Um Amor Anarquista | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Waldstein por Andsnes
>>> Festival de Inverno Ouro Preto
>>> Para gostar de ler
>>> Dos livros que li
>>> O legado de Graciliano Ramos
>>> Mané, Mané
>>> Ele é o Rei
>>> Corpos
>>> Dialogando com o público leitor
>>> O fim do futebol-arte?
Mais Recentes
>>> Gestão de Resíduos Sólidos - o Que Diz a Lei de Carlos Roberto Vieira da Silva Filho pela Trevisan (2015)
>>> Química Geral e Reações Químicas - Volume 1 de John C. Kotz - Paul M. Treichel pela Ltc (2002)
>>> Sétimo de Andre Vianco pela Novo Seculo (2009)
>>> O Clube Do Trico de Kate Jacobs - Carolina Mesquita pela Amarilys (2010)
>>> Filhos Do Imperador de Claire Messud pela Nova Fronteira (2008)
>>> Os Acidentes Do Trabalho Na Nova Nr-12 de Valmir Inácio Vieira pela Ltr (2013)
>>> A Batalha Do Labirinto - Percy Jackson E Os Olimpianos Livro 4 de Rick Riordan pela Intrinseca (2010)
>>> Um Buldogue Frances de Ana Paula De Abreu pela Pequeno Viajante (2020)
>>> Avaliação Em Educação Infantil 3 de Mara Krechevsky pela Artmed (2001)
>>> O Trem Contra O Tubarão de Chris Barton pela Paz E Terra (2013)
>>> A Rainha Do Norte de Joana Estrela pela Sesi-sp Editora (2018)
>>> Vygotsky Em Foco de Harry Daniels pela Papirus (1994)
>>> Investimentos: Como Administrar Melhor Seu Dinheiro de Mauro Halfeld pela Saint Paul (2001)
>>> Manual Prático dos Atos de Polícia Judiciária Militar de Alexandre Henriques da Costa pela Suprema Cultura (1902)
>>> Substância Intemporal (contos fantásticos) série novos talentos de Messias Roberto Mendes dos Reis pela Imprensa Oficial (2001)
>>> Entre A Surdez E A Língua de Silvana Elisa De Morais Schubert pela Prismas (2015)
>>> Generos Orais E Escritos Na Escola de Joaquim Dolz pela Mercado De Letras (2004)
>>> Achei! de Zoe Rios pela Rhj (2011)
>>> Biologia Celular Y Molecular de Eduardo D. P. De Robertis, Jose Hib, Roberto Ponzio pela El Ateneo (2008)
>>> Histórias Bíblicas - Embalagem Econômica - Kit Com 8 Livros de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Mimesis de Erich Auerbach pela Perspectiva (2013)
>>> Assim Falou Zaratustra - coleção obra prima de cada autor 22 de Friedrich Nietzsche pela Martin Claret (2000)
>>> O Anticristo - coleção a obra prima de cada autor 50 de Friedrich Nietzsche pela Martin Claret (2000)
>>> Guia de Brechós no Rio de Janeiro de Manuela Borges pela Memória Visual (2010)
>>> Alma de Sangue - o Despertar do Vampiro de Nazarethe Fonseca pela Novo Século (2005)
COLUNAS

Sexta-feira, 30/9/2005
Um Amor Anarquista
Marcelo Spalding
+ de 13700 Acessos

Como a filha de Adele, Um Amor Anarquista (Record, 2005, 250 págs.) não conhece seu pai. Há nele sinais evidentes de A Desobediência Civil, de Thoreau, Un Episodio d' Amore nella Colonia Cecília, de Giovanni Rossi, Anarquistas Graças a Deus, de Zélia Gattai, O Anarquismo Experimental, de Cândido de Mello Neto, e até pitadas de Karl Marx e Marquês de Sade, entre tantos outros. Mas a esta criança carinhosa basta a mãe, no caso um homem, Miguel Sanches Neto, capaz de dar forma a um mosaico eclético e delicado.

Sanches Neto, considerado o melhor escritor da sua geração pela revista Veja após o lançamento de Um Amor Anarquista, nasceu pobre, perdeu o pai muito cedo, ficou em último lugar num concurso de redação no colégio, formou-se em Letras, mas não quis buscar o diploma, foi reprovado na seleção para o mestrado da UFRGS e hoje é doutor em literatura pela Unicamp, crítico literário, professor e escritor capaz de produzir respeitáveis haicais, contos, críticas, poesias e romances. Todo este biografismo para ressaltar a importância da pesquisa na obra, cuja relação entre realidade e ficção é tamanha que o leitor menos atento tomará cada linha por verdade histórica.

Do ponto de vista literário, Um Amor Anarquista é um filho simples e ordeiro, nem afetado nem genial. O discurso apresenta léxico comum, narrador onisciente na maior parte do tempo, índices entre capítulos sob forma de cartas, feedback inicial introduzindo uma ordem linear, herói hierarquicamente bem definido, elipse de anos no final, muitas lágrimas, muitas declarações de amor, muita fome e muitos sonhos. Pode-se dizer que é esta uma síntese do imigrante italiano: lágrimas, declarações, fome e sonhos. Mas faltam ousadias formais, como a aplicação de conceitos anárquicos mesclados aos românticos, quebra da hierarquia entre as personagens, rompimento da linearidade narrativa, liberdade lingüística.

Se por um lado estas ausências tornam algumas cenas previsíveis, por outro preservam o entendimento da história. E eis o grande mérito de Sanches Neto: contar uma boa história, densa, polêmica, clara, onde o narrador não é o centro das atenções, muito menos o autor.

A história se passa num tempo em que anarquismo ainda não era sinônimo de desordem. Giovanni Rossi, intelectual italiano, idealiza uma comunidade experimental na América do Sul, onde aplicaria os princípios socialistas não só à produção, mas também às relações pessoais e amorosas. Seria a primeira experiência do amor livre. O problema é que as poucas mulheres da colônia não estão dispostas a tal prática, e os solteiros têm urgência de amor. As casadas mantêm-se voluntariamente presas ao marido como se este fosse um patrão, os pais não aceitam que as filhas se percam numa vida insegura e errante, enquanto algumas meninas solteiras trocam favores sexuais por presentes, prática abominada por Rossi. A pobreza do lugar e o mau comportamento de alguns imigrantes são reflexos e conseqüência dessa falta de amor (na verdade, de sexo), enquanto o comportamento de pais e maridos em relação a suas mulheres se mostra uma incômoda evidência de que os princípios anarquistas ainda eram utopias distantes. E neste ambiente Rossi conhece Adele, uma italiana socialista, casada e disposta a quebrar preconceitos e adotar o amor livre, beneficiando justamente Rossi, por quem se apaixona.

A Colônia Cecília, pano de fundo para esta história de amor, existiu de fato entre os anos de 1890 e 1894 em Palmeira, cidade do Paraná, tornando-se célebre pela obra Anarquistas, Graças a Deus, de Zélia Gattai (filha de um dos fundadores da colônia). No entanto, diferentemente de Zélia, e também de Afonso Schmidt e Cândido de Mello Neto, o autor paranaense não volta à Colônia Cecília para resgatar valores anarquistas (como pode parecer pelo título e pela concepção da obra), mas sim para questionar a família sob a égide do amor livre. No passado, Escolina trocava marido e filho por noites de amor com Colli, sem deixar de amar Lorenzo e com consentimento deste. Hoje, enquanto num canto da cidade meninas bem arrumadas trocam de namorado a cada noite - ou casais lotam as casas de swing - noutro canto jovens bem sucedidos e com as lições capitalistas na ponta da língua fazem hora extra para enriquecer mais e pagar pelo conserto de seus carros importados com bancos de couro. Pelos pôneis da filha. Tudo em nome da família.

A pergunta "seria constrangedor não conhecer a paternidade de um filho que você viesse a ter?", feita por Rossi a Adele, é, por isso, o ponto alto do livro, ou pelo menos a síntese de suas indagações. E ainda hoje não se tem uma resposta rápida e tranqüila. Mesmo cem anos depois do episódio na Colônia Cecília, depois da ascensão e queda do Comunismo na Rússia, de duas guerras mundiais, da renovação da Igreja, do Maio de 68 e de Woodstock, o debate sobre o papel da família chega renovado ao século XXI. O que não ocorre, infelizmente, com o debate sobre o socialismo, enterrado pelas cabeças pensantes - ou pelos bolsos mandantes - do novo tempo.

Aliás, do ponto de vista ideológico, o narrador não deixa muita margem para ilusões. Chega a afirmar: "era isso a vida, não deixava espaços para sonhos". Para ele, a Colônia Cecília é uma alegoria semelhante à Nova Birobidjan, de Scliar, ou à Granja do Solar, de Orwell, onde os paradoxos e defeitos não só diminuem como eliminam as virtudes do ideal socialista.

Assim, mais longe do Manifesto Comunista do que de Dom Casmurro, Sanches Neto faz não a melhor das literaturas - como se tem escrito por aí - mas credencia sua história a figurar ao mesmo tempo nas prateleiras dos canônicos e na vitrine das livrarias.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 30/9/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Epitáfio do que não partiu de Luís Fernando Amâncio
02. Eleições na quinta série de Luís Fernando Amâncio
03. É um brinquedo inofensivo... de Cassionei Niches Petry
04. A situação atual da poesia e seu possível futuro de Luis Dolhnikoff
05. É breve a rosa alvorada de Elisa Andrade Buzzo


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2005
01. 10 sugestões de leitura para as férias - 20/12/2005
02. Um Amor Anarquista - 30/9/2005
03. Bang bang: tiroteio de clichês - 18/10/2005
04. Sopro de haicai em Flauta de Vento - 25/11/2005
05. Dois mil e cinco: o primeiro ano pós-esperança - 9/12/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Enigma Da Chegada
V. S. Naipaul
Companhia Das Letras
(1994)



Primeiro caderno de Flauta-Block - Músicas e Exercícios
Maria Aparecida Mahle
Irmãos Vitale
(1959)



A Comida Em Cena
Uliana Kuczynski
Novas Edições Academicas
(2015)



Educação não Formal e Cultura Política
Maria da Gloria Gohn
Cortez
(2011)



The Federalist - a Comentary on the Constitution of the United States
Henry Cabot Lodge
G. P. Putnams Sons



Desenhos Drawings - Vida Animada
Roy Lichtenstein
Artepadilha
(2006)



A Bússola de Ouro
Philip Pullman
Objetiva
(2007)



Um Diario Imperial
Gloria Kaiser
Reler
(2005)



Os Pioneiros do Desenho Moderno de William Morris e Walter Groupius
Nikolaus Pevsner
Martins Fontes
(1980)



Toxina 511
Robin Cook
Record
(1999)





busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês