Luís Fernando Amâncio

+ de 2400 Acessos

É cada vez mais difícil lembrar que, em um passado não tão distante, sobrevivíamos sem a internet. Se contar para uma criança que, na minha infância, era necessário consultar livros e enciclopédias para realizar um trabalho escolar, receberei de volta um olhar tão incrédulo que fará com que eu me sinta o Matusalém em pessoa. Já faz quase duas décadas desde que o último vendedor de Enciclopédias Barsa foi avistado...

Também é estranho relembrar que a internet um dia não foi banda larga. Não existia essa coisa mágica que, mal ligamos o computador, já estamos conectados. Tínhamos que baixar um discador, escutar aquele barulho da tentativa de conexão, torcer para ela vingar e, enfim, podíamos nos deleitar fazendo pesquisas no Cadê?, abrir um e-mail no BOL ou “teclar” pelo Bate-Papo do UOL. Isso quando não ocorria uma desconexão sumária, sem qualquer aviso prévio. Toda uma geração aprendeu a driblar o sono para poder descobrir a internet depois da meia-noite, quando a conexão era mais barata. Somos praticamente pré-históricos.


Para matar a saudade da conexão discada é só dar o play

Hoje, a realidade é outra. A internet está aí, mais forte do que nunca. Tão forte que já nem é exclusiva dos computadores. Um vício ao alcance da ponta dos dedos, fácil de ser cultivado. Tem gente que morre de sede, mas confere as redes sociais antes de procurar água. E possivelmente vai consultar o Google para saber onde encontrar água em casa.

Foi antes de toda essa revolução que Street Fighter II se tornou um fenômeno. O jogo, lançado em fevereiro de 1991, não foi o pioneiro dentre os jogos de luta – história que começou em 1976, com o jogo de boxe Heavyweight Champ, da Sega. E sequer foi o primeiro game da franquia, que chegou ao mundo em 1987, num obscuro jogo que poucos conheceram. Mas Street Fighter II foi um sucesso nos arcades e nos consoles, ajudando a alavancar as vendas do Super Nintendo e torná-lo o mais popular videogame da primeira metade dos anos 1990.

SF II foi fundamental na consolidação dos jogos de luta – esses que a gente enfrenta um adversário e, se vencer, “passa de fase”, ou seja, luta com o próximo inimigo. Um jogo de roteiro simples, pouca conversa e muita ação. De um modo geral, a molecada que estava jogando queria mesmo era aplicar “magia” nos adversários e “zerar” o game. Mas havia, sim, uma história, que seria reforçada e ampliada com produções em outras mídias e nas diversas sequências que seriam lançadas.

O jogo da Capcom fez sucesso por sua boa jogabilidade, pela qualidade gráfica superior aos jogos de luta anteriores, por seus personagens carismáticos e até mesmo por sua trilha sonora, que é bastante cativante. Mas um dos grandes atrativos do jogo, ao menos para mim, era a viagem pelo mundo que ele promovia. Seus lutadores estavam vinculados a um país e, muitas vezes, a um estereótipo. Assim, enfrentamos um lutador de sumô numa casa de banho japonesa, um praticante de ioga da Índia, um militar norteamericano, um fortão soviético numa fábrica, um boxeador em Las Vegas, um toureiro espanhol... No caso do Brasil, o lutador que nos representa é um monstro verde que luta numa aldeia na floresta amazônica, com uma cobra gigante ao fundo, inclusive. Uma visão bastante caricatural sobre o nosso país, convenhamos.

Panfleto japonês de divulgação do jogo

Ainda assim, Street Fighter II ajudou garotos obesos, desengonçados, raquíticos, a viajarem pelo mundo e descobrir países e artes marciais. Os melhores podiam, além de calejar os dedos, derrotar o maligno M. Bison e se tornar campeão do torneio. Eu não era desses, geralmente ficava empacado, curiosamente, na fase do brasileiro Blanka. Não havia fichas o suficiente para incrementar minhas escassas habilidades.

Hoje, esse atrativo de “viajar pelo mundo” não venderia um jogo. Através do Google, nosso oráculo mor, é possível ver imagens de qualquer rua específica do leste asiático. O conhecimento está aí, por todos os lados, até banalizado – uma busca simples lhe dá, em frações de segundos, informações certas, falsas, importantes e esdrúxulas. O chocolate Surpresa, com suas figurinhas de curiosidades, desapareceu não foi por acaso. Deve estar junto com os vendedores da Barsa em outro universo.

Ainda assim, posso testemunhar: era possível ser feliz antes da internet nos dizer, com sinônimos, antônimos e versões informais, o que é ser feliz. Às vezes o cartucho travava e a gente tinha que soprar, em alguns dias tínhamos que desligar a videogame porque era hora da mãe assistir novela. Mas não importava. A glória de vencer Vega, Sagat e os demais adversários nos animaria até o dia seguinte, quando a batalha continuaria.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 31/5/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Manchester à beira-mar, um filme para se guardar de Renato Alessandro dos Santos
02. Vocês, que não os verei mais de Elisa Andrade Buzzo
03. A Coreia do Norte contra o sarcasmo de Celso A. Uequed Pitol
04. O tipo que faz promessa de Ana Elisa Ribeiro
05. Literatura e interatividade: os ciberpoemas de Marcelo Spalding


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2016
01. Tricordiano, o futebol é cardíaco - 26/4/2016
02. Nos tempos de Street Fighter II - 31/5/2016
03. Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão - 30/8/2016
04. Radiohead e sua piscina em forma de lua - 28/6/2016
05. Lira da resistência ao futebol gourmet - 1/2/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NADA MAIS QUE A VERDADE - A EXTRAORDINARIA HISTORIA DO JORNAL NOTICIA
CELSO DE CAMPOS JR / DENIS MOREIRA / GIANCARLO LE
CARRENHO
(2002)
R$ 20,00



MOTIVADO PARA VENCER - VOL. 2 - HISTÓRIA PARA TRANSFORMAR SUA VIDA
D. D'CARTIO
LIO
(2008)
R$ 5,00



ATÉ QUE A VIDA OS SEPARE
MÔNICA DE CASTRO
VIDA E CONSCIÊNCIA
(2004)
R$ 5,90



NAVEGACAO DO RIO SAO FRANCISCO
FERNANDO DA MATTA MACHADO
TOPBOOKS
(2002)
R$ 30,00



INTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS DE 6 ANOS AO ENSINO FUNDAMENTAL
SILVIANE BONACCORSI BARBATO
PARÁBOLA
(2008)
R$ 21,00



O MISTÉRIO DA CASA NA PRAIA
NÁDIA SÃO PAULO
NOVO SÉCULO
(2011)
R$ 19,00



SÉRIE INTREPIDOS SÃO 13 GIBIS XUXÁ
VARIOS
VECCHI
(1950)
R$ 260,00
+ frete grátis



PAULO PONTES - A ARTE DA RESISTÊNCIA - REVISTA VERSUS (COLEÇÃO TESTEMUNHOS 1)
RUI VEIGA E MARIO AUGUSTO JAKOBSKIND
VERSUS
(1977)
R$ 15,00



HELP ! INFORMÁTICA - SISTEMA DE CONSULTA INTERATIVA
EDITORA GLOBO
GLOBO
R$ 7,00



VISÃO PERFORMATIVA DA LINGUAGEM
PAULO OTTONI
UNICAMP
(1998)
R$ 69,00





busca | avançada
39801 visitas/dia
773 mil/mês