Cidade de Deus: o maior barato | André Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
39401 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/10/2002
Cidade de Deus: o maior barato
André Pires

+ de 3800 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Eu já tinha pensado em fazer uma crítica ao filme Cidade de Deus há algum tempo, mas de repente todo mundo começou a fazer, virou modinha, então desisti.

Acabei voltando atrás em minha decisão, porém, com uma ressalva. Diferente de todos os jornais, revistas, blogs, trogs e mogs que têm por aí, farei uma crítica da crítica. Sei que li muita coisa interessante sobre o filme. Uns falando mal, outros tantas falando bem. Eu, particularmente, achei o filme muito bom. Meio que macacado de Guy Ritchie, Quentin Tarantino, mas sem perder um "quê" carioca. E, além do mais, os caras são mesmo o expoente da renovação de estilo cinematográfico do circuitão. Pelo menos no que diz respeito à estética, que fique bem claro, pois em matéria de conteúdo o cinema não-americano sempre deu de mil.

As críticas contra o filme, pelo que pude perceber, dividem-se basicamente em duas categorias: as que afirmam que o visual do filme não é cru, sujo e porco, de modo a retratar a realidade do mundo (e não submundo) da miséria brasileira. Uma espécie de sacrilégio aos deuses do Cinema Novo e a sua aclamada estética da fome. Rebato: pra mim isso é choro de velho retrógrado e saudosista. Dane-se que os diretores usaram outra fotografia que não "a crueza do Cinema Novo". Por mais que eu ache Glauber Rocha um gênio, nessa hora tenho que dizer: dane-se o Cinema Novo -inserido no contexto, pelo amor de Deus-, hoje em dia um filme com uma estética diferente da mesmice habitual (como em CDD), bonita (como em CDD), contextualizada por uma narrativa ágil e moderna (como em CDD), atrai muito mais do que se Fernando Meirelles quisesse ressuscitar a "câmera na mão e uma idéia na cabeça". Existem outras maneiras de se fazer cinema hoje em dia que são merecedoras de aplauso e admiração, e que podem atrair mais facilmente um grande número de espectadores, contribuindo não só para o sucesso financeiro da empreitada, como para uma maior exposição da discussão, pelo menos. Os tempos são outros. Parece a mãe que reclama do filho escutar tecno e não se lembra de quando seus próprios pais reclamavam do som dos Beatles.

O segundo tipo de crítica é em relação a ausência no filme de um debate, se é que se pode chamar assim, ou de cenas que mostrassem as causas daquele flagelo social que é o corpo do filme. Alguns acharam que o filme é apenas um "passeio no zoológico humano de CDD", como aqueles jipes pra gringo passear na Rocinha. Não denuncia, não critica, não propõe nada, não discute... não leva a lugar nenhum. Divertimento para classe média americanóide e boçalóide. Digo eu: primeiro que esses críticos caíram no mesmo erro de que acusam os diretores do filme. Não aproveitaram seu espaço para incutir uma crítica construtiva ou, ao menos, denunciativa das medidas econômicas e interesses transnacionais de nos manter na mais absoluta miséria e ignorância (sendo a Cidade de Deus mais um de seus inúmeros sintomas). Falaram, falaram e não disseram nada. E mais: goste ou não do filme, ache ou não que ele denuncia um flagelo sócio-econômico de nosso país, o simples fato de citá-lo e analisá-lo em sua coluna ou matéria, já é uma oportunidade de fazer com que o leitor um pouco mais interessado pense na formação e manutenção histórica de nossas condições sociais.

Se bem que o próprio escritor Paulo Lins, em entrevista a este que vos escreve, disse que a única coisa que não gostou no filme foi o fato de não ser narrada a trajetória de Dadinho até se tornar Zé Pequeno. Ele achou que dava a impressão de que os sanguinários traficantes da Cidade de Deus e outras favelas cariocas são psicopatas naturais, quando na verdade são produtos diretos de uma realidade violenta e excludente. Pude assistir a uma palestra com Katia Lund (co-diretora) e ela disse que o interessante desse filme é que ele vai além. Ele se estende para as mesas de bar, salas de universidade, etc., discutindo a questão da pobreza, da marginalidade, da exclusão social.

O livro, como sempre, é melhor. Mas eu gostei do filme. É uma boa oportunidade para se pensar e, quem sabe, agir! Quem recebe tudo mastigadinho é filho de índia peruana.


André Pires
Rio de Janeiro, 7/10/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Impressões do jovem Engels de Celso A. Uequed Pitol
02. 2011: a queda do império? de Gian Danton
03. O vilão é Magneto ou a invasão dos blockbusters? de Marcelo Miranda
04. Notícias da terra das sombras de Rafael Lima


Mais André Pires
Mais Acessadas de André Pires
01. Matrix, Reloaded e Revolutions - 29/5/2003
02. Em Defesa do Funk - ou nem tanto - 11/5/2001
03. Só sei que nada sei - 9/12/2009
04. Cidade de Deus: o maior barato - 7/10/2002
05. Rodrigo e a guerra - 14/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/11/2010
01h55min
Se o que se vê em "Cidade de Deus" não é um ambiente sujo que retrate a realidade, e se o filme não propõe um debate, isso na visão dos referidos críticos, a minha pergunta é: onde vivem esses críticos? No Afeganistão? Terão visto o filme? Imundície e denúncia: está tudo ali. E o que o filme mostra não são produtos de uma realidade violenta: isso é discurso de antropólogos ou sociólogos pedantes: são, sim, psicopatas sanguinários que só merecem o fuzilamento sumário, pois todos ali vivem a mesma realidade, a mesma miséria, mas há muitos pais de famí­lia honestos que trabalham para sustentar sua casa sem recorrer ao crime. "Cidade de Deus" é um excelente filme.
[Leia outros Comentários de Gil Cleber]
28/11/2010
12h46min
Passados oito anos o filme "Cidade de Deus", continua inteiro. A Katia Lund (co-diretora) estava certa, o filme provocou debates na sociedade. Hoje, na Cidade de Deus, a situação é outra, com a segunda UPP do Rio de Janeiro. Os crí­ticos detratores do "Cidade de Deus" devem ter odiado os "Tropa de Elite" 1 e 2, os três recordistas de público. A câmera está na mão, mas o visual é outro, a nossa terrível realidade pode ser mostrada com outras cores, passando sua mensagem, instigando o debate. Glauber aplaudiria.
[Leia outros Comentários de José Frid]
29/11/2010
12h11min
Um filme traçado no chão da realidade.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM OLHAR SOBRE A ESCOLA
ALICE ROMEIRO E OUTROS
MEC
(2000)
R$ 3,50



FRAGMENTOS DA SABEDORIA ORIENTAL - VOL 3: O LIVRO DE ARDA VIRAF
AMORC
AMORC
(1993)
R$ 12,00



DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADO (PERGUNTAS E RESPOSTAS)
EDSON RICARDO SALEME E OUTROS
SARAIVA
(2007)
R$ 15,00



PETER PLYS OG HANS VENNER
A. A. MILNE
GYLDENDAL
(1975)
R$ 65,00



COLEÇÃO O ESSENCIAL SOBRE - D. JOÃO DA CÂMARA VOLUME 80
LUIZ FRANCISCO REBELLO
IMPRENSA NACIONAL CASA DA MOE
R$ 17,00



A IMPRENSA CARNAVALESCA NO BRASIL - UM PANORAMA DA LINGUAGEM CÔMICA
JOSÉ RAMOS TINHORÃO
HEDRA
(2000)
R$ 16,96



MRS. DALLOWAY
VIRGINIA WOOLF
NOVA FRONTEIRA
(1980)
R$ 14,90



O ÓBVIO ULULANTE
NELSON RODRIGUES
AGIR
(2007)
R$ 15,00



LA POESÍA DE VICENTE ALEIXANDRE
JULIO GARCÍA MOREJÓN
CENAUN
(1998)
R$ 15,00



MODERNA PLUS BIOLOGIA BIOLOGIA DOS ORGANISMOS 2ºANO
AMABIS E MARTHO
MODERNAPLUS
(2013)
R$ 31,66





busca | avançada
39401 visitas/dia
1,4 milhão/mês