Os Dez Grandes Livros | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
60446 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nasi e Scandurra apresentam clássicos do IRA! no Sesc Santo André
>>> Douglas Germano apresenta 'Umas e Outras'
>>> Mostra de Cinemas Africanos acontece em São Paulo e Curitiba a partir de 6 julho
>>> Iecine abre inscrições para a Oficina de Crítica e Fruição Cinematográfica
>>> Orquestra Modesta retorna ao Sesc Santo Amaro com 'Canções Para Pequenos Ouvidos 2'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> L’Empereur
>>> Longa vida à fotografia
>>> iPad pra todo mundo
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Wikipedia e a informação livre
>>> Público, massa e multidão
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> Os Clássicos e a Educação Sentimental
>>> O youtuber é um novo dândi?
Mais Recentes
>>> O Poder Mágico das Cores / 4ª Ed - Confira !!! de Raymond Buckland pela Siciliano (1989)
>>> O Jogo de Brad Metzer pela Record (2005)
>>> Mediunidade e Apometria de J. S. Godinho pela Holus (2001)
>>> Base para uma Família Feliz / 1ª Ed - Confira !!! de Yoshio Mukai pela Seicho-no-ie (2017)
>>> Morte e Julgamento - Confira !!! de Donna Leon pela Companhia das Letras (2008)
>>> Poética da Tradução de Mario Laranjeira pela Edusp (1993)
>>> Serpente de Rex Stout pela Companhia das Letras (2000)
>>> Surfer! - Level 1 - Confira! de Paul Harvey pela Penguin Readers (2008)
>>> The Picture of Dorian Gray - Stage 3 de Oscar Wilde pela Hub / Eli (2011)
>>> Competências Gerenciais Desafio para o Enfermeiro ( Confira! ) de Vários Autores pela Martinari (2011)
>>> O Tarô do Amor (confira!) de Jane Lyle pela Siciliano (1993)
>>> Governabilidade, Sistema Político e Violência Urbana de João Paulo dos Reis Velloso pela José Olympio (1994)
>>> O Maravilhoso: Pastoral e Teologia - Coleção Teologia e Libertação de José Sometti pela Vozes (1992)
>>> Sombras de Reis Barbudos - Confira !!! de José J. Veiga / Capa Dura pela Circulo do Livro (1973)
>>> Cambio Socialy y Prejuicio de B. Bettelheim e M. Janowitz pela Fondo de Cultura Economica (1975)
>>> Em Que Você Acredita ?: de Que Lado Você Está? - Confira !!! de Dílvia Ludvichak pela Paulos (2012)
>>> O Que é Romance Policial 2ªed - Col. Primeiros 109 Passos - Confira! de Sandra Lúcia Reimão pela Brasiliense (1983)
>>> Perto de Você de Bella Andre, Ana Paula Doherty pela Novo Conceito (2014)
>>> Mude Tudo o Que Quiser / 1ª Ed - Confira !!! de Kerry Patterson; Joseph Grenny; David Maxfield pela Fontanar (2014)
>>> Os 120 Dias de Sodoma Ou a Escola da Libertinagem de Marquês de Sade pela Iluminuras (2006)
>>> Trilogia da Magia 2 - Entre o Céu e a Terra de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2004)
>>> Bíblia para Crianças - Confira! de Luciana Gomide e Outros pela Ciranda Cultural (2014)
>>> Man in the Shadows de Efraim Halevy pela Phoenix (2006)
>>> Psicologia e Espiritualidade - 1ª Edição - Confira !!! de Adenáuer Marcos Ferraz de Novaes pela Fundação Lar Harmonia (1999)
>>> Curso de Direito Processual Civil: Volume I / 30ª Ed - Confira !!! de Humberto Theodoro Júnior / Capa Dura pela Forense (1999)
COLUNAS >>> Especial Biblioteca Básica

Quarta-feira, 15/10/2003
Os Dez Grandes Livros
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 12900 Acessos

A idéia de selecionar um grupo de dez livros que têm fundamental importância para mim é interessante, pois me faz recordar os momentos mais preciosos da minha vida, o tempo em que passei ao lado de gênios criadores em detrimento de perder tempo com as pessoas sem a mínima profundidade que me rodeavam. Claro que felizmente, para um leitor ávido como eu, mais de uma centena de livros e autores foram importantes. Mas, se me pedem apenas dez, tentarei escolhê-los e apresentá-los no texto que se segue.

Embora eu seja formado em história, nenhum historiador conseguiu me cativar tanto quanto os escritores de romance, de poesia e de filosofia. Eu sempre digo aos meus amigos que a história é apenas a superfície do mar da vida e que a literatura (as artes em geral) é o próprio oceano profundo.

O primeiro livro que me marcou de forma definitiva foi Madame Bovary, de Gustave Flaubert. Não apenas pelo conteúdo do livro, que me interessou muito, mas pela impactante descoberta de que "a literatura é mais quente do que a vida". Perceber pela primeira vez que a vida que fluía dentro das letras era mais interessante do que a dos personagens humanos que circulavam à minha volta produziu em mim uma angústia meio desesperadora. Ao mesmo tempo me despertou para o desejo de descobrir outros livros, já que eu sabia, a partir daquele primeiro contato, que só na literatura encontraria idéias e pessoas vivendo situações mais sublimes do que as do mundo ordinário.

O segundo livro que me deixou perturbado e encantado ao mesmo tempo foi Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe. Além de ter virtualmente experimentado o sentimento e a idéia do suicídio (e trazer para dentro de mim essa possibilidade), encontrei nesse livro a poética descrição dos sentimentos amorosos profundos como nunca havia visto até então e do qual, creio, não encontrei ainda intensidade semelhante em nenhum outro lugar. De Goethe eu viria a venerar também seu Fausto.

Outro livro me marcaria para sempre foi Por que não sou Cristão, de Bertrand Russel. Logo nas primeiras páginas encontrei a frase que abalaria minhas crendices infantis, me fazendo rever tudo o que aprendi a acreditar por ter nascido numa família católica: "Não só o cristianismo é uma religião falsa, mas todas as religiões são falsas". O meu ateísmo nasceu aí e minha descrença na existência de Deus ou na vida após a morte se fortificou com leituras posteriores de Nietzsche, Freud/Wilhelm Reich, Marx e tantos outros. O rompimento com a idéia infantil da crença num possível protetor-vigia invisível, o papai-do-céu, é estimulante, nos fazendo pensar todas as situações da vida com a própria cabeça - mesmo que nos sintamos órfãos do cosmos.

Outro autor que me marcaria: Franz Kafka. Todas as suas obras são perturbadoras, mas se tenho que escolher uma, escolho A Metamorfose. É uma das novelas mais impressionantes que li na vida e que me deu a certeza de que o sistema social criado pelo ser humano nos reduz, sem escapatória para ninguém, em insetos tratados, evidentemente, como o personagem divertidíssimo criado por Kafka: Gregor Samsa. Agora sempre que olho para os seres humanos à minha frente me divirto muito vendo-os moverem-se pela vida, no seu desespero por manterem-se vivos, como algum tipo de inseto kafkiano- mas claro, alguns sempre causam mais asco que outros porque uns sempre vão feder mais que os outros dado seu estado de degradação.

Posterior a Kafka, descobri o romance Crime e Castigo, do escritor russo Dostoievsky. Além de me fazer mergulhar numa maravilhosa e tenebrosa realidade sombria, pude experimentar virtualmente a idéia do assassinato. Agora, depois da leitura de Dostoievsky, vivo com a impressão de que já matei alguém, de que passo pela existência trazendo comigo uma das mais estranhas e perturbadoras experiências que o ser humano pode ter: a de ter assassinado outro ser humano.

Mais tarde, depois de ler muito Balzac, Flaubert, Stendhal, Victor Hugo, Merrimé, Zola, Allan Poe, descobri a poesia francesa de Rimbaud (com sua obra Uma Seção no Inferno) e o poeta que mais admiro: Charles Baudelaire. Seu livro As Flores do Mal sempre me encantaram e não sei dizer porque. Li as interpretações de Walter Benjamim sobre o poeta e, ao contrário dos meus colegas que leram Benjamim sem nunca terem se dado o trabalho de ler Baudelaire, as achei extremamente limitadas. Até hoje leio e releio os poemas de Baudelaire, guiado unicamente pelo prazer sensual que me causam.

Quando fazia graduação, enquanto meus amigos ficavam lendo Che Guevara, Lênin e os tediosos historiadores, me dei ao luxo de mergulhar nos sete volumes de Em Busca do Tempo Perdido, de Proust. Esta viagem é única, intraduzível em palavras, dado o grau de riqueza em pensamentos, sentimentos, universos humanos e artísticos que a obra de Proust revela. Na época do mestrado refiz a viagem, que me causou mais encantamento ainda, me oferecendo mais descobertas, mais emoções e, principalmente, ampliou ainda mais minha paixão pela literatura. Creio que muito de minha educação sentimental, no que há de mais vivificador e decepcionante em relação à crença no amor e nas relações humanas, se deve a este livro. A cada cinco anos, creio, farei a releitura desta obra.

Retrato do Artista Quando Jovem, de James Joyce, me revelou o processo que vai da decepção pelo mundo à crença de que o único valor que realmente deve ser levado em conta na vida é o da criação artística.

De Thomas Mann não posso falar apenas de um único livro já que A Montanha Mágica, Morte em Veneza e Dr. Fausto me marcaram na mesma medida. A poderosa construção dos personagens e dos mundos nos quais vivem são a marca do que se pode chamar de grande obra de arte. Mann é uma espécie de Balzac do século XX, só que mais poderoso.

No momento estou mergulhado em O Homem Sem Qualidades, de Robert Musil. Uma leitura obrigatória para entendermos, afinal, no que se transformou o homem criado pelo século XX e que vai se arrastando pelo século XXI: um zé-ninguém, orgulhoso de seu poder, de sua ganância, de sua riqueza, de seu egoísmo, de sua hipocrisia, de sua obsessão por dinheiro e prestígio - apesar de não ter qualidade alguma, de não ser, enquanto ser humano, mais que um verme podre egoísta e ignorante.

Há mais de dez livros nesta lista. Como disse acima, ela poderia se expandir. Mas já basta por hora. De uma coisa estou certo, o encontro com estes livros me marcaram mais do que o encontro com os homens.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 15/10/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Por que HQ não é literatura? de Cassionei Niches Petry
02. A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri de Jardel Dias Cavalcanti
03. Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt de Jardel Dias Cavalcanti
04. Nuvem Negra* de Marilia Mota Silva
05. YouTube, lá vou eu de Adriane Pasa


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2003
01. Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti - 3/2/2003
02. Entrevista com o poeta Augusto de Campos - 24/3/2003
03. John Fante: literatura como heroína e jazz - 21/7/2003
04. Os Dez Grandes Livros - 15/10/2003
05. O Fel da Caricatura: André de Pádua - 3/3/2003


Mais Especial Biblioteca Básica
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Direito de Bem Nascer Como Minimizar a Pobreza no Brasil e no Mundo
José Olavo Mourão Pinto
Do Autor
(2013)



II Conferência da paz - Haia 1907
Diversos autores
Fundação Alexandre de Gusmão
(2014)



Fim
Fernanda Torres
Companhia das Letras
(2013)



Norte
Edmundo Paz Soldán
Companhia das Letras
(2013)



Direito Tributario - Sena- Programa de Administração e Gerência Econômica
Manoel Lourenço dos Santos
Fgv
(1973)



A Travessia do Espelho * Reflexões Sobre a Filosofia e a Técnica ...
Danilo de Souza Dias e Outros
Tempo Brasileiro
(1987)



Imunobiologia: o Sistema Imune na Saúde e na Doença - 5ª Edição
C. Janeway / P. Travers / M. Walport /m. Shlomchik
Artmed
(2002)



Vida Maravilhosa
Stehen Jayt Gould
Círculo do Livro
(1992)



O Óbvio Ululante
Nelson Rodrigues
Agir
(2007)



Histórias de Stephen Crane
Stephen Crane
Cultrix
(1965)





busca | avançada
60446 visitas/dia
1,8 milhão/mês