Cazuza era Exu; Renato, Oxalá | Guga Schultze

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
>>> História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo
>>> Sinatra e Bennett (1988)
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
Mais Recentes
>>> Chico, Eu e a Oitava Séria de Lino de Albergaria pela Saraiva (2010)
>>> O Bicho-da-seda de Robert Galbraith; Ryta Vinagre pela Rocco (2014)
>>> Surfistas Beijos e um Pé de Pato de Carolina Cequini pela Atheneu Cultural
>>> O mundo tem de ser desse jeito? de Fernando Vaz pela FTD (1996)
>>> Pretty Little Liars, V. 7 - Heartless de Sara Shepard pela Harper Usa (2010)
>>> Lucíola de José de Alencar pela Martin Claret Pocket (2012)
>>> Vigilancia Em Saude Ambiental de Solange Papini pela Atheneu (2012)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua de Richard Carlson; Joana Mosela pela Rocco (1998)
>>> Rima do Azul Infinito de José Donizete Gonçalves pela Thesaurus (2004)
>>> O Silêncio dos Amantes de Lya Luft pela Record (2008)
>>> Principios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Vários pela Cfc (2002)
>>> Filhos Para Leigos de Sandra H. Gookin pela Mandarim (1996)
>>> Cha Entre Amigas de Paula Jacome pela Multifoco (2011)
>>> Quando e Preciso Voltar de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciencia (2001)
>>> Rowan, o Guardião: Rowan e os viajantes de Emily Ronda pela Fundamento (2008)
>>> Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição de Antônio Galvão Novaes pela Campus
>>> Shibumi de Trevanian pela Círculo do Livro (1981)
>>> Metodologia do ensino Voleibol de Pedro luiz bulgarelli pela Distribuidora Educacional (2017)
>>> Escaldado Em Agua Fria de John Straley pela Globo (2001)
>>> Fire Watch de Connie Willis pela Bantam Books (1998)
>>> Organizações Inovadoras do Setor Financeiro: Teoria e Casos de Sucesso de José Carlos Barbieri/josé Carlos Barbieri pela José Carlos Barbieri (2009)
>>> Surfista, Ex-drogado, Ex Traficante de Franjaques Chulam pela Francisco Alves (2009)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Bukkyo Dendo Kyokai
>>> Um Lugar no Mundo de Alberto Aggio pela Contraponto (2015)
>>> Constituição do Estado do Rio de Janeiro de Claudio Brandão de Oliveira pela Roma Victor (2003)
COMENTÁRIOS

Sábado, 22/7/2006
Comentários
Leitores


Cazuza era Exu; Renato, Oxalá
Uma vez o Fernando Sabino disse, numa entrevista, que ouvia música sem prestar muita atenção na letra, de uma forma geral. Depois é que ele ia analisar, se gostasse da música. Concordo que o Cazuza escreve um pouco melhor, mas a música da Legião fala mais alto. É boa balada de rock. Agora, o Renato, como letrista é... sincero, pelo menos. Pequenos bons momentos, às vezes em lugares inesperados, pra ele, principalmente. Concordo também: ele deve ter ouvido muito rock e, se existe alguma fonte em que ele bebeu, alguma canção que fosse um paradigma, aposto em Strawberry Fields Forever, dos Beatles. Aquele vai e vem de idéias semi-articuladas, o clima melancólico, dúbio, uma afirmação da ambiguidade. Penso também que a homossexualidade atormentada contribuiu para aquele estilo meio esquivo do Renato. Se fosse Umbanda, Cazuza era Exu; Renato, Oxalá. Mas não era, era só uma banda de rock, das melhores. E tinha algumas melodias realmente belas.

[Sobre "Desconstruindo o Russo"]

por Guga Schultze
http://gugasic.blogspot.com
22/7/2006 às
02h28 200.222.175.211
(+) Guga Schultze no Digestivo...
 
agradecimento de um novo fã
bem-vindos, mutantes, ao seculo 21, com boas musicas, vcs revolucionaram a musica com um todo. agradeço um manto de experiencia, vcs são demais.

[Sobre "Os Mutantes são demais"]

por elder g freitas
21/7/2006 às
22h36 200.225.159.26
(+) elder g freitas no Digestivo...
 
Roqueiro culpado
Salve, Julio! Como fã de Cazuza e Renato, fiquei feliz com sua abordagem sobre os dois. E sempre defendi que Cazuza tem letras fortes e maduras, uma presença de palco marcante. Suas letras que falam de amor têm maturidade, poesia. O Renato funciona no contexto geral, com a combinação letra/música, era um burguês punk de Brasília, rebelde adolescente, romântico, artista, apático, culpado. Cazuza era burguês, desgarrado, rebelde sem culpa e sem medo, acima de tudo, poeta. Sinceramente, Ayron de Melo.

[Sobre "Desconstruindo o Russo"]

por ayron de melo
21/7/2006 às
21h20 201.32.52.14
(+) ayron de melo no Digestivo...
 
prefiro Rubem e Millôr
não me entenda mal, mas quando o assunto é mulher, prefiro me divertir com Rubem Fonseca e Millôr Fernandes.

[Sobre "O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar"]

por EliasVicenteCanossa
21/7/2006 às
19h53 150.162.198.5
(+) EliasVicenteCanossa no Digestivo...
 
Não sou modinha
Vai fazer muita falta, pois foram dez anos de amor à rádio e a seus locutores, o que diferenciava ela das outras. Mas tudo bem, nem tudo é perfeito, ainda me resta a Brasil 2000 e Kiss, pois não sou modinha, gosto de som de verdade!

[Sobre "89 FM, o fim da rádio rock"]

por Luana Darley Estevam
21/7/2006 às
18h01 201.27.110.224
(+) Luana Darley Estevam no Digestivo...
 
Money Talks, como diria AC/DC
É uma droga mesmo!!! Dá vontade de xingar. É assim desde os tempos da saudosa Excelsior FM, outra grande rádio de Rock. Isso foi em 1982/1983... No início de 83, a globo mudou a diretoria da rádio, e a programação ficou aquela bomba. O que era uma Rádio maravilhosa, virou um montão de lixo do hit parade. É o dinheiro falando "bem mais alto". Depois, ocorreu o mesmo com a 97 FM, um pouco antes com a Imprensa FM, que tinha super programas de Rock, apesar da programação não ser 100% voltada ao gênero. Agora, a 89 vai pelo mesmo caminho. Não a ouvia há muito tempo, porque só escuto a Kiss. Escutei a "nova programação" no trabalho, porque aqui temos que ouvir emissoras que a maioria goste. Aqui, só eu gosto da Kiss. Isso nem me espanta mais. O autor do texto, Valdir Antonelli disse tudo: a opinião do ouvinte tem peso nulo para as rádios. Várias bandas que cansei de pedir para a própria Kiss nunca foram tocadas. "Money Talks", tal como na letra do AC/DC.

[Sobre "89 FM, o fim da rádio rock"]

por Roberto G. Morrone
21/7/2006 às
17h25 201.56.141.252
(+) Roberto G. Morrone no Digestivo...
 
89 FM: sertanejo, pagode e rap
E qdo as modinhas de agora desaparecerem e derem lugar ao sertanejo, ao pagode e ao rap, o q a 89 vai fazer, hein? Q pergunta besta! É claro, vai tocar sertanejo, pagode e rap!!! Rs, o q naum se faz por dinheiro...

[Sobre "89 FM, o fim da rádio rock"]

por Marcele Barreiros
21/7/2006 às
16h06 201.13.90.220
(+) Marcele Barreiros no Digestivo...
 
Discutindo idéias
Faz alguns anos, um amigo convidou-me para comparecer a uma reunião que se realizava semanalmente ou quinzenalmente, não me recordo bem, onde se discutiam diversos temas, de preferência filosóficos, sempre com a presença de alguém mais entendido no assunto que, mais ou menos, dirigia as discussões. Compareci algumas vezes, mas penso que não estava muito preparada ou madura para este tipo de reunião e discussão. Assim mesmo, posso afirmar que eram bastante interessantes e uma forma de se pensar e crescer. Creio que aquilo já era um esboço de uma Casa do Saber, sendo mais informal.

[Sobre "A Casa do Saber no Rio de Janeiro"]

por regina mas
21/7/2006 às
13h59 200.179.216.211
(+) regina mas no Digestivo...
 
uma doce inveja do show
Bela matéria crítica Rafael, fiquei com uma doce inveja de assistir esse show do Ney, a propósito, a combinação da viola caipira com o alaúde se deve por ser a viola caipira também um alaúde, valeu mesmo!

[Sobre "Ney Matogrosso: ótimo intérprete e grande showman"]

por André Balbino
http://www.afabrika.com.br
21/7/2006 às
11h16 200.175.149.208
(+) André Balbino no Digestivo...
 
Vcs estão enganados
Estudei em faculdade particular (e não foi PUC, foi UNIVALE, em Governador Valadares) e pública (UFES), em dois cursos diferentes. Vcs estão enganados. Na faculdade particular também há o "sevirol" de que a Ana Elisa falou. Não vi nada de mão beijada. Além disso, atendi à comunidade DE GRAÇA, como na extensão da universidade pública e tive professores com doutorado (não todos, é claro!) Até greve eu enfrentei. Sim, se quiserem pesquisar, entre 1998 e 2000, houve greve na UNIVALE (não me lembro ao certo em qual ano). Através da faculdade particular, junto com a FUNASA, trabalhei em comunidade indígena num lugar onde só se chega com tração nas 4 rodas. As particulares também oferecem assistência psicológica, odontológica, jurídica, etc., prestando serviço para a sociedade. Na universidade pública tive outras experiências também maravilhosas. Mas uma coisa, realmente, é certa: a PESQUISA tem maior incentivo nas públicas.

[Sobre "Sala de aula é o mínimo"]

por juliana
21/7/2006 às
10h08 201.78.118.13
(+) juliana no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Desenvolvimento Regional Em Santa Catarina
Claudia Siebert
Edifurb
(2001)



Estimulando Inteligência
Pier
Goya
(2014)



Histórias Românticas II
Machado de Assis
Clube do Livro
(1958)



Vidas Secas
Graciliano Ramos
Record
(2002)



O Buraco na Parede: Contos
Rubem Fonseca
Companhia das Letras
(1995)



Educação: Desafios da Práxis e Formação
Ivo Dickmann e Aline Fatima Lazarotto (orgs.)
Clube dos Autores
(2018)



Como Lidar Com Pessoas Manipuladoras
George K. Simon
Universo dos Livros
(2016)



Os Pensadores: Bacon
Nova Cultural
Nova Cultural
(1988)



Corrupção Mostra a Sua Cara
Marco Morel
Casa da Palavra



Hellraiser -- N º 1
Clive Barker
Abril jovem
(1991)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês