Google: utopia ou distopia? | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
57697 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Google

Quarta-feira, 15/3/2006
Google: utopia ou distopia?
Gian Danton

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Eu sempre tive uma relação de amor e ódio com a internet. Confesso que sou viciado em e-mails, um vício derivado do meu vício em informação. Embora eu já tenha blog há três anos e colabore com diversos sites há pelo menos seis anos, sou meio burro para mexer com algumas coisas e me atrapalho na internet com coisas básicas.

Para piorar, a internet banda larga ainda não chegou em Macapá, de modo que a minha conexão ainda funciona a vapor e tenho que alimentar com carvão para pegar no tranco. Xingamentos e tapas na CPU, se não ajudam a melhorar a conexão, pelo menos descarregam um pouco a tensão...

Assim, para alguém que tem uma conexão péssima, que adora internet, mas também não sabe mexer nela, o Google é uma mão na roda.

Lembro que antes os buscadores chegavam a cobrar para quem quisesse inscrever seus sites neles. Na época eu tinha um site chamado Idéias de Jeca-tatu e vivia recebendo generosas propostas de buscadores dos quais eu nunca tinha ouvido falar que se apressavam em me oferecer o céu se eu concordasse em pagar uma quantia para aparecer em seus cadastros.

Se do lado de quem tinha site a situação não era boa, da parte de quem procurava informações era pior ainda. A busca era lenta e terrivelmente desorganizada. Com a conexão lenta e pagando por cada pulso, eu me exasperava ao procurar por um assunto e me deparar com dezenas de páginas que não tinham absolutamente nada a ver com o que eu estava procurando. Se, por exemplo, eu digitava Edgar Alan Poe, vinham todos os Edgars, todos os Alans e todos os Poe. E geralmente o que primeiro aparecia era o site do senhor Alan Silveira ou algo assim. Claro que só vinham os resultados dos sites que estavam cadastrados no dito buscador...

Lembro que o Altavista já foi uma tremenda revolução, pois permitia decidir em que língua eu queria fazer a pesquisa. Mas ainda assim, os buscadores eram lentos e imprecisos, pouco práticos.

Nesse sentido, o Google foi uma revolução absoluta. Quem me indicou foi um professor universitário, Livre-docente em sua área, ele festejou o Google como melhor buscador já existente e me convidava a fazer uma comparação. Digitei uma palavra qualquer em vários buscadores, entre eles o Google. A diferença era gritante.

Além de ser rápido, de ter uma página que carregava imediatamente, o Google ainda oferecia várias opções, como por exemplo, buscar imagens, algo fenomenal quando estava preparando uma apresentação, por exemplo.

Certa vez me ofereceram uma disciplina tão nova que simplesmente não havia bibliografia publicada em português. O que me salvou foi o Google. Achei artigos e papers de professores de diversos países sobre o assunto e ministrei a disciplina toda a partir desses textos. Só seis meses depois é que começaram a sair os primeiros livros sobre o tema, mas ele já estava lá no Google muito antes.

Nesse sentido, uma grande inovação foi o surgimento do Google acadêmico, que permite ter acesso diretamente a textos sérios, de congressos e revistas científicas sobre as mais diversas áreas.

O Google passou a ser, para mim, também um parâmetro. Na época em que eu era coordenador de pós-graduação em uma faculdade, antes de me decidir por um professor novo, eu sempre fazia uma busca por seu nome na internet, não só para saber quantas pessoas o citavam, mas também para ter uma idéia de suas publicações. Quando eu não encontrava nenhuma referência, ficava com a pulga atrás da orelha. Se a publicação é um requisito básico para um professor de graduação, é muito mais para um docente de pós-graduação. Não se admite que um docente de especialização seja um mero reprodutor de conhecimentos.

Uma crítica que tenho ouvido é quanto à facilidade de clonar textos, mas se por um lado o Google ajudou alunos a descobrirem textos a serem plagiados, ele, da mesma forma, ajudou os professores a identificarem os plágios. Com sua forma rápida e precisa de busca, ficou cada vez mais fácil identificar exemplos de clonagem.

Também usei muito o Google para rastrear meu nome, tanto como Ivan Carlo, como Gian Danton. Também dessa vez, não era apenas para saber quantas pessoas se referiam a mim, mas para pegar engraçadinhos que costumavam juntar meus textos e vende-los em CD no Mercado Livre sem a minha autorização.

Mas, se por um lado eu sempre me encantei e usei muito o Google, por outro lado, ele sempre foi um motivo de preocupação. Sua superioridade técnica sobre os outros buscadores é tão grande que ele simplesmente eliminou a concorrência. Quem não tem concorrência, faz o que quer.

Além disso, o Google vai alastrando sua influência sobre todos os aspectos da vida. O Gmail, o Orkut e o próprio buscador permitem à empresa descobrir quem é você, o que pretende, o que gosta e usa isso para oferecer a você produtos que podem ser comprados diretamente pela internet. Tirando-se o aspecto ético envolvido, há o grande risco de tal tecnologia estar a serviço de um estado totalitário. Isso seria a concretização dos medos de 1984, de George Orwell, em que o Estado domina completamente todos os aspectos da vida do indivíduo e pune até mesmo crimes de pensamento.

O Google sempre procurou afastar de si essa visão distópica, mas os recentes acordos da empresa - como o que foi realizado na China, em que a empresa concordou em impedir a busca por palavras como Direitos Humanos, deixam uma nuvem negra de dúvida sobre o futuro que o Google nos reserva.


Gian Danton
Macapá, 15/3/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Uma lição de solfejo de Carina Destempero
02. Meu querido blog de Ana Elisa Ribeiro
03. A juventude nas livrarias de Luis Eduardo Matta
04. Uma caixa grande demais de Marcos Visnadi
05. Eleições: opções ruins, mas pelo menos existem de Adriana Baggio


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton
01. Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais? - 25/7/2014
02. A Teoria Hipodérmica da Mídia - 19/7/2002
03. A teoria do caos - 22/11/2002
04. Público, massa e multidão - 30/8/2002
05. A maçã de Isaac Newton - 16/8/2002


Mais Especial Google
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/3/2006
11h31min
Esta visão do Google é um pouco distorcida. Para entrar na China, outros buscadores como o Yahoo se submeteram às mesmas regras. O governo americano tb. solicitou informações privativas ao MSN e ao Yahoo mas ninguém fala sobre isso. Como sabemos o Google é a empresa do momento e tem milhões de usuários que fazem bilhões de pesquisas. Não entendo qual pode ser o interesse em ficar lendo e-mail de cada pessoa ou querer saber o que as pessoas estão individualmente pesquisando. Este interesse limita-se a desenvolver programas para que, automaticamente, o Google possa oferecer links de interesse. Não faz sentido achar que haverá algum uso individual das informações privativas. Um exemplo dessa automatização é o Google News, que agrupa noticias sobre diversos assuntos automaticamente. É um portal de notícias onde não há editores e jornalistas.
[Leia outros Comentários de Renato]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RESUMO DE DIREITO COMERCIAL COLEÇÃO 5 RESUMOS
MIXIMILIANUS CLÁUDIO AMÉRICO FÜHRER
MALHEIROS
(1995)
R$ 6,99



RAMSÉS - O FILHO DA LUZ - VOL. 1
CHRISTIAN JACQ
BERTRAND BRASIL
(1999)
R$ 7,90



NORDESTE 1817
CARLOS GUILHERME MOTA
PERSPECTIVA
(1972)
R$ 15,00



P503 O PLANETA DOS CAVADORES
PERRY RHODAN
OURO
(1988)
R$ 4,00



CANDIDE ET AUTRES CONTES
VOLTAIRE
POCKET
(1998)
R$ 12,00



TOULOUSE-LAUTREC & LAFFICHE
FOUNDATION DIAN VIERNY-MUSÉE MAIL
REUNION DES MUSÉES NATINAUX
(2002)
R$ 130,00



MANCHETE - JUNHO, 1970 - EDIÇÃO SONORA - A EPOPÉIA DO TRI
BLOCH EDITÔRES/ MANCHETE
BLOCH
(1970)
R$ 18,00



TRANSMISSÃO DE CALOR
DEMÉTRIO ELIE BARACAT
PAYM
R$ 30,00



HISTÓRIA DA TEORIA ANTROPOLÓGICA - 1ª EDIÇÃO
PAUL A. ERICKSON & LIM D. MURPHY
VOZES
(2015)
R$ 84,95



VIAGENS NA MINHA TERRA
ALMEIDA GARRETT
MARTIN CLARET
(2012)
R$ 7,90





busca | avançada
57697 visitas/dia
1,4 milhão/mês