Amor à segunda vista | Alessandro Garcia | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> Caí na besteira de ler Nietzsche
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Santa Xuxa contra a hipocrisia atual
>>> Há vida inteligente fora da internet?
Mais Recentes
>>> Um bebê em casa - um guia prático com informações, dicas e curiosidades, da gravidez ao primeiro aninho. de Chis Flores pela Panda Books (2011)
>>> O Pensamento Político De Érico Veríssimo de Daniel Fresnot pela Graal (1977)
>>> Sobre a Literatura de Marcel Proust pela Pontes (1989)
>>> Poemas Sacros de Menotti Del Picchia pela Martins (1992)
>>> O Grotesco Na Criação De Machado De Assis de Maria Eurides Pitombeira de Freitas pela Presença (1981)
>>> Machado De Assis Para Principiantes de Org. Marcos Bagno pela Ática (1998)
>>> A Barca Dos Amantes de Antônio Barreto pela (1989)
>>> O Tao da Respiração Natural de Dennis Lewis pela Pensamento (1997)
>>> O Aprendiz Da Madrugada de Luiz Carlos Lisboa pela Gente (1994)
>>> Vencendo nos Vales da Vida de Ray Conceição pela Holy Bible (1995)
>>> Eça, Discípulo De Machado de Alberto Machado Da Rosa pela Editora Fundo De Cultura (1963)
>>> Perdão A Cura para Todos os Males de Gerald G. Jampolsky pela Cultrix (2006)
>>> Em Quincas Borba De Machado De Assis de Ivan C. Monteiro E Outro pela Livraria Acadêmica (1966)
>>> A Liberação Da Mente Através Do Tantra Yoga de Ananda Marga pela Ananda Marga Publicaçãoes (2002)
>>> O Oráculo Interior de Dick Sutphen pela Nova Era (1994)
>>> Manual Do Terapeuta Profissional De Segundo Grau de David G. Jarrell pela Pensamento (1995)
>>> O Discurso Da Libertação na Sinagoga De Nazaré de org. Leonardo Boff entre outros pela Vozes (1974)
>>> O Pensar Sacramental REB 35 de org. Leonardo Boff entre outros pela Vozes (1975)
>>> Meditações Diárias Para Casais de Dennis e Barbara Rainey pela United Press (1998)
>>> Machado De Assis de org. por Luís Martins pela Iris
>>> Massagem Para Energizar Os Chakras de Marianne Uhl pela Nova Era (2001)
>>> O Mundo Social Do Quincas Borba de Flávio Loureiro Chaves pela Movimento (1974)
>>> Pensamento Diário de Elsa kouber (entre outros) pela Rádio Transmundial (2019)
>>> O Que É Esta Religião? de Ibps do Brasil (org) pela Ibps do Brasil
>>> Meditando a Vida de Padma Samten pela Peirópolis (2001)
>>> O Poder Da Paciência de M. J. Rayan pela Sextante (2006)
>>> Liberdade? Nem Pensar! de Aquino e Bello pela Record (2001)
>>> Desafio Educacional Japonês de Merry Whitte pela Brasiliense (1988)
>>> As Flores Do Mal Nos Jardins De Itabira de Gilda Salem Szklo pela Agir (1995)
>>> A Era Do Inconcebível de Joshua Cooper Ramo pela Companhia Das Lestras (2010)
>>> A Voz e a Série de Flora Süssekind pela Sette Letras (1998)
>>> Cure Seu Corpo de Louise L. Hay pela Best Seller (2004)
>>> História Viva De Um Ideal de Hélio Brandão pela Do autor (1996)
>>> Cure Seu Corpo de Louise L. Hay pela Dag Gráfica
>>> Índice Analítico Do Vocabulário De Os Lusíadas J-Z de Org. por A. G. Cunha pela Instituto Nacional Do Livro (1966)
>>> Sempre Zen Aprender Ensinar E Ser de Monja Coen pela Publifolha (2006)
>>> I Ching O Livro das Mutações de Não Informado pela Hemus (1984)
>>> Via Zen Reflexões Sobre O Instante e O Caminho de Monja Coen pela Publifolha (2004)
>>> Praticando o Poder Do Agora de Eckhart Tolle pela Sextante (2005)
>>> La Théologie De La Foi Chez Bultmann de J. Florkowski pela Du Cerf (1971)
>>> Quatre Vingt Neuf de Georges Lefebvre pela Sociales (1964)
>>> Haikai de Paulo Franchetti (e outros) pela Unicamp (1991)
>>> As Razões Da Inconfidência de Antônio Torres pela Itatiaia (1956)
>>> Estratégias e Máscaras de um Fingidor, Crônicas de Machado De Assis de Dilson F. Cruz Jr pela Nankin editorial (2002)
>>> Anjo Caído de Daniel Silva pela Arqueiro (2013)
>>> A Paz Interior de Joseph Murphy pela Nova Era (2000)
>>> A Pedra e o Rio ( uma interpretação da poesia de João Cabral de Melo Neto) de Lauro Escorel pela Livraria Duas Cidades LTDA. (1973)
>>> Como Utilizar O Seu Poder De Cura de Joseph Murphy pela Nova Era (1997)
>>> Os sete Crimes De Édipo de Pedro Américo Corrêa Netto pela Agir (1987)
>>> Transportes Pelo Olhar de Machado de Assis de Ana Luiza Andrade pela Grifos (1999)
COLUNAS

Segunda-feira, 31/3/2003
Amor à segunda vista
Alessandro Garcia

+ de 4400 Acessos

Serão as comédias românticas, afinal, um gênero infalível, capazes de abrigar desde astros em fim de carreira, até promessas de Hollywood que acabaram não dando muito certo como grandes estrelas? Não é uma pergunta tão difícil de se responder, considerando-se o fato de que, na maioria das vezes, tal estilo consegue garantir um bom sucesso de bilheteria e, até em algumas vezes, ainda que não muitas, alça ao panteão da fama alguns atores e atrizes. Se existem aqueles que parecem ter de se resignar em trabalhar somente em tal categoria, existem aqueles também que ficaram conhecidos como fazedores de apaixonados inveterados, tentaram pulular em outros gêneros, e acabaram voltando para a casa que primeiro lhes acolheu. Como exemplo deste último tipo de artista, podemos citar se m medo de errar a eterna loirinha apaixonada Meg Ryan. Já, como exemplo da segunda questão colocada no alto do texto, é óbvio que estou falando de Sandra Bullock, uma estrela feita para rivalizar com a fama de Julia Roberts, e, apesar de nunca ter sido considerada um grande sucesso de crítica, nem arrebatado a legião de fãs de Julia, tem conseguido se manter na ativa com uma série de filminhos de comédia romântica - entremeados com algo mais, digamos assim, ousado, tal qual Cálculo Mortal -, e agradado aos namorados que se juntam no final de semana a fim de assistir a algo mais ameno e compatível com a aura apaixonada que os cercam.

De vez em quando eu mesmo me rendo ao apelo que as comédias românticas sugerem e de mãos dadas com minha menininha vou conferir o que estes fazedores de enlevo romântico têm aprontado para nós. E foi por isto (ah, a eterna justificativa para a questão "mas por que perder tempo com algo que você já sabe qual será o final?") que fui conferir o que me aguardava ao assistir a Amor à Segunda Vista. Apesar de sabermos que a coisa funciona mais ou menos regida por duas fórmulas...

a) homem-se-apaixona-por-mulher-que-também-se-apaixona-por-ele-mas-prefere-fazer-um-joguinho-para-ter-certeza-de-que-foram-feitos-um-para-o-outro-e-viverem-felizes-para-sempre. Exemplo: Escrito nas Estrelas.

b) homem-e-mulher-que-se-detestam-ou-não-tem-nada-a-ver-um-com-o-outro-se-descobrem-apaixonados-e-vivem-felizes-para-sempre. Exemplo: Amor à Segunda Vista.

...ainda assim nos fazemos de desentendidos e vamos, enlevados, nos deixar encantar por qualquer baboseira romântica que um roteiro furado nos impõe. Mas, mesmo com a melhor das boas vontades, é bem difícil de se conseguir engolir certas forçadas de barra ao extremo com argumentos tão inverossímeis quanto em Amor....

Bueno, que tudo tem início quando Sandra Bullock, uma advogada ativista e politicamente engajada em causas sociais, começa, sem mais nem menos, e sem grandes necessidades de insistência, a trabalhar para Hugh Grant, um mega empresário estilo Donald Trump (que, aliás, faz uma pontinha no filme, tal qual Norah Jones, cantando um jazzinho para encantar nossos protagonistas), símbolo de tudo o que ela mais insiste em dizer que abomina. Grant não se distancia muito dos seus papéis anteriores (com exceção, talvez de Um Grande Garoto e Medidas Extremas): faz o papel de um cara imaturo, atrapalhado e mulherengo, muito embora este último quesito fique mais sugestionado do que realmente mostrado e que funciona na empresa como uma bela fachada, já que os negócios são realmente tocados por seu irmão, destituído de belos dotes físicos. Com alguma dificuldade de roteiro, o diretor e também roteirista Marc Lawrence (autor de Miss Simpatia e Forças do Destino) demonstra a passagem do tempo e o suposto estreitamento de relação através de legendas que informam que tantas semanas e tantos meses se passaram e tudo entre eles vai ficando mais aproximado. Quando Bullock, com seus mesmos cacoetes de sempre e sua interpretação mestre de solteirona atrapalhada, mas com algum charme, demonstra que se encontra cansada e destituída de seus grandes ideais sociais - sempre abastecidos por seus pais, também advogados que implantaram na filha a luta pelas causas dignas - resolve pedir demissão da empresa onde se tornou uma espécie de peça indispensável para o fútil personagem de Grant. Desde escolher a gravata até elaborar seus discursos mais simples, é desta maneira que o diretor vai nos demonstrando, com sua sutileza de paquiderme, o quanto o casal vai se tornando importante mutuamente. Sendo assim, ela pede então seu aviso prévio de demissão (ah, então isto é o aviso de duas semanas, do título original?), e, na mesma medida que procura uma advogada tão perfeita quanto ela mesma para substituí-la (sim, a personagem de Sandra é a perfeita CDF), ela descobre que, além de ciúmes de Grant, existe algo mais nele que lhe atrai.

Até que os dois se dêem conta plenamente deste fato, transcorre muito tempo. Poucos, no entanto, demonstrando realmente uma atração, que surge de maneira meio apressada, próximo ao final do filme. Nada que não garanta alguns bons momentos de risadas, já que Hugh Grant consegue ser engraçado com aquele jeitão de inglês sofisticadamente desajeitado. Bullock também não derrapa ao todo, e, ainda que muitas vezes fique aquela sensação de déjà-vu constante, em relação à sua personagem, conseguimos, sim, nos encantar com sua atrapalhadinha que revela algum charme quando descobre que é uma mulher.

Não foi a melhor forma de juntar estes dois atores que ainda rendem bons filmes, mas a iniciativa é válida. Se as coisas transcorrem com uma superficialidade que não convence muito, também é verdade que, com algum esforço, conseguimos algumas risadas cúmplices. Cúmplices com a pessoa ao lado, que, assim como nós, precisou fingir que a história era nova e que não sabia que, ao final, eles seriam felizes para sempre.

Nota do Editor
Alessandro Garcia é escritor, publicitário e pode ser encontrado no Suburbana.


Alessandro Garcia
Porto Alegre, 31/3/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crônica à la Caio Fernando Abreu de Elisa Andrade Buzzo
02. Championship Vinyl - a pequena loja de discos de Renato Alessandro dos Santos
03. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva
04. Ossos, mulheres e lobos de Eugenia Zerbini
05. Sobre e-books e caipiras de Yuri Vieira


Mais Alessandro Garcia
Mais Acessadas de Alessandro Garcia em 2003
01. Sob o domínio do Mal - 5/8/2003
02. A pobreza cultural nossa de cada dia - 17/6/2003
03. O mundo aos olhos de um pescador - 26/8/2003
04. A aventura de educar os filhos - 22/7/2003
05. A ranhetice da égüinha pocotó - 7/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CÉLULAS-TRONCO - UMA REVOLUÇÃO CIENTÍFICA
OIRÃ
OIRÃ
(2008)
R$ 18,00



SER JOVEM NUM BAIRRO DE HABITAÇÃO SOCIAL
MARIA CIDÁLIA QUIROZ MARIELLE CHRISTINE GROS
CAMPO DAS LETRAS
(2002)
R$ 36,84



UMA VIDA TRATANDO ÁGUAS
MANOEL HENRIQUE CAMPOS BOTELHO
ENGENHO
(2000)
R$ 10,00



TODO ESSE LANCE QUE ROLA
MAURÍCIO MURAD
RELUME DUMARÁ
(1996)
R$ 5,00



O PEQUENO FILÓSOFO
GABRIEL CHALITA
GLOBO
(2011)
R$ 5,00



O FIM DA LIDERANÇA
BARBARA KELLERMAN
ELSEVIER
(2012)
R$ 50,00



TRISTEZAS À BEIRA-MAR
PINHEIRO CHAGAS
TRÊS
(1973)
R$ 7,00



O HOMEM FÓSSIL
MICHAEL H. DAY
MELHORAMENTOS
(1979)
R$ 6,90



SONGBOOK DO CHORO CURITIBANO - VOLUME 1
TIAGO PORTELLA
OTTO PRODUÇÕES
(2012)
R$ 39,90
+ frete grátis



BIBLIOGRAFIA BRASILEIRA DE LITERATURA INFANTIL E JUVENIL VOL. 10
BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO
SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTU
(1999)
R$ 5,00





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês