O mundo é pequeno demais para nós dois | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
31 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Pedaço da Pizza: novidades depois de uma década
>>> Felipe Neto no Roda Viva
>>> Fabio Gomes
>>> O Menino que Morre, ou: Joe, o Bárbaro
>>> Sou da capital, sou sem-educação
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> A morte da Capricho
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Bienal do Livro Bahia
>>> A primeira hq de aventura
Mais Recentes
>>> A interpretação do assassinato de Jed Rubenfeld pela Companhia das Letras (2007)
>>> Os Mistérios da Rosa-cruz de Christopher Mcintosh pela Ibrasa (1987)
>>> Las Glandulas Nuestros Guardianes Invisibles de M. W. Kapp pela Amorc (1958)
>>> Experiências Práticas de Ocultismo para Principiantes de J. H. Brennan pela Ediouro (1986)
>>> As Doutrinas Secretas de Jesus de H. Spencer Lewis pela Amorc (1988)
>>> Amigos Secretos de Anamaria Machado pela Ática (2021)
>>> A Vós Confio de Charles Vega Parucker pela Amorc (1990)
>>> O Segredo das Centúrias de Nostradamus pela Três (1973)
>>> Para Passar em Concursos Jurídicos - Questões Objetivas com Gabarito de Elpídio Donizetti pela Lumem Juris (2009)
>>> Dicionário espanhol + Bônus: vocabulário prático de viagem de Melhoramentos pela Melbooks (2007)
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
COLUNAS

Terça-feira, 3/8/2021
O mundo é pequeno demais para nós dois
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1000 Acessos



A morte de um advogado corrupto está no epicentro deste novo romance de George dos Santos Pacheco. Embora o autor ainda não tenha soprado as 40 velinhas, ele já chega ao quarto romance, contando ainda com livros de contos, com poemas e com crônicas que vem lançando frequentemente. Agora, é outra narrativa policial que ele publica; a anterior, O pacto, respinga aqui, em O mundo é pequeno demais para nós dois, obra repleta de marcas que, longe de uma abordagem tradicional, carregam os sinais de estranhamento que a literatura brasileira atual vem irradiando com autores exatamente como George.

Théo, o protagonista que o diabo alicia, é mencionado, mas, muito mais do que ele, é o próprio autor, George dos Santos Pacheco, que habita o novo romance como... George dos Santos Pacheco. Eis uma das marcas de estranhamento; sim, nada de novo sob o Cruzeiro do Sul, mas são artimanhas assim que revitalizam a literatura contemporânea da qual George faz parte, e, no romance, George, personagem de si mesmo, narra seu encontro com Suzanne em uma livraria, por conta da publicação de O pacto. Do ponto de vista dos recursos aos quais a imaginação recorre – naqueles momentos em que a criação literária, no gerúndio, vai acontecendo – é bastante instigante.

George é narrador também; quer dizer, um dos narradores, porque, além dele, há outros, para desespero de leitores que, porventura, pairando um centímetro acima do chão, terão de retornar algumas páginas. É preciso ficar agarrado ao que vai: quem conhece o trabalho do autor sabe que ele faz de propósito, confiando na argúcia da gente, seus leitores. Não, não se trata de desatenção com a estrutura narrativa; em vez disso, é construir engenhosamente um mundo fictício onde as coisas acontecem e, na aparição dessas coisas, a certeza de que se está com um autor que se preocupa em fazer diferente aquilo que, na arte literária, jamais deve ser feito apenas repetindo o que outros, antes, fizeram. Literatura não é algo a ser vendido a preço de banana, como um kit em que se paga por uma unidade e se leva três. Nada disso. O trabalho de George segue um caminho nem sempre asfaltado e, por esse motivo, tem de contar com leitores que saibam desviar de obstáculos que queiram malograr a travessia.

George desaparece, e a polícia o tem como suspeito no assassinato do advogado. Outros possíveis candidatos à morte do corruptor emergem. Um deles é Raphael, que também vira narrador; em seu encalço, vai Pedro Avellar, que investiga o caso contando com a ajuda de X, seu amigo de infância, que também vai ajudar na solução do crime. Ambos tornam-se narradores, como Miltão... Tropeço... Confuso?

Como repetiria um bem-humorado professor de latim dos tempos de graduação: Pay attention, s’il vous plait! Faz parte. Leitores saberão bem o que é esta narrativa, na ulterior hora quando a literatura vira leitura em progresso: enquanto peripécias – que fazem a cabeça do autor – vão surgindo, como em toda boa narrativa policial, a gente avança, rumo ao clímax e ao posterior desenlace do enredo. Por falar nisso, um elemento narrativo que merece destaque é o espaço que serve de cenário à trama: Friburgo, ou melhor, Nova Friburgo, cidade do estado do Rio de Janeiro onde reside George e que, além de contar com a Mata Atlântica a retocar a região, serve de palco para as ações que vão se desenvolvendo ao longo dos 16 capítulos de O mundo é pequeno demais para nós dois.



Enfim, trata-se de um escritor que parece não sossegar e, por isso, não está disposto a pendurar seu Microsoft Word. Leitores novos e veteranos torcem para que o autor vá cada vez mais fundo nesta forma narrativa longa, o romance, que, quando conta com empenhados & criativos contadores de histórias, só faz fluir a vida com mais dinâmica; no caso, amarrando todas as pontas, George serve-se do fio narrativo que, à beira do precipício, conduz a gente pelo labirinto; os leitores hão de se lembrar disso, ao percorrer, do início ao fim, esta trama que se arrisca naquelas veredas inventivas cheias de rupturas, lá onde vai brotando – feito foz – a literatura.

Nota do Autor
Renato Alessandro dos Santos, 48, é autor de Lado B: música, literatura e discos de vinil, de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia (volumes I e II), de O espaço que sobra, seu primeiro livro de poesia (todos publicados pela Engenho e arte), além de outras obras.


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 3/8/2021


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2021
01. Isto é para quando você vier - 19/1/2021
02. As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e... - 18/5/2021
03. LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo - 17/8/2021
04. O mundo é pequeno demais para nós dois - 3/8/2021
05. Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra - 14/9/2021


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Escutando Sentimentos - 1ª Edição
Wanderley Oliveira & Ermance Dufaux
Dufaux
(2006)



Ricardo iii
William Shakespeare; Luiz Antônio Aguiar
L&pm Editores
(2007)



Pecados Sagrados
Nora Roberts
Bertrand Brasil
(2009)



A Horripilante História da Morte
Clive Gifford
Matrix
(2013)



Prólogos - Com um Prólogo dos Prólogos
Jorge Luis Borges
Rocco
(1985)



79 Park Avenue
Harold Robbins
Record
(1955)



Ainda Existe Esperança. a Solução para os Problemas da Vida
Enrique Chaij
Casa
(2010)



Sistema Gastroenterologico
Guia Didatico
Peprazol



Manual de Fisica
Dcl
Dcl
(2007)



Reparando Erros de Vidas Passadas
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
Petit
(2004)





busca | avançada
31 visitas/dia
2,2 milhões/mês