Para você que escreve e tem mais ou menos 30 anos | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
>>> SemiÓtica
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Cinema e os Direitos Humanos
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
Mais Recentes
>>> Dexter Design de Um Assassino de Jeff Lindsay pela Planeta (2011)
>>> Dexter no Escuro de Jeff Lindsay pela Planeta (2010)
>>> Querido e Devotado Dexter de Jeff Lindsay pela Planeta (2009)
>>> O Guardião de Memórias de Kim Edwards pela Sextante (2007)
>>> Querida Filha de Elizabeth Little pela Rocco (2017)
>>> Cinquenta Tons Mais Escuros de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Viver é coisa Perigosa - Orientações para soluções de conflitos de Guilherme Schelb pela Do autor (2008)
>>> Contos (Literatura Francesa) de Voltaire pela Nova Cultural (2003)
>>> Mulherzinhas (Literatura Norteamericana) de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> O morro dos ventos uivantes (Literatura Inglesa/Britânica) de Emily Brontë pela Nova Cultural (2003)
>>> Naná (Literatura Francesa) de Emile Zola pela Nova Cultural (2003)
>>> Babbitt (Literatura norteamericana) de Siclair Lewis pela Nova Cultural (2003)
>>> Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica) de Walter Scott pela Nova Cultural (2003)
>>> A mulher de Trinta Anos (Literatura Francesa) de Honorè de Balzac pela Nova Cultural (2003)
>>> Razão e Sensibilidade (Literatura Inglesa) de Jane Austen pela Nova Cultural (2003)
>>> Tom Jones (Literatura Inglesa) de Henry Fielding pela Nova Cultural (2003)
>>> Ninguém escreve ao coronel de Gabriel Garcia Marques pela Record (2014)
>>> Tragédias - Romeu e Julieta/Macbeth/Otelo, o mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
>>> Mazzaropi - Uma antologia do riso (Humorismo/Cinema brasileiro) de Paulo Duarte pela Imprensa oficial (2009)
>>> Cordel - Poeta Severino José (Literatura de Cordel) de Luiz de Assis Monteiro (Introdução e antologia) pela Hedra (2001)
>>> STP- Socialismo Teoria Y Prática 2 Febrero -1987 de Ekaterina Shalaieva pela Agência Prensa Nóvosti (1987)
>>> Moll Flanders de Daniel Defoe pela Nova Cultural (2003)
>>> Preceitos Áureos do Esoterismo de G. de Purucker pela Lorenz (1991)
>>> A Metamorfose de Franz Kafka pela Nova Cultural (2002)
>>> Macroeconomia de Olivier Blanchard pela Campus (1999)
>>> Energias Além das Formas de Marly Del Corona pela Casa Editorial Schimidt (1994)
>>> Madame Bovary de Gustave Flaubert pela Nova Cultural (2002)
>>> Noites do Sertão de João Guimarães Rosa pela José Olympio (1976)
>>> A Arte da Ilusão de Nora Roberts pela Harper Collins (2015)
>>> Farmacologia Clínica para Dentistas 2ªed. de Lenita Wannmacher - Maria Beatriz Cardoso Ferreira pela Guanabara Koogan (1999)
>>> Signos em Rotação de Octavio Paz pela Perspectiva (1990)
>>> Mulheres Empilhadas de Patrícia Melo pela Leya (2019)
>>> Extraordinário de R,J Palacio pela Intríseca (2014)
>>> O Homem Revoltado de Albert Camus pela Record (1996)
>>> Antologia Meus Contos Preferidos de Lygia Fagundes Telles pela Rocco (2004)
>>> Educar Professores? de Beatriz Alexandrina de Moura Fétizon pela Universidade de São Paulo (1984)
>>> A Geração das Palavras: Skinner e Chomsky Vol 25 de Maria da Penha Villalobos pela Universidade de São Paulo (1986)
>>> A Televisão e os Adolescentes A Sedução dos Inocentes Vol 22 de Heloisa Dupas Penteado pela Universidade de São Paulo (1983)
>>> Revista do Instituto de Estudos Brasileiros n. 41 de Prof. Dra. Marta Rossetti Batista (Diretora) pela Universidade de São Paulo (1996)
>>> Os Ministérios na Igreja dos Pobres de Alberto Parra S. J. pela Vozes (1991)
>>> Direitos Humanos Direitos dos Pobres de Leonardo Boff e Outros pela Vozes (1991)
>>> A Cristandade Colonial Mito e Ideologia de Riolando Azzi pela Vozes (1987)
>>> A Militarização da Questão Agrária no Brasil de José de Souza Martins pela Vozes (1984)
>>> Holocausto Desafio à Teologia Cristã de S. Shapiro e Outros pela Vozes (1984)
>>> Odontopediatria 7ªed. de Ralph E. Mcdonald- David R. Avery pela Guanabara Koogan (2001)
>>> O Poder dos Donos de Marcel Bursztyn pela Vozes (1984)
>>> Homenagem a Ugo Foscolo Omaggio de Elvira Rina M. Ricci Professora Responsável pela Universidade de São Paulo (1979)
>>> No País das Fadas e Outras Histórias Fantásticas de H. G. Wells pela Paulicéia (1993)
>>> O Feminino na Psicanálise de Heliane de Almeida Lins Leitão e Outros pela Edufal (2001)
COLUNAS >>> Especial Autores novos

Terça-feira, 23/5/2006
Para você que escreve e tem mais ou menos 30 anos
Marcelo Spalding

+ de 4300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Você participa de uma oficina literária, arrisca escrever e divulgar alguns contos, publica um ou dois livros individuais no seu Estado, começa a ser comentado, lido e procurado para comentar e ler, entra numa associação de escritores, conhece outros escritores, tudo isso e você tem menos de 30 anos. De repente, alguém lhe pergunta: você é um destes escritores da nova geração, a geração 2000, a geração do computador? Você, indeciso, balança a cabeça. Sim, claro que sou, afinal sou jovem e escrevo. Aí, lembra da galera que por algum motivo ganhou a fama de ser precursora da tal nova geração. E recua, balança a cabeça noutro sentido: não, claro que não, minha temática é outra, minha ideologia é outra, enfim, não sou como aquela turma e...

Rótulos. Simplificações. Preconceitos.

Você se arma com estas três palavras para refutar a idéia de que todo autor jovem, com mais ou menos 30 anos, precisa ser parte integrante de uma geração una e de características determinadas, quais sejam escrever sem grande preocupação estilística (mas ainda assim escrever bem), ter começado a publicar pela internet, abusar de vez em quando de palavrões e cenas de sexo (sexo pesado, de preferência), criar uma história fragmentada, preferencialmente com um narrador confuso, e, acima de tudo, ser visual, o mais visual possível se você quer um dia parar nas telas da televisão.

* * *

Não é de hoje a briga entre escritores e periodizações literárias. Machado de Assis não via futuro no realismo, Monteiro Lobato era inimigo declarado dos modernistas, o pai do minimalismo norte-americano que gerou a micronarrativa, Raymond Carver, detestava o adjetivo minimalista, Lya Luft não admite que chamem seu Perdas e Ganhos de auto-ajuda e assim por diante. O fato é que os escritores precisam simplesmente escrever, não cabe a eles escolher de que forma desejam ser lembrados, entendidos e citados, muito menos se devem ou não ser citados. Isso fica a cargo do...

E aí temos o primeiro traço característico da Geração 2000: não são mais os críticos, os escritores tarimbados, os concursos literários nem mesmo os editores que decidem quem merece destaque, é a mídia. Pierre Bourdieu, em uma conferência transformada em livro, Sobre a Televisão, já alertava que a mídia tinha o poder de destacar personalidades dentro de qualquer campo ainda que a personalidade destacada não fosse referência para os especialistas no assunto. Um exemplo? Quem é hoje o melhor médico do Brasil? Pergunte para qualquer pessoa na rua, naturalmente pessoas que não entendam de medicina, e aposto que dirão ser Dráuzio Varela. Mas será que ele mesmo se considera o melhor médico do Brasil? Provavelmente não, no máximo pode se considerar o melhor em sua especialidade. Assim como Roberto Justus não teria autoridade para dar megapalestras não tivesse se transformado em um showman. Idem o Beto Carrero.

Particularmente, desconfio de qualquer rótulo e vou além: quando falamos de contemporaneidade, definir rótulos e tendências é criminoso. Se admitirmos que exista uma Geração 2000 de escritores, uma geração de novos escritores "saídos da internet e sem papas na língua", estamos negando a possibilidade de um suposto jovem escritor negro publicar um romance sobre a discriminação racial na polícia. Ou, no mínimo, estaremos incentivando a que todos os alunos de oficinas e dos cursos de letras, todos aqueles que ainda compram livros e sonham um dia serem editados pela Companhia das Letras, escrevam como os seus novos ídolos bastante badalados. O que seria um erro, o que a literatura menos precisa é de mais do mesmo.

* * *

Sempre conto que, quando estava no colégio, pensava ser o melhor escritor do mundo. Um pouco por entender quase nada do que fosse bem escrever e muito por não conhecer nada dos contemporâneos. Pensava estarem todos os gênios já mortos, e eu ali dando sopa. Claro que saindo da ilusão burguesa de um colégio particular deparei-me com centenas de jovens como eu, muito mais talentosos, escrevendo e tentando espaço no mercado editorial. Vi que meu conterrâneo Daniel Galera, junto com alguns amigos, entre eles Daniel Pelizzari, chamava a atenção, ganhava capas do nosso famigerado caderno cultural local, vez que outra aparecia na televisão. Tempos depois vi nascer uma estrela instantânea, Letícia Wierzchowski, capaz de levar o Rio Grande do Sul de volta para a Rede Globo. Um ou dois anos mais tarde uma outra escritora, essa eu já conhecia pessoalmente, dava entrevistas no Jô Soares e aparecia na lista dos mais vendidos, Claudia Tajes (e me permitam arriscar alguns nomes, anotem e me cobrem um dia: Cristina Gomes, Ítalo Ogliari e Monique Revillion).

Aos poucos, entendi que a lógica do mercado é essa mesma: rotular, escolher um ou dois ícones do momento e trabalhar incessantemente com eles. Mas o que ainda me surpreende é a pressa, a pressa que temos em achar o novo Pelé em qualquer jogador franzino ou de encontrar um Prêmio Nobel em qualquer jovem barbudo dando os primeiros passos no tortuoso caminho das letras.

* * *

Volto para cima do muro. Daqui a gente observa melhor o movimento das coisas, das gentes. Daqui entendo que muito mais do que definirmos se existe uma literatura própria dos anos 2000, dos novos autores, devíamos pensar por que tanta gente tem publicado tantos livros. Por que tantos jovens têm publicado tantos livros? Estaremos diante de um boom da literatura brasileira, mais ou menos como nos profícuos anos 70, ainda que em novas bases e calcada em novos valores? Ou estaremos apenas reproduzindo e alimentando a indústria cultural televisiva e hoje também digital?

Daqui de cima do muro a gente só faz perguntas, não arrisca respostas. Mas também daqui se consegue constatar uma lógica: você lembra quando alguns lamentavam que o cânone era composto apenas por homens brancos da classe média? E lembra a tristeza com que se constatou algo parecido nos autores de conto dos anos 70? Pois bem, hoje parece que ninguém mais se preocupa com isso. Porque não são mais apenas homens, são homens e mulheres. Mas ninguém mais se preocupa que permaneçam sendo os brancos de classe média (média?) os "escolhidos" do momento.

Talvez porque os que lêem também são apenas estes. Talvez porque as temáticas também não lembrem destes. Talvez porque estejamos com pressa demais para detalhes sociais.

O fato é que mal conseguimos entender e estudar o romance suburbano de Bonassi e Paulo Lins, mal conseguimos aceitar a micronarrativa de Rufatto e Wolff como literárias e já tentamos identificar um novo estilo, uma nova geração, inclusive escolhendo vozes para representá-la em nome de não sei o quê.


Marcelo Spalding
Porto Alegre, 23/5/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Scott Henderson, guitarrista fora-de-série de Rafael Fernandes
02. Pais e filhos, maridos e esposas II de Fabrício Carpinejar


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2006
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho - 8/8/2006
02. Romanceiro da Inconfidência - 10/1/2006
03. Um defeito de cor, um acerto de contas - 31/10/2006
04. As cicatrizes da África na Moçambique de Mia Couto - 5/12/2006
05. A literatura feminina de Adélia Prado - 25/7/2006


Mais Especial Autores novos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/5/2006
15h13min
Se a geração 60/70 de escritores teve a ditadura militar e a bandeira comunista, essa geração que está batendo à nossa porta pede por uma Terceira Guerra. Só lhes restou a queda da "esquerda" (eles se deram conta de que Lula não é Fidel, ainda bem que não!), e tem de se contentar com a internet... Pelo menos, não cheira a álcool. Sinceramente, Ayron de Melo, mais um autor "marginal".
[Leia outros Comentários de ayron de melo]
18/6/2006
03h14min
Querido Marcelo, teria um espacinho aí em cima do muro para que eu pudesse te fazer companhia?
[Leia outros Comentários de Maira Knop]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SALVE SUA VIDA
ERICA JONG
CÍRCULO DO LIVRO
(1977)
R$ 5,00



ENCICLOPÉDIA DOS CRAQUES - 2 VOLUMES
MARCELO DUARTE E MÁRIO MENDES
PANDA BOOKS
(2015)
R$ 36,66



AS MIL E UMA NOITES-O SABOR DOS DIAS
RENE R KHAWAN - TRADUÇÃO DE ROLANDO ROQUE DA SILVA
BRASILIENSE
(1993)
R$ 5,00



VOYAGE - 2ª EDIÇÃO
ABREU, ADELINO DOS SANTOS
EDICON
(1985)
R$ 7,00



TIPO ASSIM
KLEDIR RAMIL
RBS PUBLICAÇÕES
(2003)
R$ 5,00



A MÁQUINA DE CAMINHAR
CRISTOVÃO TEZZA
RECORD
(2016)
R$ 24,00



MEMÓRIAS DA ILHA
LUCIANA SANDRONI
AGIR
(1991)
R$ 12,00



DANO MORAL, DANO MATERIAL: REPARAÇÕES - 4ª ED.
FABRÍCIO ZAMPROGNA MATIELO
SAGRA (PORTO ALEGRE)
(1998)
R$ 20,82



É URGENTE REEDUCAR!
PIVA NETTO
ELEVAÇÃO
(2010)
R$ 14,20



CRISE NO SITEMA MUNDIAL : POLÍTICA E BLOCOS DE PODER
JOSÉ AGUSTIN SILVA MICHELENA
PAZ E TERRA
(1977)
R$ 7,90





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês