Do inferno ao céu | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Ruy Castro
>>> Diga: trinta e três
>>> O Casal 2000 da literatura brasileira
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Do desprezo e da admiração
>>> A pulsão Oblómov
>>> Arte Brasileira Hoje: um arquipélago
>>> Sobre o som e a fúria
>>> O fim do livro, não do mundo
>>> Jornal: o cadáver impresso
Mais Recentes
>>> Que Es El Tiempo ? de Damm Antje pela Iamique (2011)
>>> A Colonização Alemã no Rio Grande do Sul de Aldair Marli Lando; Eliane Cruxên Barros pela Movimento (1982)
>>> Encontro Poesia Brasília de Arisnaldo dos Santos Januário pela Da Autore (1984)
>>> Onde Moras? Moradia e Fraternidade de Campanha da Fraternidade pela Aec (1993)
>>> Festa na Floresta Itaúna de Márcia Regina Morais pela Vile (2008)
>>> Anime Do Especial Número 9 Dragon Ball de Lisa Matsuzaka pela Escala
>>> Revista Anime Do Número 5 de Lilian Maruyama pela Escala
>>> Defensores de Tóquio Número 3 de Eduardo Leão pela Trama
>>> O Castelo De Otranto de Horace Walpole pela Nova Alexandria (1996)
>>> O Ânus Solar de Georges Bataille pela Hiena (1985)
>>> O Perigo das Radiações de Jack Schubert; Ralph E. Lapp pela Ibrasa (1960)
>>> Apometria: Um instrumento para a harmonia e para a felicidade a nova ciencia da alma de J S Godinho pela Holus (2012)
>>> The Little Prince de Antoine de Saint-Exupéry pela Harbrace (1971)
>>> Livro MILAGRES de Vera Nappi pela A Vida é Bela (2003)
>>> Você Pode Curar Sua Vida 126ª edição. de Louise L Hay pela Best Seller (2021)
>>> Livro CANTO ALGUM de Flávia Reis pela Reformátório (2020)
>>> Apologia de Sócrates - clássicos de bolso ediouro de Platão ( tradução de Maria Lacerda de Moura) pela Ediouro (2002)
>>> Mediunidade e Apometria: Terapêutica e Apometria edição. revista e atualizada de J S Godinho pela Holus (2012)
>>> Livro Mulher V Moderna, à moda antiga de Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson (2013)
>>> Der Kleine Prinz de Antoine de Saint-Exupéry pela Harbrace (1971)
>>> Der Kleine Prinz de Antoine de Saint-Exupéry pela Karl Rauch
>>> Brief an Den Vater de Franz Kafka pela Fischer (1989)
>>> Sonhos de Bunker Hill de John Fante pela L&pm (2003)
>>> I Ching - O Livro das Mutações de Desconhecido pela Trevo (2004)
>>> O Mistério dos Temperamentos de Rudolf Steiner pela Antroposofica (1994)
COLUNAS

Quarta-feira, 3/7/2019
Do inferno ao céu
Cassionei Niches Petry
+ de 6400 Acessos

1
O jogo da amarelinha, do escritor argentino Julio Cortázar, romance fundamental na literatura latino-americana, recebe uma nova e belíssima edição no Brasil, desta vez com o selo Companhia das Letras, tradução de Eric Nepomucemo e textos complementares de, entre outros nomes importantes, Mario Vargas Llosa. É daqueles livros que lemos e relemos, anotando, sublinhando, colando post-its e, como sugere o autor, pulando capítulos, seguindo ou não a ordem (ou a desordem?) proposta por ele, jogando ou brincando com as personagens, indo da terra (ou inferno?) ao céu.

2
Antes de começar a história, o leitor se depara nas primeiras páginas de O jogo da amarelinha (Rayuela em espanhol) com uma tabela de direção. Cortázar sugere duas formas de leitura: pode-se começar pelo capítulo 73 e depois voltar para 1, seguir ao 2, depois pular para o 116, retornar ao 3 e assim por diante; ou pode-se ler de forma linear, do capítulo 1 até o fim. Há ainda uma terceira forma: o leitor cria seu próprio roteiro de leitura. Ou ainda: não ter roteiro nenhum. “À sua maneira este livro é muitos livros.”

3
Em outro livro, A volta ao dia em oitenta mundos, Cortázar nos mostra desenhos de uma espécie de máquina para facilitar a leitura de O jogo da amarelinha. Trata-se da “rayuel-o-matic”. Colocada ao lado da cama do leitor, é dividida por gavetas das quais, apertando-se um botão, saem os capítulos do romance na ordem em que se desejar. Logicamente, ela não existe, mas antecipa, de certa forma, a leitura através de hiperlinks no computador.

4
A primeira parte de O jogo da amarelinha, “Do lado de lá”, se passa em Paris. Acompanhamos as andanças do protagonista, Horácio Oliveira, pelas ruas parisienses, seu relacionamento amoroso com Maga e os encontros do “Clube da serpente”. Oliveira é um intelectual e ela é uma mulher distante de qualquer conhecimento cultural e que, participando com o namorado dos encontros do clube, sente-se perdida em meio aos debates sobre literatura, pintura e música, principalmente o jazz. Há capítulos primorosos, como o 7, uma declaração de amor sensual como poucas na literatura.

5
Na segunda parte, “Do lado de cá”, Horácio está de volta a Buenos Aires e vive com Gekrepten, que havia sido sua namorada antes da ida à Paris. Passa a trabalhar com seus amigos, o casal Traveler e Talita, em um circo e depois em um hospital psiquiátrico. Se antes ele era um flaneur pelas ruas parisienses, agora fica recluso nesses ambientes para se lembrar de Maga.

6
Se ele tinha a companhia dos intelectuais e, portanto, racionais membros do Clube da Serpente, no manicômio vive com os loucos sem razão. Também começa a enlouquecer e confunde Talita com a amante de Paris. Em um dos inícios do romance o narrador havia questionado se Oliveira encontraria Maga. Sua busca continua na Argentina, como um Orfeo a resgatar sua Eurídice no Hades.

7
A terceira parte, “De outros lados (capítulos prescindíveis)”, é composta por vários fragmentos que complementam a história: trechos de jornais e revistas, citações e anotações de Morelli, escritor e figura importante para a história. Não é necessário ler esta parte, mas ela contém elementos que podem iluminar as passagens do enredo. É onde também se localizam as discussões sobre o processo de criação de um romance, dando o caráter metaliterário para a obra.

Céu
Terminar a leitura do romance é alcançar o céu e com vontade de retornar. Voltamos a percorrer os capítulos aleatoriamente, pulando as casas e juntando as pedrinhas do caminho. A cada releitura, a emoção é diferente, como qualquer outro jogo em que participamos. Que tal jogar também, caro leitor?

Nota do Autor
Cassionei Niches Petry é professor de Literatura e escritor, autor de Os óculos de Paula e Cacos e outros pedaços. Mantém o blog Pedra e vidraça.

Nota do Editor
Para esta e outras edições de O jogo da amarelinha, de Julio Cortázar, consulte o Portal dos Livreiros.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 3/7/2019

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sombras Persas (VIII) de Arcano9


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry
01. Um conto-resenha anacrônico - 9/2/2022
02. Do canto ao silêncio das sereias - 14/11/2018
03. Notas confessionais de um angustiado (VII) - 4/9/2019
04. O abalo sísmico de Luiz Vilela - 1/9/2021
05. Por que HQ não é literatura? - 6/12/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Obesidade Doença da Civilização - Mitos e Verdades
Mário Negreiros dos Anjos
Cultura Médica
(1983)



Manual do Contador Sobre o Imposto de Renda - Pessoa Jurídica
Fernández Jinzenji
Atlas
(1981)



Os Pingos Alegria Alegria
Mary Franca
Global
(2012)



Competing on the Edge: Strategy as Structured Chaos
Kathlemm M. Eisenhardt
Hbs Press
(1998)



Direito Civil Família e Sucessões
Fernando Frederico
Manole
(2012)



Portais Corporativos a Revolução na Gestão do Conhecimento
José Cláudio Cyrineu Terra
Negócio
(2002)



Será
Ivan Hegenberg
Ragnarok
(2007)



Em busca do príncipe encantado
Bradley Trevor Greive
Sextante
(2002)



Evair o Matador
Evair Paulino; Renato de Sá
Zinnerama
(2017)



Bibliolycée - Bérénice, Racine
Marie-Henriette BRU
Hachette
(2003)





busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês