Menos | Homer

busca | avançada
73184 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Poeta Ivete Nenflidio lança obra 'Ataque - cale-se agora e para sempre'
>>> Alunos de Ribeirão Preto constroem maquete com trajetória das águas da cidade até o mar
>>> Coletivo oferece eventos de danças angolanas em outubro e novembro
>>> Releitura de Ian Soffredini, O Pequeno Príncipe faz sessões em Santos
>>> 4º Edição Point BlackCultural
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
Colunistas
Últimos Posts
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
Últimos Posts
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
>>> Que porcaria
>>> Singela flor
>>> O cerne sob a casca
>>> Assim é a vida
>>> Criança, minha melhor idade
>>> As campanhas e os motes
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Como escrever bem — parte 1
>>> Lendo no Kindle
>>> 89 FM, o fim da rádio rock
>>> O do contra
>>> Tecnologia de Minority Report
>>> Filipe II da Espanha: homem e rei
>>> Questões de Representatividade
>>> Por um 2015 sem carteiradas
>>> Sete vezes Sete
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
Mais Recentes
>>> Ponciá Vicêncio de Conceição Evaristo pela Pallas (2017)
>>> Becos da Memória de Conceição Evaristo pela Pallas (2017)
>>> São Bernardo de Graciliano Ramos pela Record
>>> O Mundo do Sexo de Henry Miller pela Pallas (1975)
>>> O Esplim de Paris: Pequenos Poemas em Prosa de Charles Baudelaire pela Martin Claret (2010)
>>> Olhos d´água de Conceição Evaristo pela Pallas (2014)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Feb (2004)
>>> Otelo - Os Grandes Clássicos de William Shakespeare pela Otto Pierre
>>> Fundamentos Psicológicos e Biológicos das Necessidades Especiais de Gisele Sotta Ziliotto pela Ibpex (2007)
>>> O kit de sobrevivência do descobridor português no mundo anticolonial de Patrícia Lino pela Macondo (2022)
>>> O Cortiço de Aluisio Azevedo pela Klick
>>> Livro de Sonetos de Vinicius De Moraes pela José Olympio (1981)
>>> Caminhos da Filosofia de Roseane Almeida da Silva pela Intersaberes (2017)
>>> Teologia do Obreiro de Raimundo Ferreira de Oliveira pela Escola de Educação Teológica (2007)
>>> História da Cartografia e Geografia das Fronteiras do Brasil de Jaime Cortesão pela Funag (2022)
>>> Planejamento Financeiro de Camila Camargo pela Ibpex (2007)
>>> José Bonifácio, primeiro chanceler do Brasil de João Alfredo dos Anjos pela Funag (2022)
>>> Influências da Psicanálise na Educação de Árbila Luiza Armindo Assis pela Intersaberes (2012)
>>> Intervenção Psicopedagógica no Espaço da Clínica de Laura Monte Serrar Barbosa (Org.) pela Intersaberes (2012)
>>> Empresas Transnacionais - Uma Visão Internacionalista de Ludmila Andrzejewski Culpi pela Intersaberes (2016)
>>> Os Profetas Maiores - As Profecias de Isaias, Jeremias e Ezequiel de Carl Boyd Gibbs pela Escola de Educação Teológica (2008)
>>> Incrementando a Estratégia - Uma Abordagem do Balanced Scorecard de Tomas Sparano Martins e outros pela Intersaberes (2012)
>>> Desenvolvimento Gerencial, Estratégia e Competitividade de Adriano Stadler (Org) pela Intersaberes (2012)
>>> Esfinge: Estrutura e Símbolo do Homem de Pierre Weil pela Itatiaia (1977)
>>> Administração de Carreiras - Uma Proposta Para Repensar a Gestão de Pessoas de Joel Souza Dutra pela Atlas (1996)
COMENTÁRIOS

Sexta-feira, 3/5/2002
Comentários
Leitores


Menos
Gostei do texto, especialmente pelo tom irônico. Seria legal, no entanto, para adicionar ainda mais ironia, que aqueles operários fossem apenas um grupo de amigos literatos, como Bukowski e pares, num dia de trabalhos nos correios da cidade angelical, ignorados em suas facetas mais verdadeiras pela visão míope do observador, apenas a descansar sobre a relva urbana. Creditar à leitura a qualidade da superação da condição humana, que aqui já se traveste de proto-humana, como bem deve ser ressaltado, é de bom tom acatar. Mesmo porque a crença segue igual sentido. Interessante é que o autor parte do princípio que ser homo literalis já é, para si próprio, uma verdade tão absoluta, que a refutação é digna de considerações obsequiosas. De um cavalo ao chão poderia ter nascido a teoria newtoniana. Foi de uma maçã. Bem, ao menos alguns podem nisso crer: Um charuto também pode ser só um charuto. Menos, Alexandre, menos. Mas ainda assim, meus parabéns.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Homer
3/5/2002 às
09h55 200.152.98.9
(+) Homer no Digestivo...
 
Uma saga de grandes diretores
Caro Bruno, ( desculpe pela faltas de acentos, ja que micro por qual escrevo esta com problema na configuracao) Parabens pelo belissimo texto. Para quem gosta cinema e mais do que interessante. Nao sei se voce viu existe um filme que a HBO produziu que conta a historia da producao do Cidadao Kane que chama KRO249. Era a caixa de lata que pelicula era guaradada. Que tal um texto sobre o Kubrick. Esta passandono CineMax Prime uma saga com todos os filmes do rapaz. Voce poderia fazer varios textos com grandes diretores do seculo XX Abracao Otavio

[Sobre "O cidadão Welles"]

por Otavio
3/5/2002 às
10h26 200.153.78.26
(+) Otavio no Digestivo...
 
Há quem prefira a cozinha
Alexandre, obviamente, no clube da humanidade, se um membro não quer saber de ler as atas, sua presença ali será, digamos, pouco significativa, ao menos no hall principal. Mas há gente que quer ficar mesmo na cozinha, na ante-sala, no quintal. Quer estar nesses locais, pois lá é melhor prá fornicar, prá beliscar sorrateiro a broa de milho, prá opinar sem responsabilidade sobre a nova roupa da senhora gorda, sobre o novo automóvel do senhor de casaco preto, sobre o cofiar de bigodes do velho barrigudo, etc. Acho que foi o Victor Hugo que disse "tudo que aumenta a liberdade aumenta a responsabilidade". Há quem abra mão da liberdade que o conhecimento traz para não ter que carregar o fardo da responsabilidade. Há quem prefira deixar nas mãos dos governantes a solução de seus problemas mais comezinhos. É em última instância uma escolha pessoal. Como nos grandes centros urbanos, na cidade do saber há a periferia do conhecimento. Só que nesse caso eu acho que o inchaço populacional da periferia é menos uma questão social do que espiritual. Há, claro, o aspecto social, pois há quem nasça e morra nesse país sem nunca ter passado diante de uma biblioteca pelo fato de não haver bibliotecas nesse país. Mas quem não lê porque "logo me cansa a vista" está mentindo prá si mesmo e nem que morasse dentro duma biblioteca saberia que há mais Capitus nesse universo do que aquela putinha da novela das oito. Pessoas muito ligadas a mim já insinuaram que eu devo ser um idiota, dada a quantidade de tempo que "perco" diante de meros pedaços de papel salpicados de letras. Obviamente não tenho o louvável ânimo de um Alexandre para pegar tal pessoa pelo braço e dizer-lhe que "não é bem assim" ou, se o humor não estiver lá essas coisas, um "você quase nunca sabe do que está falando e eu sei a causa disso". Já tomei minha decisão: danem-se, fiquem na sua areia movediça que eu fico no meu vale das sombras. Mais uma coisinha óbvia, mas que pode explicar alguma outra coisa: as pessoas conseguem emular uma vida feliz longe do conhecimento, longe do desejo de saber algo mais do que aquilo que lhes dê um bom bocado da broa de milho. E essa emulação é um mistério da perfeição que suscita uma pergunta fundamental: as pessoas são realmente mais felizes na ignorância ou pensam que são mais felizes na ignorância? É tentador escolher a segunda opção, mas não dá prá fazer isso, pobres humanos caídos em pecado que somos, sem uma considerável dose de soberba. No entando não é soberba ou extrema vaidade o que me leva a concordar com o Alexandre: há muito de joaninha em quem não lê por não nunca ter sido apresentado aos livros. Mas há seres muito mais primitivos, que vivem em fossas abissais, aqueles que tiveram um pouco da educação formal mas que não lêem porque "não tenho tido tempo e quando tenho logo me dá um sono"... Abraço fraternal no amigo Alexandre Rogério Macedo P.S. Mais das minha abobrinhas em http://pradomacedo.blogspot.com

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Rogério Macedo
3/5/2002 às
09h56 200.194.102.154
(+) Rogério Macedo no Digestivo...
 
Doce irresponsabilidade
Civilization é um jogo que faz parte das minhas intermináveis batalhas mentais entre a responsabilidade de estudar para uma prova, que se aproxima mais e mais, e a doce irresponsabilidade de passar horas a fio, com a bunda doendo ao cabo de uma madrugada, sentado em frente a uma tela de computador. E o prazer da vingança, como bem ressaltado, é tão forte, que me lembro até hoje das boas sovas que dei em franceses, romanos e persas - nesses últimos principalmente - após mais um acordo de cessar-fogo quebrado. Adeus, que tenho que ir para a aula...

[Sobre "Civilizado?"]

por Homer
3/5/2002 às
09h55 200.152.98.9
(+) Homer no Digestivo...
 
Parabéns companheiro Neu
Nêumane, você é o gênio da raça.

[Sobre "O prazer, origem e perdição do ser humano"]

por Silvio Brandão
3/5/2002 às
09h54 200.177.221.133
(+) Silvio Brandão no Digestivo...
 
Presença feminina 2
Isabella, você disse tudo, tudinho mesmo. Quando os 'homens sérios' começam a falar de futebol e política, me lembram demais os meninos brigando na saída da escola. Meninas e mulheres não se sentem nem um pouco atraídas por isto. Quanto ao Fabio, ele é um encanto mesmo, e tem gente com dor de cotovelo por aí... hehehehe... Beijão, capitão ornitorrinco! Um beijo a todos, mesmo aos mais enfezadinhos, da Sue

[Sobre "a falsa verdadeira democracia"]

por Assunção Medeiros
3/5/2002 às
09h43 200.184.36.11
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
Há vida inteligente na música!
O Digestivo Cultural está de parabéns pela série de ensaios. O novo de Giron mostra uma faceta desconhecida da crítica de música. Eu imaginava que ela estivesse morta. Pelo jeito, está mais viva do que nunca. O texto nos leva ao interesse maior pelo assunto. Vou ler mais crítica de música!

[Sobre "Dizem que a crítica acabou; só se foi quando o verão chegou"]

por Silvio Brandão
3/5/2002 às
09h48 200.177.221.133
(+) Silvio Brandão no Digestivo...
 
Oh, my Goodness!!
Alexandre, você se supera a cada semana! Como pode isso!?!?! Não contente em nos levar para a cabana no topo da montanha, ainda nos fornece um telescópio - mais que um binóculo - para que olhemos as pessoas lá em baixo. E consegue nos fazer sentir ternura pelas pessoas que geralmente nos desprezam ('é um sonhador, vive com a cara nos livros...'). Mais que parabéns, obrigada... Bernardo, como se tira da 'areia movediça' alguém que luta contra você a chutes e pontapés para permanecer lá? A busca pelos livros e pela cultura é estritamente pessoal, e como disse o Alexandre, independe totalmente de classe social. Quanto aos políticos, eles geralmente estão no mais fundo da areia movediça, você não percebeu? Beijos da Sue

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Assunção Medeiros
3/5/2002 às
09h29 200.184.36.11
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
E as propostas?
Alexandre, Você acertou no alvo. Faltou entanto, uma proposta: O que a pequena parcela dos letrados pode (e deve) fazer para içar da areia movediça da ignorância aqueles, digamos, menos favorecidos? Onde entra a responsabilidade da elite cultural? E do Estado? E dos políticos? Abraços, Bernardo Carvalho Goiânia - GO

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Bernardo Carvalho
3/5/2002 às
09h11 200.193.230.163
(+) Bernardo Carvalho no Digestivo...
 
Grimble, Família e Cia.
Eu me lembro, Alexandre. Grimble, Família e Cia., escrito por um bisneto ou coisa assim do Sigmund Freud, bem divertido. E lembro também do Escaravelho. Pelo visto eu só não me lembrava mesmo do autor da capa do Gênio do Crime...

[Sobre "Figurinhas"]

por Rafael Lima
3/5/2002 às
08h13 200.179.78.2
(+) Rafael Lima no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Para Viver um Grande Amor
Vinicius de Moraes
Record Altaya
(1991)



Beijos. Coisas Que Todo Mundo Quer Saber (2001)
David Fisher
Melhoramentos
(2001)



Superman - N° 23
Universo Dc
Panini Comics
(2019)



O Amante - 10ª Ediçao
Marguerite Duras
Nova Fronteira
(1984)



Livro - Andorinhas de Cabul
Yasmina Khadra
Sa
(2006)



Querido e Devotado Dexter
Jeff Lindsay
Planeta do Brasil
(2009)



Terror no Céu
David Harper
Record
(1970)



Seu Futuro Financeiro - Voce é o Maior Responsavel
Louis Frankenberg
Campus
(1999)



Mensagens de Maria para o Mundo
Annie Kirkwood
nova era
(1997)



Esperando o amor chegar
Iyanla Vanzant
sextante
(2002)





busca | avançada
73184 visitas/dia
1,7 milhão/mês