Os sapatos confessam | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
44238 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 10/1/2011
Os sapatos confessam
Adriana Baggio

+ de 3600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Dizer que mulheres são loucas por sapatos é clichê mais batido que chinelinho de ficar em casa. Foi a característica que definiu a Carrie Bradshaw em Sex and the City, e olhe que das quatro amigas ela era a mais "inteligente" e menos "fútil" (as aspas servem para alertar que ainda estamos na seara dos clichês).

Precisa ter coragem para gastar aquela grana toda com meros... sapatos. O problema é que eles nunca são "meros". Sapatos, talvez, sejam mais importantes para determinar a personalidade ou a imagem de uma mulher do que roupas. Você até consegue disfarçar uma roupa barata na composição do look. Mas sapatos fuleiros parecem gritar sua origem a cada passo. E olha que eles estão lá embaixo, no pé.

Do jeito que eu falo, até parece que sou milionária e vivo comprando Christian Louboutins de 10 mil reais. A questão dos sapatos de quinta não está exatamente no preço. Tem a ver com design, estilo, material, conforto. No fim das contas, tudo isso custa. E então entra o lance do preço. Mas não necessariamente, porque você consegue sapatos muito legais com precinhos bem camaradas. E aí pode até dar uma relaxada na roupa, porque os sapatos salvam seu modelito e sua reputação.

A outra vantagem do sapato sobre as roupas é a questão do tamanho. Se você calça 38, em 99% das vezes pode confiar que um sapato deste número vai servir direitinho, não importa o modelo, a loja, a coleção ou a estação. O mesmo não acontece com a calça jeans. Se você deu azar de não ter o corpo que combina com a modelagem das marcas de roupa que são do seu gosto e/ou bolso, aposte todas as fichas nos pisantes.

A relação entre mulheres e sapatos não tem nada de fútil. Eles são muito importantes em nossas vidas. Foi isso que eu senti enquanto arrumava meu armário na faxina do fim de ano. Tirar os sapatos das prateleiras foi como folhear um diário, um álbum de fotos. Cada um traz uma lembrança, representa uma época, reflete traços de personalidade. Mas tive a péssima ideia de arrastar meu marido para aproveitar o embalo e limpar a parte dele também.

Quando comecei a enfileirar os pares, o olho dele começou a arregalar. Com todos os sapatos, os meus e os dele, lado a lado no chão, a diferença foi gritante. Bom, eu realmente acho que tenho muitos sapatos, em comparação com a ala masculina do armário. No entanto, deve ser muito menos do que você imagina. São apenas 36 parzinhos, contra 10 do meu marido.

Um grande número de sapatos (considere o número mais adequado à sua realidade) não é algo ruim se eles são bem usados e conservados e se você tem o bom senso de saber que não/nunca/jamais será normal gastar um salário mínimo (mais de dois mínimos, então, só se você rasgar dinheiro no café da manhã) num sapato quando muita família passa o mês com essa verba. Veja, você não precisa deixar de gastar: basta ter noção do valor e da discrepância entre as coisas, o que ainda assim é raro. Então, se você não é uma compradora desvairada e as solas dos seus andantes têm histórias pra contar, tá tudo bem.

Minhas prateleiras acomodam sapatos com dez, doze, quinze anos de idade. Apesar de não serem usados todo dia, também não estão abandonados. Um desses é um modelo boneca de bico quadrado preto, de veludo e salto alto, também quadrado. Ele tem muita história. Comprei quando tinha uns 18 anos, estava no começo da faculdade e namorava um estudante de medicina (outra vantagem dos sapatos: o "manequim" não muda com a idade!). Saí com eles ― o namorado e o sapato ― muitas vezes. Era uma época ingênua e romântica. Sempre que acaricio o veludo preto lembro daquela sensação de friozinho no estômago que só os primeiros namorados provocam. Hoje, quando uso este sapato, me sinto um pouco como a mocinha daquele tempo, mais leve, mais suave, mais despreocupada.

Não tão velha, mas bem rodada, é uma bota que comprei no fim de 2004. É um modelo preto com solado de borracha, bem robusto. Parece um coturno, mas não é de amarrar, fecha com zíper na lateral. O cano fica bem justo na perna e vai até o meio da canela. O que eu mais gosto nela é essa mistura de agressividade e delicadeza. Fica bem com um jeans mais curto e melhor ainda com saia. Acho que é meu sapato preferido, aquele que eu salvaria se fosse o único que pudesse carregar ao fugir de um incêndio. Quando estou com ela me sinto muito poderosa, capaz até de enfrentar um bandido com um chute na canela.

Minhas aquisições mais recentes são sapatilhas. Tenho várias, porque são o sapato mais versátil que existe para mulheres. Vejamos: mesmo sem salto, são chiques e elegantes se tiverem bico fino, abertura peep toes ou algum outro detalhe especial; salvam o look naquele dia de calor em que seus pés estão horríveis para colocar uma sandália; dá para usar no inverno sem meia, desde que não esteja menos que uns 13 ou 14 graus (não indicado para amadores); você tira e põe facilmente; normalmente são super confortáveis (menos uma vermelha da Zara, que me torturou alguns meses até eu conseguir domá-la).

Tenho também algumas peças que chamo de sapato-para-jantar-fora-com-namorado-novo. É aquele liiiindo de morrer, mas que deixa qualquer mulher com a mobilidade reduzida, devido ao extremo desconforto e desequilíbrio. Você usa somente quando não precisa andar e muito menos dirigir, se tem alguém por perto para se apoiar, se vai ficar sentada o tempo todo. Convenhamos: uma situação que reúna todos esses fatores, só mesmo no início de namoro.

Um dos últimos sapatos que ganhei do meu marido é justamente uma dessas: uma sandália flat da Le Lis Blanc, de tiras amarelas bem finas (o nome do modelo é Adriana!). Mesmo sem salto, é um pouco difícil de andar com ela. O pé escapa pela falta de apoio no calcanhar e nas laterais. Usar para trabalhar, bater perna ou dançar, não rola. Então ela fica lá no armário, meio abandonada. A não ser quando eu arranjo uns minutos para dar um trato no pé e não será preciso mais do que 20 passos entre a porta do carro e qualquer outra. Então, coloco as inviáveis sandálias de tira e, não importa a quanto tempo namore ou esteja casada, revivo aquele clima de jantar-fora-com-namorado-novo.

Será que alguém ainda não entende por que a gente gosta tanto de sapatos?


Adriana Baggio
Curitiba, 10/1/2011


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2011
01. E você, já disse 'não' hoje? - 19/10/2011
02. Bombril: a marca que não evoluiu com as mulheres - 10/5/2011
03. Por que as curitibanas não usam saia? - 22/2/2011
04. Moda em 20 textos - 1/8/2011
05. Os sapatos confessam - 10/1/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/1/2011
22h24min
Adorei seu texto! Infelizmente ainda não tenho condições para comprar sapatos como tenho vontade, mas você diz no texto uma grande verdade: eles confessam mesmo. Existem sapatos que são comprados e tão raramente usados que acabam por marcar alguns dos momentos mais importantes da vida.
[Leia outros Comentários de Ju]
20/10/2013
17h28min
Amei esse texto, quando conheço uma pessoa sempre observo o que usa. E ultimamente a personalidade diária está sendo exposta tbm pelas sapatilhas com cores ou detalhes fortes.
[Leia outros Comentários de Cristina cavalcante]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESTATÍSTICA PARA ECONOMISTAS
RODOLFO HOFFMANN
PIONEIRA THOMSON LEARNING
(2002)
R$ 15,00



TUDO O QUE VOCÊ NUNCA QUIS SABER SOBRE YÔGA
DE ROSE
MARTIN CLARET
(2003)
R$ 4,00



AS REGRAS DO METODO SOCIOLOGICO
EMILE DURKHEIN
AFILIADA
(2004)
R$ 15,00



NINOTCHKA - A HEROÍNA DAS ESTEPES
HEINZ G. KONSALIK
RECORD
R$ 4,00



O BUDISMO NA CHINA
DAISAKU IKEDA
RECORD
(1973)
R$ 110,00



NEOLIBERAL NAO, LIBERAL
SARDENBERG
GLOBO CBN
R$ 15,00



INTRODUÇÃO À ECONOMIA: PRINCÍPIOS DE MICRO E MACROECONOMIA - 2ª EDIÇÃO
NICHOLAS GREGORY MANKIW
CAMPUS
(2001)
R$ 135,95



THE PLAYBOY CARTOON ALBUM (HARDCOVER)
HUGH HEFNER
CROWN PUBLISHERS - NY
(1959)
R$ 600,00



O PROCESSO DA COMUNICAÇÃO
DAVID K. BERLO
FUNDO DE CULTURA
(1972)
R$ 12,00



AMÉRICA EM CHAMAS DA MESMA AUTORA DE O FIM DE ALICE E TERRA...
A. M. HOMES
NOTÍCIAS EDITORIAL
(2000)
R$ 74,70





busca | avançada
44238 visitas/dia
1,1 milhão/mês