E-mail (devassado) para meu filho | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
47877 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Noga Sklar
>>> Tempo vida poesia 2/5
>>> The Social Network ou A Rede Social, o filme
>>> Só notícia boa
>>> Made in China
>>> Para ler o Pato Donald
>>> Prossiga
>>> Mozart 11 com Barenboim
>>> Para amar Agostinho
>>> Discos de MPB essenciais
Mais Recentes
>>> O Livro dos Sentimentos de Maria Isabel Borja e Márcio Vassallo pela Guarda-Chuva (2006)
>>> A Filosofia Rosa-Cruz de John Baines pela Artenova (1982)
>>> A Revolução Bipolar a Gênese e a Derrocada do Socialismo Soviético de Luis Fernandes pela Anita Garibaldi (2017)
>>> Educação e Crise do Trabalho de Gaudêncio Frigotto (org) pela Vozes (1998)
>>> Livro-Literatura brasileira. em dialogo com outras literaturas e outras linguagens de William Cereja pela Atual (2013)
>>> Notícias que marcam de Gustavo Carmo pela Giz (2006)
>>> Zola Amaro um soprano brasileiro para o mundo de Maria José Talavera Campos; Nicola Caringi Lima pela Ufpel (1998)
>>> Livro - Selva de batom de Candace Bushnell pela Record (2005)
>>> Discurso e Leitura de Eni Pulcinelli Orlandi pela Cortez (2001)
>>> Uma História de Ontem pelo Espírito Leone de Mônica Castrol pela ida & Consciência (2011)
>>> Livro - Quimica. volume 1- Quimica geral de Usberco Salvador pela Saraiva (2014)
>>> Gota D'Á|gua de Chico Buarque; Paulo Pontes pela Civilização Brasileira (2023)
>>> Alice no País dos Espelhos de Lewis Carroll pela Martin Claret (2009)
>>> Reuniões Mediúnicas de Therezinha Oliveira pela Allan Kardec (2005)
>>> Português Descomplicado de Carlos Pimentel pela Saraiva (2004)
>>> Livro - Filosofar com textos. temas e historia da filosofia volume unico. parte 1 de Maria Lucia de Arruda Aranha pela Moderna (2012)
>>> O Irmão Alemão de Chico Burque pela Companhia das Letras (2014)
>>> Inteligência Emocional de Daniel Goleman pela Objetiva (1995)
>>> Lavoura Arcaica de Raduan Nassar pela Companhia das Letras (2002)
>>> Flávia Souza Lima de Alguma Poesia - autografado pela Numa (2021)
>>> Mediações Históricas de Trabalho e Educação de Maria Ciavatta pela Lamparina (2009)
>>> O Enigma do Capital: Ponto de Vida Marxista de V. Chemiaténkov pela Progresso (1985)
>>> Jornal, História e Técnica - História da Imprensa Brasileira volume 1 de Juarez Bahia pela Mauad X (2009)
>>> The Complete Book of Motorcycles de Roger Hicks pela Tiger Books (1994)
>>> Motorcycle Classics de Grant Leonard pela Magna Books (1994)
COLUNAS

Quarta-feira, 12/4/2006
E-mail (devassado) para meu filho
Ana Elisa Ribeiro
+ de 6400 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Meu filho,

Tudo bem com você? A esta hora você já deve estar dormindo. Fico preocupada com seu sono. Espero que seu pai tenha fechado a janela e a persiana. Lastimo quando os mosquitos atacam você durante a noite. Lastimo os seus pesadelos. Também me preocupo com seu frio ou com seu calor. Se estiver quente demais, deixe de lado as cobertas. Jogue fora o lençol. Mas deixe tudo sempre à mão, para o caso de uma chuva súbita que esfrie o mundo. Se fizer frio, tome nas mãos a coberta e estenda-a sobre seu corpo. É melhor assim. Não tenha preguiça de fazer essa manobra. Vou lastimar se você se resfriar. Teremos que esperar que a gripe passe.

Amanhã, pela manhã, você vai acordar e eu não estarei aí. Será mais doce o dia, no entanto as saudades haverão de incomodar. Não pense nisso. Viva o dia com firmeza. Espante o desânimo. Quando se lembrar de mim, sinta um pequeno prazer abundante. Abra os olhos, certifique-se de que está em casa. A parede azul, o quadro azul, o boneco austríaco, o guarda-roupas. Levante-se e chame seu pai. Ele levará seu café-da-manhã na cama. Coma sozinho, mas olhe sempre para o dia pela janela. Peça a ele para abrir a persiana e fazer correr os vidros. Deixe o ar entrar, renove tudo. Deixe também a luz do Sol tomar conta do quarto. Observe: dá a sensação de que é uma vida nova. Diariamente.

Também é importante ouvir música. Pode ser irritante escolher um ritmo muito rápido. Selecione, com seu pai, uma música adequada para uma manhã de cores. Tentem uma voz feminina pulsante ou rouca. Uma diva, por exemplo. Alimentem-se disso enquanto tomarem café. Faça planos curtos, por enquanto.

Ao final da manhã, chegará a hora do almoço. Peça ao seu pai para preparar uma massa fina. Ele saberá o que fazer. Um molho rosado, verdes, folhas, ervilhas, palmitos. Diga a ele que está liberado o refrigerante, ao menos para os dias de prazer. Mas não exagere. Comam juntos, bem juntos. Não desgrudem os corpos um do outro. Não liguem a televisão. Antes que seu pai tenha essa idéia, tire o cabo de força da tomada. Ele terá preguiça de encontrá-lo. Falem de amor, de Sol, de planos que podem mudar. Lembrem-se da vovó, dos tios, das histórias de fadas, dos jogos cooperativos. Conte a ele que você quer água. Insinue que deseja tomar um banho. Escolha o sabonete. Pode usar o meu, verde, de limão e açúcar.

Peça ao seu pai para lhe oferecer uma sobremesa. A mais doce. Abram uma lata de doce de leite. Ou tome leite condensado no furo da lata. Ou pêssegos em caldas. Ou pudim. Ou chocolate com amêndoas. Ou não coma nada e vá se deitar. Peça ao papai que o acompanhe na sesta. Finjam que vestem chapéus de mexicano. Mudem a música. Liguem a tevê para assistir ao jornal. Mas, saiba: se ouvir uma notícia ruim, desligue e ouça uma música alegre.

À tarde eu voltarei. No final da tarde, quando o Sol fizer a última curva sobre a Serra do Curral, eu chegarei em casa. Faço questão que você olhe pela janela. Espere olhando na direção do portão. Quando ele se abrir, acompanhe, com os olhos, o carro preto passando sob os pilares do prédio. Ouça o ronronar do motor, meus passos na garagem, o ronronar, o alarme ativado. Espere pelo barulho do meu tênis nas escadas. E quando eu abrir a porta, finalmente, tenha no rosto aquele sorriso solar, diga "oi" com a entonação que aprendeu comigo e mire-me com o olhar que você tinha quando era bebê de um ano e meio.

Meu filho, se há algo que lamento muito é que não tenha podido gravar aquele seu olhar! Não havia sequer uma sombra naqueles seus olhos. Quando eu brigava com você, você me desmentia. Quando eu era estúpida e impaciente, você me driblava. Quando eu negava algo, você me demovia. Tudo com os olhos. Tirei tanta foto, tanto álbum completo, e o seu olhar era inapreensível. E quando você me abraçava com o olhar, daquele jeito, eu morria, mas morria de saudades de você. E eu descobria, todo dia, o que era o amor.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 12/4/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar de Lucas Carvalho Peto
02. Poeirópolis (como no início do século XX) de Ana Elisa Ribeiro
03. Violões do Brasil de Rafael Fernandes
04. O que você está lendo? de Abdalan da Gama
05. O Twitter e as minhas escolhas de Ana Elisa Ribeiro


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/4/2006
13h33min
Realmente muito forte e intrigante o texto da Ana Elisa Ribeiro. Sua linguagem prende do começo ao fim. Gostei do que li e vou ler mais... Clovis Ribeiro
[Leia outros Comentários de clovis Ribeiro]
18/4/2006
14h29min
Difícil comentar porque Ana Elisa expressou tudo. Parabéns pela Mãe Admirável que você é!
[Leia outros Comentários de ceila santos]
19/4/2006
08h55min
Que lindo, emocionante! Palavras simples num texto profundo. Toda mãe gostaria de deixar um recado assim... tão cheio de amor para os seus filhos, todos os dias que precisam sair pra ajudar com as despesas da casa, as quais as obrigam a se separar, por horas, das razões de suas existências! Parabéns!
[Leia outros Comentários de Míriam]
19/4/2006
10h27min
Ana, saúde! Lindo o texto! Entretanto, nos dias atuais, passo a passo, a sociedade em geral tem mesclado nesse amor o mercantilismo selvagem, a devassidão, a destruição da família, o desamor, as drogas malditas, a falta de fé e de solidariedade entre todos (não só entre pais e filhos). O que precisa mudar é o tirocínio das pessoas levado para o "Mal". Um abraço! Sebastião Antônio Baracho, Pesquisador Mentor da PUC/SP, Portal do envelhecimento.
[Leia outros Comentários de Sebastião Antônio Ba]
19/4/2006
16h39min
Achei bonito, embora esboce uma certa tristeza, parece uma despedida, ou um pedido de desculpa, ou remorso de não poder estar junto, sei lá, gostei...
[Leia outros Comentários de Marilena]
28/4/2006
11h55min
Lindo, Ana Elisa. Parece um roteiro de filme bom. Sei que provavelmente não teve a intenção de (pelo que conheço de vc), mas... emociona.
[Leia outros Comentários de juliana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Que Você Pode Fazer para Controlar o Seu Peso (1982)
Johanna T. Dwyer
Ediouro
(1982)



Manual de Redação Cbn
Mariza Tavares
Globo
(2011)



A Nova Ortografia
Vários Autores
Ct
(2009)



Livro Físico - Curso de Didática Geral - Série Educação
Regina Célia Cazaux Haidt
Ática
(2006)



Joe Martin - ftd young adult english readers intermediate
Charlyne Haden
FTD
(1991)



Livro - Ben Gurion - os Grandes Líderes
John J. Vail
Nova Cultural
(1988)



Minda-au
Marcio Renato dos Santos
Record
(2010)



Cronica do Debate Interditado (1998)
Antonio Delfim Netto
Topbooks
(1998)



Sexo na Cabeca
Luiz Fernando Verissimo
Objetiva
(2002)



Macroeconomia
F. S. Brooman
Zahar
(1963)





busca | avançada
47877 visitas/dia
1,6 milhão/mês