As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e... | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
67999 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe As Conchambranças de Quaderna de Ariano Suassuna
>>> “Meus bichos do sertão”, da artista mineira Maria Lira, em exposição na AM Galeria
>>> Maurício Limeira fará parte do DICIONÁRIO DO PROFUNDO, da Ao Vento Editorial
>>> Longa documental retrata música e territorialidade quilombola
>>> De Priscila Prade, Exposição Corpo em Quarentena abre dia 4/10
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
Blogueiros
Mais Recentes
>>> FLIPS
>>> Digestivo no Podcrer
>>> Casamento atrás da porta
>>> Aida, com Lorin Maazel e a Symphonica Toscanini
>>> 10º Búzios Jazz & Blues III
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
>>> Tubo de Ensaio
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Lei do Sexagenário
>>> Desglobalização
Mais Recentes
>>> O negócio dos livros: Como grandes corporações decidem o que você lê de André Schiffrin pela Casa da Palavra (2006)
>>> Jesus Cristo Veio na Carne é de Deus de Centro Bíblico Verbo pela Paulus (2019)
>>> Inexistência da Doença de Masaharu Taniguchi pela Seicho-no-ei (2015)
>>> Jesus a Vida Completa de Juanribe Pagliarin pela Bless Press (2012)
>>> Poemas para Ler na Escola de João Cabral de Melo Neto pela Objetiva (2010)
>>> O Juiz do Turbante Dourado e a Senhora das Agulhas de Francisco Fernandes de Araújo pela Pontes (2007)
>>> Juntando as Peças Liderança na Prática de Maércio Rezende pela Saint Paul (2010)
>>> Kundu de Morris West pela RioGráfica (1986)
>>> O Livro da Saúde - Enciclopédia Médica Familiar de Benjamin F. Miller pela Seleções (1976)
>>> After the Fall de Arthur Miller pela Bantam Books (1967)
>>> João Sendo João de João Guilherme pela Planeta (2016)
>>> Juquinha, Eterno de Fabiano Candido pela Autografia (2018)
>>> Josué e a Vida Depois da Virgula de Delcio O. Meireles pela Imprensa da Fé
>>> A Jornada - Devocionário de Vários Colaboradores pela Ed. Z3 (2010)
>>> A Jornada - Sabedoria e Cuidado de Deus Capa de Ricardo Agreste da Silva pela Zz3 (2014)
>>> Percy Jackson - Ladrão de Raios de Rick Riordan pela Intrinseca (2008)
>>> The Adventures of Tom Sawyer de Mark Twain pela Oxford Bookworms (2008)
>>> O fim dos tempos de Thomas M Campion pela Arqueiro (2019)
>>> Tex Coleção 471 - Morte no Rio de G. L. Bonelli pela Mythos (2013)
>>> Tex 386 de Bonelli pela Mythos (2015)
>>> Tex o Pueblo Escondido de G. L. Bonelli - A. Galleppini pela Mythos (2015)
>>> Dragon Ball Nº 13 de Akira Toriyama pela Panini (2012)
>>> Aventura no Império do Sol de Silvia Cintra Franco pela Ática (1989)
>>> Um Rosto no Computador de Marcos Rey pela Ática (1994)
>>> Um inimigo em cada esquina de Raul Drewnick pela Ática (2001)
COLUNAS

Terça-feira, 18/5/2021
As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
Renato Alessandro dos Santos

+ de 3300 Acessos

De volta para o futuro criou em toda uma geração o desejo de flanar pelas lianas do tempo, e se possível com um Delorean.

Michael J. Fox, dentro daquele carro, fez escola e, hoje, as viagens no tempo, na ficção, vez ou outra ganham telas e páginas de livros que – diante da oferta incessante de obras que nossa época vive – ficam à espera de uma oportunidade, à qual a gente se agarra quando estamos dispostos a deixar de lado alguma obrigação, prontos para enveredar pelo descompromisso que uma boa obra literária pode oferecer, ou talvez um filme, ou uma série, enquanto a pandemia segue, deprimindo e oprimindo a gente.

Foi assim, aos pulinhos, com um calcanhar batendo no outro, que o romance 30 e poucos anos e uma máquina do tempo foi recebido aqui em casa, presente de uma aluna (valeu, Fernanda!).

Eu esperava pelo chamado havia mais de um ano. Até porque o romance é uma mistura de Alta fidelidade com De volta para o futuro e há quem lembre ainda de Kurt Vonnegut nessa equação.

A gente sempre acha que encontra os livros, mas é o contrário: eles que nos encontram, e quando acontece algo assim precisamos mesmo pôr a rotina na geladeira, abrir uma cerveja, sentar e ler, porque há horas em que só tentar ganhar dinheiro é medir por baixo o precioso tempo que escorre, a despeito da recompensa, parca, acolá naquele caldeirão ao rodapé do arco-íris.

Edgar Allan Poe era, como sempre, muito preciso nestas horas de alegria serena: não há segredo, basta sentar e ler o livro.

Como Edgar sempre esteve em boa estima neste latifúndio, decidi me dar uma chance, posicionei a luminária, pus o lado A de um bom disco – não me lembro qual, mas era um bom disco –, tirei os óculos para ler melhor e abri 30 e poucos anos e uma máquina do tempo, de uma autora chamada estranhamente Mo Daviau. A tradução é de Edmundo Barreiros.

A narrativa é estimulante e, após algumas páginas, sei já que não vai ser fácil abandonar a leitura para voltar ao mundo digital, onde nós todos, ultimamente, parecemos viver. Parecemos, não; vivemos mesmo ali. Até porque, não fosse assim, estaria a gente de volta aos anos 1980, quando Michael J. Fox (você de novo, Marty?), em cima daquele skate sem rodinhas, nos deixou a todos estupefatos.

E o romance aposta nas peripécias, bem ao gosto aristotélico, levando a gente a acompanhar Karl Bender (sobrenome cuja tradução, “dobrar”, não é mero acaso), um ex-guitarrista de uma banda indie de Boston, Axis, e Lena Geduldig, uma pós-graduanda em física quântica, de um departamento cheio de gente de caráter oleoso, daquelas que preferem perder um amigo a deixar de lado, por exemplo, a autoria de um artigo a ser publicado, mesmo que parte dos resultados tenha vindo de outra pesquisa, plagiados, talvez.

É assim que nos anexamos às viagens no túnel do tempo em que Karl e Lena vão se meter, a partir do guarda-roupa do apartamento alugado de um edifício decadente, e lá vamos nós, animados com a paisagem que se modifica.

Vêm complicações, cenas com bandas obscuras (mas não àqueles que, como você, sempre gostou de Elliot Smith e Galaxie 500, mesmo sem saber, né?), Fred Mercury, shows memoráveis, um cometa prestes a destruir a vida como a conhecemos – mas não a humanidade, que se adapta, como sói acontecer –, uma passadinha lá pelo ano 980 (século X), em Mannahatta, onde uma futura Nova York vai levar à falência quem se dispuser a alugar um loft, perto daquela ponte que muitos compraram, aliás, enganados, naquele expediente charlatão que Mark Twain registrou em narrativas do mais puro manjar pagão.

Eu e você poderíamos ficar algum tempo, aqui, ainda, sofisticada leitora, carismático leitor, lendo a respeito de o porquê de a leitura desse romance ligeiro valer a pena e tal, mas a vida regurgita a gente, e reclama da gente, por causa do pouco tempo que parece gerir e organizar as coisas, até porque somos todos passageiros nesse intervalo entre a chegada e a partida, não é, fulô? Let´s keep walking...

Há uma série me esperando daqui a meia hora, é sábado, é quase noite. Dark. Uma elipse, um zeugma, uma metonímia, uma figura de linguagem qualquer, capaz de significar o que não precise de explicação, serve aqui. Então, vem, como diria Marcelo D2.

Nota do Autor
Renato Alessandro dos Santos, 48, é autor de Lado B: música, literatura e discos de vinil, de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia (volumes I e II), de O espaço que sobra, seu primeiro livro de poesia (todos publicados pela Engenho e arte), além de outras obras.

Nota do Editor
Leia também "Literatura pop: um gênero que não existe" e "Road-book em alta velocidade".


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 18/5/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Goeldi, o Brasil sombrio de Jardel Dias Cavalcanti
02. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti
03. HQs sombrias, anjos e demônios de Carla Ceres
04. O problema é com o assédio, não com os homens de Adriana Baggio
05. No tempo da ficha telefônica de Elisa Andrade Buzzo


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2021
01. Isto é para quando você vier - 19/1/2021
02. As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e... - 18/5/2021
03. LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo - 17/8/2021
04. O mundo é pequeno demais para nós dois - 3/8/2021
05. Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra - 14/9/2021


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Bê-a-bá do Consumidor: Dicas para Compras e Reclamações
Professor Rizzato Nunes
Método - Casa do Direito
(2006)



Contos de Vista
Elisa Lucinda
Global
(2004)



Olhar Estrangeiro New York
Lenira Fleck
Território das Artes
(2007)



Sucessão Trabalhista Conseqüências Nas Relações de Emprego
Patrícia Manica Ortiz
Thomson
(2005)



Administração de Sistemas de Informação
Ivo Soares Melo
Pioneira
(1999)



Direito do Trabalho Versão Universitária
Renato Saraiva
Metodo
(2008)



O Universo de Harry Potter de A a Z
Aubrey Malone
Nova Fronteira
(2013)



Guard Your Tongue
Chofetz Chaim
Benei Yakov
(1975)



Beleza para a Vida Inteira
Cristiana Arcangeli
Senac
(2002)



A Voz do Coração
Suzanne Marllit
Brasileira





busca | avançada
67999 visitas/dia
2,2 milhões/mês