Um imenso Portugal | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Evento de reinauguração da Praça do Centro de Convenções da Unicamp
>>> Oficina Som Entre Fronteiras está com inscrições abertas
>>> Projeto “Curtas de Animação” com estudantes da zona rural de Valinhos/SP
>>> Novos projetos do Festival de Dança de Joinville promovem atividades culturais para 120 alunos
>>> Toca do Morcego anuncia agenda primavera/verão 2022/2023
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
Colunistas
Últimos Posts
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
Últimos Posts
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
>>> Que porcaria
>>> Singela flor
>>> O cerne sob a casca
>>> Assim é a vida
>>> Criança, minha melhor idade
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Erik Satie
>>> Ronnie James Dio em 1983
>>> O Leão e o Unicórnio
>>> O outro Carpeaux
>>> Something that grows
>>> Façam suas apostas
>>> Tempo de aspargos
>>> No caso de a Dilma sair, quem assume?
>>> Return to the Little Kingdom, by Michael Moritz
>>> O que mais falta acontecer?
Mais Recentes
>>> Manifesto Comunista/ Teses de Abril de Marx e Engels pela Boitempo (2017)
>>> População Brasileira de Richard Gabriel Viviani pela Sistema Coc
>>> Katmandu e Outros Contos de Anna Maria Martins pela Global (2011)
>>> Os Ricos e Elegantes de Ruth Harris pela Record (1978)
>>> 1808 Como uma Rainha Louca, um Príncipe Medroso e uma Corte Corrupta.. de Laurentino Gomes pela Planeta (2008)
>>> Soa e Web Services Em Java de Cleuton Sampaio pela Brasport (2006)
>>> Manual da Arbitragem de Joel Dias e Figueira Junior pela Revista dos Tribunais (1997)
>>> O Que Você Pode Fazer para Tratar Dores e Ataques do Coração de Fernando B. Ximenes - Trad. pela Ediouro (1982)
>>> Achei Que Meu Pai Fosse Deus: e Outras Histórias Verdadeiras da Vida.. de Paul Auster (orgs.) pela Companhia das Letras (2005)
>>> Isaac Newton e Sua Maçã de Kjartan Poskitt pela Cia. das Letras (2002)
>>> Fugindo do Ninho de Richard Bach pela Record (1996)
>>> Santa Catarina: 100 Anos de História Vol. 2 o Livro de Celestino Sachet Sérgio Sachet pela Rbs (1998)
>>> Histórias Extraordinárias de Edgar Allan Poe pela Nova Cultural (2003)
>>> Desenhos e Gravuras de Abrahão Sanovicz pela Sesc (2016)
>>> Triste Fim de Policarpo Quaresma de Lima Barreto pela Objetivo (1995)
>>> Tempo do Desejo: Sociologia e Psicanálise de Heloisa Rodrigues F. e Outros Orgs pela Brasiliense (1989)
>>> Machu Picchu: Cidade Perdida dos Incas de Simone Waisbard pela Hemus
>>> S. Bernardo de Graciliano Ramos pela Record (2008)
>>> Um Minuto para Mim de Dr. Spencer Johnson pela Record (1987)
>>> Libertação Interior - a Escala Definitiva de Dr. Gerald Kushel pela Melhoramentos (1979)
>>> Ms-dos - Microcamp de Microcamp pela Alvear (2010)
>>> A Dieta Campbell de Thomas M. Campbell pela Gente (2015)
>>> Economic Survey Methods de John B. Lansing e Outros pela Isr
>>> 15 Dias de Oração Com Charles de Foucauld de Michel Lafon pela Paulinas (2011)
>>> Cálculo: Funções de uma Variável de Pedro A. Morettin/ Samuel Hazzan/ Wilton O. Bussab pela Métodos Quantitativos (1987)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/6/2003
Um imenso Portugal
Adriana Baggio

+ de 7300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O que a História do Brasil significa para você? A exploração dos recursos naturais do período colonial? A vergonha da escravatura? A farsa da Independência?

A História mais interessante não é aquela que a gente precisou decorar na escola, formada por datas remotas e nomes sem rosto. É preciso ir além da cronologia e dos grandes personagens para entender em que bases o nosso país foi construído.

O historiador Evaldo Cabral de Mello nos leva por um passeio pelos detalhes do Brasil Colônia até o Império através de Um imenso Portugal – história e historiografia, coletânea de 36 ensaios publicados pela Editora 34.

Ao confessar a “pirataria” do verso do Fado tropical, de Chico Buarque e Ruy Guerra, para dar nome ao livro, Evaldo já dá uma pista de uma das temáticas que aborda nos textos: a questão da falta de nacionalismo do povo do Brasil, cujas conseqüências se refletem até os dias de hoje. Para Evaldo, o Brasil não se tornou independente por ter se tornado nacionalista, mas o contrário. A independência proporcionou o início de um sentimento nacionalista. Ela aconteceu por uma necessidade de manutenção dos interesses da elite de funcionários públicos que, já naquela época, parasitava nos palácios brasileiros, e não por uma vontade de liberdade e autonomia.

A Nova Lusitânia, um dos nomes dados ao Brasil na época colonial, foi povoada por portugueses que não queriam abandonar de jeito nenhum os modos de vida da pátria mãe. Imaginem que, mesmo no século XVI, o consumo de produtos importados já era um sinal de status. Quem tinha condições não queria abandonar o consumo do azeite, vinho e da farinha de trigo. Poucos foram os que substituíram esses alimentos pelos seus correspondentes coloniais, como o azeite de dendê, a cachaça e a farinha de mandioca. Essa substituição aconteceu de forma mais efetiva durante a ocupação holandesa, que dificultou o transporte entre a metrópole e a colônia. A situação volta ao normal quando El Rei reconquista o Nordeste brasileiro. Este episódio, por sinal, ganha ares de trama de romance. Evaldo conseguiu acompanhar, através de documentos históricos, todo o processo de decisão da retomada das terras dos holandeses, uma ação de envolveu diplomacia, mensagens codificadas e portadores disfarçados.

Um outro texto muito interessante de Um imenso Portugal mostra as artimanhas de um escravo, que manipula com habilidade o tribunal da Santa Inquisição para escapar do domínio de seu patrão. Mesmo os escravos portugueses viam como um destino desagradável a vinda para a Colônia. Primeiro porque no Brasil a vida dos escravos era mais dura que na metrópole. Em Lisboa, eles trabalhavam mais nos serviços domésticos e artesanais. E a capital portuguesa oferecia maiores oportunidades de diversão, mesmo para um escravo. No Brasil, a maior parte trabalhava nas plantações de cana, tendo pouco contato com a vida das cidades.

O escravo em questão foi vendido para um senhor de engenho pernambucano e veio para o Brasil. Insatisfeito com a vida no engenho, o escravo, ardilosamente, começa a ter atitudes que podem levá-lo à condenação pela Inquisição. Já em Recife, depois de cumprir pena por blasfêmia, o escravo protela ao máximo sua volta para o engenho. Quando isso se torna inevitável, ele recorre mais uma vez à blasfêmia. Sabendo que sua punição seria a de trabalhar nas galés, o escravo arma para que seja punido, preferindo a vida remando a sofrer as humilhações e maus tratos do senhor de engenho. É impressionante a forma como essa história, de foco tão particular, pode ser reconstituída em detalhes tão precisos.

Os textos de Evaldo mostram como a conformação do país foi diretamente influenciada pelo cultivo da cana e pela escravatura. As primeiras plantações de cana seguiam o modelo praticado nas Ilhas Madeira, onde a geografia delimitava o espaço das plantações. Os lavradores vendiam a cana para os engenhos, que por sua vez fabricavam o açúcar. No Brasil, devido à geografia plana, as plantações ocupavam áreas enormes, e os donos dos engenhos produziam sua própria cana. O trabalho escravo viabilizou esse tipo de produção agrícola, e toda a sociedade brasileira foi influenciada por ele. Por não ter o que fazer dentro da propriedade da família, os filhos dos fazendeiros precisaram ser absorvidos pelo estado no funcionalismo público, um fardo que o Brasil carrega até hoje.

A escravatura foi responsável também pela formação das classes sociais, cuja divisão permanece até hoje. Ao analisar O abolicionismo, de Joaquim Nabuco, Evaldo mostra a visão do autor: o trabalho escravo trouxe conseqüências sócio-econômicas que frearam o desenvolvimento do país. Sem a escravatura, o Brasil, hoje, talvez fosse uma Austrália ou um Canadá.

A questão da identidade nacional é retomada em uma análise de Minha formação, outro texto de Joaquim Nabuco, que causou polêmica por confessar o dilema do mazombo, o descendente europeu que tem um pé na América e outro na Europa. A preferência pelas paisagens européias justifica-se pela carga de influência cultural, muito mais forte e arraigada que os tão recentes sentimentos nacionalistas pela pátria. Na verdade, é um reflexo do que Evaldo aborda em outros textos: a resistência do reinol em adotar os hábitos da nova terra, mesmo aqueles que poderiam tornar sua vida mais confortável, como roupas adequadas ao clima tropical.

O fato de Um imenso Portugal tratar de detalhes da vida da Colônia não significa que o conteúdo é superficial ou que o texto de Evaldo é simples. Ele é um historiador, usa termos próprios da disciplina, mas nem por isso deixa de ser ironicamente bem-humorado. Uma prova é o título do livro: resume a idéia que permeia a maior parte dos textos. O Brasil é dessa forma hoje porque, na verdade, por muito tempo não fomos nada mais do que um Portugal de proporções continentais.

Para ir além





Adriana Baggio
Curitiba, 19/6/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O medo como tática em disputa eleitoral de Humberto Pereira da Silva
02. Manual prático do ódio de João Luiz Peçanha Couto
03. O ano em que estou pouco me lixando para o Oscar de Clayton Melo
04. Fetiche por película de Yuri Vieira
05. Reinaldo Azevedo Contra o Consenso de Paulo Polzonoff Jr


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2003
01. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
02. Aventuras pelo discurso de Foucault - 30/1/2003
03. Carga mais leve para Pedro e Bino - 8/5/2003
04. Apesar da Barra, o Rio continua lindo - 9/1/2003
05. Encontro com o peixe-boi - 16/1/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
16/9/2003
22h32min
Legal ver que tem uma Baggio muito inteligente. Li e gostei de seus artigos. Moro no Paraná.
[Leia outros Comentários de paulo t. baggio]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cozinhas da Itália - Toscana Florença
Vários Autores
Gold
(2011)



Desejo de Pintar e Outros Poemas Em Prosa: de Charles Baudelaire
Charles Baudelaire
Noovha America
(2008)



Livro - O Médico e o Monstro - Clássicos
Robert Louis Stevenson
Penguin / Companhia
(2015)



Desesterro
Sheyla Smanioto
Record
(2015)



Dor de Cabeça - o Que Ela Quer Com Você?
Dr. Mario Peres
Integrare
(2008)



Livro - A Última Viagem - Quando o Barco Atracou, um dos Passageiros...
Charles Martell
Nova Cultural
(1990)



Triste Fim de Policarpo Quaresma - Serie Bom Livro ( 1987)
Lima Barreto
Ática
(1987)



Paz na Terra
Richard Simonetti
ceac
(1998)



Balanced Scorecard e a Gestão Estratégica / 10ª Ed
Emilio Herrero
Elsevier / Campus
(2005)



Porque Não Mais Que Sete?
Lurdes Gonçalvez
Orientação Cultural
(1984)





busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês