Vania Abreu tão perto e tão longe da Multidão | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
65683 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> YouTube, lá vou eu
>>> O bom, o ruim (e o crítico no meio)
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> No III Seminário da Cásper
>>> Não gaste o seu latim
>>> Gilberto Gil: Cultura Viva (2)
>>> A convergência das mídias
>>> 4 de Setembro #digestivo10anos
>>> É Isto um Homem?, de Primo Levi
>>> Violões do Brasil
Mais Recentes
>>> A Nova Arte de Viver de Norman Vincent Peale pela Cultrix (1981)
>>> Mensagens Para a Vida Diária de Norman Vincent Peale - pela Cultrix
>>> É Fácil Viver Bem de Norman Vincent Peale pela Cultrix
>>> O Poder do Entusiasmo de Norman Vincent Peale pela Cultrix (1977)
>>> O Poder do Pensamento Positivo de Norman Vincent Peale pela Cultrix (1999)
>>> Vicente de Carvalho Nossos Classicos de Fausto Cunha Editor pela Agir (1977)
>>> Pílulas Para Viver Melhor de Fernando Luchese pela L&PM Pocket (2008)
>>> Desembarcando A Hipertensão de Fernando Luchese pela L&PM Pocket (2005)
>>> Desembarcando O Diabetes de Fernando Luchese pela L&PM Pocket (2002)
>>> Confissões & Conversões - 25 Regras para o Tempo de Mudar de Fernando Luchese pela L&PM (2007)
>>> Cervicobraquialgia: Espondilose e Hérnia Cervical. Diagnóstico e Tratamento. de Caio Villela Nunes pela Epuc. (1994)
>>> Te cuida! Guia para uma vida saudável. de Dr. Cláudio Domênico pela Casa da Palavra (2012)
>>> Antiguidades Modernas. Crônicas do cotidiano escolar. de Celso Antunes pela ArtMed (2003)
>>> Direito Civil. Parte Geral. Série Prova e Concursos. de Christianne Garcez pela Campus (2008)
>>> O Novo Mercado de Trabalho. Guia para iniciantes e sobreviventes. de Marco A. Oliveira pela Senac - RJ (2000)
>>> Um Grande Garoto. de Nick Hornby pela Rocco (2000)
>>> Breve Romance de Sonho. de Arthur Scgnitzler pela Globo (2003)
>>> História do Cerco de Lisboa. de José Saramago pela Globo (2003)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo. de Allan Kardec pela BesouroLux (2016)
>>> Morgoths Ring the History of Middle-earth Volume 10 de J. R. R. Tolkien; Christopher Tolkien pela Harper Collins (2002)
>>> Lugares dos Mortos na Cidade dos Vivos de Cláudia Rodrigues pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (1997)
>>> The War of the Ring the History Ofthe Lord of the Rings Part 3 de J. R. R. Tolkien; Christopher Tolkien pela Harper Tolkien (2002)
>>> The Treason of Isengard the History of the Lord of the Rings Part 2 de J. R. R. Tolkien; Christopher Tolkien pela Harper Collins (2002)
>>> The Return of the Shadow 6 the History of the Lord of the Rings Part 1 de J. R. R. Tolkien; Christopher Tolkien pela Harper Collins (2002)
>>> A Idéia Republicana no Brasil Através dos Documentos de Reynaldo Carneiro Pessoa (Org.) pela Alfa-Omega (1973)
>>> The Shaping of Middle-earth the History of Middle-earth Volume 4 de J. R. R. Tolkien; Christopher Tolkien pela Harper Collins (2002)
>>> The Lays of Beleriand the History of Middle-earth Volume 3 de J. R. R. Tolkien pela Harper Collins (2002)
>>> The Book of Lost Tales II (the History of Middle-earth, Book 2) de J. R. R. Tolkien pela Harper Tolkien (2002)
>>> The Book of Lost Tales (the History of Middle-earth, Book 1) de J. R. R. Tolkien pela Harper Collins (2002)
>>> Tempo de Transcendência – O Ser Humano Como um Projeto Infinito de Leonardo Boff pela Sextante (2000)
>>> Jesus Cristo Libertador de Leonardo Boff pela Vozes (1972)
>>> O Livro de Ouro da Felicidade. Um guia prático aos estágios de meditação. de Sua Santidade, o Dalai Lama. pela Agir (2003)
>>> Viver Sem Tensão de Joseph Murphy pela Record (1959)
>>> Segredos do Iching – Os Mistérios da Sabedoria Oriental de Joseph Murphy pela Record (1970)
>>> A Magia do Poder Extra-Sensorial de Joseph Murphy pela Record (1994)
>>> Direito Constitucional 19ª ed. de Alexandre de Moraes pela Atlas (2006)
>>> A Paz Interior de Joseph Murphy pela Record (1979)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (Coleção O Poder do Subconsciente) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> O Poder Do Subconsciente de Joseph Murphy pela Record (1963)
>>> Mesa & Harmonia de Editores pela Companhia União dos Refinadores (1992)
>>> Festas & Férias de Editores pela Companhia União dos Refinadores (1989)
>>> Gibi Magali N°96 O Sumiço dos panetones de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2014)
>>> Gibi Almanaque da Magali N°22 de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2010)
>>> Gibi Magali N°34 A estrela cadente! de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2009)
>>> Gibi Magali. N°55. Lady Magaga. de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2011)
>>> Lições Positivas de Lauro Trevisan pela Da Mente (1993)
>>> Gibi Cebolinha N°30 de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2009)
>>> Gibi Zé Carioca N°2338 de Disney pela Abril (2009)
>>> 7 Passos Para Dar a Volta Por Cima de Lauro Trevisan pela Da Mente (2004)
>>> O Poder Infinito da Sua Mente de Lauro Trevisan pela Da Mente (1980)
COLUNAS

Terça-feira, 31/8/2004
Vania Abreu tão perto e tão longe da Multidão
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 3300 Acessos

À primeira vista, a cantora Vânia Abreu está sozinha em seu quarto álbum, Eu sou a multidão (Páginas do Mar, 2004). Um dos indícios que traz essa sensação é a capa do disco. Ali, Vânia está só, em pleno viaduto do Chá, no chamado "Centro Velho" da cidade de São Paulo. Logo que se ouve a primeira canção do álbum, no entanto, essa impressão sai de cena. Surge, em contrapartida, uma pulsão que deseja o contrário. É um jogo de forças que segue, sobretudo, na canção-título, na abertura deste disco. Isso porque, ao mesmo tempo em que a letra é intimista, o arranjo traz consigo a participação de muitos instrumentos. E o mais interessante é que essa contradição acaba por articular letra e melodia. Na medida em que a letra enfatiza o contraste: "Com a alma deserta/ Busco a multidão/ Meu quarto me aperta/ Tal a imensidão/ E a cidade alerta/ Nem presta atenção", o arranjo, com direito a samplers e percussão, representa o conjunto.

Ainda acerca dessa primeira canção, nota-se uma preocupação por parte de Vânia Abreu em fazer um álbum conceitual. É a própria cantora, inclusive, quem aponta esse detalhe ao falar do disco: "Não pertenço a nenhum movimento artístico; não tenho tribo. Apesar e justamente por causa disto sou uma pessoa deste tempo. Deste tempo sem muitos sonhos coletivos, de uma sociedade de mercado". Apesar da ressalva sociológica, Vânia Abreu não segue fielmente suas "palavras de ordem". Com efeito, o único princípio que parece guiar a cantora do início ao fim do disco é o de interpretar as canções mesclando sensibilidade e técnica, às vezes pendendo para um dos lados, mas sempre em busca do equilíbrio, como no exemplo da primeira música.

Assim, a partir da segunda faixa, "Imaculada Oração", a temática sociológica dá lugar aos ritmos (quase) regionais e a uma letra que ensaia um sincretismo religioso, como segue no refrão: "Alá, Shalom, Amém, Axé/ O Aiyé pode ter o Buda/ O Zeus, o deus que quiser". Aqui, a melodia também desempenha um papel fundamental, com uma percussão que marca tempo e é muito mais do que coadjuvante no instrumental: além da bateria, há os atabaques, xequeré e agogô. É possível notar, ainda, que a canção é mesmo uma espécie de oração, um mantra, sempre iniciado pelas palavras: "Imaculada Oração".

O ritmo desta última música cede espaço para a o tom harmonioso dos teclados de João Cristal em "Minha Canção", de Chico Buarque. É a única vez que a voz de Vânia Abreu soa sem personalidade, sem o grifo da intérprete. Talvez seja o fato de ser de um compositor tão reconhecido. Desse modo, para o bem e para o mal, a intérprete opta por uma versão sóbria (até demais) para a música. Trata-se de um tratamento absolutamente distinto do que é dado à "A Minha Alma - a paz que eu não quero", do grupo carioca O Rappa. Nela, Vânia entra no ritmo das guitarras e da percussão. E o ápice está no trecho exato: "Me abrace, me dê um beijo/ Faça um filho comigo/ Mas não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo". Decerto que é muito diferente da original, entoada por Falcão, contudo, é uma releitura bem realizada, sem mencionar os arranjos, que não fogem do tom que a letra da música pede.

A propósito dos músicos, compostos por violonista, baixista, tecladista e os já citados percussionistas, é necessário dizer que eles dão uma unidade essencial ao álbum. Em especial os violões, executados por Paulo Dáflin. O violão é o único instrumento que se mantém do início ao fim do disco, acompanhando, ora de perto, ora de longe, a voz de Vânia Abreu. Em "À Beça", por exemplo, as cordas são parte eminente na harmonia. Tanto na base, feita com violões de aço, quanto nos solos de guitarra. É o solo, aliás, que dá à letra uma fluência, visto que a repetição do refrão chega a ser exaustiva.

"Meu Querido Santo Antônio" traz outra oração, desta vez mais intimista, como se fosse um lamento, muito bem pontuado pela melodia. O leitor, ao ouvir o disco, verá que o trecho a seguir merece destaque: "Meu coração pequenininho/ Já não agüenta mais sofrer/ Meu querido Santo Antônio/ Vem aqui me socorrer". Novamente, não se sabe se propositalmente ou não, o disco alterna canções mais sóbrias com músicas dançantes, daquelas que tanto a letra como a harmonia - e, por conseguinte, o ritmo - não deixam o ouvinte parado, como em "Pra Falar de Amor". Entretanto, nem todas possuem o mesmo vigor poético. Desse modo, sobram trechos que beiram o nonsense, a saber: "Esqueça/ A cabeça/ As malas, os caretas/ Desapareça da sala/ Da rua, do prédio, do planeta".

Se em algumas faltam, outras têm de sobra. Exemplo disso são as primeiras estrofes de "Alcaçuz", composição de Chico César: "Todo o ouro que o rei tiver/ não é como as estrelas que terei/ Se um dia você vier/ Mesmo o mundo, o céu, a terra, a imensidão, cintilações são sem você/ O que então eu serei". Aqui, mais uma vez, o arranjo é parte essencial da construção da música.

A última faixa é "De Volta ao Cais". Letra e melodia desempenham um papel equânime. Assim, quando uma sobressai a outra aguarda, de forma cadenciada, em segundo plano. E essa ambivalência, que é expressa em cada trecho, concorda para o canto de Vânia Abreu. De fato, é esse o elemento que parece permear todo o álbum, em que pese a pretensão conceitual das temáticas e do discurso da cantora. Em outras palavras, é na voz de Vânia Abreu que Eu Sou a Multidão ganha coerência, uma vez que até mesmo o repertório escolhido pela intérprete é variado, com canções que vão do regional ao pop-rock, sem deixar de passar pela MPB. Ao final, os conceitos temáticos, tão importantes num primeiro momento, são, para o bem e para o mal, esquecidos, dando preferência a um quesito que é muito mais relevante do ponto de vista artístico: a música.

Para ir além



Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 31/8/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras de Elisa Andrade Buzzo
02. Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo de Heloisa Pait
03. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva
04. O caso Luis Suárez de Humberto Pereira da Silva
05. 40 de Julio Daio Borges


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2004
01. Desonra, por J.M. Coetzee - 21/12/2004
02. Teoria da Conspiração - 10/2/2004
03. Cem anos de música do cinema - 8/6/2004
04. Eleições Americanas – fatos e versões - 9/11/2004
05. Música instrumental brasileira - 12/10/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PIMBINHA - COL. GIRASSOL
PEDRO BLOCH
MODERNA
(1996)
R$ 7,00



PALHAÇOS SAGRADOS
TONY HILLERMAN
ROCCO
(1999)
R$ 12,00



POR QUE NÃO CRESCEMOS COMO OUTROS PAÍSES ? CUSTO BRASIL
JÕAO LUIZ ROTH
SARARIVA
(2006)
R$ 19,90



MATURIDADE E ESTAGNAÇÃO NO CAPITALISMO AMERICANO
JOSEF STEINDL
ABRIL CULTURAL
(1983)
R$ 49,00



O TERCEIRO MUNDO E A NOVA ORDEM INTERNACIONAL
ANTONIO CARLOS
ATICA
(1989)
R$ 6,90



OS SONHOS
FRANCISCO DE QUEVEDO
ESCALA
R$ 31,50



GANDHI: MENSAGEM PARA HOJE
TOMÁS TOSCHI
MUNDO 3
R$ 11,96



ELITE ONTEM, HOJE E SEMPRE
MARIA DILECTA GRIEG
OLHO DÁGUA
(2006)
R$ 8,90



LIMA BARRETO VERSUS COELHO NETO
JOSE MAURO ROSSO FIRMO
DIFEL
(2010)
R$ 32,00



PROFILAXÍA ANTI-DIFTÉRICA
CARLOS PRADO
DEPARTAMENTO ESTADUAL DE IN
(1947)
R$ 23,34





busca | avançada
65683 visitas/dia
2,2 milhões/mês