Vontade de abraçar o mundo | Eduardo Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
37300 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 10/10/2003
Vontade de abraçar o mundo
Eduardo Carvalho

+ de 4500 Acessos

Não é coincidência apenas que reuniu, numa única instituição, nomes tão distantes e tão ilustres, de Roberto Campos a Antônio Houaiss, passando por João Cabral de Mello Neto e Álvaro Lins - para, por ora, não nos alongarmos em citações. Há, entre eles, e entre os grandes nomes que passaram pelo Itamaraty, uma característica comum, que aproxima temperamentos diversos e opiniões opostas: a abertura internacional, estimulada por uma saudável curiosidade cultural e geográfica. É provavelmente este o impulso que direciona o espírito jovem à carreira diplomática: a vontade de, entre leituras e viagens, conhecer e abraçar o mundo.

Há, hoje em dia, diversas opções profissionais que satisfazem essa vontade - tanto em grandes empresas como em organizações multilaterais, passando por iniciativas independentes e diferentes -, mas, há poucas décadas, as alternativas eram poucas. Viagens eram, do Brasil, raras e caras, restritas a ricos e a representantes oficias - que coincidia-se, muitas vezes, aliás, de ser a mesma pessoa. Que, falando de política, cuidava também dos negócios particulares. Quem não era, entretanto, absurdamente endinheirado ou politicamente relacionado tinha uma distante alternativa, caso estivesse disposto a estudar - servindo ao Ministério das Relações Exteriores, através do concurso de ingresso ao Itamaraty.

São desde provincianos eruditos a poetas urbanos, de músicos elegantes a pesquisadores dedicados, que passaram pelo Itamaraty, por sua burocracia empoeirada e suas finas recepções - do Brasil, do Rio a Brasília, ao resto do mundo, de Londres a Quito. Muito gente foi, nessa jornada, desperdiçada, desligando-se de sua vocação artística para se dedicar a uma pesada rotina, como Aluízio Azevedo. Mas também foi o Itamaraty que revelou figuras marcantes no cenário político-econômico brasileiro, como José Guilherme Merquior. É que a imagem comum da carreira diplomática é, e sempre foi, relacionada à confortável morosidade do emprego público, sedutor e, ao mesmo tempo, traidor. Por um lado, a projeção social e a renda garantida prometem um futuro tranqüilo e encantador - e uma atmosfera ideal para se aprimorar um talento latente. Por outro, porém, as indispensáveis tarefas repetidas, que alguém, no Brasil e no exterior, precisa executar - relatórios comerciais, emissão de vistos, atendimento a estrangeiros e brasileiros, etc. -, pode desgastar esse mesmo talento, até acabar com ele.

E não é fácil encontrar o equilíbrio entre profissão e vocação, nem mesmo numa instituição que, mais do que todas, deve estar aberta às manifestações culturais e artísticas brasileiras. Essa combinação entre a carreira burocrática e a inspiração artística resultou, no Itamaraty, em casos positivos e negativos, mas, no geral, sendo por esforço pessoal ou por estímulo do ambiente, podemos concluir: personalidades fundamentais à formação da cultura brasileira passaram por lá. E os nomes formam uma lista interminável - Varnhagen, Joaquim Nabuco, Domício da Gama, Gilberto Amado, Vinícius de Moraes, todos esses, e outros mais, incluídos no livro O Itamaraty na Cultura Brasileira, organizado pelo também diplomata Alberto da Costa e Silva e lançado pela editora Francisco Alves.

Com prefácio de Celso Lafer e contracapa assinada por Fernando Henrique Cardoso, o volume - apesar da capa bonita e alegre - carrega um tom oficialesco, como se não permitisse um julgamento mais duro de quem merecesse. Pois não é bem assim: a polidez diplomática persiste, mas, na maioria dos casos, a severidade crítica também. Delicadezas protocolares não podem superar o respeito à inteligência - nem do leitor nem do próprio, digamos assim, assunto. Ainda assim, nem todos os ensaístas são equilibrados. E até, na verdade, mesmo o próprio volume tem um conteúdo ligeiramente confuso, incluindo artigos em formatos diferentes, sem uma unidade no estilo ou na forma. Nada que comprometa, porém, o resultado final. Ao contrário: sabendo o leitor calibrar a leitura, mesmo essa desarticulação acaba aceitável e, de certa forma, agradável.

Evaldo Cabral de Mello - ele inclusive, vale lembrar, diplomata de carreira - escreve sobre Joaquim Nabuco, desdobrando o político e o escritor, e colocando este segundo ofício onde se deve: como mais importante, para o próprio Nabuco, do que o primeiro. Mesmo o autor de Minha Formação reconhece, em sua autobiografia, que é, antes de tudo, um artista, um escritor. Um observador do mundo, antes de participar dele. Se, porém, a análise de Evaldo Cabral de Mello é limpa e precisa, outras - como a de Antônio Houaiss por Leodegário de Azevedo Filho - caem num misto de depoimento íntimo e homenagem açucarada. Leodegário, amigo de Houaiss, insiste em relembrar seus laços afetivos com o dicionarista, e afasta-se quando deveria, por exemplo, comentar a polêmica iniciativa de Houaiss em querer padronizar a língua portuguesa ao redor do mundo.

O que aparece escondido, em outros ensaios, são comentários preciosos, tanto dos articulistas quanto citações dos diplomatas, ou pescadas por eles. Como esta, de Gilberto Amado, um craque em aforismos, pinçada por André Serffrin: "Um povo é tanto mais elevado quanto mais se interessa pelas coisas inúteis - a filosofia e a arte". Ou esta, de Alexei Bruno, quando escreve sobre Ronald de Carvalho e, de passagem, comenta Canaã, de Graça Aranha, com uma verve de arrepiar professores de cursinho: "possivelmente um dos mais mal estruturados e o mais superestimado dos romances da literatura brasileira." Sérgio Martagão Gesteira, por sua vez, quando escreve sobre Luiz Guimarães cita Wilson Martins, que concorda que A Família Agulha "é um dos livros mais injustamente esquecidos, e tanto mais injustamente quanto lhe caberiam com melhor propriedade muito dos louvores que a crítica costuma reservar às Memórias de um Sargento de Milícias". E quem leu - ou já ouviu falar de - A Família Agulha?

E alguém, por acaso, ainda ouve falar, digamos, de Oliveira Lima, o diplomata de hábitos pouco diplomáticos, adversário do Barão de Rio Branco, devoto à Igreja Católica, defensor da idéia de união entre os países sul-americanos e autor de pelo menos uma obra-prima, Formação Histórica da Nacionalidade Brasileira? Dificilmente. E, em O Itamaraty na Cultura Brasileira, Carlos Guilherme Mota dedica a Oliveira Lima, um dos melhores amigos de Gilberto Freyre, uma elegante introdução ao seu pensamento. Oliveira Lima é, aliás, dos que merecem ser citados sempre, porque o ritmo do seu estilo é exemplar, somando o raciocínio claro à prosa solta, quase - se não for mesmo - improvisada. Evidente, por exemplo, nesta seqüência de frases, as duas últimas - a pedidos do autor - deste parágrafo dedicado a ele: "Determino que meu corpo descanse onde ocorrer meu falecimento, sepultado ou cremado de preferência, se minha religião não o vedar (...). Também quero que nenhuma honra póstuma me seja atribuída no meu país o fora dele".

Mesmo que uma antologia deva ser avaliada pelo que inclui, e não pelo que exclui, uma pequena falha precisa ser notada: porque, ao selecionar dois ensaios sobre Vinícius de Moraes - um de Miguel Sanches Neto e outro de Ricardo Cravo Albin -, O Itamaraty na Cultura Brasileira não poderia deixar outros nomes escaparem. Érico Veríssimo e Ruy Barbosa, por exemplo - dois brilhantes escritores e diplomatas ativos -, não figuram entre os analisados. Nem Mário Palmério, um autor desperdiçado, de quem hoje quase ninguém lê Chapadão do Bugre, um livro que pinta com maravilhosa precisão a paisagem e a linguagem do interior brasileiro. Roberto Campos disse muito em A Lanterna na Popa, mas sabe-se que não tudo, e mais deveria ser escrito sobre ele, porque, no Brasil, a educação técnica e a humana costumam andar separadas - e Roberto campos foi dos poucos que soube conciliá-las. E, afinal, onde está Álvaro Lins, outro pernambucano erudito, dos maiores críticos literários brasileiros, que possuía uma espantosa capacidade de, em uma frase, definir um livro? Outra antologia, nos moldes de O Itamaraty, merece ser editada.

Enquanto isso, entretanto, nos resta o que esta primeira edição veio agregar, o que já não é pouco, considerando a raridade de publicações sobre a diplomacia brasileira e a sua história. O Itamaraty, ainda por cima, alterna o leve sabor da crônica com avaliações de detalhes esquecidos - de autores, muitas vezes, esquecidos também. Num cenário, pode-se dizer, cosmopolita, aquele mesmo que convida o jovem curioso a ingressar no Itamaraty.

Para ir além





Eduardo Carvalho
São Paulo, 10/10/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
02. Coisa Mais Linda de Marilia Mota Silva
03. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
04. De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho de Renato Alessandro dos Santos
05. Nos braços de Tião e de Helena de Renato Alessandro dos Santos


Mais Eduardo Carvalho
Mais Acessadas de Eduardo Carvalho em 2003
01. Preconceito invertido - 4/7/2003
02. Da dificuldade de se comandar uma picanha - 25/7/2003
03. Contra os intelectuais - 12/12/2003
04. Não li em vão - 17/10/2003
05. Geração abandonada - 14/11/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AMIGO E MESTRE
LUIZ SÉRGIO
REMA
(1999)
R$ 5,00



OS MOEDEIROS FALSOS
ANDRÉ GIDE
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 30,00



PÃES FEITOS EM CASA
ANNELIESE-GERHARD ECKERT
SICILIANO
(1989)
R$ 40,00



À CAÇA DE HARRY WINSTON
LAUREN WEISBERGER
BESTBOLSO
(2013)
R$ 8,64



O NOVO PARADIGMA HOLÍSTICO (CIÊNCIA, FILOSOFIA ARTE E MÍSTICA)
DÊNIS M. S. BRANDÃO E ROBERTO CREMA
SUMMUS
(1991)
R$ 21,00



BROKEN PROMISE
LINWOOD BARCLAY
BERKLEY
(2016)
R$ 15,97



PARA GOSTAR DE LER VOLUME 9 CONTOS
WANDER PIROLI
ATICA
(2010)
R$ 8,00



AMBIENTES E DINAMICAS DE COOPERAÇÃO PARA INOVAÇÃO
DECIO DO NASCIMENTO E OUTRO
AYMARA
R$ 10,00



HOTEL ATLÂNTICO
JOÃO GILBERTO NOLL
FRANCISCO ALVES
(2000)
R$ 12,90



UM TIME SHOW DE BOLA - DESAFIOS FUTEBOLISTICOS
SALAMANDRA; JUAN JOSE CAMPANELLA; ERIKA DE FARIA
SALAMANDRA
(2013)
R$ 14,00





busca | avançada
37300 visitas/dia
1,3 milhão/mês