Fantasmas do antigo Recife | Guilherme Conte | Digestivo Cultural

busca | avançada
55141 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 31/8/2005
Fantasmas do antigo Recife
Guilherme Conte

+ de 10100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Se é válida a definição de que o teatro é a arte de contar histórias, Assombrações do Recife Velho é exemplo do que há de melhor nessa difícil seara. Sem dúvida um dos grandes espetáculos do ano.

A peça marca a inauguração do Espaço Cultural Dna. Julieta Sohn - Casarão do Belvedere, um antigo casarão tombado, encravado no coração do bairro do Bixiga. É o terceiro trabalho da companhia Os Fofos Encenam (os outros dois, Deus sabia de tudo e não fez nada e A mulher do trem voltam aos palcos em outubro, em mostra).

É uma livre adaptação - acrescida por histórias colhidas pelo autor - do livro homônimo (1955) do sociólogo Gilberto Freyre, assinada e dirigida pelo pernambucano Newton Moreno. Esse fato por si só já seria suficiente para abrir os olhos a este espetáculo: Moreno é o autor da belíssima Agreste, uma das peças mais aclamadas dos últimos tempos por aqui.

O universo da peça evoca as mesmas raízes nordestinas de Agreste. Aqui temos um Pernambuco profundamente marcado pela colonização holandesa. É o chão de Ariano Suassuna, de Miguel Arraes. Histórias ingênuas, sinceras: o Boca-de-Ouro; o Papa-Figo; filhos que voltam para visitar suas casas; um finado marido que insiste em visitar sua viúva; Dona Benvinda, que morreu três vezes, "a morta-viva que virou celebridade".

Assombrações, por outro lado, fundamenta-se em uma estrutura diferente: é uma coletânea de histórias de fantasmas do antigo Recife. Alterna gargalhadas fáceis com momentos de profunda emoção, além de um arrepiante maracatu. É uma grande poesia, um espetáculo que não se quer que acabe.

No início somos convidados a acompanhar os personagens aos fundos do casarão. Lá "proseamos" e ouvimos histórias, esperando a "festa". E entramos. Um universo mágico abraça o público, o envolve e encanta. As duas horas passam voando.

O elenco é absolutamente impecável. Os personagens desfilam numa galeria fascinante. Em nenhum momento sequer os atores perdem o pé. Lembra o trabalho do excelente grupo LUME, da UNICAMP, que passou por aqui em ótima mostra, em julho, no SESC Belenzinho. Menção também aos belos figurinos, de época, criados por Leopoldo Pacheco e Carol Badra.

Vale ficar atento, uma vez que são só 25 lugares por apresentação. Só o casarão já valeria a visita. Imperdível.

Para ir além
Assombrações do Recife Velho - Casarão do Belvedere - Rua Pedroso, 267 - Bela Vista - Quinta à sábado, 21h; domingo, 19h - R$ 10,00 - (11) 3842-5522 - Até 13/11.

Leituras de um clássico, além dos moinhos

Em meio às comemorações dos 400 anos do primeiro livro de Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, o público paulistano tem a chance de conhecer duas boas leituras bem distintas, dessa que é a segunda obra mais traduzida no mundo. A primeira é a Bíblia.

Muito engraçado é Quixote, o monólogo estrelado e concebido por Carlos Moreno, o imortal garoto Bombril, em cartaz no Teatro Folha. Fábio Namatame é responsável pela direção, cenografia, figurino e co-assina o texto. É uma reestréia: a original estreou por aqui em 2000. Mais sintética, no sentido de percorrer a obra completa, o caminho que segue, com muita eficiência, é o humor.

Moreno: o riso como transformação

O começo da montagem já é inusitado: Moreno recebe, "entre o segundo e o terceiro sinal", o público que ainda está entrando. Numa cadeira, lê o jornal e discute com a platéia sobre as notícias do dia, atualidades, o tempo. Na conversa constrói uma ponte para discutir a função do teatro e sobre a obra.

"O fundamental é ter na transformação da realidade, tornar o mundo um lugar melhor para se viver", diz Moreno. "Quixote olhava para as coisas e via outras, e o teatro é um pouco isso", continua. "É um universo infinito de realidades que podemos criar. É por isso que faço teatro. É o que sei fazer para tentar melhorar o mundo."

O que salta aos olhos é a extrema versatilidade de Moreno. A naturalidade com que passa de um personagem a outro (destaque para uma impagável Maritornes, criada da estalagem que Quixote achou que era um castelo) faz parecer que é fácil. Mérito só atingido por grandes atores. Sua empatia para com a platéia é imediata - herança dos tempos de "1001 utilidades". É de um carisma sincero, inevitável.

A tônica do espetáculo é o olhar de Quixote e sua obstinação. Esse olhar de mutação, que se recusa a ver as coisas tais quais como são. O poder da imaginação ganha em Cervantes lugar de honra e a montagem é extremamente respeitosa a esse ponto. O humor como transformação.

Em uma leitura completamente diversa, muito mais filosófico-reflexiva, é que se sustenta A Sombra de Quixote, criação da Casa Laboratório para as Artes do Teatro São Paulo - Pontedera. A peça tem dramaturgia do italiano Stefano Geraci, direção de Cacá Carvalho e co-direção de Roberto Bacci. Segue em cartaz até outubro em um dos galpões do SESC Belenzinho.

Partindo da metáfora da sombra - que rende um belo jogo de luzes no início -, a peça discute a relação da ilusão e da realidade. Vivemos aprisionados em uma armadura. Um dia, maduros, a deixamos e nos encantamos eternamente. A essência de Cervantes por um viés marcadamente poético.

A Sombra de Quixote: reflexão filosófica

A montagem é fruto de um intenso trabalho de pesquisa capitaneado pelo talentoso Cacá Carvalho (do memorável monólogo A poltrona escura, mergulho de cabeça no universo de Luigi Pirandello) e pelos italianos da Pontedera. A opção do recorte, sem a pretensão de dar, de uma forma ou de outra, conta da totalidade da obra, foi um acerto: flui naturalmente, não se perde.

O elenco, jovem, é irregular; a impressão é que falta maturidade para um trabalho de tal envergadura. Mas dois atores saltam aos olhos: Emerson Ribeiro faz um Quixote ensandecido, que convence. Seu biotipo, inclusive, é mais condizente com o papel que o de Moreno. O dono do palco, porém, é Leonardo Ventura, impagável como Sancho Pança. É um grande ator, imediato destaque.

Destaque também para o cuidado visual. A armadura de Quixote, feita de latas (ervilha, óleo etc.), é ótima. O cenário é sóbrio e faz interessante contraste com os panos e cores, principalmente nos belos momentos de dança.

Integra a Mostra SESC de Artes Mediterrâneo. Um espetáculo bom, muito interessante, mas ainda a amadurecer. Ademais, é uma bela homenagem aos 400 anos de Quixote.

Para ir além
Quixote - Teatro Folha / Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618, piso 2 - Higienópolis - Quarta e quinta, 21h - R$ 14,00 - (11) 3823-2323 - Até 15/09.

A Sombra de Quixote - SESC Belenzinho / Galpão 2 - Av. Álvaro Ramos, 915 - Belenzinho - Sexta a domingo, 21h - R$ 15,00 - (11) 6602-3700 - Até 09/10.

Notas

* O Grupo Tapa reestréia amanhã, 1º de setembro, a ótima montagem de Major Bárbara, genial peça do irlandês Bernard Shaw. Mas fique esperto: é curtíssima temporada - até 11/09 - no teatro Artur Azevedo (Av. Paes de Barros, 955, Mooca/ Quinta à sábado, 21h; domingo, 19h; R$ 10,00). Em 2001 ela levou, entre outros prêmios, os APCA de melhor diretor, para Eduardo Tolentino, e de melhor ator para o brilhante Zecarlos Machado. Veemente recomendação deste colunista.

* Hoje começa no Instituto Cultural Capobianco (quartas, 21h - confira a programação completa no site) o Projeto Quarto de Pensão, coordenado pelo ator/diretor/autor/tradutor Vadim Nikitin. A idéia é interessante: o processo de criação de um espetáculo, aberto ao público. Além dos ensaios - Subterrâneo (ou 2497 Rublos & Meio), baseada em conto de Fiódor Dostoiévski - haverá palestras com gente do calibre de Zé Celso Martinez Corrêa e Boris Schneiderman. Tarimbado, Nikitin traduziu recentemente obras de Dostoiévski para a Editora 34 (inclusive o volume que traz Sonho de um homem ridículo, cuja montagem está em cartaz no mesmo Instituto). Promete.


Guilherme Conte
São Paulo, 31/8/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Esse Caro Objeto do Desejo de Adriane Pasa
02. Caetano, não seja velho coronel de Humberto Pereira da Silva
03. Suicídio, parte 2 de Marta Barcellos
04. Para viver de literatura de Marta Barcellos
05. Projeto Itália ― Parte II de Eduardo Mineo


Mais Guilherme Conte
Mais Acessadas de Guilherme Conte em 2005
01. Fantasmas do antigo Recife - 31/8/2005
02. Um rio para lavar a dor - 12/10/2005
03. Crônicas de solidão urbana - 30/6/2005
04. Sobre o gênio que é Harold Pinter - 26/10/2005
05. Rindo de nossa própria miséria - 21/9/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/9/2005
09h24min
Caro Guilherme Conte, percebo que, a cada dia, suas críticas estão mais encorpadas e reflexivas. Julgo que isso é fruto não apenas de um talento natural, mas também de um esmerado esforço em se debruçar, com afinco e cuidado, sobre a cena teatral paulistana. Parabéns. Abraços e a estima de Rodrigo Antonio.
[Leia outros Comentários de Rodrigo Antonio]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INVESTIMENTO EM AÇÕES
GIL ARI DESCHATRE
THOMAS NELSON BRASIL
(2009)
R$ 25,00



AMÉRICA LATINA: DA CONQUISTA À NOVA EVANGELIZAÇÃO
LEONARDO BOFF
ÁTICA/ SP.
(1992)
R$ 51,90



A REVOLTA DOS FANTASMAS
CLAUDIO THEBAS
LE
(1964)
R$ 9,90



FREI VON ANGST
PETER STIEGNITZ
ORIGINALAUSGABE
(1981)
R$ 20,00



OBJETO NA ARTE BRASIL ANOS 60
DAISY VALLE MACHADO PECCININI
FAAP
(1978)
R$ 250,00



PAIS E FILHOS VIVENDO A MISSA
BERNARDO CANSI
PAULINAS
(1979)
R$ 8,00



COMO TRATAR SEU GATO, ALIMENTAÇÃO, VARIEDADES, DOENÇAS E TRATA..
ALISOON WENLOCK
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1995)
R$ 54,68



CONTABILIDADE AVANÇADA - TEXTO E TESTES COM AS RESPOSTAS
JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR
ATLAS
(1997)
R$ 20,00



NINA CONTA SEUS CAUSOS
JOÃO MILTON ANANIAS
LETRAS DO PENSAMENTO
(2014)
R$ 10,00



A AMAZÔNIA E O PETRÓLEO
ROMEU M. CABRAL
FULGOR
(1960)
R$ 9,00





busca | avançada
55141 visitas/dia
1,1 milhão/mês