Crônica da Mostra e as 10 lições de Kiarostami | Lucas Rodrigues Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 1/11/2004
Crônica da Mostra e as 10 lições de Kiarostami
Lucas Rodrigues Pires

+ de 3100 Acessos

Enfim, tive tempo para ir ver algum filme da Mostra. Tentei ver Bens Confiscados, do Carlos Reichenbach (o mesmo diretor de Garotas do ABC, sobre o qual escrevi aqui recentemente), mas não consegui porque a sala do cinema (Cinearte) alterou o horário da sessão. Preparei-me todo para a sessão das 20 horas, mas quando chego lá o meu filme seria só às 22 horas. É de desanimar qualquer um. Mas Mostra Internacional de Cinema é isso mesmo. São quase 300 filmes em menos de 15 dias. É tão incrível o que esse pessoal traz para cá que chega a ser ruim para nós ter tanta oferta. Embaralha tanto que dificulta uma escolha. Há aqueles que buscam os nomes carimbados (nesta diria que são Almodóvar, Bertolucci e Wim Wenders), mas há aqueles que buscam descobrir alguma pérola de um país inusitado. São as opções de cada um.

Meu primeiro filme nesta 28ª edição da Mostra, na verdade, não foi nenhum inédito - 10 (Ten), do Abbas Kiarostami. Para quem não conhece, esse diretor é o homem que popularizou o cinema iraniano no mundo na década de 80. Seus filmes viraram cult e presença garantida em mostras e festivais pelo mundo. De fato, o meu maior interesse era em outro filme do Kiarostami - 10 Sobre 10, uma obra metalingüística em que o diretor, de dentro de um carro, explica coisas de seu filme anterior (10) e fala sobre sua forma de fazer cinema. No fundo, seria uma aula de cinema em 10 passos (daí o título). Eis que pensei: "Preciso ver o 10 antes para poder ver o 10 Sobre 10". Foi o que fiz, no mesmo dia acabei vendo os dois.

A sessão era às 19h30 horas. Às 21 horas o diretor - o homenageado da Mostra com a retrospectiva - estaria na sala para uma conversa com o público. Daí o auditório da FAAP estar lotado e a organização da faculdade deixar parte do público esperando lá fora para ver se teria lugar para todos. A direção informou que os alunos teriam prioridade de assento. Depois de passar frio esperando, pudemos entrar e consegui me aconchegar lá na frente, um lugar bom para quem não enxerga as legendas com nitidez. Enquanto aguardava o início, uma menina sentou na fileira da frente. Jovem, bonita, virou pra mim e perguntou: "Que filme que vai passar, hein, você sabe?". Estranhei a pergunta, mas respondi educadamente que seria um filme iraniano e que o diretor estaria aí depois. Em seguida, foi minha vez de perguntar: "Você não estuda aqui na FAAP? Não veio para a palestra do Kiarostami?". Ouvi de volta: "Não faço Cinema, estudo Publicidade. Nem sabia o que ia ter, mas do que se trata esse filme?". Sentindo o desastre que se aproximava, tentei explicar para ela o que viria a ser um filme iraniano. "Olha, filme iraniano é meio parado, nesse filme o diretor vai, em 10 planos fixos, falar sobre o que é cinema para ele. E tudo isso de dentro de um carro". E ela: "Xi, não gosto disso. Estou vendo que vou sair na metade". Aí terminou nosso papo. 5 minutos depois, antes de começar o filme, ela se levantou e foi embora.

Mas enfim a vida não é, nunca foi e nem nunca será um sistema ideal. Estamos nela para vivenciar a diversidade e na diversidade encontrar algumas semelhanças que nos aproximem de outro alguém. Antes de iniciar a projeção, Kiarostami foi apresentado à platéia. Muitas palmas para ele e para o cineasta português Manoel de Oliveira, outra figurinha carimbada de Mostra que estava na platéia para a exibição do filme do colega. O diretor iraniano, em um discurso rápido aos presentes, disse que acreditava ser aquele público ali presente o mais adequado para ver o seu filme (acho que ele não viu a menina do parágrafo anterior saindo da sala...).

10 e 10 Sobre 10 têm a mesma estrutura: divididos em 10 blocos, se passam dentro de um carro em movimento. A câmera é fixa e filma apenas um personagem. No primeiro, uma mulher dirige e cada plano é uma pessoa com quem ela conversa: seu filho (três vezes), uma prostituta, uma mulher em crise com o noivo, uma outra senhora. Nesse trajeto, que não acontece num único dia, os temas do cotidiano aparecem e o que chama a atenção é a briga da motorista com seu filho, o que acaba com o menino indo morar com o pai.

O mais interessante na verdade é o outro filme, 10 Sobre 10. Aqui, Abbas Kiarostami faz uma reflexão sobre o que é o cinema de hoje e o que ele entende por cinema. Abordando tópicos como direção, cinema digital, atores, roteiro e locação, vai explicando seu método de trabalho e o que busca com seus filmes. Dentro de seu discurso, e explicitamente no último plano, ele polariza seu cinema com o cinema de Hollywood.

Para Kiarostami, cinema é arte e é feito de seres humanos. Daí seu cinema refletir a condição humana, ser um tanto existencialista e baseado no cotidiano. Ele afirma ser um vício o que se criou em torno do cinema: de que o mesmo deve contar uma história. Confundem contar uma história com grandes acontecimentos, ação, aventura, etc. Para seu propósito, um garoto levar um livro esquecido pelo amigo até a casa deste na vila vizinha é uma grande história (Onde Fica a Casa do Meu Amigo?). Tudo que fala sobre o homem é matéria para seu cinema, que ficou mais fácil e espontâneo com a tecnologia digital. Em sua fala, o diretor se entusiasma com a naturalidade e espontaneidade de filmagens feitas com câmera digital. Cita seu filme ABC África, um documentário sobre crianças com Aids em Uganda, como exemplo disso. Seu maior objetivo é buscar a realidade no cinema, fazer um cinema neo-realista. Seus atores não são profissionais e ele faz com que tentem ao máximo interpretar a si mesmos (a mãe e o filho de 10 são mãe e filho na vida real).

Kiarostami fala também sobre angulação de câmera, que nenhum corte ou plano deve ser sem objetivos, e que nunca deu ordens para seus atores ou mandou que se vestissem assim, que não usassem isso ou aquilo. Afirma que seus atores são aquilo que aparece em cena, mais uma tentativa de se aproximar daquela realidade que ele frisou almejar. Ao final, o diretor explica como se fazia e se faz cinema. "A primeira geração de cineastas, de quando nasceu o cinema, olhava a vida e fazia filmes. A segunda olhava para esses filmes e para a vida e fazia filmes. A terceira voltava seus olhos para os filmes até então feitos para fazer seus filmes. A quarta, que é a nossa, não olha nem para os filmes e nem para a vida para fazer seus filmes. Ela vê só o que é possível fazer em termos de efeitos e tecnologia".

Terminadas as 10 lições de cinema, Kiarostami aconselha os jovens: "Se querem fazer sucesso, sigam as fórmulas americanas de cinema" (basicamente: emocionar, fazer chorar e não dar tempo para pensar). Depois disso, volta-se para a câmera e diz ao público que aproveitasse a paisagem enquanto ele daria a volta no carro para desligar o equipamento. Ele sai de cena, mas não a desliga ainda. Pega a câmera, tira-a do carro e filma em close um buraco de formiga na estrada de terra em que parara o carro e do qual formigas saíam e entravam carregando comida. Eis a metáfora ideal de Kiarostami: seus filmes são como pequenas formigas.

Post Scriptum
Como são bonitas e criativas as apresentações da Mostra de Cinema baseadas nos cartazes de cada ano. Eu me refiro àquele vídeo que é exibido antes de cada sessão. Um primor, um primor. Vale tanto quanto os filmes. O deste ano (cartaz abaixo) foi criado pelo israelense Amos Gitai, que apresenta nesta edição da Mostra o filme Terra Prometida.



Lucas Rodrigues Pires
São Paulo, 1/11/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Não quero ser Capitu de Cassionei Niches Petry
02. Um caso de manipulação de Celso A. Uequed Pitol
03. Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - II de Elisa Andrade Buzzo
04. Doida pra escrever de Ana Elisa Ribeiro
05. Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad de Duanne Ribeiro


Mais Lucas Rodrigues Pires
Mais Acessadas de Lucas Rodrigues Pires em 2004
01. Olga e a história que não deve ser esquecida - 30/8/2004
02. Os narradores de Eliane Caffé - 5/2/2004
03. Quem tem medo de Glauber Rocha? - 19/7/2004
04. As garotas do Carlão - 13/9/2004
05. Cazuza e o retrato do artista quando jovem - 5/7/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA HISTORIA VIVA
JOSÉ DIAS GOULART
PAULUS
(1989)
R$ 6,00



THE COMPLETE WORKS OF O. HENRY VOL 1
O. HENRY
REPRINT SERVICES CORP
(1953)
R$ 13,82



SELECTED ENGLISH PROSE. PASSAGES FOR COMPREHENSION AND DISCUSSION
SIMON GRAY E KEITH WALKER
FABER AND FABER (LONDRES)
(1967)
R$ 19,82



LENDAS E TRADIÇÕES
EMILIO AMADEI BERINGHS
EGETAL
(1974)
R$ 15,00



OS CHACRAS
C. W. LEADBEATER
DO CONHECIMENTO
(2010)
R$ 60,00



LUÍS CARLOS PRESTES - UM REVOLUCIONÁRIO ENTRE DOIS MUNDOS
DANIEL AARÃO REIS
COMPANHIA DAS LETRAS
(2014)
R$ 50,00



SUPER-HERÓIS PREMIUM - HOMEM-ARANHA 4
MARVEL COMICS
ABRIL
(2000)
R$ 7,80



AMERICAN MORE! 4. STUDENTS BOOK. 9º ANO
HERBERT PUCHTA
ATICA
(2011)
R$ 40,00



A MÚSICA CONTEMPORÂNEA
MONTSERRAT ALBET
SALVAT
(1979)
R$ 4,84



MEMÓRIAS DE ADRIANO
MARGUERITE YOURCENAR
RECORD ALTAYA
(1951)
R$ 6,90





busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês