Pelo que sempre serei lembrado | Eduardo Mineo | Digestivo Cultural

busca | avançada
74137 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 1/12/2008
Pelo que sempre serei lembrado
Eduardo Mineo

+ de 3700 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Nota do Autor
Este texto comenta o final do filme Vicky Cristina Barcelona.

É muito gratificante a sensação de saber que sempre serei lembrado por achar que a Cyndi Lauper danificou a cabeça de uma geração inteira de garotas certinhas com suas músicas rosa e amarelo. Alguns podem considerar que sou exagerado; outros darão o braço a torcer, mas tal qual a criancinha no conto de Hans Christian Andersen, aponto para esta geração de garotas perdidas e digo "Vejam! Vocês estão nuas!".

Existem três tipos de garotas certinhas: as garotas certinhas que sempre serão certinhas; as garotas certinhas que sempre serão certinhas, mas que até acham maneiro essa coisa misteriosa e ultra-interessante de não serem certinhas "porque a vida é uma só, né?" e todas essas frases que são traduzidas na cabeça dos homens para "vou abaixar as calças pro primeiro que aparecer"; e as garotas certinhas, que são como as outras, mas que às vezes têm a coragem de serem erradas, mesmo sabendo que invariavelmente serão miseráveis. E Vicky Cristina Barcelona, do Woody Allen, é ao mesmo tempo uma sacudida na Cyndi Lauper e, como disse um amigo meu, é também um aviso às garotas certinhas: fiquem na sua, ou vão quebrar a cara.

É certo que existem também as garotas que nasceram do avesso ― vocês já devem ter visto ― e que algumas vezes conseguem incrivelmente ter uma vida satisfatória de um modo sociologicamente curioso, vide qualquer personagem interpretado pela Penélope Cruz. São pessoas que funcionam na contra-mão das regras culturais, que têm comportamentos e valores talvez chocantes, mas que conseguem, em maior ou menor grau, encontrar um sentido de permanência para suas vidas. Entretanto, nosso foco está lá do outro lado, não é? Lá, ó, lá.

Nosso foco são as garotas certinhas que às vezes têm a coragem de serem erradas ― e não estou falando sobre votar no Barack Obama, ok? No nosso caso: Vicky e Cristina.

Vicky e Cristina são duas garotas certinhas que depois de algumas enrascadas perceberam que, afinal de contas, elas são garotas certinhas e que, por mais que tentem lutar contra isso, nunca vão se sentir confortáveis em situações opostas às suas culturas, pelo que uso como base para definir meu certo e errado ― e funciona!

Vicky está para se casar com um tipo de Nova York. O cara é bem-sucedido, mas morno. Morno, porém ainda um bom tipo, um sujeito que talvez tenha sido contaminado demais com o mundo corporativo, mas que se mantém dentro da linha do aceitável e desejável. Dá para ver que é um cara estudado, que tem uma boa aparência, que é às vezes divertido e tem uma vida social que eu invejei muito. Além disso, ele está tomando conta de todo o casamento, está procurando uma casa (com quadra de tênis!) para morar com sua noiva e tudo mais.

Vicky está em Barcelona estudando para sua tese sobre a cultura catalã junto com sua amiga, Cristina, uma artista em crise, cuja maior obra foi um fiasco. As duas se hospedam na casa de um casal de amigos ligeiramente mais velhos e, em princípio, felizes. É quando, num passeio à uma galeria de arte, encontram um artista espanhol charmosão, mas com fama de vida sentimental turbulenta, por causa de um episódio violento com sua ex-mulher paranóica e agressiva ― adivinha quem a interpreta?

À noite, o artista espanhol aborda as duas num restaurante e, de uma maneira excessivamente direta, as convida para uma viagem e para sexo. As duas amigas se dividem: Vicky nega, assumindo uma postura conservadora e Cristina aceita, assumindo uma postura liberal. As duas acabam indo, afinal, e tudo se embaralha com Vicky se apaixonando pelo espanhol, o espanhol se apaixonando pela Cristina e esta também entra no jogo aceitando viver um relacionamento a três com o espanhol e sua ex-mulher.

Tudo parece até cult, até bonitinho, mas invertendo-se o sexo dos personagens, dificilmente esta imagem de jovens descobrindo o amor se sustenta. É até engraçado imaginar como reagiriam as blogueiras que li falando sobre "tem que experimentar tudo mesmo" se na verdade fosse uma garota oferendo sexo para dois caras (dos quais um casado) completamente desconhecidos.

E conhecendo um pouco Woody Allen, dava para sentir a porrada que as duas iriam levar mais cedo ou mais tarde e, é claro, não demorou muito. Após uma série de confusões absurdas, numa das quais a Vicky quase morre com um tiro, as duas personagens conseguem enxergar que são e que sempre serão garotas certinhas. Conseguem finalmente enxergar que o custo de buscar a felicidade na contramão da sua personalidade é alto demais e que querem, no final das contas, ser felizes numa relação estável, encontrando alguém em quem possam confiar e serem também confiáveis.

Muito embora seja possível defender teoricamente que garotas do avesso, quando cansadas de suas vidas hiperbadaladas e superdivertidas, podem também ser muito confiáveis. É o que nos ensina o Jay da dupla Jay and Silent Bob no filme Chasing Amy, quando Ben Affleck conta todo chateado que terminou com sua namorada, uma garota muito experiente, para se dizer o mínimo, e que não sabe o que fazer: "Seu idiota! Ela já fez todo tipo de maluquice no mundo! Agora ela já não vai querer experimentar mais nada e pode se contentar com um cara chato e tedioso como você!".

Isso, embora retoricamente pareça válido, precisaria considerar a possibilidade das pessoas mudarem suas personalidades e, se é verdade que pessoas mudam, eu não sei responder. Mas, se for possível, deve ser praticamente impossível. Como assistir um filme do Woody Allen e não gostar.


Eduardo Mineo
São Paulo, 1/12/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Inferno em digestão de Renato Alessandro dos Santos
02. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
03. A Imagem do Som de Fabio Gomes
04. Sejamos multiplicadores de Fabio Gomes
05. Uma Viagem à Índia, de Gonçalo M. Tavares de Carina Destempero


Mais Eduardo Mineo
Mais Acessadas de Eduardo Mineo em 2008
01. Dê-me liberdade e dê-me morte - 20/10/2008
02. Razoavelmente desinteressante - 18/2/2008
03. Bem longe - 4/2/2008
04. Não ria! - 21/7/2008
05. Trauma paulistano - 25/8/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/12/2008
17h36min
Então dá pra ver como são misteriosas as coisas. Sou leigo em tudo. Isso me dá liberdade para dizer qualquer bobagem e me sentir, com licença da palavra, inimputável. Uma vez, na adolescência, quase cometi um namoradicídio depois de saber que "minha garota" tinha namorado um outro cara da minha rua. E não adiantava ela dizer que "não se lembrava mais dele". Como não se lembrava?, eu dizia, pronto pra matar... Você é maluca? Alguém pode esquecer um beijo? um cheiro? um abraço? E lá ia eu desfilando toda a minha paranóia de garoto do interior, aculturado de aldeia, onde mulher tem dono. Falei tudo isso para me reportar ao início do texto. "Existem garotas certinhas... existem garotas que não são certinhas..." Quando os políticos falam que a solução está na educação, provavelmente não estão falando da educação integral, essa que impediria que existissem garotas certinhas e não certinhas e ex-trogloditas como eu. Gostaria de mais falar, mas meu limite é menor do que o este espaço.
[Leia outros Comentários de Miguel Accacio]
16/12/2008
09h34min
Sim, o filme é bom. É impressionante como mesmo um Woody Allen despretensioso consegue ficar acima da média dos filmes a que assistimos. Gostei do seu texto também. No entanto, tive uma impressão diferente acerca da Cristina; não achei que ela recuou diante de uma "derrapada". Achei que continuaria experimentando o que aparecesse, em razão de sua natureza inquieta. Mas é legal poder pensar por um outro ângulo. Parabéns.
[Leia outros Comentários de Roberta Resende]
16/12/2008
12h03min
Oi Roberta. Pensando depois e lendo algumas entrevistas do Woody, eu realmente mudei minha forma de ver a Cristina. Numa entrevista sobre Vicky Christina ele disse o seguinte: "E Scarlett Johansson sabe o que ela não quer, mas não sabe o que ela quer e provavelmente nunca saberá. Ela caminha por sua vida e tem um relacionamento seja lá qual for, e pensa, 'Este é o que vai me dar uma sensação de satisfação.' E então, conforme o tempo passa, porque é desconfortável para ela, há uma ansiedade dentro dela que faz com que ela se agarre a qualquer relacionamento mais cedo ou mais tarde, e pensa que o problema está no relacionamento, quando na verdade está nela. E ela na verdade jamais achará exatamente o que ela está procurando."
[Leia outros Comentários de Eduardo]
16/12/2008
12h04min
Então eu acabei adaptando a Cristina ao que eu queria bater no meu texto, mas eu forcei um pouco ali. Ela não é uma garota certinha. Ela não sabe o que é e talvez nunca saiba. Como disse o próprio Woody, o filme é bonito, tem gente bonita e músicas bonitas, mas é um filme triste e pessimista.
[Leia outros Comentários de Eduardo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CONJUGAR VERBOS DE ESPAÑA Y DE AMERICA - 1ª EDIÇÃO - C/ CD AUDIO
ALFREDO GONZALES HERMOSO
EDELSA
(2011)
R$ 104,86



LA MUSICA COMO MEDICINA DEL ALMA
JUNE BOYCE TILLMAN
PAIDOS ESPANHA
(2003)
R$ 50,00



OS PERUS - CRIAÇÃO E APROVEITAMENTO
J. REISORG
MELHORAMENTOS
R$ 17,51



BELMIRO
MÁRIO RUDOLF
NOOVHA AMERICA
(2003)
R$ 5,00



THE WALKING DEAD - A ASCENSÃO DO GOVERNADOR ROBERT KIRKMAN
ROBERT KIRKMAN
GALERA
(2013)
R$ 5,00



DAHMANE
BENEDIKT TASCHEN
TASCHEN
(1994)
R$ 69,90



DA INTERPRETAÇÃO JURÍDICA 2ª EDIÇÃO
MÁRIO FRENZEM DE LIMA (CAPA DURA)
FORENSE (RJ)
(1955)
R$ 17,82



PINHO, PINHEIRO, PINHAO
L. MARQUES
MELHORAMENTOS
(1969)
R$ 7,00



OS SUPER MARKETERS
ROBERT HELLER
HARBRA
(1990)
R$ 6,90



ESPUMAS FLUTUANTES
CASTRO ALVES
KLICK
R$ 6,99





busca | avançada
74137 visitas/dia
1,8 milhão/mês