Dois mil e cinco: o primeiro ano pós-esperança | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
39766 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> El sueño de la razón
>>> Machado de Assis dos folhetins ao Orkut
>>> Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão
>>> Daumier, um caricaturista contra o poder
>>> Daumier, um caricaturista contra o poder
>>> Curtas e Grossas
>>> Ribamar, de José Castello
>>> Whoopee
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Os Romances de Mainardi
Mais Recentes
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Íntriseca (2013)
>>> O anjo do Adeus de Ignacio de Loyola Brandão pela Global (1995)
>>> Iniciação ao Direito do Trabalho de Amauri Mascaro Nascimento pela LTr (2005)
>>> O verde Violentou o Muro de Ignacio de Loyola Brandão pela Global (1984)
>>> o Dia em Que Comeram o Ministro de Fausto Wolff pela Codecri/ RJ. (1982)
>>> o Dia em Que Comeram o Ministro de Fausto Wolff pela Codecri/ RJ. (1984)
>>> Nancy Maria Mendes de Apesar do Tempo... pela Scriptum/ Belo Horiznte
>>> Recados da Lua - Amor e Romantismo de Helena Jobim pela Record/ RJ. (2001)
>>> Inovação -A Arte de Steve Jobs de Carmine Gallo pela Lua de Papel (2010)
>>> Machado de Assis de Augusto Meyer pela Globo/ Porto Alegre (1935)
>>> Os Putos de Altino Total pela Livr. Sá daCosta/ Lisboa (1980)
>>> Vinte E Quatro Horas na Vida de uma Mulher e outras Novelas de Stefan Zweig pela Record/ RJ. (1999)
>>> Empresas de ComércioInternacional: Organização e Operacionalidade de Dalton Daemon pela Edit. da FURBE (1993)
>>> Princípios e procedimentos notariais de Odelmir Bilhalva Teixeira pela Russell (2009)
>>> Elogio da Loucura de Erasmo de Roterdam pela Ediouro/ RJ.
>>> Os Possessos 2 Volumes de Dostoiewsky pela Livraria Progredior Porto
>>> Em Busca da Arca de Noé de Dave Balsiger Charles E. Sellier Jr pela Record (1976)
>>> Noite de Erico Verissimo pela Globo (1954)
>>> O Discípulo de Paulo Bourget pela Irmãos Pongetti (1944)
>>> O mito da neutralidade científica de Hilton japiassu pela Imago (1975)
>>> Curso de direito civil brasileiro 7 volume responsabilidade civil de Maria helena diniz pela Saraiva (2001)
>>> Patrícia Bins de Janela do Sonho pela Nova Fronteira/ RJ. (1986)
>>> Introdução ao estudo do direito de Tercio sampaio ferraz jr pela Atlas (1994)
>>> Themen 2- Lehrwerk Für Deustsch als Fremdsprache - Kursbuch de Hartmut Auderstrabe/ Heikop Bock/ Helmut Müller pela Max Huber/ EPU (1993)
>>> Organon da arte de curar de Samuel hahnemann pela Ihfl (1995)
>>> Noite na taverna de Alvares de azevedo pela Klick
>>> Mini) Reforma Tributária: Reflexões Sobre a Lei N. 10. 637/2002 (... de Fábio Junqueira de Carvalho (...) Coord. pela Mandamentos (2003)
>>> Vademecum do direito de família e sucessões de Márcia Cristina Ananias Neves pela Jurídica brasileira (2006)
>>> Guida Allo Studio Della Linguistica Storica (i) Profilo Storico... de Benvenuto Terracini pela EdizioneDell Ateneo/ Roma (1948)
>>> Curso de direito civil brasileiro 5 volume direito da família de Maria helena diniz pela Saraiva (2000)
>>> Escola, Estado e sociedade de Bárbara freitag pela Corte (1979)
>>> Las Lenguas y los Pueblos Indoeuropeos - Con Mapas En Colores de P. Kretschmer y B. Hrozný pela Madrid (1934)
>>> La Parola Quale Mezzo D Espressione de Vittorio Bertoldi pela Raffaele Pironte & Figli/ Ital (1946)
>>> Archivio Glottologico Italiano (vol. X L - Fascícolo I) de Benvenuto Terracini/ Bruno Migliorini...Diretto pela Casa Editrice Felice Mounier/ Firenze (1955)
>>> Archivio Glottologico Italiano (vol. X L - Fascícolo I I) de Benvenuto Terracini/ Bruno Migliorini: Diretto pela Casa Editrice Felice Mounier/ Firenze (1955)
>>> O Abismal de Maria Helena Nóvoa pela Melhoramentos/ Bienal Nestlé (1986)
>>> Prática dos registros públicos de Ozeias J. Santos pela Fapi (2007)
>>> Fordlândia de Eduardo Sguiglia pela Iluminuras (1997)
>>> Não Verás Nenum País Como Este: Um Relato Cronlógico da Violência e do Arbítrio - A Censura, As Negociatas, a Corrupção Impune de Sebastião Pereira da Costa pela Record/ RJ. (1992)
>>> Novo Código civil explicado e aplicado ao processo 2 volumes de Wilson Gianulo pela Jurídica brasileira (2006)
>>> Novo dicionário de economia de Organização; Paulo Sandroni pela Best Seller (1998)
>>> Um Velho Velhaco e Seu Neto Bundão de Lourenço Cazarré pela Atual/ Sp. (1993)
>>> A Vingança do Timão de Carlos Moraes pela Brasiliense/ SP (1982)
>>> Um Herege Vai ao Paraíso: Cosmologia de um Ex- Colono Condenado P/ Inquisição (1680-1744) de Plínio Freire Gomes pela Companhia das Letras/SP. (1997)
>>> Sociedade pós-capitalista de Peter Drucker pela Pioneira (1999)
>>> Um Chute na Rotina: os Quatro Papéis Essenciais do Processo Criativo de Roger Von Oech/ Ilustr. C. Scatamacchia pela Cultura Editores Associados (1998)
>>> Um Toc na Cuca: Técnicas para quem quer Ter Mais Criatividade na Vida de Roger Von Oech/ Ilustr. C. Scatamacchia pela Cultura Ed. Associados (1990)
>>> A filosofia na obra de Machado de Assis de Miguel Reale pela Pioneira (1982)
>>> La Rose du Peuple - La poésie de Carlos Drummond de Andrade de Dionysio Toledo- Wander Mello de Miranda- Celso Libânio (orgs.) pela Ufmg (2019)
>>> Cristianismo e Espiritismo de Léon Denis pela Feb (1994)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2005

Sexta-feira, 9/12/2005
Dois mil e cinco: o primeiro ano pós-esperança
Marcelo Spalding

+ de 2700 Acessos

Em 2005 caiu o muro de Berlim brasileiro. Seus tijolos eram de sonhos, projetos, ideais, utopias. Muitos o viam vermelho com estrelas amarelas. Mais do que dividir povos, um muro que marcava a existência de um outro lado, uma alternativa. Mas o muro caiu. Ruiu. O de lá e o de cá. Não porque os lados tenham deixado de ser diferentes, muito menos porque um deles tenha descoberto a fórmula da igualdade. Simplesmente não há mais alternativa.

Se o socialismo utópico se transformou na temida face de Lênin, se a ilusão da igualdade virou a aparente pobreza dos cubanos, se o símbolo de prosperidade e sucesso é uma BMW na garagem e um cartão de crédito internacional, o muro tinha que cair. E até que no Brasil demorou muito.

Não que em dois mil e cinco tenha se inventado a corrupção. Mas se conseguiu dar a impressão de que ela é inerente ao governo, qualquer governo, e assim se tirou do povo, daquele sem internet e que só sabe votar e ver Jornal Nacional, trabalhar e receber alguns mínimos, quando muito, se tirou dessa gente a esperança. Não era a estrela, não era o partido, não eram as pessoas nem o metalúrgico. Era a possibilidade de ser diferente um dia.

Porque mais do que denúncias divulgadas e multiplicadas por televisões, rádios, jornais, revistas - sempre as mesmas, mas ainda muito eficientes na tarefa de divulgar e multiplicar -, vimos a esquerda de nosso país transformar-se numa Heloísa Helena caricata, gritona e de dedo em riste contra Lula, Dilma, Paim e todos os que um dia estiveram ao lado dela, um dia foram pobres, um dia foram o outro lado do muro.

Pelo menos o mesmo país que derrubou seu muro - anos depois do mundo "civilizado" o ter feito - foi brilhante na defesa de um direito fundamental para todos, dos pobres e pretos aos pobres e brancos, dos ricos e pretos aos ricos e brancos. Não, não é o direito à educação, saúde, alimentação, livros, futebol, pão e circo. É o direito a ter uma arma. O direito de defender-se à bala. O direito à justiça, ainda que com as próprias mãos.

Muito da culpa é nossa. Nós, a burguesia, nós que temos internet, acessamos sites de textos com cinco mil caracteres, sabemos ler, escrever e pensar. A burguesia que não apenas vota como discute política, a burguesia que faz a mídia, as mídias. Então menos do que lamentar o ano que termina, deveríamos pensar sobre nossa vã existência, ainda que assistindo Jardineiro Fiel no DVD de nossa casa, imunes ao calor da rua e dos povos pelo ar-condicionado.

Nesse momento talvez devêssemos pensar em como será o ano da pós-esperança. Como será um ano sem o Jefferson na Câmara para cassar o Dirceu, um ano em que até a CPI já chega cansada dos arroubos do Malvadeza Neto?

Dois mil e seis será um ano de Eleições, isso é certo. Um ano em que terá de se eleger os neocorruptos ou os mesmos corruptos de sempre, estes posando como defensores da moralidade e da ordem pública. Talvez surja uma vassoura como a de Jânio ou um caçador de marajás collorido. O que não vai haverá é o outro lado, a não ser aquele de dedo em riste e cabelo preso visitando a Hebe.

Será um ano de Copa, e por um mês seremos o melhor país do mundo, o país de craques milionários e consagrados como o Ronaldinho Gaúcho, o país de times centenários, populares e falidos como aquele que - ironia do destino - formou o Ronaldinho Gaúcho.

Será um ano de instabilidade econômica. De mortes no trânsito. De arroubos verbais do Bush. Arroubos verbais do Chávez. Lições de moral do Fernando Henrique. Progressos da China. Mortes da África.

Dois mil e seis será um ano como todos os outros. Uma certeza tão óbvia e tão dura com a qual nós, brasileiros, precisamos nos acostumar.

Literatura
Para não dizer que não falei de flores, ou de livros, num site em que escrevo para isso. Mas se não falei de literatura no topo do artigo, e o deixei para cá, quase no rodapé, é por uma humilde certeza de que literatura não dá manchete, não desperta multidões nem gera acessos. E se torna uma instituição cada vez mais respeitada e menos popular.

Não é culpa da mídia nem das pessoas nem das professoras mal pagas que não conhecem literatura e não têm como fazer seus alunos conhecerem. Em parte é a própria literatura que se acostumou a viver em academias como se fossem mosteiros, e de lá sair uma voz apenas para criticar o novo best-seller. Ou premiar a unanimidade. Mas o fato é que a literatura está muito distante da gente contemporânea, e aqui não falo mais de gente pobre ou rica ou preta ou branca. A literatura está se distanciando do executivo que senta em frente ao DVD, liga o ar condicionado para ficar imune ao calor da rua e dos povos e assiste O Jardineiro Fiel. Distante dos intelectuais que debatem num bar o futuro sombrio de uma esquerda caricata. Distante dos vestibulandos obrigados a decorar Eça de Queirós.

Mas é graças a Deus ou a Saramago (gente como ele, não apenas ele), que a produção literária continua intensa, em quantidade e qualidade, como se escrever fosse tão lucrativo quanto desfilar maquiada e pelada nas passarelas de Milão. Só em Porto Alegre mais de mil e quinhentos autores deram autógrafos na Feira do Livro. E as prateleiras das livrarias não param de abarrotar-se à exaustão.

Entretanto, diferente da política e porque literatura não dá manchete, demorará uns cinco anos para sabermos o que de melhor as letras de dois mil e cinco produziram para a posteridade. Nesse momento eu arriscaria em Saramago com As Intermitências da Morte pelo nome canônico mas também pela qualidade da obra, que põe o dedo em feridas variadas e antigas como a Igreja, as pessoas, a vida, a morte e a palavra, esta que usamos para dizer o que é bom ou ruim, para decretar o fim da esquerda e para sugerir que os povos devam se "endireitar".

Prometo tentar, dois mil e seis. Prometo tentar desde que você não nos brinde com mais um Malvadeza.


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 9/12/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras de Elisa Andrade Buzzo
02. Seis meses em 1945 de Celso A. Uequed Pitol
03. Como uma Resenha de 'Como um Romance' de Duanne Ribeiro
04. O Que Podemos Desejar; ou: 'Hope' de Duanne Ribeiro
05. A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius de Elisa Andrade Buzzo


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2005
01. 10 sugestões de leitura para as férias - 20/12/2005
02. Um Amor Anarquista - 30/9/2005
03. Bang bang: tiroteio de clichês - 18/10/2005
04. Sopro de haicai em Flauta de Vento - 25/11/2005
05. Dois mil e cinco: o primeiro ano pós-esperança - 9/12/2005


Mais Especial Melhores de 2005
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ENGLISH WAY 17 8889
DIVERSOS
ABRIL
R$ 10,00



MARCEL PROUST PARA ALÉM DAS MADELEINES
MICHELLE JACOB
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 489,00



A ÁGUA E OS SERES VIVOS
MASSAO HARA
SCIPIONE
(1990)
R$ 19,90
+ frete grátis



AS MUTAÇÕES DO CINEMA NO TEMPO DO VÍDEO
MANUEL CARVALHEIRO
LIVROS HORIZONTE
(1989)
R$ 47,77



26 GRANDES MESTRES DA LITERATURA POLICIAL
ROSS PYNN
EDITORIAL IBIS
(1965)
R$ 60,00



SIPHILIS - MOLÉSTIA E TERMO - ATRAVÉS DA HISTÓRIA
AFRANIO DO AMARAL
INSTITUTO NACIONAL DO LIVRO
(1959)
R$ 39,00



EL MANIERISMO
ARNOLD HAUSER
EDICIONES GUADARRAMA
(1965)
R$ 13,30



ESTUDO AMBIENTAL DE UMA ÁREA DE MANGUEZAL NO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA(PA)
IVAN C. DA C. BARBOSA, REGINA C. S. MÜLLER UND JOSÉ F. BERRÊDO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



A GRANDE DESCOBERTA - NOVO TESTAMENTO VIVO
CEMEAR
CEMEAR
(1994)
R$ 5,00



A VERSÃO DE BARNEY
MORDECAI RICHLER
CIA DAS LETRAS
(2008)
R$ 12,00





busca | avançada
39766 visitas/dia
1,0 milhão/mês