Fellini | Maurício Dias | Digestivo Cultural

busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 13/12/2002
Fellini
Maurício Dias

+ de 2800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

"Fellini é um garoto do interior que nunca chegou de fato à Roma. Ainda sonha com ela. E devíamos todos agradecer muitíssimo esses sonhos." Orson Welles, em entrevista a Peter Bogdanovitch.

O provincianismo de Federico Fellini pode ser notado em suas mais fortes influências, os quadrinhos - numa época em que os quadrinhos eram muito mais banais, salvo raras exceções - e o circo - ao qual prestaria homenagens em "A Estrada da Vida" (1954) e no semidocumentário feito para TV "I Clowns" (1971). A imagem por ele construída de sua mulher, a atriz Giulietta Masina, em seus primeiros filmes célebres, como "A Estrada da Vida" ou "Noites de Cabíria" (1957, Oscar de filme estrangeiro e prêmio de melhor atriz em Cannes) são definitivamente populistas, mostrando grande simpatia e comiseração pelos ingênuos e apalermados.

Mas vamos falar do começo. Fellini deixou a cidade natal aos dezessete anos, foi para Florença tentar vender charges para uma revista satírica, e acabou colaborando como desenhista de histórias em quadrinhos. Em 1939, foi para Roma estudar direito - e como bom garoto de província, foi acompanhado da mamãe, que era nativa da capital. Graças a uma confusão nos arquivos militares, conseguiu escapar de prestar serviço na guerra - mas, talvez, "confusão nos arquivos" seja um eufemismo para suborno ou troca de favores obtida por sua família. Ninguém em sã consciência quer o filho indo pra guerra.

Em Roma, escreveu esquetes para teatro, canções para o teatro de revista, monólogos para cômicos famosos. Chegou a trabalhar, até, em fotonovelas, assim como - pasmem - Michelângelo Antonioni. A Itália estava arrasada pela guerra, qualquer serviço era bem vindo.

Sua amizade com o ator Aldo Fabrizi o levou ao cinema quando Rossellini chamou Fabrizi para trabalhar em "Roma, Cidade Aberta" (1945), marco do cinema-mundial, filme chave do neo-realismo italiano. (Este movimento seria um dos grandes pais do cinema novo brasileiro, ao utilizar atores não profissionais e mostrar, num forte contexto social, todas as mazelas da sociedade, evitando-se ao máximo maquiar a realidade. No filme de Rossellini, por exemplo, mostra-se que Roma estava de fato arrasada, e a cidade-ruína é parte integrante da narrativa.). Fellini foi indicado para o Oscar como um dos roteiristas do filme. Voltaria a trabalhar como roteirista no filme seguinte do diretor, "Paisá" (1946).

Em seguida, escreveu roteiros para Alberto Lattuada, até surgir a chance de co-dirigir um filme com este, "Mulheres e Luzes" (1950).

Em muitos dos filmes de Fellini, podem-se ver as reminiscências de sua infância e juventude passadas na região da Emilia Romana, na cidadezinha de Rimini - o que nos possibilita chamar suas memórias de "Rimini-scências". No belo "Os Boas Vidas" (1953), mostra-se a juventude na província, e o drama dos que, por ambicionar algo maior na vida, têm que deixar a cidade natal - algo que sentiu na própria carne. Com este filme, ganhou prêmio em Berlim. Anos depois, em "Amarcord" (1974, Oscar de filme estrangeiro) - uma de suas obras-primas, em que o título significa "Eu me recordo" num dialeto local - voltaria a mostrar uma Itália governada por Mussolini - recheada com o culto à sua personalidade e a perseguição aos dissidentes, bem como a colaboração da Igreja em todo o processo. No entanto, ele os retratou com ternura e um humor peculiar.

Em "A Doce Vida" (1960), vemos uma sociedade degradada pela vida fútil e hedonista. O personagem principal - Guido, um repórter de fuxicos - vive à caça de notícias e mulheres pelas ruas da cidade eterna, ao mesmo tempo em que está preso a um relacionamento patético com uma neurótica ignorante. O único personagem do filme que pode ser descrito como alguém de índole aparentemente boa - o sujeito que recebia artistas e intelectuais em sua casa - enlouquece, mata seus filhos pequenos, e suicida-se em seguida. Marcello Matroianni, pela primeira vez, empresta seu belo rosto ao personagem que, no fundo, é Fellini - um Fellini ideal e sedutor, como o próprio diretor talvez desejasse ser. A cena de Anita Ekberg molhadinha na Fontana di Trevi é um dos clássicos do cinema. A modelo Nico, que depois viraria musa do rock nas mãos de Andy Warhol, aparece num pequeno papel interpretando a si mesma.

O melhor filme de Fellini, "8 e ½" (1963, Oscar de filme estrangeiro), mostra um diretor de cinema em crise. A ação se dá, sem distinções claras, no plano do presente, do passado e do delírio, algo como o que Nelson Rodrigues e Ziembinsky tinham feito aqui quase vinte anos antes, na célebre montagem teatral de "Vestido de Noiva". Um filme deslumbrante, onde o diretor tem a audácia de assumir publicamente o lado chauvinista, bígamo e neurótico que quase todo homem no fundo carrega dentro de si. Este filme, como "A Doce Vida", está disponível em vídeo. Mas perdem muito em tela pequena. Os clássicos tinham que ser reexibidos em circuito, ao menos, de cinco em cinco anos. O gosto do diretor pelo grotesco pode ser encontrado principalmente em seus filmes mais tardios, "Satyricon" (1969), "Casanova" (1976) - ambos algo enfadonhos - , e "Cidade das Mulheres" (1980). Felliniano virou adjetivo, amplamente usado.

Em Satyricon, ele começou também a onda de alojar seu nome já famoso ao título do filme (Ex. Casanova se chamou Il Casanova di Federico Fellini), no que pode ser visto como uma bela jogada de marketing - e também como culto à personalidade, como ele havia visto acontecer com o Duce Mussolini na década de 30.

Na década de 80, uma última obra-prima, "E La Nave Va", um filme extremamente lírico, onde um navio é um microcosmo da sociedade italiana à época da primeira guerra. Fellini brinca com a artificialidade do cinema, nos mostrando que o seu mar é, na verdade, plástico azul, e o navio só balança por força de engenhos hidráulicos.

Pouco antes de morrer, Fellini voltaria aos seus amados quadrinhos, escrevendo argumentos para os belos desenhos de Milo Manara. Na morte, sua eterna companheira Giulietta o seguiria em menos de um mês. Não podiam ficar muito tempo longe um do outro.


Maurício Dias
Rio de Janeiro, 13/12/2002


Mais Maurício Dias
Mais Acessadas de Maurício Dias
01. 100 homens que mudaram a História do Mundo - 16/3/2004
02. Crítica à arte contemporânea - 20/5/2002
03. Escrita e Artes Visuais - 21/11/2002
04. A obra-prima de Raymond Chandler - 21/1/2003
05. Picasso e Matisse: documentos - 10/6/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/12/2002
14h47min
Vi pela primeira vez o classico 8,5 numa mostra de cinema italiano no National Film Theatre aqui em Londres. Realmente magnifico. Quem vier passar as festas aqui, nao deixe de dar uma olhada... Ah, em janeiro, semanas e semanas dedicadas a outro genio, Bergman. Como a sala escura e a telona fazem diferenca... podiam fazer mais mostras retrospectivas no Brasil.
[Leia outros Comentários de Arcano9]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OCEANO - TÉTIS - NINFAS FASC. 20 MITOLOGIA
ABRIL CULTURAL
ABRIL
(1973)
R$ 6,59



PROGRESOS EN OTORRINOLARINGOLOGIA VOL 2
R. POCH VINALS
SALVAT
(1981)
R$ 27,50



COLOQUIO SOBRE A INFLUENCIA DO ULTRAMAR NA ARTE
JUNTA DE INVESTIGAÇÕES DO ULTRAMAR
JIU (LISBOA)
(1965)
R$ 28,28



BUENA GENTE 3
ENCINA ALONSO ARIJA E OUTROS
MACMILLAN EDUCATION
(2018)
R$ 78,00



CONTOS
MACHADO DE ASSIS
ATICA
(1987)
R$ 5,50



BRINCANDO COM O PERIGO
LAIS CARR RIBEIRO
MODERNA
R$ 8,00



TEATRO DA JUVENTUDE - ANO 4, Nº 25, AGOSTO DE 1999
TATIANA BELINKY (SUP.)
SECRETARIA DE CULTURA DE SÃO PAULO
(1999)
R$ 8,00



A GRANDE IDEIA
DONNY DEUTSCH COM CATHERINE WHITNEY
BEST BUSINESS
(2010)
R$ 15,00



ATITUDE E ALTITUDE - AUTOGRAFADO
DILL CASELLA
VOZES
(2012)
R$ 14,80



O SEXTO MANDAMENTO
LAWRENCE SANDERS
NOVA CULTURAL
R$ 6,00





busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês