Ao pai do meu amigo | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dentre Nós Cia de Dança estreia “Sagrado Seja o Caos”
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sem música, a existência seria um erro
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Disciplinas isoladas
>>> Meus encontros e desencontros com Daniel Piza
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
Mais Recentes
>>> Tex Nº 63 de G. L. Bonelli pela Vecchi (1981)
>>> Rei Branco e Rainha Vermelha de Daniel Johnson pela Record (2013)
>>> Manual de Defesa da Concorrência de José Matias Pereira pela Atlas (2014)
>>> Além da Fumaça e dos Espelhos (lacrado) de Burton Richter pela Ltc (2012)
>>> Direito na Atualidade – Volume III (lacrado) de André Vicente Freitas, Fernanda Paula Diniz pela Lumen Juris (2016)
>>> Emil and the Detectives de Erich Kastner pela Red Fox (1995)
>>> Ewigkeit Will Meine Liebe de Taylor Caldwell pela Heyne (1973)
>>> Perdas & Ganhos de Lya Luft pela Record (2004)
>>> Náufragos da Esperança de Paulo Roberto de Moraes Rego Figueiredo pela Grafisa (2017)
>>> Mitos da Gestão de Stefan Stern, Cary Cooper pela Autêntica Business (2018)
>>> Tex Nº 81 de G. L. Bonelli pela Vecchi (1982)
>>> Pedidos Implícitos (lacrado) de Rafael Calmon pela Foco (2020)
>>> Camélias de luz de Cirinéia Iolanda Maffei pela Boa Nova (2011)
>>> Um Sol Cravado no Céu da Boca e Esboço pra uma Quase Paisagem de Drika Nery pela Patuá (2014)
>>> A Memória de Todos Nós (lacrado) de Eric Nepomuceno pela Record (2015)
>>> Wasabi de Alan Pauls pela Iluminuras (1996)
>>> Guerra Secreta de Mark Mazzetti pela Best Seller (2016)
>>> O Quinto Risco (lacrado) de Michael Lewis pela Intrinseca (2019)
>>> Os Pensadores Abril Cultural de Friederich Nietzsche pela Abril Cultural (1978)
>>> Lindos casos de bezerra de menezes de Ramiro Gama pela Lake (1995)
>>> Epifanias (lacrado) de James Joyce pela Iluminuras (2012)
>>> Outras do Analista de Bagé de Luis Fernando Veríssimo pela L&pm Editores, Rs (1982)
>>> Circulação Global de Precedentes - Vol 1 (lacrado) de Ruitemberg Nunes Pereira pela Lumen Juris (2010)
>>> The Wise Up Series Book 5 de Sergio Barreto pela Wise Up
>>> Tex Nº 88 de G. L. Bonelli pela Vecchi (1978)
COLUNAS

Segunda-feira, 14/6/2021
Ao pai do meu amigo
Julio Daio Borges

+ de 2200 Acessos

O Cris foi meu primeiro melhor amigo.

Nunca gostou da escola e não ia bem. Só que lia como ninguém.

Detestava os livros que a escola indicava, mas, graças a ele, comecei a ler Stephen King, de quem ele já havia lido tudo.

Penso que o importante, na adolescência, não é ler Machado de Assis - mas ler. Simplesmente.

Pois quem não adquire o hábito da leitura na adolescência ou na juventude, dificilmente adquire depois.

Ainda mais no mundo de hoje.

O nosso mundo já era o do videogame, do videocassete e do microcomputador. E a música era o centro da nossa vida. Mas nós líamos.

Além das mil aventuras da adolescência, obviamente, nunca vou esquecer o Cris por isso. Sem a influência dele, eu provavelmente não seria o leitor que acabei me tornando.

Infelizmente, perdi contato com o Cris quando mudei de escola, no colegial. Tinha notïcias dele, por amigos em comum, até a época do cursinho. E, nos anos da faculdade, só nos vimos uma vez.

Depois, brevemente, na rua Augusta - quando eu, recém-formado, era trainee do Itaú e, justamente, fazia um treinamento no Conjunto Nacional (de Visual Basic, se não me engano).

E, se não me falha a memória, a família dele tinha montado uma empresa de serviços gráficos, cuja sede era na Augusta. Eu avistava o Cris quando subia ou descia a pé, do estacionamento para o Conjunto Nacional - e vice-versa.

Trocamos mensagens nas redes sociais. No Orkut, imagino, e no Facebook. Mas aquela coisa rápida, breve, mais para saber como o outro está, sem se aprofundar ou encontrar.

Curiosamente, quem passou a comentar meus textos e a me cumprimentar, nos meus aniversários, foi o Mario, o pai do Cris. E acabamos desenvolvendo uma relação cordial, mesmo que à distância, passados tantos anos... Em 2021, trinta e seis anos.

Hoje soube pelo Giuliano, irmão do Cris, que o Mario se foi. (Ainda não consegui descobrir se foi Covid...)

Fiquei triste. Não é o primeiro pai de amigo que se vai. Quando eu soube que o pai de um grande amigo estava com um câncer terminal, aquilo me tocou fundo. Passei dias pensando nele (no pai do meu amigo).

Recentemente, quando soube que o pai do Bruno se foi - outro grande amigo meu -, a notícia igualmente me tocou. Até porque eu tinha encontrado ele - o pai do Bruno - na praça Vinicius de Moraes, rapidamente, quando ele veio me perguntar: “Ei, você não é o Julio?”

Na época do cursinho, eu concluí, com outro grande amigo, que, quando gostamos muito de alguém, gostamos, quase automaticamente, da família da pessoa (quando chegamos a conhecê-la).

Lembro do Mario, por exemplo, nos levando - eu, o Cris e o Giuliano - na Up&Down (uma “danceteria”, alguém se lembra? Na Pamplona).

Lembro também que o Mario gostava muito de cinema - e alugava tantas fitas de uma só vez... que alugava “por semana” na locadora. (Eu nem sabia que existia essa modalidade.)

O consumo de cultura, da família, me impressionava. (É verdade que meus amigos sempre gostaram muito de música - difícil eu me relacionar com alguém que não gostasse...)

Hoje, fui escutar, de novo, os áudios que o Mario me deixou, a cada mês de janeiro. Foi bom ouvir sua voz grave novamente, senti ele próximo, senti calor humano.

Para a minha surpresa, havia um último áudio, que ele havia me deixado este ano - e que eu não havia escutado (no turbilhão dos cumprimentos simultâneos)...

“Julio” - ele pontuou - “os amigos, a gente não esquece. Feliz aniversário!”

Não esquece mesmo, Mario.


Julio Daio Borges
São Paulo, 14/6/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Zuza Homem de Mello (1933-2020) de Julio Daio Borges
02. E Foram Felizes Para Sempre de Marilia Mota Silva
03. O caminho rumo ao som e a fúria de Luiz Rebinski Junior
04. Mulheres, homens e outros insetos de Ana Elisa Ribeiro
05. O lado A e o lado B de Durval Discos de Lucas Rodrigues Pires


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges
01. Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges - 29/1/1974
02. Freud e a mente humana - 21/11/2003
03. A internet e o amor virtual - 5/7/2002
04. É Julio mesmo, sem acento - 1/4/2005
05. Frida Kahlo e Diego Rivera nas telas - 25/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Batalha do Apocalipse
Eduardo Spohr
Verus
(2010)



Box Com 2 Livros: Zac Power V. 1 e Teste Drive
H. I. Larry; Giovana Esmanhotto Ribas
Fundamento
(2016)



Seu Sonho Tem Futuro
Candice Pascoal
Gente
(2017)



Cristianismo e Criminalidade
Lucas Medrado
Fonte
(2016)



O Constante Correr das Horas
Justin Go
Intrinseca
(2015)



A Noite Rompida: a Insolita Aventura de Seu Levercuz
Carlos Patati
Estronho
(2014)



Pedaços de Mim
Rosa Maria Cosentino de Camargo
Do Autor
(1980)



The Blue Bicycle
Regine Deforges
Charter
(1985)



Matemática nas séries iniciais
Tânia Michel Pereira org.
Unijui
(1989)



As Cartas dos Orixás
Pensamento
Pensamento
(2021)





busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês