Argentinos: a gente detesta, mas somos parecidos | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 6/4/2006
Argentinos: a gente detesta, mas somos parecidos
Adriana Baggio

+ de 4600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Um dos melhores momentos da viagem de navio que fiz em fevereiro foi a chegada a Buenos Aires. Entramos no Rio da Prata de madrugada. Por volta das 7 da manhã, já estávamos chegando ao porto. Bem devagarinho, o navio entrou nas docas, guiado pelo barco do prático. Apesar do tamanho, fez algumas manobras, deu ré e "estacionou" tranquilamente no espaço reservado a ele.

A vista de Buenos Aires a partir do rio lembra a da Manhattan que eu vejo nos filmes e fotos. Edifícios enormes, de paredes envidraçadas e linhas modernas, parecem separar o porto da cidade. No alto, letreiros de neon apresentam algumas das marcas de tecnologia mais famosas do mundo.

O centro é perto do porto. Lá estão os principais monumentos da história argentina: a Plaza de Mayo, a Casa Rosada, a Catedral Metropolitana. O contraste entre a rebuscada sede do governo e as linhas retas do templo religioso resume o paradoxo arquitetônico de Buenos Aires: de um lado, construções repletas de detalhes, cúpulas e ornamentos; do outro, edifícios em estilo neoclássico, norma arquitetônica do século XIX, quando se queria transformar Buenos Aires em uma filial da Europa nas Américas.

Naquela quarta-feira de fevereiro, as mães e avós dos presos e desaparecidos durante a ditadura argentina não estavam na Plaza de Mayo. Ao invés delas, outras mães abordavam os turistas: mendigas, sem-teto, mulheres em andrajos com crianças de colo pediam um dólar, un peso. É o que mais aproxima Buenos Aires das outras metrópoles da América do Sul. De resto, parecem mais diferente de nós do que se espera por sermos tão vizinhos.

Andando em um centro comercial como a Avenida Corrientes ou a Calle Florida, percebe-se uma certa altivez que não é muito comum nos brasileiros. As pessoas são bem vestidas como os executivos de São Paulo, mas parece que têm mais estilo, mais personalidade. Na sua própria terra, os argentinos são mais simpáticos do que aqui no Brasil. Em nenhum momento fui hostilizada por ser brasileira. Só me olharam com cara feia quando demorei para decidir o acompanhamento do bife de chorizo.

Existem outras diferenças marcantes e já até antológicas: o mito de que a quantidade de livrarias seja maior na capital portenha do que em todo o Brasil; a taxa de analfabetismo, menor do que a nossa; o nacionalismo exacerbado, que às vezes os tornam tão insuportáveis. Por outro lado, existe uma Buenos Aires mais parecida com as nossas cidades, que talvez não esteja à vista dos turistas, mas que recebeu um olhar crítico nos ensaios da professora e crítica literária Beatriz Sarlo.

A autora é mais conhecida por seus trabalhos sobre literatura, mas também tece considerações sobre aspectos do cotidiano e da realidade argentina. Em Tempo presente - notas sobre a mudança de uma cultura (lançado na FLIP em 2005, pela José Olympio), é possível conferir alguns textos proferidos em conferências ou publicados em periódicos. E através destes ensaios, percebemos uma proximidade muito maior entre a nossa realidade e a deles.

Os textos de Sarlo às vezes são tão próximos, ou tão universais, que ela parece estar falando de nós, e não deles: "Sem tempo para fazer projetos, sem futuro, os corpos correm os riscos impostos pela dívida [do estado com a sociedade] não-paga: a violência, a ruptura de todos os laços sociais, a selvageria da droga são desafios vistos como se fossem a única afirmação possível da identidade. Quando se rompe a expectativa de um tempo futuro, quando ninguém se sente mais credor nem titular de direitos, os corpos usam a violência para se rebelar".

Como ela mesmo diz, frases como a de cima há alguns anos eram impensáveis na Argentina. Hoje, o país padece não só de males como os da fome, da violência e da guetização de parte da população em bairros miseráveis, mas também de outros problemas: o impacto das construções desordenadas nos espaços públicos, as novas identidades culturais, a crise da escola, a política. Problemas comuns de grandes cidades, familiares a nós. Mas, se é para traçar paralelos, talvez o texto mais pertubador seja aquele que posiciona a Copa do Mundo de 1978 como um fato tão importante no aspecto esportivo quanto no político.

No esportivo, é fácil: a Argentina foi campeã do Mundial disputado em casa. O político: é que isso aconteceu em plena ditadura. O sucesso da seleção argentina parecia respaldar um governo que, ao mesmo tempo, puxou para si a vitória e cuidou para que não existissem protestos a serem noticiados pela imprensa estrangeira. O que impressiona na análise de Beatriz Sarlo é a crítica que ela faz sobre como se vê o Mundial, 20 anos depois.

Na Copa de 98, as crianças argentinas puderam assistir aos jogos nas escolas, desde que, segundo orientação das autoridades educacionais, fossem trabalhados conteúdos de história, geografia e ética, em relação aos países participantes do Mundial. Mas a autora questiona: "Se a idéia era a de permitir que os jovens vissem o futebol com verdadeiro 'espírito crítico', como afirmou uma funcionária pública, sugiro o seguinte: o futebol tem uma relação intrincada com a Argentina dos últimos vinte anos, e por isso seria bom que as escolas aproveitassem a febre do Mundial para apresentar a história recente aos pequenos adoradores da camisa azul-celeste".

De acordo com a sugestão de Sarlo, na disciplina de História poderiam ser estudados os assassinatos cometidos pela ditadura entre uma partida e outra; em Geografia, uma atividade interessante seria contextualizar no mapa os estádios onde os jogos foram realizados em relação aos centros de tortura; para entrar um pouco em Sociologia, seria possível explicar aos alunos mais velhos como os cenários esportivos são transformados em cenários políticos pelas ditaduras.

Por mais que a gente deteste os argentinos, em algumas coisas somos muito semelhantes. A mesma paixão que nos torna inimigos, também nos aproxima em comportamento. Se eles tiveram sua vitória em 78 comemorada sobre os porões de tortura da ditadura, nós também fizemos o mesmo no Mundial de 70. E assim como eles, a gente acaba tendo uma postura mais condescendente, mais relaxada, durante a Copa do Mundo. A vida já é tão dura para o brasileiro, merecemos comemorar e esquecer um pouco os problemas, as eleições, o mensalão, não é mesmo?

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 6/4/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cadeia Educacional de Débora Costa e Silva
02. A Arte da Entrevista de Verônica Mambrini
03. Insuportavelmente feliz de Verônica Mambrini
04. Escritor, jovem escritor de Guga Schultze
05. O bom, o ruim (e o crítico no meio) de Rafael Rodrigues


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2006
01. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
02. Eles vão invadir seu Orkut! - 9/2/2006
03. Cruzeiro marítimo: um espetáculo meio mambembe - 23/2/2006
04. O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar - 20/7/2006
05. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas - 12/1/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/4/2006
08h48min
Muito bom o texto da Adriana Baggio sobre a escritora argentina Beatriz Sarlo. Pelo desconhecimento que temos das obras latino-americanas, essas informações se tornam verdadeiras preciosidades. PARABÉNS.
[Leia outros Comentários de zuleica brito fische]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO ENFRENTAR A ASMA E OUTRAS ALERGIAS
LAIN PONTES DE CARVALHO
JOSÉ OLYMPIO
(1971)
R$ 7,90



ARTE-EDUCAÇÃO NO BRASIL - 7ª EDIÇÃO
ANA MAE BARBOSA
PERSPECTIVA
(2012)
R$ 30,95



SHANGRILÁ 2 - MULHER IMORTAL - CAPA DURA
IRVING STONE
EDART
(1962)
R$ 7,00



REDE DE SABERES DIFERENTES PRÁTICAS E NOVOS SABERES NA FORMAÇÃO DOCENTE
CARLA MARIA KIRILOS MATTAR DE OLIVEIRA (ORG)
NEW HAMPTON PRESS
(2006)
R$ 50,00



OS SENSOS INCOMUNS, CONTOS
MARIA ISABEL BARRENO
CAMINHO
(1993)
R$ 31,26



ROMEU E JULIETA
WILLIAM SHAKESPEARE
MARTIN CLARET
(2007)
R$ 7,90



LA REINA EN EL PALACIO DE LAS CORRINTES DE AIRE
STIEG LARSSON
DESTINO
(2009)
R$ 60,00



PROCESSO DE EXECUÇÃO E CAUTELAR 12
MARCUS VINICIUS RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(2003)
R$ 7,00



COMENTÁRIOS À CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DAS LEIS DO TRABALHO
VALENTIN CARRION
ED. SARAIVA
(2002)
R$ 5,00



EDUCAÇÃO FÍSICA MUNDIAL - CAPACIDADE AERÓBICA 2
KENNETH H COOPER
AGIR
R$ 10,00





busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês