A educação atual de nossas crianças | Marcelo Maroldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 27/2/2006
A educação atual de nossas crianças
Marcelo Maroldi

+ de 24800 Acessos
+ 8 Comentário(s)

Na Coréia do Sul, algumas escolas oferecem a seus alunos 16 horas de aulas todos os dias. É isso mesmo, dezesseis horas, não é mentira! As crianças e os adolescentes acordam bem cedo e partem para esse grande desafio. Pela manhã, assistem às aulas tradicionais, como matemática e biologia. À tarde, depois do almoço na própria escola e de fazerem suas tarefas, geralmente em grandes quantidades, recebem ensinamentos nas disciplinas específicas escolhidas por eles mesmos, como matemática avançada, cálculo numérico ou programação de computadores, além de aulas como violino, piano, alemão, japonês, mandarim, escultura, pintura, oratória, política, culinária e muitas outras. Os educadores dizem que estão formando cidadãos capacitados para o projeto de crescimento do seu país e de consolidação de uma nação altamente tecnológica e competitiva.

Nos EUA, crianças superdotadas escolhem freqüentar aulas em escolas especiais, onde pode se fazer 5 ou 6 anos em apenas 2, em um ritmo fortíssimo e desgastante. Desse modo, sonham em chegar à universidade aos 14 anos, 15 na pior das hipóteses, e já vimos casos de universitários com menos que isso, com 10. Entrar nessas escolas especiais não é tarefa simples. Os alunos precisam ser extremamente inteligentes e cultos, e, para isto, cumprem uma jornada diária impressionante, que chega a dar pena nas pessoas "normais".

Ora, eles são crianças, mas não agem como se espera destas. Em uma vida de 70, 80 anos, eles já começam aos 10 uma rotina que resistirá por mais 5 ou 6 décadas. Aprendem, bem cedo, que não é preciso respeitar as etapas da vida - infância, adolescência, terceira idade, etc. O que importa é entrar rápido na universidade, ser bem sucedido em um emprego invejado por todos, ganhar bastante dinheiro, e, então, morrer; não, porém, antes de ensinar ao seu filho o valor de tudo isso na vida dele.

É possível que você pense "eles realmente estão exagerando". Mas, por aqui, não é muito diferente. É claro que não chega nesse nível, afinal, nossas escolas não têm estrutura para esse tipo de ensino "ideal", elas sequer oferecem uma boa merenda no intervalo entre as aulas e, também, atividades culturais e extracurriculares inexistem nas nossas escolas, geralmente. Mas, não fosse a falta de condições típicas de um país pobre, implementaríamos tal sistema, creio. Aqui, escuto diariamente: estude, filho! Estude para ser alguém na vida! Entendo, por isso, "estude, filho, para ter dinheiro quando crescer". É o nosso jeito de pressionar as nossas crianças. A infância não existe mais, é só uma pré-escola para a vida competitiva que o mundo impõe. E de meninas, já ouvi: "quando crescer, vou casar com um homem bem rico!" Sim, o homem não precisa ser honesto, educado, carinhoso. Precisa ser rico, apenas, e propiciar um bom casamento. Para muitos pais, é a versão feminina do ser alguém na vida. É o que ensinamos.

O que temos feito, afinal, com a educação dos nossos filhos? Antes, a diversão era jogar bola, soltar pipa. Agora, a diversão é ir às aulas de inglês logo aos 6 anos de idade, se possível antes. Tentam camuflar esse "treinamento" com salas coloridas, filmes e animações feitos em computadores, cadernos bonitinhos, personagens cativantes, professores ensaiados. Mas, ser criança está sendo muito chato. A vida da criança parece estar seguindo uma receita da qual ela não poderá se esquivar se desejar ser bem sucedida mais à frente. Já não é possível ser apenas criança, brincar sem compromisso, aprender naturalmente, aos poucos, devagar. É necessário ser um "adulto infantil", com inúmeras responsabilidades e desafios por enfrentar. É a Era das metas, para crianças, inclusive.

Eu, que passei pela infância como realmente uma infância deveria ser, não desejo que meu filho sinta essa pressão antes mesmo de entender aspectos básicos da vida. Há tantos conceitos e valores tão mais importantes a aprender nessa fase que ele realmente não poderia se preocupar naquele momento em como entrar na universidade X, ou na Y. Seja criança, meu filho, é somente o que você precisa fazer nesse momento. Eu entendo a ânsia dos pais pelo sucesso de suas crianças, o desejo para que eles tenham mais bem materiais do que eles próprios o têm, que andem mais bem vestidos, passeiem mais, que comprem o que quiserem, que não passem a privações que estes passaram, etc. Mas a vida não pode ser só isso, jamais. É mais importante ser adulto somente quando tiver idade para ser um adulto, e entender que a vida simples que deveriam ter as crianças de nosso tempo jamais será recuperada se agimos assim.

Marcelo Maroldi
São Carlos, 27/2/2006



Quem leu este, também leu esse(s):
01. De volta à antiga roda rosa de Elisa Andrade Buzzo
02. Cidades do Algarve de Elisa Andrade Buzzo
03. Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda? de Renato Alessandro dos Santos
04. Não quero ser Capitu de Cassionei Niches Petry
05. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marcelo Maroldi
Mais Acessadas de Marcelo Maroldi em 2006
01. Receita para se esquecer um grande amor - 3/8/2006
02. Dos amores possíveis - 20/3/2006
03. A educação atual de nossas crianças - 27/2/2006
04. A crise dos 28 - 30/1/2006
05. Orkut way of life - 13/2/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/2/2006
01h31min
Estamos sistematizando a vida das crianças e tirando seu maior bem: a liberdade!
[Leia outros Comentários de Jorge]
27/2/2006
11h58min
Concordo, pois ao se deparar com a criatividade, a maioria dos bons criadores tiveram uma infância alegre. Este e' apenas um dos pontos a se discutir. Você tem toda razão, devemos obedecer o ciclo biológico, quem nasce pra se gênio, beleza!!! Quem não é, não adianta forçar, pois com natureza humana não se brinca. Pode se desencadear processos fora de controle na mente de crianças submetidas a tais informações.
[Leia outros Comentários de Vinicius Brown]
27/2/2006
13h39min
Sou grande fã de seus textos, porém penso que o problema no brasil não é excesso de obrigações, mas sim o culto ao hedonismo. Uma busca constante de prazer. Os modelos de sucesso são jogadores de futebol, modelos e afins. Nossa cultura é de diversão, vivemos em eternas micaretas. Nossa juventude se perde, mas não pelo excesso de responsabilidades e sim pelo inverso. Criamos um exército de seres infantis, abobalhados e irresponsáveis.
[Leia outros Comentários de Marcelo Souza]
27/2/2006
20h34min
Por outro lado, as escolas aqui nos EUA permitem que cada um escolha o que quer estudar. Se quiser teatro, pintura, musica, ou computacao, voce pode escolher. Nao e' forcado a memorizar aulas de biologia... E digo mais, ha' um enorme incentivo para os bons alunos. Se voce se interessa por matematica ou ciencia desde cedo, ou por tocar violao, voce vai ser bastante incentivado. Na sociedade brasileira somos contra este tipo de incentivo... Achamos que ha' uma regra para "boa vida". Eu discordo... Tenho amigos que hoje se beneficiam do que aprenderam por opcao quando eram criancas/adolescentes. Amigos que treinavam 5 horas de violao por dia ou 2 horas de matematica todo dia, por mero prazer. Hoje se divertem 'a beca com isso. Nao me parecem desequilibrados... Acho que existe lugar, sim, para que aqueles que demonstram aptidao e gana desde jovens para se dedicarem ao que querem. Pela regra do pular etapas, o mundo nao e' um lugar para Gauss (prodigio aos 4 anos), para Mozart, ate' para Ronaldinhos!
[Leia outros Comentários de Ram]
20/3/2006
10h20min
eu penso uma coisa: porque todos têm que aprender matemática na escola? claro, matemática básica é essencial, mas de que vão me servir aqueles problemas feitos por malucos e para malucos? e a física? e a química? odeio tudo isso. prefiro artes e línguas. e sem falar que a educaçao, tanto privada quanto pública, virou uma quitanda. a educaçao particular é pagou, levou; a pública, somos nós que pagamos também. a educação no brasil é um desastre total. ainda bem que eu só fiz o segundo grau e pronto. chega! faculdade pra quê? pra ficar desempregado, na mão; claro, se você for sabujo de algum idiota bem empregado, você consegue alguma coisa. nao estou fazendo apologia a vadiagem; aprendi mais com os livros do que com os professores, papagaios pagos para repetirem um sistema falido. leia, construa uma biblioteca em casa; será a melhor faculdade, a melhor escola.
[Leia outros Comentários de rogério silvério]
21/3/2006
09h25min
Ao ler seu artigo, me identifiquei com suas idéias, as quais já defendo há muito tempo, principalmente dentro da minha família e com alguns amigos mais chegados. Na minha opinião, quando não se respeita a fase natural de crescimento de um ser humano, esse ser humano deixa um pouco o seu lado humano e se torna um alienado, chato, e materialista, com uma fome voraz, apenas de poder e ter. A criança que existe dentro do seu ser fica adormecida (graças a Deus, não morre nunca), e sem essa criança acordada, fica triste, feio, com um aspecto animalesco. Se quando adulto perguntarmos a essa criatura quem ela é, o máximo que iremos obter de resposta é: sou fulano... (citará o nome e os números de seus documentos) e, depois disso, só conseguirá falar sobre o que conquistou materialmente na vida. Engraçado... como se a vida fosse somente isso. Um ser humano sem alma para mim é um andróide, um alienado perdido no espaço, robotizado pela sociedade, pela política e pela religião. Jamais essa cria!
[Leia outros Comentários de Rejane Guimaraes]
25/3/2006
21h22min
Nem sei se sou tão competente para fazer um comentário no mesmo nível dos demais, mas concordo plenamente em gênero, número e grau com o tema, pois nossas crianças hoje já não vivem vida de crianças. Tenho 35 anos, tenho uma filha de 5 e, cada dia que passa, me pergunto que tipo de criação devo lhe oferecer? Que futuro a espera amanhã? De uma coisa tenho certeza absoluta: "O que ensinamos aos nossos filhos até os seis anos de idade, é exatamente o que será absolvido por eles, mas que jamais ultrapassemos as fases da vida, criança tem que ser criança, tem que viver como criança!". Procuro passar esses ensinamentos para a minha filha, mas não deixo de ter medo do mundo, apesar de que mundo significa "limpo", mas nós, seres humanos, o sujamos, como vamos passar algo de tão extraordinário para os nosssos pequenos? Ser criança é: ter o direito de brincar, correr, pular, passear com os pais, tomar sorvete, ir ao circo, ver teatro...
[Leia outros Comentários de Marlene Leao]
11/11/2006
21h27min
Concordo com Marcelo; acho que as crianças têm o direito de serem crianças; brincar, ser criativas, fazer-de-conta, sem esquecer, é claro, a educação básica (que as escolas já oferecem, algumas melhor que outras); quem teve essa liberdade vai, no momento certo, escolher o que quer fazer e aí, se dedicar. Criei duas filhas deste modo; sem pressionar, sem cursinhos extra-curriculares disto ou daquilo; dando a elas liberdade de brincar e oferecendo estímulos para a imaginação: livros, brinquedos, e muita conversa. O resultado? sempre foram boas alunas e agora estão se dedicando ao que gostam, já na universidade. Concordo que nem todas as famílias têm tempo e recursos à disposição, mas na medida do possível, vamos deixar que nossas crianças sejam crianças. PS: Essa idéia vai ao encontro do pensamento de A.S. Neill, fundador de Summerhill. Suas idéias eram (ainda hoje são) radicais, mas a essência do que ele viveu pode ser aplicada na educação de nossas crianças.
[Leia outros Comentários de Cristine ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS DEZ MANDAMENTOS - PRINCÍPIOS DIVINOS PARA MELHORAR SEUS...
LORON WADE
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2007)
R$ 7,80



O MUNICÍPIO COMO SISTEMA POLÍTICO
ANA MARIA BRASILEIRO
FGV
(1973)
R$ 9,99



A MULHER EM ISRAEL
ORGANIZAÇÃO DAS PIONEIRAS
ORGANIZAÇÃO DAS PIONEIRAS
(1975)
R$ 5,00



DIGITAL CASH COMMERCE ON THE NET
PETER WAYNER
AP PROFESSIONAL
(1997)
R$ 22,36



DIÁRIO DE UMA SONHADORA
FRANCISCA A. CASTRO CORRÊA
EDIÇÃO DO AUTOR
R$ 7,00



AUTODEFESA PSIQUICA - 1ª EDIÇÃO
DION FORTUNE
PENSAMENTO
(2015)
R$ 27,00



ESTRELA DA NOITE OS IMORTAIS VOLUME 5
ALYSSON NOEL
ÍNTRISECA
(2013)
R$ 7,00



TEMPO DE EPIGRAMA
ROLANDO ROQUE DA SILVA
EDIPE ARTES GRÁFICAS
(1979)
R$ 10,00



PRISIONEIROS DO INVERNO
JENNIFER MCMAHON; ANA CAROLINA MESQUITA
RECORD
(2014)
R$ 18,00



BRIGA DE CASAL LIÇÕES DE AMOR
JOSE ANGELO GAIARSA
GENTE
(1997)
R$ 22,00





busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês