Um raio-x da violência | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
24586 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
>>> Quando a alma é visível
>>> A MECÂNICA CELESTE
>>> Diagnóstico falho
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O discreto charme dos sebos
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Animismo
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Entrevista com André Fonseca
>>> Google: utopia ou distopia?
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> A Casa do Saber no Rio de Janeiro
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
Mais Recentes
>>> Sherlock Holmes - The complete facsimile edition de Arthur Conan Doyle pela Wordsworth Classics (1989)
>>> Pride and Prejudice and Zombies - The Graphic Novel de Jane Austen, Seth Grahame-Smith pela Quirk Classics (2010)
>>> Eating Animals de Jonathan Safran Foer pela Hamish Hamilton (2009)
>>> O desejo da escrita em Italo Calvino: para uma teoria da leitura de Rita de Cássia Maia e Silva Costa pela Companhia de Freud (2003)
>>> Lacrimae rerum: ensaios sobre cinema moderno de Slavoj Zizek pela Boitempo (2009)
>>> Ideografia dinâmica: para uma imaginação artifical? de Pierre Lévy pela Instituto Piaget (1997)
>>> Harry Potter and the Half-Blood Prince de J. K. Rowling pela Bloomsbury (2005)
>>> Orlando de Virginia Woolf pela Wordsworth Classics (2003)
>>> History of the Peloponnesian War de Thucydides pela Penguin Classics
>>> Manual do Roteiro de Syd Field pela Objetiva (2001)
>>> O mundo assombrado pelos demônios de Carl Sagan pela Companhia de Bolso (2016)
>>> Romeo and Juliet - Original + Inglês contemporâneo de William Shakespeare pela Lorenz Educational Publishers (2003)
>>> A hora da estrela de Clarice Lispector pela Rocco (1999)
>>> Guia Prático da Tradução Francesa de Paulo Rónai pela Nova Fronteira (1983)
>>> Reparação de Ian McEwan pela Companhia das Letras (2002)
>>> The Child in Time de Ian McEwan pela Vintage (1992)
>>> O Senhor dos Anéis - As Duas Torres de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2000)
>>> O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (1999)
>>> 1984 - em inglês de George Orwell pela Penguin/Signet Classic
>>> Diary de Chuck Palahniuk pela Random House (2003)
>>> Pigmy de Chuck Palahniuk pela Anchor Books (2009)
>>> Tell-All de Chuck Palahniuk pela Anchor Books (2010)
>>> Damned de Chuck Palahniuk pela Anchor Books (2011)
>>> L'arrache coeur de Boris Vian pela Livre de Poche (1976)
>>> Musashi - Vol. 1 de Eiji Yoshikawa pela Estação Liberdade (1999)
>>> Tim Burton de Antoine de Baecque pela Cahiers du Cinéma (2011)
>>> O Jardim das Ilusões de Susan Trott pela Círculo do Livro (1992)
>>> Hermenêutica e Unidade Axiológica da Constituição de Glauco Barreira Magalhães Filho pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2004)
>>> Elizabeth Levanta Vôo de Elizabeth Taylor pela Círculo do Livro (1988)
>>> O Verão de Katya de Trevanian pela Círculo do Livro (1983)
>>> Dias na Birmânia/ Capa Dura de George Orwell pela Círculo do Livro (1988)
>>> Os Monstros da Alma de Athur Thompson pela Bruguera (1965)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Changing Their Skies: Stories From Africa - Oxford Bookworms Stage 2 de Steve Chimombo (...) Retold By Jennifer Bassett pela Oxford University Press (2008)
>>> Direito Constitucional da Educação de José Luiz Borges Horta pela Decálogo/ Belo Horizonte (2007)
>>> Direito Constitucional da Educação de José Luiz Borges Horta pela Decálogo/ Belo Horizonte (2007)
>>> Direito Constitucional - Tomo I/ Capa Dura de José Luís Quadros de Magalhães pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Diários do Vampiro - Reunião Sombria de L. J. Smith pela Galera Record (2011)
>>> Acima de Qualquer Suspeita de Scott Turow pela Record (1987)
>>> Poder Constituinte e Patriotismo Constitucional de Marcelo Cattoni pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2006)
>>> Acima de Qualquer Suspeita de Scott Turow pela Altaya/Record (1996)
>>> Enterrem-me de Botas (Tóxicos o sub-mundo dos tóxicos visto e vivido por uma adolescente) de Sally Trench pela Paulinas (1979)
>>> O Supremo Tribunal Federal e as Constituições Brasileiras de Luís Carlos Martins Alves Jr. pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2004)
>>> As Aventuras de Tom Sawyer (Grandes Sucessos) de Mark Twain pela Abril Cultural (1980)
>>> O Assassino Dentro de Mim de Jim Thompson pela Paulicéia (1991)
>>> A Era da Incerteza de John Kenneth pela Universidade de Brasil (1980)
>>> A Ideologia do Trabalho de Paulo Sérgio do Carmo pela Moderna (1993)
>>> A cabana do Pai Tomás de E. B. Stowe (Tradução Mario Gardelin) pela Paulinas (1966)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/1/2006
Um raio-x da violência
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 2100 Acessos

As notícias sobre crimes nos jornais e na TV causam desconforto na população, e surpreendem até mesmo os mais calejados com o chamado mundo-cão (repórteres, apresentadores de TV dos programas sensacionalistas e também policiais civis e militares). Só neste mês de janeiro, na semana em que escrevo esta coluna, os jornais destacam: a tentativa frustrada de resgate de presos no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes (foram apreendidos mísseis e armas de grosso calibre); uma série de atentados às bases da Polícia Militar em São Paulo (foram feitos inúmeros disparos em direção às cabines); sem mencionar a prisão dos envolvidos no caso do incêndio a um ônibus no Rio de Janeiro. Como se vê, a gravidade dos crimes já não pode mais ser medida segundo o mais estarrecedor. Em verdade, as atrocidades até mesmo se igualam pelos requintes de crueldade, seja pelo número de mortos, seja pela "modalidade" de crime escolhido. Para entender a lógica dos assassinatos, o jornalista Bruno Paes Manso assina O Homem X (Record, 2005, 364 págs.), livro-reportagem que busca trazer à luz a alma do assassino em São Paulo.

O fato de ser um livro-reportagem (cujo título é uma alusão à série X-Men, graças ao depoimento de um entrevistado) pode fazer com que os leitores imaginem um texto mais enviesado e estilístico, uma vez que está livre das amarras dos manuais de redação dos jornais, abrindo, assim, espaço para uma verve literária. De fato, muitos jornalistas enveredam por esse caminho, talvez mais atraente, porém quase sempre subjetivo e repleto de imperfeições conceituais que, grosso modo, são esquecidas pelos críticos porque a forma de contar a história é bonita. Para o bem ou para o mal, Bruno Paes Manso manda o novo-jornalismo às favas. Faz, antes, um trabalho árduo de pesquisa e apuração que dá conta do tema de maneira fora do comum. Nesse caso, há de se levar em conta o fato de o autor utilizar como metodologia de pesquisa jornalística os parâmetros da academia. O resultado, assim, é um ensaio acadêmico com tema de relevância geral e com linguagem acessível.

Desde o início, o autor apresenta para o leitor qual é o tema de sua pesquisa, mas não pára por aí. Uma vez relatado o objetivo a ser alcançado, Paes Manso sai à cata dos elementos necessários para transformar a idéia em texto; a intenção em conclusão; o abstrato em real. Desse modo, os números, que, na maioria das vezes, funcionam mais como peça decorativa do que documento ilustrativa são interpretados de maneira a evidenciar a gravidade de alguns casos, assim como o absurdo de outros. Boa parte dos leitores se surpreende ao descobrir que a violência, em determinadas áreas da cidade, está de igual para igual com algumas regiões dos Estados Unidos. Da mesma maneira, os índices nas regiões mais calamitosas, como Parelheiros, atinge a incrível marca de 106 mortos para cada 100 mil habitantes.

Além dos números, o jornalista calibra a reportagem com o relato dos principais personagens do livro: os próprios assassinos. Para isso, Paes Manso quebra o protocolo e vai encontrá-los. Aqui, provavelmente, o código de ética jornalístico provavelmente diria que o repórter foi imprudente ao se expor. Em outro momento, não só o código de ética, mas a patrulha do jornalismo politicamente correto também diria que Paes Manso errou ao manter o nome dos envolvidos em sigilo, respeitando o desejo de sua fonte. Nos dois casos, muito embora o autor tenha plena consciência disso, é como se seu trabalho respondesse: "a teoria, na prática, é outra".

Jornalismo de interpretação
Entre todas as virtudes, a que mais se destaca é a aposta interpretativa feita por Bruno Paes Manso. Graças a seu respaldo intelectual, o jornalista é capaz de desvendar as falácias elementares que constituem o discurso raso da maioria dos formadores de opinião e também da sociologia pseudo-humanista, aquela que formula a intelligentsia das ONGs e dos grupos de direitos humanos. Em outras palavras, Paes Manso analisa os crimes para além de querer justificar a intenção dos assassinos, mas não cessa de buscar as causas que direcionam as pessoas a cometerem tais crimes.

É o que se observa o autor quando analisa o argumento de alguns assassinos quando estes tentam explicar a razão de seus crimes. No caso, alguns entrevistados alegam que, na primeira vez, matam num ato impensado, como se não tivessem premeditado a ação. Daí, o argumento fácil de muitos analistas é o de minimizar esses crimes, como se fossem de menor gabarito. Paes Manso descarta esse argumento. "O sujeito não mataria simplesmente porque estava bêbado, por não ser civilizado e não conter seus impulsos, mas porque acredita que matar faz parte das regras do jogo e lhe traz benefícios, crença que o leva a tomar decisões incompreensíveis para quem observa de fora. (...) é forte a cultura da justiça privada".

De fato, essa cultura da justiça privada, segundo o autor, é, num primeiro momento, fomentada pelas organizações criminosas, mas o motor dos assassinatos prossegue independente das bancas ou das máfias, pelo menos em São Paulo. E isso está indicado nos dados (novamente as estatísticas) apresentados na reportagem. Segundo consta, a maioria dos homicídios tem como principal causa um problema pessoal, e não uma questão ligada ao pagamento de dívidas ou a guerras de gangues, como ocorre no Rio de Janeiro.

A comparação com o Rio de Janeiro, aliás, é precisa, conforme mostra o autor, para não só acentuar as diferenças como também para entender a complexa engrenagem do crime. Tomando como base os primórdios da violência no país, ainda no século XX, Paes Manso explica como o crime evoluiu de um modus operandi mais amador, quase ingênuo, numa época em que se matava por crimes ligados à honra (lembrar da história de Euclides da Cunha e seu algoz, Dilermando) a um período em que a vida está tão banalizada que a chacina se justifica simplesmente pelo seu custo benefício.

Homem X é um livro que tinha tudo para ser mais uma tese repleta com os clichês da academia e o discurso dos Direitos Humanos sobre a violência. Felizmente, não é. A obra dá um panorama ímpar e completo do atual estado de coisas da criminalidade - dos assassinatos, sobretudo - na cidade de São Paulo. Uma reportagem para ler com atenção e sem medo.

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 19/1/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. América Latina, ainda em construção de Heloisa Pait
02. Um software em crise existencial de Wellington Machado
03. Discutir, debater, dialogar de Duanne Ribeiro
04. O caminho rumo ao som e a fúria de Luiz Rebinski Junior
05. Mini-cartografia do prazer gastronômico paulistano de Adriana Baggio


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2006
01. Orgulho e preconceito, de Jane Austen - 5/5/2006
02. Por que quero sair do Orkut (mas não consigo) - 2/2/2006
03. Desejo de Status - 21/4/2006
04. As crônicas de Ivan Lessa - 30/3/2006
05. Google: aprecie com moderação - 2/3/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PLATÃO E O ORFISMO - DIÁLOGOS ENTRE RELIGIÃO E FILOSOFIA
ALBERTO BERNABÉ
ANNABLUME
(2011)
R$ 279,00



ADUBE SUA CARREIRA
GREG WRIGHT; ALAN A. VENGEL
GENTE
(2004)
R$ 15,00



HISTÓRIA DAS CIDADES BRASILEIRAS
ANTONIA TERRA
MELHORAMENTOS
(2012)
R$ 68,00



MALU E O PÔNEI DOS SONHOS - SUA MELHOR AMIGA NO MUNDO
ROS ASQUITH
FUNDAMENTO
(2010)
R$ 18,00



QUEM TEM MEDO DE VAMPIRO?
DALTON TREVISAN
ÁTICA
(2013)
R$ 9,78



MEDICINA PSICO-ESPIRITUAL (6517)
ANGELA MARIA LA SALA BATÀ
PENSAMENTO
(1980)
R$ 14,00



ARQUIVO DE CONDOMÍNIO: ESTUDOS NOS ACERVOS DOCUMENTAIS
TATIANE HELENA BORGES DE SALLES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



RADIOCHEMISTRY
AN. N. NESMEYANOV
MIR PUBLISHERS
(1974)
R$ 186,00
+ frete grátis



POR QUE VOCÊ NÃO SE CASOU... AINDA
TRACY MCMILLAN
L&PM
(2012)
R$ 10,00



PROJETO DO TRABALHO HUMANO (430)
INGEBORG SELL
UFSC
(2002)
R$ 25,00





busca | avançada
24586 visitas/dia
890 mil/mês